quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Coleção Histórica nº 38


Já nas bancas a Coleção Histórica  # 38.  Esta coleção é formada pelas 5 revistas números 38: Mônica (1973), Cebolinha (1976), Chico Bento e Cascão (1984), e Magali (1990).

Ficou muito bom o Dudu antigo na capa. Eu adorava os traços dele assim como começou que aparentava realmente que ele tinha menos idade do que os outros da Turma da Mônica.

Teve um erro grotesco na contracapa da caixinha desse box, colocando a capa de Magali # 37 em vez da 38. Não dá para entender como um erro desse ficou despercebido e não revisaram antes de fechar a edição. Muita falta de atenção. Além de ficar feio visualmente, ainda corre o risco de algum desavisado estar comprando pela primeira vez e ficar na dúvida qual revista da Magali é a correta nessa edição. Bola fora isso. Abaixo, a contracapa da caixinha com o erro grotesco.

Contracapa com capa errada do gibi da Magali

Além dessa capa errada da Magali, as ilustrações do Cebolinha e da Magali nessa contracapa foram tiradas erradamente também da Coleção Histórica # 37, ambas mais precisamente da história "Bingo" de Mônica # 37. Também foi um erro, já que essas ilustrações costumam ser retiradas da própria edição. Então, deviam ser imagens das histórias dos gibis da CHTM # 38.

Nessa edição 38, continuam com informações de créditos de roteiristas, desenhistas e arte-final nos comentários nas histórias, porém não são em todas que mostram isso. Pode ser porque não tenha informação registrada ou porque não teve espaço para colocar. Às vezes, nos comentários informam apenas só quem é o roteirista, ou só quem desenhou, e vou mostrar melhor cada caso a seguir nos comentários de cada revista.

As capas reais da Coleção Histórica # 38

Histórias de abertura e comentários gerais:

Dentre as histórias de abertura, eu só não conhecia antes a da Mônica. As demais já tinha lido nos almanaques da Globo. Vamos aos comentários:

Mônica - "O jornal mural" - Mônica resolve fazer um jornal com notícias que estavam acontecendo no bairro, com seus amigos como repórteres. Como não tinham papel e impressora, as notícias do jornal eram escritas em um muro.

Prevalecem histórias sobre brincadeiras nessa edição. Nessa época, as histórias da Mônica eram mais voltadas a brincadeiras mesmo, tudo era motivo de diversão. Com isso, temos histórias, além dessa deles brincando de fazer jornal, tem também eles brincando de siga o chefe, de casinha, de cozinhar, entre outras. 

Mauricio de Sousa e seu irmão Marcio Araujo são os roteiristas das histórias dessa revista. Mauricio escreveu a maioria delas, como essa de abertura, e nos comentários, o Paulo Back dá dicas de como saber se determinada história foi escrita pelo Maurício. Na última história, "O pombo-correio", não mostra informação de créditos de roteiro e desenho.

Cebolinha - "Carnaval! Oba!" - Cebolinha, Cascão e Mônica montam um bloco de Carnaval no bairro, com direito até de marchinha.

A capa traz uma piadinha em vez de fazer referência da história de abertura. Nessa época, eram raras as capas do Cebolinha ter piadinha. Normalmente, o gibi da Mônica era uma piada e o do Cebolinha fazia menção à história de abertura. São 13 histórias nesse gibi, incluindo a tirinha final, e dentre 11 histórias comentadas, 4 infelizmente não foram mostradas informações de créditos de roteiristas, desenhistas e arte-final.

Foi falado no comentário que na seção de cartas "Coleio do Cebolinha" teve um aviso que mudou endereço do estúdio para o envio, que é o mesmo até hoje desde então, porém não reproduziu nem uma miniatura da página do "Coleio do Cebolinha" da edição original. Falando nisso, só agora informa que o "Coleio do Cebolinha" estreou em 'Cebolinha # 17', de 1974. Deviam ter falado na própria "CHTM # 17" e com a miniatura da seção de cartas, caso não quisessem reproduzir em tamanho real.

Chico Bento - "Voltando com uma amiga" - Chico Bento imagina perigos que acontecem com uma árvore na cidade e depois mostra a realidade que estava acontecendo realmente.

Curiosamente, a largura desse gibi do Chico veio 0,5 centímetro maior em relação aos outros. Parece pouca coisa, mas deu pra perceber a diferença. Em relação a créditos nos comentários, na história "O ladrão" fala o nome de quem desenhou e da arte- final, mas não diz quem foi o roteirista. Já na história "Lição de casa", só fala quem foi o roteirista.

Uma coisa boa nessa edição é que voltaram a reproduzir os textos do caipirês antigo do Chico, exatamente como nas revistas originais da época. Nas edições do Chico da Editora Abril, os gerúndios que eles falavam tinham terminação "-ano" e estavam alterando na CHTM para "-ando", e o caipirês em geral costumavam alterar também para adaptar ao caipirês atual. Palavras como "acabar" e "verdade" eram escritas "acabá" e "verdade"  nos primeiros anos de quando o Chico passou a falar caipirês nas histórias, e só depois de 1985, passaram a colocar "cabá" e "vredade", por exemplo.

Nessa edição, portanto, permaneceram as falas originais. Então, o Chico está falando, por exemplo, "vortano", "comeno" e falando "amanhã" em vez de "aminhã", exatamente como na original e como deve ser.

Trecho da HQ "Cadê doença?" - Gerúndio igual a original

Quando a CHTM começou eles mudavam esses textos, colocando o caipirês atual e os gerúndios "ando". Na faixa do nº 20, passaram a colocar o texto original como era na época e a partir da CHTM # 35, voltaram a alterar os gerúndios e o caipirês. Espero que continuem assim sem alterar mais nada. Mudanças, aliás, que nunca deviam ter nem nos almanaques convencionais, e muito menos na Coleção Histórica e em livros especiais.

Como só nos gibis de 1985, o Chico passou a falar o gerúndio normal, por exemplo, nada mais justo até lá permanecer o texto exatamente como era. Aliás, para não dizer que não teve alteração em relação a original, a cor do brilho do cabelo do Papa-Capim continuam trocando para azul em vez de branco como na original. Pelo menos, isso está acabando nas revistas do Chico Bento, já que em 1984 mesmo, passaram a colocar o brilho azul nos cabelos dele de vez.

Trecho da HQ "Papa-Capim"

Cascão - "Borboleta cascuda" - Ao empinar uma pipa, Cascão tropeça em uma pedra, se enrosca na linha da pipa e bate a cabeça em uma árvore. Uma borboleta o vê desacordado e pensa que é uma lagartona com dificuldade de sair no casulo e, com isso, para ajudar, transforma o Cascão em borboleta.

Curioso que foi comentado dessa vez uma história de 1 página. Nos comentários, não costuma fazer isso, talvez comentou para ocupar espaço que faltaria. Porém, não informou os créditos dessa história de 1 página. Infelizmente também deixaram de mostrar propaganda da revista da Mônica citada no comentário. No caso, seria propaganda da revista da Mõnica # 165.

Magali - "Eu não sou cachorro, não!" - Mingau troca de corpo com um cachorro de rua, que estava cansado de ser um vira-lata pulguento de rua. Os corpos deles são trocados através de uma fada-madrinha-cachorra que atendeu o pedido do tal vira-lata de se tornar um gato e que o seu corpo seria trocado com o gato que estivesse mais perto, que era o Mingau.

Uma história tão boa tinha que ser da roteirista Rosana mesmo. Muito legal. Outra história bacana é "Come que está uma delícia", escrita brilhantemente pelo Robson Lacerda, em que a Magali come ração do Mingau para convencê-lo a comer. O cúmulo do incorreto que tanto agradava os fãs. Muito engraçado ver a Magali comer ração de gato. 

Trecho da HQ "Come que está uma delícia"

Assim como na revista do Cascão, também foi comentada uma história de uma página. Acredito que foi para ocupar espaço da página, mas espero que seja mais frequente isso.

O gibi da Magali foi o único que foram mostradas informações de créditos em todas as historias, inclusive, comentado a presença de 2 novos roteiristas, até então. Na última história, "Proibida para comer", que é do roterista, novo até então, Dejair da Mata, também mostra informação de quem fez as letras.

42 comentários:

  1. Marcos, quando essa CHTM #38 foi às bancas? Ainda nao chegou aqui onde resido e estou achando q nao vai chegar mesmo, a distribuiçao é pessima, so pra vc ter uma ideia na banca q frequento a CHTM #37 so chegou um exemplar na epoca!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui chegou por volta do dia 10... e tbm quando chega é só 1 exemplar (no maximo 2) e só 2 bancas q vendem. Então, nessa época costumo passar todo dia nas bancas pra nao correr o risco d eperder. Distribuição horrorosa com certeza.

      Excluir
  2. Nossa, vai levar séculos pra Magali sair de 1990 XP
    Eu comprei essa edição, o legal é que eles faziam HQs mais mundanas (e sem aventuras) sem deixar chato, coisa que hoje em dia não acontece. Até HQs de aventura estão chatinhas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, por isso q eu gostaria q a CHTM fosse mensal. As revistas quinzenais levam mais de 4 anos para mudarem de ano do jeito q está. As do Chico e Cascão só vão sair de 1984 agora só em 2018.

      A Magali ainda está em 1990, e só vai para 1991 ano q vem na edição 41. E aí o q já está ótimo, vai ficar melhor ainda. É uma melhor q a outra. To querendo q chegue logo as revistas dela de 1991.

      E as hqs dessa Coleção Histórica são muito superiores do q as atuais, sem comparação.

      Excluir
    2. Fiquei curioso sobre o que você falou a respeito das edições da Magali do ano de 1991. Elas são as melhores na sua opinião? Ou seria algum numero em especial?

      Excluir
    3. Douglas, as de 91 tem hqs clássicas excelentes. Eu adoro todas, não tem como escolher favorita.

      Tem as hqs "Passeio no shopping" (MG #43), O gato comeu! E cadê o gato" (MG #45), Pouco sal... muito açúcar" (MG #47), "De mal com todo mundo" (MG#50), Perigo no supermercado" q já falei aqui (MG#54), "Barriga de aluguel" (MG#56), "Branca de fome" (MG#57), isso pra citar algumas.

      Vale a pena procurá-las nos sebos.

      Excluir
  3. São todas ótimas hqs. Adoro essa coleção que é uma maravilha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma ótima coleção sim, embora não se compara em ter as originais, mas vale pra ler hqs antigas de qualidade.

      Excluir
  4. Infelizmente a obra de Maurício de Souza é muito mal cuidada. Sempre ele conta a história de que não gostavam que o Chico Bento falasse caipires, mas que ele manteve assim. Agora eles mesmos mudam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai entender né? Lutaram tanto pra ele falar caipirês nos gibis, para depois mudarem as palavras. Só MSP mesmo.

      Excluir
  5. "Uma coisa boa nessa edição é que voltaram a reproduzir os textos do caipirês antigo do Chico, exatamente como nas revistas originais da época."

    Oi Marcos, isso é um bom sinal. Quem sabe eles da MSP estão acordando para a necessidade de resgatar o melhor de cada personagem? O tempo dirá... Bacana a postagem da CHTM, realmente é o que temos de melhor da MSP nas bancas hoje em dia. Boas Festas. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara q sigam sem alterar nada, pelo menos na CHTM. Se tem algo errado, tem os comentários para isso.

      É uma ótima publicação realmente, mas não se compara as originais. É tipo um quebra-galho para ler hqs de qualidade. Preferia mesmo era ter as originais q são bem melhores.

      Valeu! Boas festas e um excelente Ano Novo!!! Abraço

      Excluir
    2. "É tipo um quebra-galho "
      É verdade, Marcos, infelizmente eu não tenho quase nada do tempo do Mauricio na Abril, assim no original. Então vou quebrando um galho com a CHTM. Que saudades daqueles gibis. Lembro que meu Cebolinha nº 1 era um xodó inestimável, mas não sei como foi que perdi esse gibi. ABs.

      Excluir
    3. É verdade, a gente nunca se lembra direito como a gente perdeu os gibis. De qualquer forma, tem os sebos pra gente procurar esses gibis originais marcantes.

      Abraços

      Excluir
  6. Olá Marcos! Gostaria de saber se houve alguma alteração nas historias em relação as ed. originais, pois se tiver nem me animo a comprar... Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas, aparentemente não teve dessa vez, pelo menos não tão grave. Até o caipirês do Chico preservaram.

      Claro, q infelizmente tem correção de cores em relação ás originais e o brilho azul do cabelo do Papa-capim q não era assim na época e insistem em colocar, mas nada de mais grave.

      Abraços

      Excluir
    2. Valeu... Nesse caso acho que vale a pena comprar. Correndo aqui pra banca hehehe...!

      Excluir
    3. Nao vai se arrepender, tá bem legal.

      Excluir
  7. Pra mim o Mingau é um dos grandes nomes na revista da Magali, gosto d quase todas as suas historias. Uma curiosidad é a grande mudança nos nomes dos personagens em outras linguas. Eu acabei de ler uma revista da TM em espanhol e o mingau se chama 'Baunilha', traduzindo para o portugues.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm adoro o Mingau. Só ficou cansativo no final dos anos 90 e inicio dos 2000 q só dava ele nos gibis da Magali, aparecendo mais q ela. Mas tá valendo.

      Em espanhol/inglés os nomes mudam mesmo. Mingau é Vanilla em espanhol, que traduzindo vira baunilha como vc falou. É bem interessante mesmo.

      Excluir
  8. Então Marcos, e vi essa edição na banca e fiquei em dúvida se compraria ou não. Acha que está uma edição boa? Recomenda comprar? Dinheiro eu já tenho rsrs (Obrigado Vovó).

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, pelo menos dessa vez quase não teve alterações, pelo menos perceptíveis. Essa coleção não se compara as originais, sendo um tipo de quebra-galho para ler hqs de qualidade.

      Se vc não tiver as originais, vale a pena sim. As hqs estão ótimas.

      Excluir
    2. Correndo pra banca! rsrsrs A distribuição é horrível aqui em Brasília

      Excluir
    3. Aqui infelizmente tbm é péssimo, não devia ser assim.

      Excluir
  9. Sabe o que eu faria se fosse o Mauricio? Ia falar com as eds. Globo e Abril (se não desse, a Panini tá aí, mesmo) e elas publicariam os gibis igualzinho como nos originais, sem alterar a capa, só alterando as propagandas para atuais. Aí seria que nem o gibi original (só, talvez, mudando a editora).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, aí seria ótimo e valeria a pena realmente. Do jeito q tá, é só um almanaque sofisticado, e ainda com alterações nos textos.

      Excluir
  10. Gibis ótimos, sem dúvida. Vou comprar pela Saraiva.
    Marcos, vc sabe me dizer se existe algum lugar assustador na Vila Abobrinha, como é ou em qual edição apareceu?
    Ficarei grato.
    Até mais!

    P. S. : vc é amigo do Kleiton Gonçalves no Face? É pq tem vários e eu fiquei com preguiça de procurar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauricio, de lugar especifico só conheço o Morro das Abóboras q tem um casarão abandonado. Já falei aqui, da hq "Os monstros tentam se divertir", de CHB #272, de 1993: http://arquivosturmadamonica.blogspot.com.br/2013_10_01_archive.html

      Em CHB #51 (Globo, 1988), tbm apareceu um casarão abandonado com fantasmas, mas não especificou lugar na história.

      Comprar a CHTM na saraiva é uma boa, pq pode conseguir desconto. Ah, eu to no face do Kleiton.

      Excluir
  11. Marcos, ótima pastagem como sempre. No meu caso, como linguista, me preocupo com as mudanças na língua, pois a língua representa a época em que é falada. Tomara que eles parem de mudar para que possamos ler exatamente o que foi dito lá atrás. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm acho Natália, tem q preservar o material original. Tomara q continuem assim sem alterar. pelo menos, a ortografia da época eles não trocam. Gostam mesmo é de mudar o caipirês do Chico e as cenas incorretas.

      Excluir
  12. Que bom que estão voltando a colocar o caipirês do Chico como era antigamente. E a história de abertura do gibi da Magali é mesmo maravilhosa.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara é q continuem sem alterar o caipirês antigo do Chico. o público agradece.

      É muito boa mesmo a hq da Magali.

      Excluir
  13. Marcos, uma postagem completa e sem o que observar, pois você já disse tudo, tudo o que podia. Estou sem palavras. Abraços.

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Fabiano, tento fazer as postagens mais completas possíveis. Abraços

      Excluir
  14. Pra quem não viu, o especial desse ano na globo, com o Mauricio e seus filhos:http://bit.ly/1aaPNDy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal... ficou uma espécie de remake do filme VHS "O Natal de Todos Nós" de 1993. O texto é o mesmo. Os desenhos prefiro a versão original.

      Aliás, muita falta de consideração da Globo não passar na noite do dia 24. Eu já estava percebendo q nao ia rolar dia 24 pq nao estava mais divulgando na TV há tempo. E vi o jornal e nao tava nada constando do especial na programação.

      Ninguém fica acordado às 7 da manhã do dia 25. Tinham q colocar, pelo menos, depois da Sessão da Tarde (o ideal na hora programada do dia 24).

      Excluir
  15. "[...] nos comentários, o Paulo Back dá dicas de como saber se determinada história foi escrita pelo Maurício."

    Marcos, fiquei curioso! Quais são essas dicas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma delas é os personagens com o pescoço pro lado, tipo a mãe da Mônica na hq "Os Azuis". Outra é os personagens transpirarem quando estão prestes a levar uma surra da Mônica. Essas são algumas q lembro agora, mas tme outras tbm.

      Excluir
    2. Não sabia disso! O Maurício ainda faz roteiros com a Turma? Se não, quando ele parou? Quero tentar descobrir outras histórias roteirizadas por ele...

      Excluir
    3. Ele não faz roteiro desde os anos 90. Os últimos q fez foram hqs do Horácio, hj nem isso. Hj ele só aprova ou não os roteiros.

      Hqs do Horácio ate os anos 90 é certo serem do Mauricio. Hqs mais filosóficas de outros personagens até essa época tbm.

      Excluir
  16. eu tenho o Magali 38 original da editora Globo. Ele é bem legal. Gostei muito da história de abertura.

    ResponderExcluir