quinta-feira, 18 de junho de 2015

Coleção Histórica Nº 47


Já nas bancas a 'Coleção Histórica Nº 47', formada pelas 5 revistas números 47: Mônica (1974), Cebolinha (1976), Chico Bento e Cascão (1984), e Magali (1991).

Na capa do box é o Nhô Lau. Dessa vez não gostei da capa, já que alteraram o desenho dele, tirando o trabuco da sua mão. Ficou esquisito assim ele com uma mão fechada e outra apontando para alguma coisa por causa dessa alteração. Como atualmente os personagens não podem aparecer com armas de fogo, eles mudaram o desenho do Nhô Lau, assim como fazem nas republicações dos almanaques atuais.

As imagens dos personagens que aparecem nos boxes são das primeiras apariçôes na Coleção Histórica. Eu encontrei a imagem original do Nhô Lau, que foi tirada da história "Delícia de goiaba", de 'Chico Bento Nº 15', de 1983. Essa foi a primeira aparição dele em um gibi do Chico Bento, apesar de ele já existir desde os anos 70, em histórias do Chico publicadas nos gibis da Mônica e do Cebolinha. Como podem ver, além de tirarem o trabuco, mudaram também a expressão, onde ele estava sério na história de 1983 e agora colocaram ele sorrindo. Ou seja, avacalharam com o desenho. De fato, era difícil ter história do Nhô Lau sem trabuco, mas pesquisando bem, dava para encontrar uma imagem sem precisar alterar.

Trecho da HQ "Delícia de goiaba" (CHB # 15, de 1983)

Esse box marca negativamente por alterações nas tirinhas no final do expediente, tirando o logotipo do alto, como eram nas originais, e com desenhos ampliados, ocupando mais da metade da pagina. Desde que os gibis reiniciaram as numerações, em maio de 2015, eles passaram a colocar as tirinhas assim, sem os tradicionais logotipos no alto e os desenhos ampliados, ocupando toda a altura da página. No lado direito, o logotipo do personagem ficou maior, como se estivesse sido deslocado para direita. O pior que se não bastassem nas mensais, resolveram fazer alterações nos almanaques convencionais e agora a Coleção Histórica infelizmente também entrou nessa onda. 

Nas mensais já achei feio assim, ficam como uma espécie de história sem título, mas por ser material novo dá para aceitar. Agora, na CHTM mudar isso só pra ficar igual aos gibis atuais acho inadmissível. Nos gibis originais não eram assim. Ficou horroroso. A gente quer os gibis mais semelhantes possíveis aos originais e não parecidos com os atuais. Até porque nos gibis da Editora Abril e os da Magali da Editora Globo, eles colocavam o nome do personagem no alto com outra fonte, e não com o logotipo oficial e agora com essa mudança não vai dar pra saber como foi na original. Durante a postagem sobre cada gibi individual, comento mais sobre isso. 

Já em relação à distribuição até que dessa vez chegou mais cedo aqui, no dia 2 de junho. Mesmo sendo de maio, até que foi mais rápido, considerando meses anteriores. Ainda assim a distribuição ainda está precária, já que essa Coleção era para chegar em todos os cantos do país e muita gente, principalmente do interior, reclama que nunca chega ou senão muito tarde. E pior que agora não tem mais assinatura da CHTM no pacote da Turma da Mônica Jovem, então a forma de conseguir só nas bancas ou livrarias físicas  ou da internet.



Histórias de abertura e comentários gerais:

Mônica - "A melancia" - Uma nave extraterrestre em formato de melancia invade a Terra e a Mônica e a Magali têm que evitar a invasão.

Essa história foi republicada recentemente no livro "Magali 50 Anos". Para quem não tem, a oportunidade para conhecer. Nessa edição, de 9 histórias comentadas, apenas a do Horácio e "Cascão a serviço do mal" com créditos completos de roteirista, desenhista e arte-final. O Mauricio de Sousa escreveu todas as histórias desse gibi e desenhou quase todas, mas como não é informado o arte-finalista, não pode confirmar se realmente foi ele que arte-finalizava também, visto que nessas histórias foram por pessoas diferentes.

Dessa vez teve uma história da Tina em um gibi da Mônica, coisa não muito comum. Desde que lançaram gibis do Cebolinha, as histórias da Tina e sua turma ficaram nos gibis dele. Nessa história de 2 páginas, Tina pede ao Rolo para fotografá-la para ser manequim. 

Trecho da HQ da Tina

Como história de destaque, gostei de "Cascão a serviço do mal", em que o Casão é sequestrado por um cientista louco, que hipnotiza o Cascão, entregando um anel para que a Mônica o cumprimente e transfira toda a sua força para o anel. Essa história teve um erro de cor na original em que a Mônica devia estar de vestido amarelo (que era a Magali disfarçada) e colocaram vermelho na original e agora corrigiram. Pelo menos foi avisado nos comentários, mas preferia que mantivessem o erro durante a história.

Em relação à tirinha no final do expediente, foi a única que não foi alterada, em relação ao nome da Mônica no alto. Só que a proporção do desenho foi mudado, deixando ampliado. Devem ter mantido o nome da Mônica nessa porque está inserido no quadrinho da tirinha e não no lado de fora, como nos outros gibis e aí não fez diferença para ampliar os desenhos. Com isso, dá para notar que o nome tinha uma arte e não era o logotipo oficial, como nos gibis atuais.Era bem melhor uma arte diferente, do que simplesmente colocar o logotipo oficial, inclusive.

Cebolinha - "O único" - Um milionário descobre que o Cebolinha tem um cachorro igual ao seu, e, com isso, tenta dar sumiço ao Floquinho para que só ele tenha um cachorro diferente.

Todas as histórias foram comentadas, inclusive as de 1 página, menos a tirinha, como de costume. De 13 histórias, 5 não tiveram créditos nenhum de roteirista, desenhista e arte-final e créditos completos só na última, "A caçada", do Bidu, em que 2 laçadores de cachorros disputam quem vai pegar o Bidu. Dessa vez foi uma história do Bidu que finalizou o gibi.

Na história do Chico Bento de 1 página dessa vez ele está falando certo, como era comum na época. É que na edição do Cebolinha anterior, o Chico apareceu falando errado em alguns quadrinhos. Pelo jeito foi como experiência e pode acontecer algumas vezes, mas ele falar caipirês de forma oficial só a partir dos gibis de 1980.

Em "Mônica X TMCM", em que a Mônica se disfarça de Cebolinha para ver o que os meninos falam no clubinho, engraçado e curioso ver o Anjinho participar do clube dos meninos para participar de plano infalível contra a Mônica. Naquela época não era difícil encontrar o Anjinho participando de planos. Já na história "Bidu e veterinário", eles mantiveram um erro de cor no jaleco do veterinário, deixando azul em vez de branco em um quadrinho e sem avisar nada. Tinha que ser assim sempre.

Trecho da HQ "Bidu e o veterinário": erro de cor no jaleco sem alteração

Agora, no comentário de "A namorada do Cascão" (em que o Cascão arruma uma namorada resfriada), teve erro de impressão pela Panini e ficou omitido umas 2 linhas do comentário do Paulo Back. O comentário termina ele falando que "Sorte da Cascuda que, tempos depois, provaria o seu amor verdadeiro, ao não precisar de" e termina assim. Com isso, a gente nunca vai saber o que o Paulo Back quis falar da Cascuda.

Lembrando que nessa história, a namorada do Cascão era outra e a Cascuda nem apareceu, já que ela ainda não era a sua namorada oficial. Aliás, raramente tinha histórias dos 2 namorando.

"Arquivos do Mauricio" com comentário omitido

A tirinha foi alterada, sem o nome no alto e com desenhos ampliados. Ficou péssimo assim sem mostrar como era a arte que fizeram com o nome do Cebolinha. Não dá para entender o motivo dessa mudança tão radical sem necessidade, ficando completamente da original.

Abaixo, olhando a comparação entre a original e a CHTM, dá para notar várias diferenças com essa mudança ridícula. Mesmo a revista original com 2 cm maior na altura, como eram nos anos 70, dá para notar que na CHTM a tirinha ocupou mais da metade da página, os desenhos ficaram muito ampliados, os quadrinhos na original eram retangulares maiores na vertical e agora na CHTM ficaram nas horizontais.

Além disso, os desenhos foram ajustados também de modo que a distância do Cascão com a árvore no primeiro quadrinho e a do Cascão com o Cebolinha no último quadrinho, por exemplo, ficaram mais distantes na CHTM em relação à original, assim como os balões do Cascão no primeiro quadrinho ainda ficaram em posições diferentes. Ou seja, uma avacalhação total. Não dá para entender o motivo dessa mudança tão radical sem necessidade, ficando completamente da original. Para constar, a imagem do gibi original foi enviada por André Felipe.

Comparação das tirinhas de 1976 e da CHTM # 47

Chico Bento - "Larga de ser burro" - Uma fada transforma o Chico Bento em um burro para ele aprender a não matar aula. 

De 7 histórias, a "Socorro", do Papa-Capim (em que um índio fica na cola do Papa-Capim depois de ele ter salvo em um barranco), não teve créditos nos comentários e créditos completos só em 2 histórias: a de abertura e "O livro" (em que o Chico não gosta de ganhar um livro do pai).

Nesse gibi, uma coisa curiosa que quase todas são incorretas, e não seriam publicadas hoje. Tem Chico matando aula, mexendo com arma, segurando galinha pelo pescoço, etc. Como história de destaque, "A vara de pescar" em que o Chico quebra a vara de pescar que roubou do pai e faz de tudo para arrumar outra sem que o pai perceba.

Dessa vez aparentemente não teve alteração no caipirês dos personagens em relação ao gibi original. Não só gerúndios que seguiram como era na época, como "mintino" e "doeno", como também palavras que tiveram mudanças no caipirês o longo dos anos, também deixaram iguais, como "pescadô", "podi" e "mió", que não mudaram para "pescador", "pode" e "mior", como já fizeram em edições anteriores. Tomara que continuem assim, sem alterar nada.

Trecho da HQ "Larga de ser burro"

De alteração mesmo só a tirinha final, que ficou sem o nome no alto e com desenhos ampliados, ficando completamente diferente da original. O nome do Chico Bento das tirinhas era com uma fonte bem diferente nos gibis dele da Editora Abril, e com essa mudança ridícula não permitiu que a gente visse isso. 

Cascão - "O terrível Capitão Bebê Feio" - Capitão Feio tem impressão que está envelhecendo e manda os seres do esgoto prepararem uma fórmula para ele rejuvenescer, só que ao tomá-la, acaba se transformando em um bebê.

Na história "A volta de quem já foi", em que o Penadinho tenta voltar a conviver com a sua esposa de quando era vivo, revela uma versão passado do Penadinho, de quando ele era vivo, mas que é mudado de acordo com o roteirista. Nunca teve uma versão oficial de como era a sua vida antes de morrer e como ele morreu.

De 5 histórias, só as 2 primeiras com créditos completos. Nas outras sempre faltaram alguma informação. Mauricio fez a história "A decisão", em que o Cascão fica indeciso se deixa uma gota na folha de uma árvore cair sobre sua cabeça. Nos anos 80, ele fazia poucas histórias, mas ainda fazia. Só não desenhava também como era nos anos 70.

Nessa história apesar dos desenhos do Cascão e das folhas parecidos, não foi usada o recurso "copiar/ colar" (técnica "paste-up" como o Paulo Back descreveu nos comentários). O desenhista Beto fez cada desenho do Cascão e das folhas um a um. Isso fazia grande diferença nos gibis antigos, e não, esse "copiar/ colar" feito descaradamente hoje. Se essa história fosse desenhada atualmente ia perder a graça com desenhos tudo iguais com suas proporções e expressões idênticas.

Trecho da HQ "A decisão"

Esse gibi não teve tirinha, já que na edição original a última página foi destinada a uma propaganda de algum gibi fora da MSP, muito comum nos gibis da Editora Abril dos anos 80. Quando isso acontecia, para suprir o espaço na CHTM, eles colocam uma ilustração do personagem, falando que não pode perder a Coleção Histórica. Então, como não teve tirinha, não teve alteração, porque senão infelizmente teria. 

Magali - "Pouco sal... mas muito açúcar" - Magali ouve escondida o Ronaldinho, o garoto mais fofo da rua, falar que ela é sem sal e resolve mudar o seu comportamento e modo de vestir radicalmente para ver se agrada.

Essa foi uma história escrita pela Rosana. Bem curioso que desde a edição "Nº 42" até agora, ela é quem está escrevendo as histórias de abertura da Magali em sequência. Os desenhos muito bons também, com direito a Magali só com um curva sobre os olhos representando que estava com muita raiva. Adorava esses traços e bom saber pelos comentários que eram feitos pelo desenhista Sidão (Sidnei Salustre). Pena que na colorização aparece uns pontos brancos nos olhos, que normalmente não tinha quando era assim. Lembrando que não foi alteração na CHTM, pois na original de 1991 foi colorido assim.

Trecho da HQ "Pouco sal... mas muito açúcar"

De 4 histórias comentadas, apenas "Regula a gula" sem créditos completos. Nas outras praticamente colocaram só roteirista e desenhista. Na história "Peixinho apetitoso" (em que o Mingau tenta pegar um peixe no aquário que a Magali comprou) é falado do desenho do  Mingau que ficou bem realista, de fato, mas infelizmente não diz quem foi que desenhou e arte-finalizou.

Em "O chefe vem jantar" (em que o chefe do Seu Carlito, pai da Magali, vai jantar na casa dele e a Magali precisa controlar a sua gula para não dar vergonha), detalhe do Seu Carlito trabalhar com máquina de escrever. Hoje, cada escritório tem computador, cada funcionário tem o seu. Aliás, desenhos espetaculares dessa história.

Esse gibi também teve a tirinha alterada. A fonte do nome da Magali era diferente e com a mudança a gente não viu como foi na original e o desenho ficou ampliado, com a tirinha na CHTM já começando no canto da pagina e ocupando mais da metade da página. Abaixo a comparação da tirinha no gibi de 1991 e como ficou agora na CHTM. Como as dimensões dos gibis são iguais, dá para perceber melhor a diferença.

Comparação das tirinhas de 1991 e da CHTM # 47

Na capa, até que não teve grandes mudanças com a originais. A parte inferior da grama deu para perceber que ficou menor em relação à original de 1991, os tons das cores meio diferentes, que acontece em todos os gibis da CHTM porque nas originais eram coloridas tudo de forma artesanal, e agora como tudo é computadorizado, não encontram um tom parecido com a original. Além do logotipo, que insistem deixar menor e centralizado, em vez de ocupar a largura total do gibi como era na original. Abaixo a comparação das capas:

Comparação das capas de 1991 e da CHTM # 47

Então, esse Box foi muito bom, histórias ótimas, como sempre, o que estragou foram as mudanças nas radicais nas tirinhas para ficar igual aos gibis atuais. Acho que tem que ficar tudo igual como saiu na época. Espero que revejam isso e voltem a colocar as tirinhas exatamente iguais às originais o mais rápido possível.

28 comentários:

  1. Cara, eu achei legal as tirinhas desse jeito. Inovou.
    Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu odiei, fica como uma história sem título. Até em tiras nos jornais tem o título. Mas até dá para aceitar nas mensais. Na Coleção Histórica, não aceito. Acho q tinha q ser igual como saiu nas originais. Abraço

      Excluir
  2. O MSP realmente nunca colocaria um trabuco na capa.
    Esperando esse box chegar por aqui.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não iam colocar mesmo rsrs... mas q procurassem uma imagem q o Nhô Lau não estivesse segurando um trabuco.

      Tomara q chegue logo aí. Essa distribuição é horrorosa.

      Excluir
  3. Hoje mesmo comprei o meu, nem terminei de ler ainda. Por sorte aqui a distribuição é boa, eu nem tinha planos de comprar quando fui na banca e vi umas 4 ou 5 caixas da CHTM, garanti logo a minha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui é mais ou menos, até chega, mas são só 1 ou 2 exemplares por banca q vende, e não são todas as bancas q vendem. Legal q vc já garantiu a sua.

      Excluir
    2. Aqui nas bancas do meu bairro não chega a CHTM, e tenho que ir lá onde Judas perdeu as meias pra comprar uma, que geralmente só tem 2. Maaaas consegui comprar e estou feliz com isso. Essa mudança na tirinha ficou horrível e sem o menor sentido :P

      Excluir
    3. Eles tinham q melhorar muito essa distribuição. Já a mudança das tirinhas com certeza foi completamente sem sentido. Nada a ver fazer essas alterações.

      Excluir
  4. Nas mensais eu confesso que gostei das tirinhas assim, pois dá mais espaço para desenho e não ficam aquelas letras pequenas. Agora eu concordo com você que na coleção histórica deveria manter igual ao original, pois o desenho fica diferente. Falando em coleção história, outro dia encontrei em um sebo o Mônica, Cebolinha e Cascão n°6 e comprei. Gostei mais do da Mônica. Na do Cascão tem uma história da Maria Cascuda Limpa e com o Cabelo bem diferente. Ela ficou mais bonita assim. Ela só aparecei daquele jeito nessa história?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é esse de mudar e os desenhos ficarem diferentes. No cebolinha ficou muito estranho assim. Não gostei. Tanto na Coleção Histórica quanto nos almanaques convencionais não tinham q mudar nada.

      Legal q vc conseguiu alguns do nº 6. A Cascuda já apareceu em outras hqs com visual diferente, depois q tomou banho.

      Excluir
  5. A Coleção Histórica é muito legal por causa dos textos explicativos sobre as histórias e pro pessoal mais novo conhecer os trabalhos antigos da MSP, mas é tanta mudança que, pra quem é da época, perde um pouco o encanto da coisa. Por isso que prefiro ter os originais. Nunca sequer cogitei colecionar esses boxes. Só comprei o primeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, André, essa coleção vale mais par ao pessoal conhecer as hqs q não tem. Essas mudanças todas nem de longe lembram as originais e tiram a magia da época. É uma espécie de almanaque mais sofisticado por causa dos comentários.

      Só compro mesmo pra conhecer as hqs da Mônica e Cebolinha da época, q ficaria caro se comprasse as originais no Mercado Livre, senão não comprava.

      Excluir
  6. Ainda assim a CHTM é bem melhor que as mensais. Nesse sentido, e para quem não tem as revistas originais, vale a pena.

    Penso que nunca mais as revistas voltarão a ser como antes, nem mesmo as republicações serão fiéis aos originais. Os tempos agora são outros, e vieram para ficar.

    Gostaria pelo menos, que nas mensais de hoje, fizessem roteiros mais interessantes, sem a mesmice dos 4 personagens principais em diálogos e caretas intermináveis, com o fundo pastel e gramadinho.

    Teletubizaram a TM atual, é o que temos visto nas mensais. Ainda bem que tem a CHTM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida a CHTM são melhores, sem comparação. Foi uma ótima ideia essa coleção. Ainda bem q existe. Se ao menos não tivessem alterações, principalmente nos textos, seria melhor ainda. Para conhecer as hqs antigas valem a pena, só não dá pra substituir pela edição original.

      Vamos ver se com as numerações reiniciadas, o estilo das hqs novas mudem, ainda é cedo pra tirar conclusões.

      Excluir
  7. Moro no Rio e achei uma banca com 4 ou 5 edições em Campo Grande (bairro da zona Oeste). Voltei a tarde pra comprar e já tinham duas sido vendidas, mas deu pra garantir a minha. Fiquei feliz em descobrir essa banca, já que poucas vezes tinha encontrado fisicamente, ainda mais uma banca com 5 edições! Vou procurar sempre ir lá (apesar de pela internet continuar sendo mais barato).

    Enfim, achei escrotíssimo a mudança nas tirinhas. Como se fossem gibis novos...Eu de fato adorei as tirinhas sem título, ficou bastante bonito, mas não num gibi que originalmente tinha título. Bola fora do caramba, e sem sentido nenhum! Não sei pq cagam tanto essa coleção que deveria chegar perto do perfeito.

    Mas enfim, gostei muito. Principalmente do gibi da Mônica (como de costume). Mix de outros núcleos, e uma história maravilhosa do Horácio, que só poderia sair da brilhante mente do Maurício, que escrevia maravilhas na época. Aliás, esse gibi tem uma capa muito parecida com a edição 37...A piada é outra, mas os detalhes são idênticos (fundo branco, cerca, piada com Mônica e Cascão) haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É na internet da pra conseguir um pouco mais barato, a desvantagem é ter q ficar esperando chegar. Por isso tbm prefiro comprar nas bancas, a não ser se eu tivesse q comprar algo junto.

      Essas tirinhas assim foram uma bola fora. Tinham q preservar a magia das originais. Essa do cebolinha ficou toda escrota assim. Achei a pior. Tomara q revejam logo isso, q na nº 49 já volte ao normal. Digo, 49 pq acho q nº 48 já está pronta pq eles tem antecendência.

      O gibi da Mônica ficou muito bom, essa do Horácio é maravilhosa, bem filosófica. O estilo das cores dessa capa com a 37 ficou parecido mesmo. Interessante q estamos em uma série de capas da Mônica q o Cebolinha não aparece. Depois da nº 36 ele voltou a aparecer só na nº 60.

      Excluir
  8. Curiosamente esta tirinha do gibi da Magali apareceu no meio do Gibi do Cebolinha 5 da editora Globo. Com certeza era uma preparação para o gibi dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha muitas hqs da Magali nos gibis da Mônica e cebolinha naquela época, principalmente os da Mônica. Era por causa disso mesmo pra preparar os gibis e os leitores a se acostumarem com ela.

      Agora, nem lembro dessa tirinha publicada nesse Cebolinha 5, quando der vou ver aqui. Sei q tinha muitas tirinhas q eram re-republicadas nos gibis naquela época.

      Excluir
    2. Será que também tiveram a idéia de lançar gibis com outros secundários na época?Eu reparei que em outras épocas da msp secundários como o Titi e o Jeremias também tinham muitas histórias, algumas até solo. Não seria também uma preparação para eles terem gibis próprios, mas que foram cancelados?

      Excluir
    3. Não, Titi e Jeremias apenas tinham hqs solos, mas nunca ouvi falar q quiseram lançar gibis com eles.

      Excluir
  9. se essa hq "o único" fosse publicada hoje o cachorro do milionario seria um copiar-colar do floquinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, afinal 2 cachorros iguais era fácil copiar colar. Ainda bem que foi publicada na época certa.

      Excluir
  10. Na história do Bidu, não se trata de um erro. O caso é que o jaleco é branco, e na cena sem quadro, cujo fundo é a página, branca, não ficaria legal o jaleco da mesma cor. Então optaram esteticamente pelo azul claro. Isso é utilizado porque essas histórias não possuem tonalidades de sombra ou de luz. Então precisam buscar recursos para que a arte fique esteticamente agradável.

    O"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi, o azul foi pra dar contraste com o fundo. De qualquer forma pelo menos não mudaram isso nessa Coleção Histórica.

      Excluir
  11. eu so tenho essa e a coleção historica 32, pena que na 47 perdi a revista da magali e na 32 a revista do chico bento ficou identica a do cascão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que vc perdeu a da Magali. muito boa essa. E na nº 32 teve erro de impressão e aí veio a mesma revista do Cascão nos 2 títulos?

      Excluir
    2. sim, n sei se teve isso na original mas pelo menos na minha veio assim

      Excluir
    3. Não, não foi assim. Foi erro mesmo. No meu veio normal.

      Excluir