quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Histórias Semelhantes 2: O pó de pirlimpimpim

Nessa postagem eu mostro 2 histórias semelhantes em a Mônica encolheu por causa de um pó de pirlimpimpim. A 1ª versão saiu em 'Mônica Nº 90' (Ed. Globo, 1994) e a 2ª versão, em 'Mônica Nº 120' (Ed. Globo, 1996).

Capas: 'Mônica Nº 90' (Ed. Globo, 1994) e 'Mônica Nº 120' (Ed. Globo, 1996)

Na verdade, o enredo em si começam e terminam diferentes, apesar do tema da Mônica encolher, mas a partir de um determinado momento as situações ficaram exatamente iguais, com os mesmos diálogos, e apenas redesenharam. As duas tem o mesmo título e bem curioso que o tempo entre uma história e outra foi apenas de um ano e meio, visto que 'Mônica Nº 90' saiu em junho de 1994 e 'Mônica nº 120' saiu em dezembro de 1996.

Na 1ª versão de 1994, com 18 paginas no total, começa com o duende Mug entrando no quarto da Mônica para brincar com os brinquedos dela, usando o seu pó de pirlimpimpim para encolher e entrar na frecha da janela, que estava fechada. Quando ele percebe que a Mônica estava entrando, ele foge pela janela, mas deixa o saco com o pó de pirlimpimpim lá no quarto. Mônica se assusta com a bagunça do quarto e encontra o saco e pensa que foi o Cebolinha que armou a arte e vai atrás dele.

Trecho da HQ de 'Mônica Nº 90' (1994)

Já a 2ª versão, com 16 paginas tem o Natal com plano de fundo. Nela, a Mônica desconfia que o Papai Noel não existe e que são os pais que dão os presentes porque ele não entraria em casa sem chave e na casa dela não tem chaminé. Cebolinha diz que é por causa do pó de pirlimpimpim que encolhe o Papai Noel e aí assim ele entra no buraco da fechadura. Mônica não acredita, achando que a mãe do Cebolinha inventou tudo isso e ele vai embora com raiva. 

Mônica vai para casa, se convencendo que Papai Noel não existe e ai a sua mãe, Dona Luisa, pede para ela arrumar o quarto. Enquanto Mônica arruma, ela encontra um saco de pó de pirlimpimpim e acha que é um plano do Cebolinha para tentar convencê-la a acreditar em Papai Noel e vai atrás dele.

Trecho da HQ de 'Mônica Nº 120' (1996)

A partir daí, as 2 histórias ficam  exatamente iguais, com as mesmas situações e mesmos diálogos, só que redesenharam tudo. Foram 10 páginas idênticas das historias nas 2 versões em tudo. O que mudou foi apenas a disposição dos quadrinhos nas páginas, onde os 2 primeiros quadrinhos de cada página da história de 1994 ficaram no final da página anterior na de 1996, que por sua vez os 2 últimos quadrinhos ficavam na próxima página na de 1994.

Com isso, nessas partes iguais, Mônica vai atrás do Cebolinha percorre um lago, tropeça em uma pedra e acaba o pó de pirlimpimpim caindo em cima dela, e aí ela encolhe, mas não percebe a principio. Ela se assusta com uma lesma gigante e só se dá conta que encolheu quando avista Cebolinha e Cascão conversando.

Comparação entre as HQs de 1994 e 1996

Ela pede ajuda, mas eles pensam que é uma formiga e não ligam. Mônica passa sufoco para voltar para casa, tendo que nadar no lago, que para ela virou um rio com correnteza, é levada por uma mãe-passarinho, que pensou que era minhoca para alimentar seus filhotes, enfrenta um gato faminto, até que consegue escapar dele e voltar para casa subindo a porta com a ajuda de uma planta e entrando pelo buraco da fechadura. Isso tudo em 10 páginas.

Comparação entre as HQs de 1994 e 1996

Depois, as histórias seguem o seu final de acordo com o estilo do enredo que começou. Na de 1994, a Mônica pensa em ficar para sempre dentro da fechadura, mas a sua mãe abre a porta com a chave e empurra a Mônica para dentro de casa. Dona Luísa pensa que é uma barata e dá uma vassouradas  e a Mônica corre para o quarto e fica dentro de uma casa de boneca. Lá, estava um outro duende, Lug, irmão do Mug, e joga um "pó de pirlãopãopão" e aí a Mônica volta ao seu tamanho normal. 

No final, Mônica fica feliz, o duende Mug arruma o seu quarto, e depois Mônica vê que o Sansão estava com nó nas orelhas e descobre que foi o Cebolinha, que estava debaixo da cama. Mônica o perdoa, dá um beijo nele, dizendo que era só um garotinho e Cebolinha fica pequeno de tanta vergonha.

Trecho da HQ de 'Mônica Nº 90' (1994)

Na versão de 1996, o duende do Papai Noel, também chamado Mug, fala que o Papai Noel esqueceu o seu pó de pirlimpim quando foi entregar o presente para Mônica e joga o "pó de pirlãopãopão" e aí a Mônica volta ao seu tamanho normal. Ela se convence que Papai Noel existe, com o duende Mug reforçando que só para quem acreditar e pede para a Mônica avisar se esquecer o pó de pirlimpim lá de novo. No final, Mônica corre para o quarto para escrever uma carta ao Papai Noel e Cebolinha estranha ela estar fazendo carta por não acreditar nele e que também falta muito tempo para o Natal. Mônica diz que o Papai Noel anda muito distraído é melhor escrever desde já.

Trecho da HQ de 'Mônica Nº 120' (1996)

Como pode ver no final das 2 versões, o  "pó de pirlãopãopão" faz a Mônica voltar ao tamanho normal e ela precisa sair às pressas de um lugar pequeno antes de voltar ao tamanho normal: em 1994 ela saiu às pressas de uma casa de boneca e em 1996, dentro da fechadura. Nessas 10 páginas iguais, só alteraram uma fala do Cebolinha e Cascão comentando sobre a Mônica não acreditar em Papai Noel para dar coerência enquanto que em 1994 eles falavam só "Blá! Blá!Blá!".

Estranho ver 2 histórias iguais em tão pouco tempo, apenas em 30 edições ou 1 ano e meio para repetirem. Embora o tema principal fosse sobre Mônica encolher por causa de um pó de pirlimpimpim, podiam desenvolver outras situações de perigo com a Mônica em miniatura, a forma de cair o pó em cima dela, etc. Com certeza conheciam a história anterior e simplesmente copiaram tudo, aproveitando o tema principal, vai ver que estavam com pressa de produção, quem sabe. Comparando as 2, eu preferi a primeira versão de 1994 por causa de enredo inicial e traços, que mais me agradaram. Cada um vai ter sua versão preferida.

36 comentários:

  1. Difícil dizer qual é a melhor. Os traços são bem parecidos. Talvez gostaram muito e pensaram que uma adaptação para o Natal iria bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, pode ser essa possibilidade também. Tudo ficou muito parecido mesmo.

      Excluir
  2. Eu também gostei mais do enredo da primeira, com a bagunça no quarto feita pelo duende e o final do Cebolinha envergonhado! Mas quanto aos traços, achei os da segunda versão mais bonito, mais delicados! Lembro quando vi a história já que tenho os dois gibis e comentei contigo! Muito legal a postagem! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tinha os 2 gibis e lembrei na hora quando vi a 2ª versão. Ai peguei a edição nº 90 pra comparar. Legal que gostou da postagem.

      Excluir
  3. Ah sim! A versão em desenho animado, deu algumas mudanças, como a Mônica a cena da Mônica usando uma folha como barquinho pra cruzar o laguinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi o desenho animado, depois até vou procurar. na certa, por causa do politicamente correto colocaram afolha como barquinho pra não deixar sofrimento da Mônica se afogando... :(

      Excluir
    2. Pode ser que seja isso! Lembro que o Cascão não aparecia no final e aquele diálogo do Cebolinha era com a câmera!

      Excluir
    3. Costumam fazer algumas adaptações nos desenhos, normal. Só é chato quando é a favor do politicamente correto.

      Excluir
  4. essa de 96 eu conhecia de um almanaque de natal, já a de 94 eu n conhecia e achava que o desenho era uma adaptação sem tema de natal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A de 94 é que foi que inspirou o desenho. Essa de 96 foi republicada algumas vezes em almanaques de Natal.

      Excluir
  5. Você devia fazer uma parte 2 sobre os primórdios do politicamente correto. Algumas coisas que mudaram foram a extinção de armas(até de brinquedo), demônios, temas relacionados a morte, extinção de algumas palavras como "azar" e "droga", falta de palavrões(que deixavam mais engraçado as histórias), temas de policiais, bandidos, e outras coisas. Daria pra fazer 10000 de partes de tanta coisa que censuraram/proibiram. E outra coisa que esqueci de comentar é que não podem mais mexem com fogo(acender vela, lamparina, lampião), extinção de finais tristes, e outras coisas. Tanta coisa gente!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, dava pra falar de muita coisa. é que eu queria mostrar em postagens assim a última vez (ou uma das últimas vezes) que aconteceu algo incorreto de cada situação, como fiz naquela. Tipo, quando foi a última vez que apareceram bandidos nas histórias, a última vez que Cascão entrou em lata de lixo, última vez que falaram "droga!", etc. E na época que parei de colecionar ainda existiam isso. Só sei que tudo isso começou nos anos 2000. Se der, eu faço sim.

      Excluir
    2. Marcos como eu não lembro das últimas hqs do politicamente correto, no tema Bandidos eu colocaria a hq "O Poderoso Cascão", paródia de "O Poderoso Chefão", de Cascão n 246 em 1996, e por ser em 1996 foi uma das últimas de bandidos, pois o politicamente correto começo devagarinho em 1997. Acho que depois de 1997 ainda tinham alguns casos de politicamente correto, como por exemplo xixi na cama tinha, o trabuco do Nhô Lau ainda não foi extinto completamente, e os palavrões ACHO que continuram.

      Excluir
    3. Pois é, em 1997 que começaram os primeiros vestígios de politicamente correto, bem devagar, e ai foi piorando cada vez mais. Vou dar uma pesquisada, aí vamos ver se ano que vem faço outras postagens sobre esse tema.

      Excluir
    4. eles não podem nem fazer xixi na cama mais?
      Socorro...

      Excluir
    5. Não, e muito menos zombar do outro que fez xixi na cama. Bullying.

      Excluir
  6. lembra "Quem tem medo da mino Mônica", da época da editora Abril.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É. De vez em quando apareciam histórias dos personagens encolhendo. Não era ruim.

      Excluir
    2. A história Quem tem medo de mini Mônica é muito intrigante, porque no final o leitor não sabe se tudo foi um sonho ou se foi real. Um clássico dos anos 70

      Excluir
    3. verdade, o leitor que julgava se aconteceu ou não. Gostava de hqs assim

      Excluir
  7. Quer dizer...isso de copy/cola não é de hoje hahahah
    Mas comparando as duas versões, ficou feio o autoplágio. Podiam pelo menos ter mudado as falas e a posição dos personagens pra não ficar tão descarado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, as situações podiam ter sido mudadas. A coisa boa é que redesenharam tudo. Hoje em dia iam copiar os desenhos da primeira versão.

      Excluir
  8. Que nostalgia! Lembro de ter lido a historinha de 1996 de pé em um ônibus. Estava de férias e tinha viajado para visitar meus tios e primos. Não sabia da repetição até esse momento rsrsrs mas valeu a lembrança ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, sempre dá lembranças boas essas hqs. :D

      Excluir
  9. Se olharem a sessão de cartas da Mônica 120 encontrarão meu nome lá, rs. Me lembro que escrevi a carta em 1995 e a publicaram nesse gibi quando eu já tinha 9 aninhos... nostalgia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo! Aparece que tinha 8 anos, provavelmente porque vc escreveu em 95 e custaram a publicar. Então vc queria uma história que a Magali não fosse tão comilona? kkkk.

      Excluir
    2. kkkk, pois é, acertou em cheio, demoraram mais de um ano. Pior que eu nem tenho esse gibi, rs. Minha mãe que havia sugerido essa carta, eu só queria ver meu nome aparecendo na revista, huahhauhauauah

      Excluir
    3. kkkk. Acabou conseguindo. Carta foi até curta. Tomara que consiga encontrar esse gibi.

      Excluir
    4. Pior que a carta não foi curta. Eles editam, eu lembro que havia escrito bem mais coisas.

      Excluir
    5. Entendi. Sempre tinha essa dúvida. Imaginava que editavam mesmo.

      Excluir
  10. Cheguei atrasado, kkkkkkk
    Impressionante como fizeram uma história quase idêntica em tão pouco tempo, quase 2 anos. Eu acho que eles não tinham nada pra publicar no natal de 1996 e decidiram "republicar" essa história.
    Eu já vi a versão dessas duas histórias (ou seria uma?) em desenho animado e a voz do duende é muito irritante, kkkkkkk
    Tá muito legal a série Histórias Semelhantes, essa parte 2 foi muito interessante, será que existem mais "plágios" desses na história da MSP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No desenho eles se basearam na primeira versão. Tem várias histórias semelhantes, mas com diálogos e desenhos tão iguais assim forma poucas.

      Excluir
  11. A De 1994 virou desenho animado no cine gibi 2!

    ResponderExcluir