quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Coleção Histórica Nº 45


Nessa postagem comento sobre a 'Coleção Histórica Nº 45', formada pelas 5 revistas números 45: Mônica (1974), Cebolinha (1976), Chico Bento e Cascão (1984), e Magali (1991).

Dessa vez, é a Vó Dita quem está na capa do box, que marca sendo o primeiro gibi da Mônica de 1974. E continuará assim nos próximos 2 anos, se a periodicidade permanecer bimestral.

Em relação à distribuição, continua precária, chegou bem tarde aqui, no dia 9 de fevereiro, continuando a chegar de um mês para o outro, já que o box é original de janeiro. E, como sempre, sendo 1 exemplar por banca que vende. Eles nunca melhoram essa distribuição.


Histórias de abertura e comentários gerais:

Mônica - "Limonada da confusão" - Mônica vai a venda do Seu Joaquim para comprar limão e acaba levando um limão plástico onde estava um diamante roubado pelo irmão do Seu Joaquim, que faz de tudo para recuperar o diamante.

O que chamou a atenção nesse primeiro gibi de 1974 é que foram reservadas só 3 páginas de comentários, correspondendo a 3 páginas de propagandas da revista original, resultando mais páginas com histórias. O normal são 6 páginas de propagandas. Por causa disso, os comentários foram bem curtos e objetivos, falando mais da sinopse das histórias. Com isso, a imagem da propaganda do livro de tirinhas ficou microscópica, não dando para ler absolutamente nada. Se normalmente já colocam as propagandas bem pequenas, com comentários reduzidos, ficam menores ainda.

O gibi teve 15 histórias no total, a maioria curtas de até 5 páginas, sendo que a de abertura e "O gopa da Mônica" (em que a Mônica arruma um bichinho de estimação invisível), tiveram mais páginas. De 11 histórias comentadas (as de 1 página não foram comentadas, como de costume), em 3 não informaram crédito nenhum de roteiro, desenhista e arte-final. Das comentadas, todas foram historias do Mauricio, mas desenhos, nem sempre.

De destaque, esse gibi teve a volta da Gilda, a sósia da Mônica que havia aparecido em 'Cebolinha Nº 2', de 1973, na história "Qualquer semelhança é mera coincidência". Na ocasião, a Mônica e a Gilda não se encontraram, só com o Cebolinha achando que a Gilda era a Mônica. Já nessa história de ' Mônica Nº 45', "Ah, Gilda, Gilda", que foi a sua 2ª aparição, elas se encontram e a Mônica se faz passar pela Gilda para dar uma lição nos meninos valentões que estavam perturbando a Gilda na rua dela. Era muito comum na época histórias com sósias dos personagens, um se encontrando com o outro e essa foi uma delas.

Trecho da HQ "Ah, Gilda, Gilda!"

Na história "Táááááá" do Chico Bento (em que o Chico procura uma buzina para dar um susto no Zé da Roça, que estava dormindo embaixo de uma árvore), aparece a Dona Cotinha, mãe do Chico, desenhada bem diferente, parecendo a Vó Dita. Como os comentários na revista foram curtos, nem deu para o Paulo Back falar disso.  Já na história da Mônica de 1 página, que se encontra na página 20, teve uma nostalgia legal de revelação de filme de fotografia em loja, coisa que era bem comum até uns 10 anos atrás.

Como curiosidade, a história "Xiii... ocupado!", em que mostra desencontro da Mônica e do Cebolinha para se falarem ao telefone, teve uma história semelhante a essa publicada, com o título "Só dá ocupado", em 'Mônica N º 55' (Ed. Globo, 1991), com as mesmas falas praticamente, só que protagonizada pelo Titi e Aninha.

Cebolinha - "Aquele sorriso" - Cebolinha e Cascão tentam a vaga de garoto-propaganda para gravar um anúncio de pasta de dentes para a TV.

De 12 histórias comentadas, em 6 não tiveram crédito nenhum, já em outras mostram só roteirista e desenhista ou arte-final. Só não foi comentada história de 1 página, como de costume. A história "Os chefes", em que a turma brinca de índios americanos, eu conhecia, já que foi republicada na Globo, precisamente no 'Almanaque do Cebolinha Nº 2', de 1987. Agora uma ou outra história do Cebolinha vou começar a lembrar.

Na história "Cebolinha e um clubinho só de meninos" teve um erro curioso na época com o Humberto falando. Ele tinha roupa diferente da camisa rosa e bermuda branca que a gente está acostumado (ainda não tinha roupa definida), mas o que ficou estranho foi ele falar. Talvez a intenção inicial nem era para ser o Humberto, e, sim, um secundário qualquer, mas o desenhista acabou desenhando o Humberto e ficou esse erro bizarro.

Trecho da HQ "Cebolinha e um clubinho só de meninos"

A história "Tina e a ligação" é bem legal, em que o Rolo, na falta do que fazer, telefona para a Tina às 3 da madrugada para dizer que está com telefone em casa e jogar conversa fora. O que foi interessante é que na história toda mostra só a linha telefônica na rua, aparecendo os balões das falas deles e o que acontece no lado de fora e a Tina e o Rolo aparecem só no final. Ficou muito bem bolada. Uma pena que não colocaram crédito de roteirista nos comentários. É incrível que nas melhores histórias é que não mostra quem escreveu. Pelo menos mostrou quem a desenhou.

Esse gibi teve também a história "Vinda diretamente do interior... Parvínia!" com a Parvínia, prima do interior da Mônica. Outro tipo de roteiro comum nos gibis antigos aparecer parentes dos personagens, com características semelhantes ou opostas, mas que aparecem em só uma história e depois nunca mais vistos, principalmente primos. Eu gostava de histórias assim.

Uma coisa interessante é que teve um erro na colorização na história do Bidu (em que um cientista troca de corpo com o Bidu através de uma invenção, para saber como é uma vida de cachorro), só que dessa vez o erro foi na CHTM, e, não, na original. Na revista de 1976, a camisa do Franjinha apareceu vermelha normal, e nessa CHTM, deixaram verde em um quadrinho. Finalmente aconteceu um erro na colorização da Panini. Gostei disso, apesar de ficar diferente da revista original. Abaixo a comparação:

Comparação da HQ "Bidu": erro na colorização da CHTM

A seção de cartas "Coleio do Cebolinha" nunca é mostrada na Coleção Histórica. Eles não colocam, provavelmente por causa do endereço dos leitores que escreveram na época. Acho que deviam republicar as seções de cartas, só omitindo o endereço e, quem sabe, nome completo, só colocando "Roberta", "Sergio", "Sandro", etc. Nas seções de cartas antigas tinham muitas coisas interessantes, que valem a pena.

Como dessa vez eu tenho a revista original de 1976, mostro como foi o "Coleio do Cebolinha" nessa edição, que eles insistem em não republicar. Dá pra perceber que tinha gente de 15 anos de idade que ainda lia gibis, hoje no alto de seus mais de 50 anos.

"Coleio do Cebolinha" publicada em 'Cebolinha Nº 45', de 1976

Chico Bento - "Viva o concreto" - João Concreto da Silva, fabricante de cimentos, inconformado com a onda ecológica nas histórias do Chico Bento, invade a MSP e resolve apagar todo o verde da história do Chico.

Esse gibi teve 3 histórias mudas, algumas de até 5 páginas no total, com as 3 histórias juntas ocupando 10 páginas do gibi. Era raro ter muitas histórias mudas nos gibis daquela época. Não gostei muito disso, mas justiça seja feita, até as histórias mudas antigas conseguem ser melhores que as dos gibis atuais. Em relação a créditos, de 6 histórias comentadas, a muda "Cai, cai folhinha!" (que mostra o sufoco do Chico para pegar uma folha na árvore), não teve crédito nenhum (pior que tinha espaço para falar) e só 3 histórias tiveram créditos completos.

Mais uma vez tiveram as terríveis alterações no caipirês do Chico nessa edição. Dessa vez palavras com o gerúndio "-ano", como "apagano", "desceno", "assistino", entre outras, não foram mudadas, deixando igual à revista original, como destaco abaixo:

Trecho da HQ "Viva o concreto"

Porém, outras palavras do caipirês do Chico foram mudadas. Nos primeiros anos, certas palavras do caipirês eram diferentes de hoje ou senão nem era caipira, só passando a ser depois de 1985 que foi consolidado do jeito que a gente conhece. Com isso, palavras "pur" e "nenhuma" da história "Castigo demais para um cabulador só" do gibi de 1984 foram  mudadas agora para "pru" e "ninhuma", sem explicação nenhuma.  

É revoltante, porque eles mudando assim a gente não compara como era o caipirês nos seus primórdios. O que custava manter igual à original. Pelo visto só não teve mais alterações porque a maioria das histórias do gibi foram mudas, senão teriam mais. Como eu tenho a original, mostro abaixo a comparação de uma cena dessa história com essas alterações:

Comparação da HQ "Castigo demais para um cabulador só": caipirês alterado

Fora essas alterações ridículas, essa história "Castigo demais para um cabulador só" é legal, com o Chico matando aula na escola e se dando mal por isso, com um final surpreendente e muito bom.

Outra alteração foi a colorização do brilho do cabelo do Papa-Capim que insistem em deixar azul na Coleção Histórica, sendo que na original era branco ainda. Abaixo a comparação:

Comparação de cores da HQ "Maloca muito bagunçada"

De curiosidade, esse foi o primeiro gibi sem a promoção da "Cartela Milionária", desde que foi lançada em novembro de 1983, na edição do 'Chico Bento Nº 32'. Com isso, a capa dessa edição Nº 45 não teve o selo de pontos da cartela Milionária na lateral direita e por isso não teve alteração da capa em relação a original.

Cascão - "O rei dos sete desertos" - Cascão e Cebolinha brincam de piratas, mas o Cascão quebra a espada do Cebolinha começando a confusão entre eles, com direito a plano infalível contra a Mônica, sem querer.

De 6 histórias, só 3 com créditos completos e a história "Atchim", em que todos se afastam do Cascão porque estava resfriado, ficou sem créditos. A história "O Dom Juan do Cemitério" é legal, com o Penadinho paquerando uma fantasminha, mas tem que se esconder quando vê no caminho outras fantasmas que também paquerava, inclusive a Alminha. Interessante que os personagens foram desenhados com boca toda branca, sem língua. E não ficou ruim.

História de destaque, "O cão de um milhão de cruzeiros", do Bidu, em que um balde de tintas cai n Bidu e 2 malandros confunde com um cão azul milionário que havia sumido. Interessante o cara chamar o outro de idiota e imbecil, coisa proibida nos gibis atuais e  são alterados nos almanaques convencionais. Ainda bem que não alteram isso nessa Coleção Histórica.

Trecho da HQ "O cão de um milhão de cruzeiros"

Foi o último gibi do Cascão com o selo da promoção "Cartela Milionária" na capa. Não coincidiu com o Chico, porque a promoção começou em 'Cascão Nº 33' enquanto que a do Chico foi na Nº 32. Em ambos os títulos a promoção durou 13 edições.

Magali - "O gato comeu! E cadê o gato?" - Mingau some e a Magali e o seu pai tentam de tudo para encontrá-lo.

Na edição original, essa história teve um erro de colorização no gato que encontraram primeiro. Ele apareceu amarelo no último quadrinho que apareceu na original e agora corrigiram deixando branco. Pelo menos avisou sobre esse erro nos comentários, mas se a cena de destaque foi justamente essa, era para terem colocado a cena original escaneada do gibi de 1991 para gente ver a diferença. Na verdade, o ideal mesmo não era pra corrigir nada e deixar exatamente como saiu  na original. Abaixo, a comparação da cena:

Comparação da HQ de abertura: gato apareceu amarelo na original de 1991

De 5 histórias, só abertura e encerramento com créditos completos. Em "A justiceira" (em que a Magali resolve ser a justiceira do bairro) e "O Romântico" (em que o Quinzinho tenta arrumar flores para agradar a Magali) só informaram roteirista. Como história de destaque, "Delícia de palmito" em que a Magali deixa de comer tudo que tem palmito, depois do Dudu dizer que palmito são caules de árvores derrubadas.

A capa teve as suas diferenças. O logotipo ficou menor em comparação a de 1991, que ocupou a largura toda na época, e os tons ficaram diferentes, com o logotipo era um rosa mais claro e agora ficou um rosa choque bem forte e o tom do verde ficou ficou um verde mais escuro, com o degradê diferente, quase imperceptível. Ou seja, foi uma capa totalmente restaurada, sem lembrar nada as cores de 1991. As capas dos outros gibis desse box as mudanças não foram tão grandes como essa.

 Eles gostam mesmo de mudar as capas da Magali. Mesmo que as cores agora são digitais e não têm o tom artesanal da época, mas podiam ver um tom mais parecido da original. Aliás, inexplicavelmente, eles nunca colocam o logotipo ocupando a largura toda que nem os outros e o contorno sempre fica mais fino. Não dá para entender. Pelo menos não colocaram o selo da CHTM ao lado do logotipo. Abaixo a comparação das capas:

Comparação das capas de 1991 e da CHTM # 45

34 comentários:

  1. Olá! Essa história da Gilda eu tenho nm almanaque muito bom. A do telefone ocupado também.
    Personagens como Bidu e Horacio aparecem nas revistas da Mônica e Cebolinha dessa coleção aí?

    Obrigado por compartilhar! Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim, Fabiano. Nesse gibi da Mônica tem hqs tbm do Bidu, Chico Bento, Jotalhão, Horácio e Penadinho. Já no gibi do Cebolinha tem tbm Chico Bento, Piteco, Tina e Bidu.

      Legal q gostou da postagem. De nada. Abraço

      Legal q vc conhece essas hqs da Mônica. Algumas foram republicadas nos primeiros almanaques dela da Ed. Abril.

      Excluir
  2. marcos, vc n vê "coisas de adulto" n? na sua posição de 30 anos, só lê quadrinhos? entendeu o que quis dizer com coisas de adulto né? tipo aquelas revistas da editora abril, pq vc praticamente vive só pra tm. obrigado desde já por responder minha msgm, abraços.

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos, aqui a CHTM nº 45 ainda não chegou, realmente a distribuição é irregular. Na verdade, na minha cidade nem chega, eu compro ou na internet de lojas virtuais, ou compro nas cidades vizinhas quando vou por lá. Aqui não chega, na cidade vizinha chega, e olha que é o mesmo distribuidor. Vai saber por que.
    Pena que eles alteram tanto as hqs originais, mas, ainda é uma boa leitura da TM. Os gibis desta fase dos anos 70 são muito bons e poder rever estas histórias é algo muito gratificante para a gente, que tem na faixa de 40, 50 anos. Um abraço e obrigado pela postagem gostosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q pena q ainda não chegou aí, essa distribuição é lamentável mesmo. Sugiro se vc fr comprar na cidade vizinha daí, q vá esse mês pq pode acabar, visto q não são todas as bancas q vendem e as q vendem são poucos exemplares por banca. Comprar na internet tbm é uma boa pq pode conseguir desconto.

      Se não tivesse alterações, principalmente nas do Chico ia ser perfeita essa coleção. Não gosto q mudem pq tira a magia da época, do jeito q a gente a leu. Mesmo assim é uma ótima coleção.

      De nada. Valeu por ter gostado.

      Excluir
  4. os traços desta do cebolinha já eram dos super fofinhos do final dos anos 70? reparei que ele não estão muito bicudinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, em 1976 os traços já estavam começando a mudar, sem ficar tão pontiagudos, e em algumas hqs ficaram quase parecidos com o q ficou nos anos 80. Tanto q foi a partir de 77 q era comum ter hqs republicadas nos almanaques da Globo pq eram mais próximos do q estavam saindo nos gibis convencionais.

      Os traços superfofinhos começaram a colocar em 1977 e ficaram até em 79. Ou seja, ainda vai demorar um pouco pra sair na CHTM.

      Excluir
  5. Oi Marcos, a minha cidade nunca teve problemas de distribuição da TM, ainda bem. Aqui tem uma revistaria muito boa, onde tudo chega na hora e bem conservadinho.

    Agora, sobre a postagem, acho grotesco essas mudanças na CHTM, devia conservar, não vejo mal no caipires do Chico, muito menos nos erros de colorização.

    E sobre o Humberto, isso acontece até hoje, como em Cebolinha #22, em que ele aparece falando como na CHTM.

    Super curti a postagem! Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, vc tem sorte pq em quase todos os lugares o pessoal tem esse problema. Tbm acho q tinham q manter o caipirês do Chico, não vejo necessidade de mudarem pra ficar igual ao q colocam na atualidade. Nada a ver.

      Com o Humberto realmente acontece isso de vez em quando, lembro dessa Cebolinha 22. Uma revisão melhor dava pra arrumar a tempo.

      Q bom q vc gostou da postagem. Obrigado. Abraços

      Excluir
  6. Olá. Minha irmã tinha curiosidade em ver essa coleção (apesar das sacanagens do estúdio), mas aqui em Dourados a gente não acha ela. Os jornaleiros dizem que é difícil encontrar. A único exemplar que vi da coleção histórica foi num posto em Bataguassu distante 20 Km da divisa MS/SP. É brincadeira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luis, essa distribuição é muito precária. Tinhamq melhorar e muito. Uma pena pq muitos ficam sem a coleção.

      Como não chega nas bancas daí, uma sugestão q dou é vcs comprarem na internet em sites como Saraiva, Submarino, Americanas. com, etc. Até costumam vender até alguns antigos e, quem sabe, ainda pode conseguir desconto.

      Excluir
  7. Oi Marcos, queria dar uma sugestão de matéria, pois esse ano fazem 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente e seria legal uma análise sua sobre aquela revista especial que a MSP fez na época e que depois tiveram várias versões. Acho que seria oportuno, sei lá, fica uma dica, além de que essa revista marcou minha infância. Abç;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sugestão a sua. Esse gibi teve 4 versões e eu não tenho a versão de 1990, em q a hq é diferente em relação as outras versões. Vou ver q posso fazer e se der eu posto. Abraço

      Excluir
  8. Boa noite, Gente!
    Perdoe-me, por entrar aqui indevidamente! Mas estou procurando uma tira em que o Cebolinha pede ajuda a Deus para fazer ou passar numa prova e Deus responde a ele: estuda!!!!
    Podem me ajudar?Saberiam onde posso encontrá-la?
    Grata,Silvina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk... provavelmente essa tirinha q vc viu foi com o Chico Bento. Exatamente igual a essa não lembro agora, mas já vi outra parecida com essa, com o Chico rezando, pedindo a Deus pra fazer uma boa prova e aparece um anjo na janela cheio de livros.

      O anjo não falou nada, mas só pela cena já dá pra perceber q está mandando estudar. Essa aí eu vi no Almanaque do Chico Bento nº 27, de 1994 (q foi republicação de gibi do Chico da Ed. Abril).

      Excluir
    2. Marcos,
      Marcos,
      Vou tentar encontrar pois gostaria de colocá-la nas minhas provas de Geografia.
      Abraços geográficos,
      Silvina Leal

      Excluir
    3. Tomara q vc encontre, Silvina. Lembrei q essa tirinha foi original de Chico Bento Nº 12 da Editora Abril de 1983, aí outro gibi pra procurar. Tiveram outras semelhantes, assim como essa com Deus mandando ele estudar q vc citou, se eu lembrar aviso aqui.

      Excluir
  9. Oba, dessa vez eu consegui ler antes de vc publicar os comentários rsrs... Alterações na fala dos personagens ferem o meu coração... :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs... sinal q conseguiu chegar cedo aí dessa vez. Concordo com vc, essas alterações são péssimas e irritam. Principalmente o caipirês antigo do Chico.

      Excluir
  10. Infelizmente, aqui em Brasília não chegou. Deve chegar junto com a Turma da Mônica Jovem do mês. Panini está com uma distribuição horrível, sem contar que algumas revistas chegam sujas também.

    Marcos, acho que já está na hora de ativar um recurso no Blogger que permite que você escolha quais comentários vão ou não para o blog. Pra evitar "certos" comentários que destoam completamente da postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As revistas chegam muito tarde em vários lugares, isso quando chegam. Essa distribuição irrita. Tomara q chegue logo, tá muito bom esse box.

      Pedro, vou esperar um pouco e se não tiver jeito vou colocar comentários moderados, sim. Chato q só visualiza no blog depois de eu responder, mas pelo menos o pessoal não vê certos comentários q não tenham nada a ver com a postagem ou do assunto do blog. Valeu pela sugestão.

      Excluir
  11. Realmente é uma pena isso hein... Já nem digo mais nada com relação aos atrasos e principalmente a essas mudanças na Coleção Histórica.
    Só vou comprar depois que vejo no seu blog, porque aqui atrasa muito também.

    Com relação ao Pelezinho será que pararam de publicar? Ele parou na 6ª edição e desde então nunca mais vi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os atrasos e as alterações são péssimos, quem sabe um dia melhora isso.

      Quanto ao Pelezinho Coleção Histórica eu não sei, nem a MSP nem a Panini não falam na da a respeito. Tem muitos títulos tbm q não foram lançados mais, como os almanaques dos secundários. como do Astronauta, Bidu & Mingau e outros, ficando só Tina e Penadinho..

      E nesse mês nem divulgaram capa e não chegou ainda tbm o "As Melhores Histórias do Pelezinho" (se bem q esse não comprei mais, desde q mudaram os traços dos personagens, tirando o círculo em volta da boca) e tudo leva a crer q foram cancelados. Mas não é confirmado isso. O jeito é aguardar.

      Excluir
    2. Espero que não, seria uma pena isso, curti bastante o Pelezinho, nem sabia que ele existia até chegar essas edições, tem belos traços com toda aquele movimento e ângulos diferentes, acho incrível essas histórias.

      Obrigado pela informação, novamente espero que não tenha sido cancelado (o almanaque tudo bem porque ficou horrivel aquilo, como vc mesmo diz e eu concordo), mas a Coleção Histórica dele é muito boa, resta aguardar mesmo kkk

      Excluir
    3. Eu tbm tava gostando de ler Pelezinho. Tomara q ao menos a Coleção Histórica continue. Como tá atrasado, a qualquer momento pode chegar. Não foi confirmado cancelamento, então vamos aguardar.

      Excluir
  12. ainda bem que temos a coleção historica para republicar essas maravilhosas edições .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, apesar das alterações é muito bom relembrar essas hqs marcantes. Muito boa essa coleção.

      Excluir
  13. A Gilda apareceu em histórias posteriores, não?
    Seria interessante uma postagem com esse tema...
    Fica a sugestão de "pauta", ehehehehe
    Até!
    Willier...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs... ela apareceu primeiro em Cebolinha nº 2 de 1973 e depois nessa Mônica 45. Não sei se apareceu em outra (s) depois dessa. Acho q não, pq senão seria um caso de personagem esquecido.

      Excluir
    2. Ela reapareceu em “Cara de uma, focinho de outra“, em Monica #57 de 1991...
      Resta-nos saber se foi a ultima aparição
      Até
      Willier

      Excluir
    3. Bem lembrado, mas nessa colocaram um cabelo diferente nela, q a deixou diferente. Essa deve ter sido a última aparição.

      Excluir