segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Capa da Semana: Magali Nº 61

Magali desde bebê já era comilona e tinha o exagero para se alimentar. Nessa capa, os pais dela precisam dar uma mamadeira gigante para poder alimentá-la e ficar satisfeita. As vezes tinham capas com os personagens bebês explorando a sua personalidade, e essa foi uma delas. 

A capa dessa semana é de 'Magali Nº 61' (Ed. Globo, Outubro/ 1991).


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Histórias semelhantes 3: "Olhando para cima"

Nessa postagem mostro 2 histórias mudas semelhantes que envolveram personagens olhando para cima,  atraindo multidão. A versão original foi com o Cascão e publicada em 'Mônica Nº 14' (Ed. Abril, 1971) enquanto que a 2ª versão com o Do Contra saiu em 'Cebolinha Nº 108' (Ed. Globo, 1995).

Capas: 'Mônica Nº 14' (Ed. Abril, 1971) e 'Cebolinha Nº 108' (Ed. Globo, 1995)

Baseada na ideia de que quando uma pessoa olha para cima, todos querem saber o motivo que está olhando e , fizeram essas histórias.A história de 1971 foi sem título, com 4 páginas em que o Cascão olha para cima de repente, Aparece o Cebolinha e olha para cima para saber o que estava olhando. Depois vem Mônica e vai aparecendo outras pessoas, todas olhando para cima, formando uma multidão. 

Trecho da HQ do Cascão ('Mônica Nº 14' - Ed. Abril, 1971)

Então, Cascão começa a movimentar a cabeça e é confirmado que ele estava olhando para cima por causa de torcicolo. Mas, ele repara que todos estão olhando para cima e resolve olhar também para saber o motivo.

Trecho da HQ do Cascão ('Mônica Nº 14' - Ed. Abril, 1971)

De curiosidades nela são as pessoas pintadas tudo de azul, um recurso muito utilizado em gibis da Editora Abril na época, em vez de pintar normalmente, Não era só gibis da Turma da Mônica, todos tinham, principalmente os da Disney. E foi primeira história da MSP que não foi desenhada pelo Mauricio de Sousa,e, sim, por colaboradores do estúdio.

Trecho da HQ do Cascão ('Mônica Nº 14' - Ed. Abril, 1971)

Depois em 1995, teve uma história semelhante, com o título "Do Contra olhando para cima" só que dessa com 1 página e foi com o Do Contra. Nela, ele está olhando para cima e começa a aparecer a Mônica, depois o Cebolinha, e os outros personagens formando multidão. Todos olhando para cima. Do Contra percebe que todos estão fazendo o mesmo por ele, aí resolve olhar para baixo.

HQ "Do Contra olhando para cima" ('Cebolinha Nº 108' - Ed. Globo, 1995)

Como podem ver o enredo é semelhante, mas o motivo dos personagens olharem para cima foi diferente. Com o Cascão foi por causa de torcicolo e com o Do Contra ele olha por pirraça, pra ser diferente dos outros, De semelhante foi a Mônica e Cebolinha como os primeiros personagens que aparecem com o personagem protagonista, embora invertendo a ordem de aparição. Entre as 2 eu gostei mais da versão de 1971 com o Cascão.

domingo, 8 de janeiro de 2017

Outras Promoções e brindes dos gibis da Turma da Mônica

Há algum tempo falei de promoções e brindes que saíram nos gibis da Editora Abril e Globo. Encontrei outras também bem interessantes e nessa postagem mostro essas outras promoções, nas 2 editoras, através de propagandas e capas.

Em relação a brindes, foram vários que sairam, principalmente na Editora Abril. Destaco dessa vez 2 brindes bem marcantes. Em 1978, teve os adesivos fofinhos do tipo cole e descole, em que vinham encartados nos gibis da Mônica, Cebolinha, Pelezinho e Destaque e Brinque, de fevereiro e março daquele ano. As capas dos gibis já eram diferentes, sendo divididas ao meio, com metade de cima com ilustração da capa e metade de baixo com anúncio dos adesivos. Abaixo, capa do 'Cebolinha Nº 61', com alusão ao brinde.

Capa de 'Cebolinha Nº 61' (Ed. Abril, 1978)

Tiveram adesivos da Mônica, Cebolinha, Cascão Bidu, Pelezinho e Cana Braba. Ou seja, os personagens principais da Turma da Mônica (detalhe sem Magali) e mais os da Turma do Pelezinho, recém lançada até então.

Propaganda tirada de 'Cebolinha Nº 61' (Ed. Abril, 1978)

Já nos gibis de fevereiro de 1979, tiveram jogo de botão completo e de amarelinha, comprando as 3 revistas principais daquele mês. Em 'Mônica Nº 106', ganhava as peças de um time do jogo de botão de salão e amarelinha. Em 'Cebolinha Nº 74', eram as peças do outro time. E em 'Pelezinho Nº 19', ganhava as cartelas dos jogos. Interessantes todas as capas fazerem referência aos brindes, só com imagem dos personagens dentro de uma estrela. Abaixo, uma propaganda desses brindes e mostrando como foi a capa de 'Mônica Nºª 106'.

Propaganda tirada de 'Pelezinho Nº 19' (Ed. Abril, 1979)

Agora em relação a promoções, tiveram várias ao longo dos anos 80. Em 1983, teve a promoção "Poupa na Haspa" que ganhava um disco da Turma da Mônica ao abrir uma poupança no banco. Uma parceria da MSP com  o banco "Haspa" para incentivar crianças abrirem caderneta de poupança. 

Nela, a criança tinha que comprar as revistas de  Mônica, Cebolinha, Cascão e Chico Bento. Então, tirava o selo do Cebolinha que vinha nas revistas. Depois, teria que ir ao banco "Haspa" abrir uma caderneta de poupança e fazer depósito que aí ganhava um disco "Cante com a Turma". A promoção durou entre junho a 15 de outubro de 1983. As revistas estampadas eram de junho: 'Mônica Nº 158', 'Cebolinha Nº 126', 'Cascão Nº 23' e 'Chico Bento Nº 23'.

Propaganda tirada de 'Cebolinha Nº 128' (Ed. Abril, 1983)

Teve também em 1983, teve a promoção do café "Pelé" para ganhar uma bola do Pelezinho. Do tipo "juntou, ganhou", bastava juntar 8 embalagens do café "Pelé" que ganhava uma bola, que trocava em pontos especializados.

Propaganda tirada de 'Cascão Nº 19' (Ed. Abril, 1983)

Ainda em 1983 teve o concurso para a escolha do nome do coelhinho de pelúcia da Mônica. Antes da promoção, era chamado apenas de "coelhinho", mas com a promoção, os leitores puderem escolher o nome para ele. Consistiu de ir ao Barra Shopping (Rio de Janeiro), BH Shopping (Belo Horizonte), Ribeirão Shopping (Ribeirão Preto) ou Morumbi Shopping (São Paulo) e preencher lá um cupom colocando qual o nome que devia chamar o coelhinho da Mônica. 

O nome escolhido foi "Sansão" e a ganhadora foi Silvia Roberta Facci Capri, uma menina de 2 anos. Teve uma festa em cada shopping para celebrar o batizado do Sansão com os ganhadores. A apuração com os ganhadores, mais fotos do batizado do Sansão saiu em 'Mônica Nº 160'.

Propaganda tirada de 'Mônica Nº 160' (Ed. Abril, 1983)

Já na edição seguinte, teve uma história especial, mostrando o batizado do Sansão na história de abertura "Sansão! Esse é nome do meu coelhinho!". Porém, essa não foi a primeira história com o nome Sansão em uma história. Em 'Mônica Nº 160' mesmo, por descuido da MSP, o nome havia sido revelado na história de abertura "Uma história de circo". Abaixo, a capa de 'Mônica Nº 161'.
Capa de 'Mônica Nº 161' (Ed. Abril, 1983)

Em 1987, teve a promoção "Toque mágico da sorte" da Hering. Nos gibis vinha uma página com um cupom para preencher os dados e formar uma frase completando "A música é". As frases mais criativas ganhavam piano Amadeus Preto, Pianíssimo 37, Linha Completa de Instrumentos musicais da Turma Mônica, Piano e gaitinha da Mônica. Não dá informações de regulamento, de quantos ganhadores para cada prêmio. Mesmo assim uma promoção bem interessante.

Propaganda tirada de 'Cebolinha Nº 10' (Ed. Globo, 1987)

Ainda em 1987, teve a promoção "É comendo bicicleta que ganha biscoito". Um trocadilho bem criativo para mostrar que a promoção dos biscoitos "Cory". Nela, tinha que criar um desenho do Chico Bento medindo 22 X 32 cm, juntar 2 embalagens dos biscoitos "Cory" e enviar para o endereço indicado junto com os dados da criança, para ganhar bicicletas, bonecos infláveis do Chico Bento medindo mais de 1 metro de altura e camisetas. Os resultados eram divulgados uma vez por mês na TV entre outubro a dezembro de 1987 no "Programa do Bozo", do canal TVS (atual SBT).

Propaganda tirada de 'Chico Bento Nº 23' (Ed. Globo, 1988)

Em 1989 teve a promoção "Desenhe uma casa para os bonequinhos Din e Don", dos brinquedos "Rosita". Os leitores tinham que desenhar uma casa para Din e Don e enviavam para a Editora Globo, junto com seus dados. Tinha prêmios para os 30 primeiros colocados. O primeiro classificado ganhava um Minibug. Os demais ganhavam bicicletas, skates, brinquedos "Rosita" e assinaturas das revistas da Turma da Mônica, de acordo com a classificação. O resultado foi divulgado em 'Mônica nº 33', de setembro de 1989.

Propaganda tirada de 'Chico Bento Nº 65' (Ed. Globo, 1989)

Em 1990, foi a vez da promoção "Descubra o artista que existe em você". Nela, o leitor tinha que pintar a ilustração da Mônica e Cebolinha, preencher seus dados (com detalhe de ser em letras de forma ou máquina de escrever) e enviar para a editora. Os 60 primeiros colocados ganhavam mochilas da linha "Turma da Mônica Line", da Coleção Infantil "Ika". Trabalhos podiam ser enviados até março de 1990 e a apuração dos resultados foi divulgada em 'Mônica Nº 42', de junho de 1990.

Propaganda tirada de 'Cebolinha Nº 38' (Ed. Globo, 1990)

Como podem ver eram bastante comuns essas promoções e brindes. Serviam para alavancar as vendas dos gibis, afinal eram muitos títulos a vendas de várias editoras e ai estimulava mais a comprar. Hoje todas muito raras de se ver, principalmente encontrar esses prêmios vendidos por aí.

Para saber sobre os brindes e promoções das Editoras Abril e Globo e suas curiosidades, entre aqui:

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Capa da Semana: Mônica Nº 36

Capa com o Cebolinha enterrando a Mônica com areia da praia e sobe em cima da montanha de areia formada se declarando o dono da praia. Interessante que a areia utilizada foi com uma técnica diferente, fora do desenho normal. parecendo areia de verdade.

A capa dessa semana é de 'Mônica Nº 36' (Ed. Globo, Dezembro/ 1989).


sábado, 31 de dezembro de 2016

Mônica: HQ "Voa, Ano Novo, Voa!"

Nessa postagem mostro uma história de quando a folhinha de 31 de dezembro virou aviãozinho com os anjinhos e foi parar nas mãos da turminha, dando muita confusão na Terra. Com 15 páginas, foi história de encerramento de 'Mônica Nº 164' (Ed. Abril, 1983).

Capa de 'Mônica Nº 164' (Ed. Abril, 1983)

Nela, 2 anjinhos estão brincando de aviõezinhos de papel, para ver quem consegue fazer aviãozinho voar mais longe. Um deles conseguiu e o outro loiro não. Então, ele resolve lançar outro aviãozinho, mas como acabou o papel, ele pega a última folhinha do calendário terrestre que rege os dias na Terra, a do dia 31 de dezembro, e faz aviãozinho com ela.


O Anjo da Guarda que vigiava a folhinha estava dormindo na hora e acorda com o rasgo da folhinha. Ele fica desesperado com o sumiço e vê logo que o anjinho loiro tinha feito aviãozinho dela e que acabara de lançar pelo ar. 


Ele fica desesperado e explica para os anjinhos que aquela folha era que comandava os dias da Terra, que fazia o tempo andar e os dias passarem. E tudo que acontecer com a folhinha vai acontecer com a Terra. Se for destruída, a Terra será também e não terá Ano Novo.


O Anjo da Guarda voa imediatamente para ver se encontra a folhinha, mas se choca com um avião, não consegue pegá-la e vai parar em direção à turminha, que estavam brincando de aviãozinho também. 



Na hora, Mônica não estava sabendo montar um aviãozinho e Cebolinha e Cascão estavam rindo dela. Até que a folhinha do tempo cai bem nas mãos da Mônica e ela aproveita para mostrar que fez um aviãozinho.


Cebolinha solta o aviãozinho dele no ar e faz dar várias voltas e ele diz que o da Mônica não faria aquilo. Mônica solta e faz melhor que o dele. O aviãozinho cai na árvore e então começa a dar tremor na Terra. Mônica assopra por estar sujo e aí  dá uma ventania forte na Terra. Um menino derruba sorvete nele e começa a nevar na Terra. Cebolinha acende um fósforo e começa a dar calor e seca na Terra. Mônica molha e começa a dar uma tempestade e eles vão correndo para casa dela.


Eles então descobrem que tudo que acontece com o aviãozinho acontece na Terra. A Mônica fala que caiu na mão dela e Cebolinha diz que não faria um aviãozinho tão perfeito. Na distração para bater nele por ter chamado de bobona, Mônica solta o aviãozinho e ele voa pela janela direto para rua e acaba indo em direção a um carro em movimento e prestes a ser massacrada pelo carro.


A turminha se abraça, pensando que o mundo ia se acabar e eles iriam morrer, mas logo veem que ainda estão vivos. Eles vão ver o que acontecer e o Anjo da Guarda estavam junto com os anjinhos colocando uma nuvem gigante em frente ao carro, conseguindo pará-lo e salvar a folhinha do tempo e ainda dá bronca nos anjinhos para terem cuidado com o material que vão fazer o aviãozinho. 


Antes de irem embora, Mônica chama os anjinhos para conversar e logo depois, com eles, já, no céu, o Anjo da Guarda pergunta para eles se estão brincando de aviãozinho de novo. Então, eles dizem que quem estava brincando era a Mônica, com eles segurando aviãozinho com uma linha e fazendo os movimentos como se fosse a Mônica que estivesse fazendo curvas com o aviãozinho para impressionar os meninos, terminando assim.


História muito legal e bem criativa, como uma folha do tempo parar na Terra pode causar tanta confusão. É uma história para soltar a imaginação e se divertir com o que podia acontecer com a Terra se a Folhinha do tempo fosse parar no planeta. Legal ver o que acontecia com o tempo toda vez que acontecia alguma coisa com a folhinha e o absurdo dos anjinhos colocarem uma nuvem para impedir que o carro atropelasse a folhinha e acabar o mundo.


Não foram revelados os nomes dos anjinhos secundários nem do Anjo da Guarda. O anjinho com cabelos encaracolados e sardas deve ter sido inspirado pelo roteirista da época Reinaldo Waismann, que adorava colocar personagens com suas caricaturas nas histórias, principalmente o Reinaldinho, menino fofo por quem a Mônica era apaixonada. Tudo indica que o roteiro também foi dele, já que era comum histórias de aventuras dele assim. 


Os traços muito bons, bem típicos de histórias de miolo dos anos 80. Na postagem a coloquei completa. De incorreto, foram o Anjo da Guarda ser atropelado por avião e, principalmente, os personagens mexerem com fósforo e fogo e por isso difícil uma nova republicação. Tanto que, diferente de outras histórias de Natal e Ano Novo serem sempre republicadas várias vezes, essa só foi republicada em 'Mônica Especial de Natal Nº 2' (Ed. Globo, 1996) e por isso bem rara. Abaixo, a capa dessa edição:


Capa de 'Mônica Especial De Natal Nº 2' (Ed. Globo, 1996)

Um Feliz Ano Novo a todos!!!!