segunda-feira, 23 de setembro de 2013

HQ: "Chico Bento, O Rezador"

Publicada em Chico Bento nº 67 (Ed. Abril, 1985), "Chico Bento, o Rezador" é um clássico do personagem muito lembrado pelos fãs e é sobre essa história que eu falo nessa postagem.

Capa de Chico Bento nº 67 (Ed. Abril, 1985)

Uma "preta velha", chamada Nhá Belarmina, ensina umas rezas ao Chico antes de ela partir, e disse para ele nunca rezá-las até chegar a hora certa, e, principalmente, nunca podiam ser feitas a favor de si próprio, só para os necessitados. 


Chico sai de lá e vai para casa ansioso porque a Rosinha iria visitá-lo, só que ela não parece e ele fica triste, pensando que ela não gosta mais dele. Ele não consegue dormir e lembra das rezas da Nhá Belarmina. Chico pede desculpas por estar fazendo a seu favor e executa as tais rezas, que fazem com que o seu espírito vai até a casa da Rosinha enquanto dormia para avisá-la de passar na casa dele de manhã cedo e passar o dia inteiro juntos e enquanto eles tiverem vida.


 No dia seguinte, quando Chico acorda, a Rosinha está na frente da casa dele como se estivesse possuída, hipnotizada. Começa a falar que ficará junto dele para toda vida. No início ele gosta, mas começa a achar estranho Rosinha repetir o que ele falava e ficar balbuciando palavras desconexas. 

Como, ele lembra que tem ir para escola e ajudar o pai no roçado e percebe que não podem ficar juntos naquele dia, ela vai andando e subindo um morro em direção a um penhasco para se jogar, repetindo "Vida, inté que tivé vida". Afinal, se não podem ficar juntos, "não carece di tê vida". Aí, Chico descobre que tudo é culpa das rezas, se sente culpado e tenta lembrar como desfaz. Então, quando Rosinha está quase caindo do penhasco ele consegue desfazer tudo. Ela volta, sem saber porque estava à beira do precipício e encontra Chico chorando.


Ele pergunta a Rosinha se está com raiva dele, ela diz que gosta muito dele e faz um discurso que na idade deles não pode passar disso, eles tem que estudar, trabalhar e quando chegar a hora pode casar. No final, a "preta velha", já sabendo de tudo que aconteceu, aparece dizendo que o Chico aprendeu a lição e só vai querer usar as rezas no tempo certo. Finalmente, ela poderá voltar para a velha África.


Uma história bem profunda, dos velhos tempos da MSP. Ela tem 14 páginas e é sensacional. Assim como a história "Parece outro" é uma daquelas histórias de 1985 com temas sérios e filosóficos muito comuns nas revistas daquele ano. Tudo feito na medida certa. Chico fez coisa errada e se sentiu culpado pela sua namorada querer se jogar no penhasco e se arrependeu profundamente no final, com bela lição de moral, como deve ser. 


Na época, não gostava de histórias sérias assim, preferia histórias de humor. Com o tempo passei a gostar de histórias assim, afinal, serve para variar um pouco e permite as crianças a pensar um pouco. Mesmo assim, ainda prefiro as divertidas.  

Só não gostei muito do enquadramento dessa história ter só 4 quadrinhos por página. Em certos momentos, podia ser redesenhado na forma tradicional de quadrinhos com 2 colunas. Pelo menos, só em histórias filosóficas tinham enquadramento assim na época, diferente dos gibis atuais em que qualquer história pode ficar assim para encher linguiça. 


Umas pistas para saber se era uma história séria desse tipo, e de 1985, eram o enquadramento desse jeito, aliados aos traços e o brilho dos cabelos dos personagens que passaram a colocar azul em vez de branco naquele ano. Cabelos assim com brilho azul, só nas histórias dos gibis de 1985, depois permaneceram assim só com o Papa-Capim. Quando via isso, eu já sabia que era história desse nível e de 1985.


Curiosamente, a Nhá Belarmina não apareceu em outras histórias anteriores nem posteriores a essa. Na postagem não coloquei a história completa. Eu a li pela primeira vez quando foi republicada no Almanaque do Chico Bento nº 32 (Ed. Globo, 1995):

Capa de Almanaque do Chico Bento nº 32 (Ed. Globo, 1995)

27 comentários:

  1. Uau, que história mais complexa para um público infantil...hehehe!
    Confesso que quando eu era pirralha também não curtia muito esse tipo de historinha... tanto que não dava muito valor às histórias do Horácio, que quase sempre tinham um cunho reflexivo.
    Muito boa postagem, Marcos! Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Verdade, Nanda. Acho até difícil as crianças entenderem certas coisas nas histórias assim, assim como as do Horácio.

    Mas sabe como é, antes as revistas eram direcioadasás crianças de todas as idades, a gente até via nas cartas q ainda tinha gente de 15, 16 anos q ainda liam gibis na época. Hj, até gosto de hqs assim, mas ainda prefiro as engraçadas e q fazem divertir.

    ResponderExcluir
  3. Que HQ sensacional Marcos! Realmente, se derem carta branca aos roteiristas deve sair muita coisa boa. O problema da MSP hoje em dia é esse. O politicamente correto limita a criatividade. Atualmente,jamais veremos uma história que tenha temas tão envolventes. Parabéns pelo bom gosto. Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jamais mesmo. A culpa não são dos roteiristas,é q eles não tem liberdade para criar hqs como querem. Essa aí do Chico é antológica.

      Excluir
  4. Marcos, a muito tempo venho procurando "O Rezador", mas nunca encontrei. Teria como você colocar a história completa, para eu salvá-la nos meus arquivos?

    Mais uma vez, uma ótima postagem, parabéns" :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel, essa hq tenho um arquivo pronto. É só mandar seu e-mail que te envio. Valeu pelo elogio, legal q gostou da postagem. Abraços

      Excluir
    2. Desculpe a demora em responder:

      Meu e-mail: gabriel.canoas001@outlook.com

      Excluir
    3. Por favor, poderia enviar no meu e-mail também?

      romulolachi@yahoo.com.br

      Agradeço!

      Excluir
    4. Poderia enviá-la para mim também, por favor?

      matheusborro@hotmail.com

      Excluir
    5. Poderia enviar para mim também por favor?
      Conheci seu blog faz pouco tempo e estou adorando.
      danimoneb@hotmail.com.

      Excluir
  5. Prestei atenção principalmente nos detalhes: as nuvens, o travesseiro da Rosinha...
    Valeu.

    P.S.: essa é uma história muito lembrada pelos fãs, com certeza. Já ouvi falar dela e gostei muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Maurício. nas hqs antigas mostravam muitos detalhes e isso era bom. Nem reparei no travesseiro da Rosinha, vendo agora, realmente muito bom. Legal q gostou da hq.

      Excluir
  6. Ótima postagem, ainda mais pelo fato de não conhecer essa história.

    Sobre: "Na época, não gostava de histórias sérias assim, preferia histórias de humor.", penso que as edições precisam de um pouco de tudo: humor, drama, aventura etc.. Com inteligência, dá para se escrever boas histórias com qualquer mote.

    Saudade de traços assim nos gibis da Turma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Kleiton, de vez em quando não tem problema, pode de ter de tudo um pouco e aí agrada a todos.

      Com certeza esses traços eram ótimos. Abraços

      Excluir
  7. Ótima HQ...essa seria legal sai num almanaque do Chico na panini...eram HQs assim que faziam toda diferença nos gibis da MPS..mais hoje infelizmente é tudo proibido! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xandro, infelizmente eles não estão republicando hqs da Ed. Abril, mas na Coleção Histórica 67 vão republicar, só q aí teremos q esperar mais de 5 anos para vê-la republicada lá :(

      Melhor comprar a original ou o almanaque da globo antes em sebo.

      Excluir
  8. Olá! Sei que não tem muito a ver com esse post, mas vejo que o blog possui poucas coisas sobre a Tina e a sua turma, e se não for um incomodo, gostaria de ver mais coisas sobre ela aqui! Gosto demais deste site e agradeço desde já a atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, legal q tá gostando do blog. É q são tantos personagens q demora um tempo pra falar de todos mais rápido. Até hj ainda nem falei da Turma da Mata, por exemplo.

      Vou ver se consigo não demorar muito pra falar algo da turma da Tina.

      Excluir
  9. Nunca tive essa coisa de preferir historinhas mais "fáceis" quando era mais novo. A mim, a história agradava ou não... independente de alguns fatores. Era preciso ter algo para me conquistar. Infelizmente não me lembro de muitas HQs sérias desse tipo, mas uma que ficou marcada foi aquela em que o Chico conversa com uma cachoeira e uma outra de quando a casa dele pegou fogo. Também lembro de algumas HQs com ele nas escola onde mostrava que ele não gostava nenhum pouco de estudar.

    Na verdade, é difícil eu me lembrar de muitas histórias que lia quando era criança. Ainda bem que a coleção histórica está aí para me dar esse tipo de resgate, pois eu me esqueci de boa parte dessas tramas, sejam elas simples, cômicas, longas, sérias.... mas quando pego a revista e começo a ver, lembro então que já tinha visto aquela história ou até mesmo a revista toda já esteve comigo alguma vez em minha vida.

    Achei bonita essa história. Um tempo em que podia-se expressar uma visão pessoal do artista sobre determinado assunto.

    Abraços.

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiano, naquela época tinham hqs para todos os gostos, só q logicamente prevaleciam hqs para se divertir. Hqs do Chico não gostando de estudar achava engraçadas, gostava muito.

      Com certeza, não dá pra lembrar de todas as tramas q lia, principalmente as de miolo. Normal.

      Eu gosto tbm dessa hq do Chico. Muito bem feita. Abraços

      Excluir
  10. Marcos, eu recomendo algumas HQ antigas da Turma da Mônica, que por mim são mais do que clássicas. São Alguém da Turma (MN # 171, Ed. Abril, 1984), em que Mônica diz que está apaixonada por alguém da turma, e também Cadê os Pais Apaixonados? (CB # 157, Ed. Abril, 1986), onde Cebolinha pergunta se seus pais já se apaixonaram. São histórias lindas, bonitas, amorosas, e claro, que já foram republicadas nos almanaques da Globo. Enquanto a HQ da Mônica foi republicada no Almanaque da Mônica # 24 (Ed. Globo, 1991), a HQ do Cebolinha foi republicada em Um Tema Só # 7 - Cebolinha - Os Namorados (Ed. Globo, 1994). Mas se bem que a HQ da Mônica podia ter republicado nesse almanaque, né? E as HQs são que nem Parece Outro do Chico Bento. Digo que tem quadrinhos grandes, e que a maioria das páginas tem uns três quadrinhos (o resto tinha 4 ou 5). Outra HQ marcante da Ed. Abril é O Pôr-do-Sol (CB # 145, Ed. Abril, 1985), em que Cebolinha e Cascão convidam duas meninas para ver um pôr do sol numa pedra do mirante, cujo esconderijo perfeito do Cascão pra fugir da Mônica. Mas a própria Mônica estava na pedra, e os dois tentavam tirá-la de lá. Mas, como sempre, eles acabam se dando mal no final. Ótima história, traços excelentes e um roteiro divertido. Ela também foi republica nesse almanaque dos namorados que citei. Há também Uma Linda Garota Chamada Mônica (CB # 165, Ed. Abril, 1986), em que nela, Cebolinha e Cascão confundem uma linda menina bonitinha como se fosse a Mônica. Super divertida a história, traços e roteiros ótimos, e que também foi republicada no almanaque dos namorados. Falando nisso, você podia falar de Um Tema Só e Almanaque Temático, e também dizer de ótimas e clássicas HQs republicadas neles. E pra finalizar, não é bem uma HQ da Ed. Abril, mas sim um clássico da Ed. Globo. Aposto que você deve conhecer a HQ Deixe-Me Ler o Seu Pensamento? (MN # 32, Ed. Globo, 1989), épica HQ em que Mônica lê os pensamentos de todo mundo, até do Humberto e de um bandido (lembrando que antigamente era comum ter bandidos e ladrões nas histórias). Com certeza, é um grande marco da Ed. Globo. E ainda bem que republicaram em 1994, porque se fosse tipo 1992 e 1993, seria cedo demais. A HQ também foi republicada em Almanaque da Mônica # 33 (Ed. Panini, 2012), mas mudaram o pensamento do Cebolinha como se ele estivesse falando certo. Atualmente, quando ele pensa, ele fala certo no pensamento. Péssimo! Mas a HQ também devia ser republicada em Um Tema Só # 20 - Mônica Fábulas (Ed. Globo, 1998), já que nela aparecem fadas. Muito boas as HQ citadas aqui e também que você devia falar delas um dia. Mas não esqueça de dizer se você conhece as HQs que citei, tá? Abraços, Marcos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço todas q vc citou. Sobre a hq "Alguém da turma" foi republicada na época certa, na verdade até demorou um pouco pq em 1989 já era permitido.

      "Deixe-Me Ler o Seu Pensamento?" foi republicada em "Um Tema Só # 6 - Mônica Fábulas" de 1994 e se republicassem no de 1998, ficaria muito repetititvo. realmente lamentável a mudança no pensamento do Cebolinha na re-republicação da Panini.

      Excluir
  11. Sabia que era da editora abril pois na globo não tinha taaanta histórias desse tipo, mas acho que até tinha umas, pelo menos nas histórias do chico varia: Cotidiano na roça, visita do primo zeca, matando aula, tirando 0 nas provas etc, etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Globo eram menos pesadas que essa, mas mesmo assim ainda tinham algumas até meados dos anos 90.

      Excluir