quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Livro L&PM: As Melhores Histórias da Tina


Nessa postagem mostro como foi o livro "As Melhores Histórias da Tina", da coleção da Editora L&PM lançado em 1991.

Seguindo o formato dos outros livros da coleção, esse tem formato de 21 X 28 cm, 52 páginas e papel de miolo off-set, tanto na versão capa cartonada quanto capa dura. Na capa, sempre com o personagem em uma situação ou com um objeto que tem a ver com sua personalidade, a gente vê a Tina com diário na mão, já com os traços recém lançados em 1991 com ela com cabelo mais comprido. Curiosamente, na contracapa desse livro e dos demais da coleção, mostra uma outra versão de capa com desenho diferente, apesar de mantê-la com cabelo comprido e diário na mão. Capaz de terem mudado a capa na última hora e esqueceram de mudar nas contracapas. Tanto os livros com capa cartonada e dura a Tina tiveram a mesma capa.

Contracapa, mostrando uma capa diferente do livro da Tina

O livro abre com o frontispício com o título "Ela gosta de agitar a 'tchurma'", com o texto mostrando uma comparação da Tina como um "patinho feio", que era "magriça", com óculos redondos, blusa solta e tênis enormes quando foi criada e foi crescendo ao longo dos anos e ficando bonita e charmosa depois. E apresenta os principais personagens da turma dela. Só erra ao informar que Tina foi criada em 1964, sendo que na verdade foi em 1970.

Na página de evolução, mostra 2 imagens da Tina: uma de quando foi criada em 1970 e outra a atual (anos 80). A versão de 1970 ficou com uma camisa colorida diferente do que era na época.

Evolução da Tina

Em seguida vêm as histórias republicadas, sendo 11 histórias no total entre 1972 a 1984, que não seguem ordem cronológica. Histórias mostrando diferentes fases da Tina até os anos 80. Só não teve nenhuma da fase dela mais criança entre 1970 a 1972, quando contracenava exclusivamente com Toneco e às vezes com Toim, o pai e a Vovoca, porém foi bem explorada a sua fase hippie. Só em 2 histórias que não tiveram foco na Tina: uma protagonizada pela Pipa e Zecão, embora tenha participação da Tina e outra do Rolo, essa só com presença dele.

Teve uma particularidade, assim como aconteceu em "As Melhores Histórias da Magali", com 2 histórias da Editora Abril dos anos 70 em que os códigos tiveram referência a Almanaques da Mônica da Editora Globo nos quais foram republicadas em vez de colocarem os códigos das originais dos anos 70, saindo exatamente iguais como saíram em seus respectivos almanaques. Logo, histórias republicadas recentemente até então, tiveram uma nova republicação. Já as histórias originais dos anos 80 da Editora Abril não foram republicadas depois nos almanaques convencionais da Globo, aí sim como de costume nos livros dessa coleção.

A relação de histórias republicadas, com número da edição e ano foram essas:
  1. Amnésia (MN # 32, de 1972)
  2. Ser ou não ser... hippie? (CB # 3, de 1973)
  3. Quem não se comunica... (CB # 3, de 1973)
  4. A joqueta (MN # 80, de 1976)
  5. Hei, Hei, Hei! Roberto Alberto é nosso rei! (MN # 82, de 1977)
  6. Presente difícil (MN # 158, de 1983)
  7. Tina (CB # 55, de 1977)
  8. Na extensão (MN # 159, de 1983)
  9. Tão diferente do Bob (MN # 170, de 1984)
  10. Tina (AMN # 8, de 1988)
  11. Tina (AMN # 7, de 1988)

Na história "Amnésia", Rolo perde a memória quando Pipa cai em cima dele ao ver uma barata. Representa histórias de humor pastelão, só que com os 3 personagens em vez de de ser só Tina e Rolo. Em "Ser ou não ser... hippie?", Toneco quer se tornar hippie que nem Tina e Rolo e, então, Toneco tem que imitar tudo que eles fazem. Já na divertida "Quem não se comunica...", Tina e Pipa não conseguem se entender por causa das gírias hippie da Tina. Na época a Pipa era a certinha da grupo, que fazia confronto com a cultura hippie da Tina e Rolo.

Trecho da HQ "Ser ou não ser hippie" (1973)

A seguir vem a história "A joqueta", em que Rolo propõe que Tina se torne uma joqueta (joquei feminina) e como ela nunca havia andado de cavalo na vida, Rolo faz com que ela treine em um cavalo mecânico, causando muita confusão. História representando humor pastelão entre Tina e Rolo. Nela, já dá para notar diferença nos traços, a Tina já com corpo com curvas e pernas longas e nessa história e o Rolo aparece com uma roupa diferente nessa, algo não muito comum na época. A partir dessa, mostra os códigos como saíram nos gibis originais.

Trecho da HQ "A joqueta" (1976)

Em "Hei, Hei, Hei! Roberto Alberto é nosso rei!", Tina vai entrevistar o ator de novelas Roberto Alberto para trabalho da escola e Pipa pede para ir junto, mas arruma confusão ao ver o seu ídolo de perto. Foi uma história de experiência para a nova fase da Tina, com ela ainda com traços hippie, mas com roupa diferente com ar mais feminino e um roteiro mais diferente do habitual. Por exemplo, nunca teve história antes que Tina ia a escola. Se tivesse óculos menores e colocassem lábios com batom ficaria bem semelhantes com a fase que iniciaria 4 meses depois, em junho de 1977.

Nessa história teve a volta da Pipa aos gibis que estava sumida desde 1974. No código, apesar de fazer referência a 1976, ela é uma história publicada em 1977, já que nos gibis de janeiro a março colocavam o ano anterior nesses códigos (talvez foi quando ela foi produzida, já que gibis são feitos com antecedência).

Trecho da HQ "Hei, Hei, Hei! Roberto Alberto é nosso rei!" (1977)

Depois vem uma história dos anos 80, "Presente difícil", em que Tina esqueceu de comprar presente do do Dia dos Namorados para o Jaime  e tenta comprar um em última hora, passando muito sufoco. Faz uma crítica ao nosso cotidiano, das pessoas que compram presentes na última hora na vida real. Nessa história, além da presença do Jaime (que foi chamado de Jaiminho), apareceu também a Vovoca.

Em seguida o livro volta aos anos 70 com uma história sem título, apenas "Tina", em que ela se arruma toda para sair com seu namorado. Foi uma história do 2º mês da nova fase da Tina pós-hippie, 3ª história publicada assim. Ou seja, bem clássica. O namorado dela nessa até parece o Jaime com roupas dos anos 70, mas não era ele. Ela não tinha namorado fixo nos anos 70 e ele ainda não havia sido criado, que só aconteceria em 1982.

Trecho da HQ "Tina" (1977)

Depois colocaram 2 histórias dos anos 80 sem ser foco na Tina. "Na extensão", mostra o Zecão recebendo um telefonema misterioso e Pipa dá um jeito de ouvir escondida a conversa na extensão do telefone, descobrindo que era outra mulher na linha, deixando Pipa com muito ciúme. História representando a característica da Pipa ciumenta ao extremo. Tina faz apenas participação nessa e ainda tem a curiosidade do Zecão aparecer com barba, em vez de ser só uma barbicha. Como ele havia sido criado em 1982, ainda não tinha traços definidos e de vez em quando aparecia com um detalhe diferente, como no penteado ou cor do cabelo, ou aparecer de barba, como foi nessa.

Trecho da HQ "Na extensão" (1983)

Em "Tão diferente do Bob", história solo do Rolo, sem presença da Tina e seus amigos, o Rolo namora a Lídia, que fala o tempo todo do ex-namorado Bob. Representa história do Rolo com conflitos com namoradas. Aliás, essa mulher com traços espetaculares, por sinal. Essa devia encerrar o livro porque é a mais recente da edição.

As 2 últimas histórias voltaram para os anos 70, ambas em título, apenas "Tina". Na primeira delas, Rolo quer se tornar modelo e entra em uma agência junto com a Tina e os donos querem que ela se torne a modelo, e não ele. Com isso, Rolo só aceita com a condição de ele ser empresário da amiga com muitas exigências contratuais. No livro o código teve referência ao 'Almanaque da Mônica Nº 8' da Editora Globo de 1988, quando foi republicada pela primeira vez, com o código exatamente igual como saiu naquele almanaque, confirmando que eles não tiraram da revista original do final dos anos 70.

Já em "Tina", uma  história muda de 2 páginas em que ela vai se despedir do seu namorado no aeroporto antes de ele viajar. História por volta de 1978 e mais uma vez no código faz referência ao 'Almanaque da Mônica Nº 7' da Editora Globo de 1988, quando foi republicada, em vez de colocarem o código da revista original.

Trecho da HQ "Tão diferente do Bob!" (1984)

Muito bom esse livro, cheia de histórias clássicas que dão para ver bem as mudanças da Tina e sua turma até os anos 80 e, de quebra, conferir na capa os traços dos anos 90. Só podiam ter colocado uma sequência nas histórias, deixarem em ordem cronológica para gente acompanhar melhor ainda a evolução dos traços da Tina.

Então, esse foi o último livro  da coleção "As Melhores Historias da Turma da Mônica" da Editora L&PM que comentei. Todas as resenhas dos outros livros podem ser conferidos vendo o marcador "Editora L&PM" aqui no blog. Para quem não tem e pretende comprar, essas postagens ajudam a ver qual livro vai ter prioridade para comprar primeiro, já que sai muito caro comprar todos ao mesmo tempo. Hoje dá para encontrá-los em sites como "Mercado Livre" e "Estante Virtual", porém vendidos individualmente e dificilmente vendendo a coleção completa. Quem sabe a MSP também não resolva relançar essa coleção algum dia, só que aí espero não ter nenhuma alteração ridícula em relação a esses de 1991.

6 comentários:

  1. Muito bom a publicação, amei. Bem completo e explicativo a história da Tina. Achei muito legal o seu post, pois você consegue mostrar toda a evolução dessa personagem tão linda. Uma pena eu não ter nascido na década de 70 para poder ter acompanhado toda a evolução dessa linda garotinha de perto! Cada década tem a sua surpresa, e a Tina em minha opinião tem marcado em todas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Obrigado por ter gostado. A Tina é uma ótima personagem. Eu tbm não peguei a fase dos anos 70, mas as dos anos 80 e 90, sim e eu adorava. Pena q se perdeu muito com tanta mudança e atualmente tá sem graça.

      Excluir
  2. Na história do Roberto Alberto a Tina já mostrava sua vocação pra ser jornalista... E essas pernas desproporcionais? Chegam até quase a altura do busto da Pipa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, ela mostrou vocação pra ser jornalista. As pernas seguiram o jeito da Tina hippie nos últimos anos, apesar de estar com outra roupa. Era muito estranho e engraçado a personagem praticamente ter só perna, mais da metade do corpo rs.

      Excluir
  3. Tina hoje em dia não está bom. Mas já foi bem legal. Nessa época dos anos 80 a 90, eu adorava ver uma historia da Tina ou Rolo. Dessas que você mostrou, tenho essa última do Rolo naquela revista original da Mônica, da Ed. Abril. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje não tá nada bom mesmo a turma da Tina. Uma pena ter chegado a esse ponto. Essa hq do Rolo os traços são sensacionais. Legal q vc tem a original. Abraço

      Excluir