quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Chico Bento: HQ "Quem cola, não sai da escola"

Dia dos professores e em homenagem à data mostro uma história muito engraçada com a professora Marocas sendo perturbada pelos alunos em um dia de prova. Ela tem 10 páginas e foi a história de encerramento de 'Chico Bento Nº 171' (Ed. Globo, 1993).

Capa de 'Chico Bento Nº 171' (Ed. Globo, 1993)

Na trama, é dia de prova e a professora Marocas já começa avisando aos seus alunos que quem cola, não sai da escola e eles fazem de caras de anjinhos como se não fizessem isso. Ela entrega as provas e diz que não quer ouvir nenhum pio. Eis que surge uma coruja no lado de fora e perguntam se nem pio de coruja pode, e todos dão gargalhada.


A professora manda calarem a boca porque prova é coisa séria e o Chico Bento fala que por isso não podem rir e aí dão gargalhadas. Marocas diz que quando eles forem mal nas provas ela é quem vai vai rir, e dá uma gargalhada. Chico e Zé Lelé falam que a risada dela foi de bruxa e que ela é malvada. 

Marocas pede desculpas a eles, falando que foi porque eles a tiram do sério. O Chico pergunta se sempre que ela sai do sério, ela dá uma gargalhada daquela. O Zé Lelé intervém falando que sim, porque quando sai do sério você ri e quando sai do riso, fica sério. Chico achou bom e diz que sempre que a professora quiser sair do sério que pode contar com eles e todos dão gargalhadas.


Irritada, Marocas reclama que eles querem distrai-la pra não aplicar a prova. E informa também que quem colar, vai tirar a prova e dar nota zero, deixando isso claro ao Chico Bento. Ele diz que entendeu, falando que quem cola, prova que não estudou ou não prestou atenção à aula. Marocas gosta da frase, mas logo vê que ele a escreveu na mão. 


Antes de começar a prova, Chico pergunta a ela porque quem cola não sai da escola, se o primo do primo dele da cidade vai ter que fazer colação de grau para sair da escola. Zé Lelé intervém mais uma vez, perguntando em qual ano ele está. Chico responde que está no 2º grau, o Zé Lelé diz que eles não estão no segundo grau, e o Chico conclui que só no 2º grau é que pode colar. Marocas grita que não pode colar em hipótese nenhuma, e o Chico pergunta o que é hipótese, se é algum bicho.


Começa, finalmente, a prova e o Zé Lelé fala para o Chico que a professora vai ficar na sua cola. Chico diz que nem quer ouvir a danada. Zé Lelé pergunta se é a professora, e o Chico diz que é a cola. Marocas pensa que ele está pedindo cola e aparece ao lado dele. Chico diz que está pedindo cola para grudar o papel da prova que rasgou, sendo que no momento o Zé lelé entrega o papelzinho para o Chico, que diz para professora que é o papel pra grudar o rasgo da prova. No susto, acaba caindo a cola atrás dele. 


Chico culpa o Zé Lelé falando que não era essa cola. Marocas questiona se ouviu falar de cola, e o Chico diz que falou sacola, dando desculpa que depois da prova, ele vai no mercado e precisa de sacola. Ela não acredita e diz  que está na cara que ele quer colar. Chico diz que como ela tem certeza se não escreveu nada no rosto, e nessa hora o Zé Lelé aponta um espelho para o Chico.


A partir daí, todos os alunos são pegos colando de maneiras mais inusitadas, como colocar cola na sola do sapato, no chapéu e até cola na língua.  Dona Marocas surta, chegando a mandar a aluna Rita a guardar um colar e acaba desmaiando.

Rosinha manda o Zé Lelé buscar água, e como ele não sabia aonde, ela diz acolá, e aí a Marocas acorda assustada. No final, ela resolve anular a prova e marca pra fazerem outra na próxima semana. Todos ficam contentes e vão embora, menos o Chico, que por causa da cola que derrubou na carteira, ele ficou colado lá e por isso não sai da escola, fazendo um trocadilho com a frase da história que quem cola, não sai da escola.


Acho essa história muito hilária, cheia de gags e trocadilhos que são de rachar de rir. Interessante ver, por exemplo, a palavra "cola" que resultou em várias definições. Coitada da professora Marocas aturar alunos pestinhas como eles. Eu adorava histórias como essa em que o Chico e a sua turma colavam e aprontavam em sala de aula, enlouquecendo a professora Marocas. Atualmente, não fazem mais histórias assim, o Chico se tornou um aluno exemplar, que só tira nota dez.


Ela até é considerada grande, por ser ma história de miolo em uma revista quinzenal. Os traços são ótimos, eram usados normalmente em histórias de miolo, como essa. Na postagem a coloquei completa. Curioso o título da história sendo a fala da professora, um recurso muito usado na época das falas dos personagens se tornarem o título. 

Outra curiosidade nessa história é a Rosinha parecer na escola na mesma turma do Chico. Pelo certo, eles não estudavam juntos, com o Chico estudando de manhã e a Rosinha à tarde, mas de vez em quando colocavam eles estudando juntos, como essa, ou por causa do contexto da história ou porque os roteiristas não lembravam desse detalhe na hora de criar, já que as histórias da MSP não seguem uma cronologia. 


Em relação a capa do gibi, essa foi a última do Chico Bento sem código de barras na capa, ainda com o "Cruzeiro" como moeda brasileira. A partir de 'Chico Bento Nº 172', os gibis passaram a ter códigos de barras na capa.

24 comentários:

  1. E eu que nunca soube que a Rosinha estudava à tarde...
    Mas isso me lembrou de uma história onde, no dia da prova, o Chico estava bem nervoso e aí a Dona Marocas faz um monte de coisa para acalmá-lo, uma banda com música calma na frente da escola, uma massagem do tio do Hiro etc. No final ele acaba dormindo, mas anyway, ela diz "que o Chico recebeu massagem do tio de um aluno da outra sala [Hiro]". Daí eu fiquei... AHN? O Hiro não estuda na mesma sala do Chico? Tem que rever issaí, MSP! acho que eles deveriam mantar alguma cronologia, tipo "como a Mônica ganhou o Sansão", "quem estuda na sala de quem"...

    Mas eu vim aqui perguntar outra coisa: o que vc acha do casal TinaxRolo? Sabia que eles já se beijaram (Cascão 9 - Panini)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, e algo bem importante: "quem mora onde".

      Excluir
    2. Marcelo, já teve hq q falava isso e o normal era a Rosinha não estudar com ele, até pra não dizer q eles estavam namorando em aula, mas isso mudava as vezes, ou por causa do roteiro ou roteirista esquecia disso.

      Também acho q devia ter uma coerência de quem estuda com o Chico, não só a Rosinha, como os outros tbm. Pelo certo, quem estuda com ele são o Zé Lelé, o Hiro e o Zé da Roça, mas tem hqs em q algum deles não aparece, ou o Chico aparece só com figurantes, por exemplo.

      Excluir
    3. Sobre Tina e Rolo, pra mim tanto faz, mas acho melhor a Tina namorando outros e o Rolo pegador, com cada hq com namorada diferente.

      Pelo certo eles são só amigos, mas as vezes aparecem eles com intenções de namoro, tentativas. No final dos anos 70, era mais comum ter hqs com eles namorando, ou a Tina com intenção de namorá-lo ou disputando o Rolo com a Pipa. Depois mudaram, com as estreias do Jaime e do Zecão.

      E não entendi sua pergunta de quem mora onde?

      Excluir
    4. Não era bem uma pergunta, era pra a MSP definir. Teve uma história em que o Cebolinha era vizinho de um terreno baldio e de um figurante, outra da Mônica, outra do Cascão...

      Excluir
    5. Ah tah, isso nunca teve coerência mesmo. Bem q podia, sim. Até nome da rua q moram, cada hq é falado uma coisa. Limoeiro em vez de bairro vira rua tbm, as vezes.

      Excluir
  2. Muito boa a história. E essa capa...
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida uma hq muito divertida e capa excelente. Tudo era bom nessa época. Criatividade rolava solta.

      Excluir
  3. Minha esposa é professora e gosta muito do Chico Bento, que nem eu. Vou mostrar essa hq para ela. Com certeza vai gostar. Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Eugenio, na certa ela deve ter encontrado alunos pestinhas como esse rsrs... Valeu por ter gostado.

      Excluir
  4. Gostei, curto politicamente incorreto!
    Notaram uma certa semelhança ao Chaves? (crianças tirando onda com o professor na aula)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm adoro o politicamente incorreto. Sempre são mais divertidas hqs assim.

      Com certeza se parece com Chaves, e até com a vida real tbm, de alunos respondendo professor, colando na cara de pau. Acontece muito.

      Excluir
    2. tinha até uma chiquinha (mas diferente da do chaves)

      Excluir
    3. Verdade. Capaz de ter sido uma homenagem

      Excluir
  5. Marcos,me responda a seguinte pergunta:A história "A lenda do menino porcelana" é de Emerson Abreu?Eu desconfio disso por dois principais motivos:o destaque que o Xaveco tem e a longevidade da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é dele mesmo. Por causa disso q vc falou é q dá pra deduzir.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Eu sei q ela foi publicada em 'Cebolinha nº 3' - Panini, 2007, já folheei a revista em sebo e li comentários falando q a hq era dele, mas nunca a li. Aí não conheço.

      Excluir
  7. Respostas
    1. Ah, isso vi na época q lançaram essa hq no orkut, aí o pessoal comentava nas comunidades. A hq é dele sim, só q nunca li.

      Excluir
  8. Morri de rir, mas eu não deixo meus alunos colarem, não :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk... é muito legal. Isso ai, não deixa rs

      Excluir
  9. Marcos, eu morri de rir com essa história! É bem coisa de louco mesmo. E ó, na minha humilde opinião, que bela homenagem ao dia dos professores, hein?! E eu já tô meio atrasado, mas esse foi meu recado ao Dia do Professor. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, minha intenção foi homenagem ao Dia dos Professores. Hq muito engraçada, rachei de rir com ela tbm.

      Excluir