sexta-feira, 26 de junho de 2015

Livro L&PM: As Melhores Histórias do Cascão


Nessa postagem mostro como foi o livro "As Melhores Histórias do Cascão", da coleção da editora L&PM lançado em 1991.

Esse livro tem formato de 21 X 28 cm, 52 páginas e papel de miolo off-set, tanto na versão capa cartonada quanto capa dura. Na capa, sempre com o personagem segurando um objeto que tem a ver com sua personalidade, o Cascão está segurando uma lata de lixo que ganhou de presente. Ficou muito caprichada.

O frontispício com o título "Água só para beber", mostra as principais características do Cascão e de como ele é querido pelos leitores, mesmo com a sua mania de sujeira. Na página de evolução do personagem mostra 3 imagens do Cascão: uma dos anos 60, outra dos anos 70 e outra atual (anos 80).

Evolução do Cascão

Em seguida, as histórias republicadas. Foram 6 histórias no total entre 1974 a 1984, que não seguem ordem cronológica e seguindo tudo exatamente como foram publicadas nas originais, preservando, inclusive os códigos, quando tinham.

A relação de histórias republicadas (todas da Editora Abril), com número da edição e ano foram essas:

  1. Cascão e o Gato Borralheiro (CB # 43, de 1976)
  2. Muito precavido (MN # 49, de 1974)
  3. Borboleta cascuda (CC # 38, de 1984)
  4. A travessia (CC # 31, de 1983)
  5. Uma questão de ponto de vista (CC # 39, de 1984)
  6. A paquera (CC # 48, de 1984)

"Cascão e o gato borralheiro", "Borboleta cascuda" e "Uma questão de ponto de vista" foram histórias de abertura originais, as outras foram de miolo. Como de costume nessa coleção, as histórias dos anos 80 nesse livro não foram republicadas nos almanaques da Globo. Era a época das histórias do Cascão que estavam sendo republicadas em 1991, mas preferiram deixar exclusivas nesse livro. De curiosidade, hoje as histórias já saíram na Coleção Histórica. Na época eram raras, hoje em dia quem tem a CHTM conhece.

"Cascão e o gato borralheiro" mostra a turma em uma peça de teatro, com uma paródia do conto da gata borralheira (Cinderela), com o Cascão como gato borralheiro. Foi  a primeira história da turma parodiando contos de fadas, mesmo que seja eles interpretando a história, e, não passada completamente na fábula do início ao fim. Essa história é dá época em que o Cascão não tinha revista e tinha histórias nos gibis do Cebolinha.

Trecho da HQ "Cascão e o gato borralheiro"

"Muito precavido" é uma história muda de 3 páginas, mostrando o Cascão se prevenindo da chuva com guarda-chuvas quando ele nota presença de nuvens. Não gosto de histórias mudas em livros especiais como esse, mas essa vale a pena, mostra a verdadeira característica do Cascão e o seu medo de se molhar, fora que é curta sem enrolação. Essa, por ser a mais velha, por volta de 1974, devia abrir o livro, mas preferiram colocar a do gato borralheiro, que é mais longa, como abertura. De qualquer forma, ambas são dos anos 70.

Trecho da HQ "Muito precavido"

Em seguida vem "Borboleta cascuda" em que o Cascão tropeça em uma pedra ao empinar uma pipa, se enrosca na linha da pipa e bate a cabeça em uma árvore. Uma borboleta o vê desacordado e pensa que é uma lagartona com dificuldade de sair no casulo e, com isso, para ajudá-lo, transforma o Cascão em borboleta.

No código, apesar de fazer referência a 1984, ela é uma história publicada em 1983, já que nos gibis de janeiro a março colocavam o ano anterior nesses códigos. Essa história não tem a ver com a sua característica de medo de água, banho, sujeira, representa histórias do personagem sem essa temática. Ela é muito engraçada, legal ver o sufoco do Cascão por causa da asa da borboleta nas suas costas. A cena que ele olha em uma vitrine gritando desesperado "Oh, não!" que está se transformando em uma borboleta é hilária, de rachar de rir.

Trecho da HQ "Borboleta cascuda"

Em "A travessia", Chovinista é impedido de atravessar uma ponte por um porco gigante e chama o Cascão para dar um jeito no porco, mas que também fica com medo quando vê que o dono era um homem valentão, e, com isso, o Chovinista fica magoado com o Cascão. Os traços e a arte-final são fantásticos, tudo leva a crer que foram feitos pelo Alvin Lacerda. Representa então, história com esse estilo de traços e com presença do Chovinista. Pela cronologia, por ser de 1983, ela devia estar antes de "Borboleta cascuda", que é de 1984.

Já em "Uma questão de ponto de vista", o pai do Cascão, seu Antenor, consegue dois ingressos para a decisão do campeonato de futebol, mas impõe a condição do Cascão ir só se tomar banho. Então, o Jeremias e o Cebolinha resolvem "ajudar", fazendo vários planos para ele tomar banho.

Representa história com o Cascão contracenando com seus pais, embora aparecem pouco, e também histórias que a turma arma planos infalíveis para dar banho no Cascão. No código aparece 1983. mas é uma história de 1984, que dá para provar no rodapé que mostra "1984 Mauricio de Sousa Produções", exatamente como saiu no gibi original.

Trecho da HQ "Uma questão de ponto de vista"

A última história foi "A paquera", uma curta de 2 páginas, em que uma menina fica observando o Cascão sentado em uma pedra e ele pensa que está paquerando. Essa menina não é a Cascuda e sim uma secundária, já que naquela época a Cascuda não era namorada oficial do Cascão, só aparecia de vez em quando.

Como pode ver é um livro muito bom, pena que não teve história com o Capitão Feio e pelo menos um outro vilão como o Doutor Olimpo ou as irmãs Cremilda e Clotilde. Como são poucas páginas, não deu espaço pra colocar. Mesmo assim vale muito a pena ter na coleção.

17 comentários:

  1. As vezes me pergunto poque o Cascão ganhou seu gibi próprio mais tarde comparado a Mônica e o Cebolinha, pois ele só ganhou seu gibis no anos 80 e não nos anos 70, sendo que pelas capas ele era bem popular, junto a Mônica e o Cebolinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu tbm não sei. Talvez pq não queriam produzir tantos gibis, já tinham 3: Mônica, Cebolinha e Pelezinho. De fato, o Cascão era muito popular e tinham várias hqs deles nos gibis da Mônica e Cebolinha.

      Excluir
  2. Olá,Marcos.Eu queria lhe dizer,que na parte que você fala da História "Borboleta cascuda",na parte que você fala que a história foi produzida 1983,você errou e colocou 1973,e por falar nessa história,eu achava que era uma história em que,sei lá,a Cascuda virava borboleta,até vê que estava com letra minuscula e que a Cascuda não era namorada do Cascão.Aquela outra história sobre "Cascão e o Gato Borralhento",a fonte do titulo da história é muito criativo,concorda?Aliás,eu não conhecia a maioria das histórias que aparecem no blog,por isso,é interessante conhecer essas histórias que não existiam na sua mente até vê.E uma coisa,a ÚNICA Coleção Histórica que tenho é o 14,e ainda por cima é só Magali e Mônica,e pelo menos achei em um sebo,para poder não pagar 20 paus por 2 revistas.É só isso e fui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma coisa,nesse fronstispicio "Água só pra beber" eu descatei essa idéia de ter tido uma história em que ele tá com sede,mas não quer beber água,e para matar a sede,ele vai comprar refrigerante,ou algo do tipo,e descobre que todo liquido tem água,e o único jeito de matar a sede,é com algo feito de água.

      Excluir
    2. Valeu pelo toque, foi erro de digitação. Já corrigi. A hq "Borboleta cascuda" não tem a ver com a personagem Cascuda mesmo, ela nem aparece. Foi uma palavra derivada de Cascão. É uma hq muito legal. Tenta ver se consegue encontrar a Coleção Histórica nas bancas, as hqs são ótimas.

      Nesses livros da L&PM em todos tem um frontispício, q é um prefácio com um texto falando sobre o personagens. Nesses em todos tem um título bacana, tudo a ver com o personagem. Então, "Água só pra beber" não é uma história, foi só um título do prefácio, dando ideia que Cascão só aceita água, só se for para beber.

      Excluir
  3. As HQs 3, 4 e 5 eu tenho aqui. Muito boas.
    Sobre o comentário que li da revista do Cascão não ter existido antes, diz a lenda (fonte que não posso revelar) que o Mauricio nunca quis fazer uma revista do Cascão. A revista foi feita justamente pela popularidade crescente cada vez mais, o que fez com que algumas pessoas da Abril finalmente o convencesse de que seria uma boa ideia investir nele. Assim também aconteceu com Chico Bento. Se fosse apenas pelo Mauricio, não teriamos um gibi do Cascão e Chico Bento tao cedo. Até onde pode ser verdade, eu não sei. Mas eu li esse relato de alguem de dentro da própria Abril.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São ótimas essas hqs, sem dúvida.

      Sobre revista do Cascão faz todo sentido isso sim, tanto q foi diferente, no estilo quinzenal e com menos páginas, no estilo Pato Donald e Zé Carioca na época. E ainda bem q deu certo a revista do cascão e do Chico, pra ver como eram populares.

      Excluir
  4. Ainda sonho em ter essa coleção! Eu ainda vou comprar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenha fé q vai conseguir comprar e por um bom preço cada um.

      Excluir
  5. Olá Marcos, tudo bem? Gostaria de saber se vc tem a edição 389 do Cascão, Neve no natal, da Ed. Globo. Consegui essa revista quando criança, mas ela não tem as últimas 4 folhas e até hoje eu quero saber o final! Kkk
    Desde já agradeço. Bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi bom dia. Infelizmente eu não tenho esse gibi. No site Guia dos Quadrinhos, vi q ela foi republicada em "Mônica Especial de Natal" Nº 1 e nº 7, ambos da Editora Panini. Quem sabe, dá pra encontrar esses em sebos ou baixar na internet. E se eu encontrar falo aqui.

      Excluir
    2. A 1 do ''Especial de Natal'', dá para ler no ISSUU

      Excluir
    3. É mesmo, dá pra ler online sem baixar. Valeu pela ajuda Vinicius :)

      Excluir
    4. Muito obrigada pela ajuda, Marcos e Vinícius! E pela rapidez em responder :D
      Ótimo blog!

      Excluir
    5. De nada, Gabi. E obrigado por estar gostando do blog. :D

      Excluir
    6. eu adoro o issuu, é um site bom , pena que a maioria do gibis são da fase panini...

      Excluir
    7. Pois é, eles bem que podiam investir de mais antigos. Primeiros números da Globo tem poucos.

      Excluir