quarta-feira, 2 de julho de 2014

Pelezinho Especial Copa 90


Estamos em época de Copa do Mundo e em homenagem faço nessa postagem uma resenha de como foi o gibi "Pelezinho Especial Copa 90" lançado na época.

Esse gibi foi lançado em junho de 1990, durante a Copa do Mundo da Itália e foi marcado como o último gibi  do Pelezinho com formato convencional só com histórias inéditas. É que depois que cancelaram o gibi dele em 1982, praticamente só tiveram material com republicações antigas, como 8 almanaques lançados pela Editora Abril e 3 gibis lançados na Copa de 1986, mas que apenas as histórias de abertura eram inéditas e o resto tudo republicações. Além de um pocket "As Grandes Piadas do Pelezinho nº 7" de 1987 e um almanaque em 1988, ambos pela Editora Globo, até que em 1990 teve esse especial da Copa. Lembrando que depois desse especial, em 1992, Pelezinho teve 2 gibizinhos, e esses sim, os últimos materiais com histórias inéditas até hoje.

"Pelezinho Especial Copa 90" teve formato canoa, 68 páginas, tudo semelhante a um gibi convencional e reúne quadrinhos intercalados com seções de curiosidades e artigos sobre a Copa, tirinhas e passatempos. A capa ficou muito legal com o Pelezinho jogando com o Ciao, o mascote da Copa da Itália. Abre com frontispício comentando sobre a edição, que mostro abaixo:

Frontispício da edição

Ao longo da edição, apresentam várias seções de curiosidades relacionadas a Copa do Mundo. A primeira foi "O Brasil nas Copas do Mundo" que mostra, em 3 páginas, o desempenho do Brasil em cada Copa realizada até então (ou seja, até 1986), agrupando 2 ou 3 Copas por parágrafo. 

Então, os sub-títulos foram tratados assim: "30-34-38: O começo difícil"; "50-54: A grande decepção"; "58-62: O Bicampeonato"; "66-70: A Taça é nossa"; "74-78 - Campeões morais"; "82-86 - Arte sem troféu". E em cada página uma ilustração do Pelezinho com a camisa da Seleção Brasileira correspondente que mais marcou. Abaixo, uma página da seção "o Brasil nas Copas do Mundo".

Trecho da seção "O Brasil nas Copas do Mundo"

A seguir vem a seção "A seleção do Brasil na Copa 90", mostrando, em 2 páginas, uma ficha com quais os jogadores do Brasil atuaram naquela Copa do Mundo, agrupados por posição (goleiros, alas, defesa, meio de campo e ataque), com nome completo e idade de cada um, incluindo caricaturas dos jogadores feitas pela MSP. Ficaram muito bacanas essas caricaturas.

Trecho da seção "A Seleção do Brasil na Copa 90"

Em "Os países que participam da Copa 90", mostra, em 2 páginas, as bandeiras dos 24 países que atuaram naquela Copa, incluindo quantas vezes participaram de uma Copa do Mundo e quando foi campeão, sempre que necessário. Curiosamente, apenas na Copa da França de 1998 que passou a ter 32 seleções, continuando assim até hoje.

Depois veio a tabela dos jogos da Copa da Itália, com os participantes dos 6 grupos e as demais fases para o leitor marcar o placar dos jogos. E em "Curiosidades da Copa" revela curiosidades de Copas passadas de todas as épocas.

Foram dedicadas 8 páginas de passatempos diversos, incluindo imagens para colorir, jogo dos 7 erros e muitos outros. E teve um jogo divertido tipo Ludo, que marcou muito, "Trilha-Copa 90", com o objetivo do Pelezinho chegar a Itália para assistir a Copa. O campeão era quem fizesse chegar primeiro. Inesquecível. 

Jogo "Trilha-Copa 90"

A edição presenteou os fãs também com 8 páginas de tirinhas, chamada de "As Melhores Piadas do Pelezinho" com 31 no total, sendo 5 delas inéditas daquele ano de 1990, envolvendo Copa do Mundo, e as demais todas de 1979 para o público relembrar como eram as tiras antigas dele. Abaixo, separei uma das páginas de tiras, sendo as duas primeiras tiras inéditas de 1990 e as outras duas, de 1979:

Uma página de tiras da seção "As Melhores Piadas do Pelezinho"

Já as histórias ocuparam 30 páginas do gibi, todas envolvendo a Copa do Mundo. Foram 6 histórias no total, incluindo a tirinha final. Os traços foram ótimos e eram levemente diferentes em relação à época da Editora Abril, já que estavam adaptados aos desenhos da época, sendo poucas diferenças em relação às últimas histórias dos gibis de 1982. Os roteiros semelhantes aos velhos tempos e deu pra notar também nessas histórias que a Seleção Brasileira estava muito desacreditada na visão dos roteiristas. 

O especial começa com a história "Sonho Real", de 14 páginas, em que o Pelezinho sonha que o Brasil foi campeão da Copa, com atuação dele. Quando acorda, chora porque não passou de um sonho. O Cana Braba fala que podemos tornar o sonho em realidade, e com a fé do Pelezinho, ele vai parar na concentração da Seleção Brasileira, treina com os jogadores, joga a final contra a Argentina, machuca o joelho, se recupera no 2º tempo e é campeão da copa.

É legal a presença do Pelé, do técnico Lazaroni e dos jogadores da Seleção na época. Tudo bem desenhado. Marca uma homenagem ao Pelé, que se machucou durante as Copas de 1962 e de 1966 e que deu a volta por cima na Copa de 1970. E engraçado o Cana Braba falando no início que só em sonho mesmo para o Brasil ganhar uma Copa do Mundo. Isso para ver como a Seleção estava desacreditada.

Trecho da HQ "Sonho Real"

Em "É hora de comemorar", de 2 páginas, mostra uma crítica de comemoração durante a Copa e mais uma vez a Seleção desacreditada. Pelezinho e Cana Braba vê o povo todo felizes e comemorando na rua a Copa do Mundo e o Cana Braba tem o dilema de tanta comemoração antecipada do povo, tanta confiança de ganhar o título e se o Brasil não for campeão. E o Pelezinho responde que pelo menos comemoramos. Abaixo, mostro essa história completa.

HQ "É hora de comemorar"

"Quero assistir à Copa", com 2 páginas, é muito engraçada e incorreta. Surge um poço de desejos  na rua deles e todos os personagens jogam uma moeda, desejando que querem ir a Copa da Itália. Depois de todo mundo fazer seu desejo, Cana Braba sai dentro do poço e a gente descobre que era o plano dele só para ir para a Itália a custa do dinheiro dos seus amigos. Que coisa feia, Cana Brava! Rsrs. Muito boa. 

De curiosidade, essa foram as últimas aparições inéditas do Jão Balão e do Zé nos gibis, mesmo sendo em 1 quadrinho cada, já que nos gibizinhos do Pelezinho de 1992, eles não apareceram. Abaixo, mostro essa história completa.

HQ "Quero assistir à Copa"

Em "Muito apressado", de 3 páginas, Pelezinho corre disparado na rua, sem saber o que tinha na frente. No caminho, ele derruba uma mulher com sacolas de compras, um homem, passa por cima de um garoto que estava no rio, faz com que um guarda de trânsito bata a moto em frente de um muro, pisa o rabo do cachorro, sobe em um carro. Ao chegar em casa, todos batem lá cobrando o prejuízo que o Pelezinho causou e ele diz que correu pra assistir ao jogo do Brasil e, então, todos vão assistir ao jogo junto com ele.

Trecho da HQ "Muito Apressado"

O especial termina com a história "Uma vaga pra seleção", com 8 páginas, e mais uma vez aparecem a equipe da Seleção Brasileira e o Pelé. Nela, o Pelezinho não consegue dormir preocupado com a Copa do mundo e resolve fugir de casa até a concentração da Seleção Brasileira para poder ajudá-los a conquistar  o Tetra. Ele pega uma carona com um caminhoneiro e consegue chegar lá. Os seguranças tentam impedi-lo, mas ele derrota todos com sua arte futebolísticas. 

Lazaroni e todos os jogadores gostam da sua atuação, mas não o deixam participar da Copa porque é muito novo, e ele só assiste ao treino. Pelezinho vai embora triste por não ter conseguido ir a Copa, e quando está se lamentando no banco da praça, aparece o Pelé, falando que o dilema dele é ter pendurado as chuteiras e ainda tem a maior vontade de ajudar a Seleção.

Trecho da HQ "Uma vaga pra Seleção"

Com certeza o "Pelezinho Especial Copa 90" é item raro de colecionadores que vale a pena ter na coleção. Histórias e curiosidades e jogos que agradaram em cheio os fãs que aguardavam algo novo do personagem. O Brasil não fez nada naquela Copa do Mundo, sendo eliminado nas oitavas de final pela Argentina, mas ao menos tivemos um gibi do Pelezinho muito bom, que ainda marcou a sua volta com histórias inéditas. 

Pena que não voltou a ter gibis regulares dele com inéditas na época depois disso. Até tinham planos de lançarem o Pelezinho adolescente com 12 anos, mas felizmente a ideia não vingou, ficando restrito só imagens de apresentação no livro especial "Pelezinho - 50 anos de Pelé", de 1990. Ainda bem, afinal iria descaracterizar muito os personagens.

10 comentários:

  1. O Ciao, esse mascote da Copa de 1990, foi um dos piores mascotes, junto com o Ato, Kaz e Nik, da de 2002 e o Goleo, da de 2006!
    Legal esse gibi!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, não tem forma... muito feio. Mas o pior acho os da Copa de 2002. E esse gibi do Pelezinho é ótimo, sem dúvida.

      Excluir
  2. Marcos, pretendo comprar esse gibi logo. Com essa postagem, já dou nota 10! E sabia que não é só o Pelezinho que ganhou desenho animado (este exibido no Discovery Kids)? O desenho do Neymar Jr. está sendo exibido pela Nickelodeon!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal q vc gostou da postagem... não vai se arrepender quando comprar esse gibi.

      Sobre os desenhos, nunca vi e nem sei a hora q passam rsrsrs... do Neymar nunca ouvi falar. O do Pelezinho vi imagem na internet, eu não gostei dos lábios, porém melhor um pouco do q totalmente sem lábios como está nos almanaques.

      Excluir
    2. Marcos, esse desenho do Pelezinho não tem hora, é tipo um curta, passa na hora dos comerciais!

      Excluir
    3. Nem sabia, então sem chance de ver. Se der, eu vejo na internet, mas com aqueles traços desanima.

      Excluir
  3. Clássico este gibi...gostaria de ter...ótima essa matéria/postagem! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Xandro... realmente um clássico.

      Excluir
  4. Essa edição do Pelezinho é um clássico mesmo. Lembro que comprei em banca na época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm comprei na época, mas acabei perdendo alguns anos depois e consegui reencontrar em sebo há uns 5 anos. Uma excelente edição.

      Excluir