segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Pelezinho Coleção Histórica nº 4


Já nas bancas "Pelezinho Coleção Histórica" nº 4. Nessa edição são republicadas todas as histórias dos gibis nº 10, 11 e 12 entre maio e julho de 1978, reunidos em um só volume com lombada.

Como sempre as histórias são ótimas, repletas de absurdos e situações incorretas que os fãs de quadrinhos gostam tanto. Como os gibis originais tinham 52 páginas cada, essa coleção tinha que ter 156 páginas no total, e não 148. Sempre faltam páginas que podiam explorar mais comentários e propagandas da época em tamanho real. 

Vou comentar cada gibi dessa edição individualmente, como de costume, porém como tenho escaneado as edições 10 e 11 originais, vou mostrar alguns detalhes que deixaram de mostrar.

Comentários gerais:

Nº 10:
Foi até a página 50, incluindo um prólogo do Maurício na página 3, e 4 páginas de comentários. Então, faltaram 2 páginas do gibis original. Ainda tinham 9 páginas de passatempos ocupando o gibi.

A história de abertura é "Os Cheirosos" em que os meninos ficam fedendo por suarem muito depois de uma partida de futebol, afastando a torcida feminina e, com isso, eles arrumam várias formas para não suarem mais enquanto jogam. 

Destaque também para a última história "Rex, um herói", em que o Rex machuca as patinhas e não poderá jogar com os meninos. A arte é muito boa, principalmente na hora que a represa invade o campo em que eles estavam jogando. E curioso que colocam a cena final no primeiro quadrinho como forma do leitor ter que ler a história para saber porque criaram estátua do Rex e como virou herói. Um artifício que não existe nas histórias atuais.

Nas propagandas dos comentários, a da revista "Destaque e Brinque Futebol do Pelezinho", houve um erro e colocaram no lugar uma imagem diferente do que se encontra na revista original. Provavelmente, tiraram de outra revista que não era essa. Abaixo, a propaganda verdadeira que saiu na revista nº 10, de 1978:

Propaganda da revista "Destaque e Brinque Futebol do Pelezinho"

Na propaganda da revista "Destaque e Brinque" da Turma da Mônica colocaram só a metade do texto; ficou omitido o texto presente da parte de cima da imagem. Além disso, todas ficaram tão minúsculas que não dá pra ler nada, como sempre. Nem os brinquedos da "Coleção Pelezinho", da Estrela, dão pra ver. Por isso, coloco todas aqui em melhor resolução, como tinha que ser.

Propaganda da revista "Destaque e Brinque" da Turma da Mônica

Propaganda dos brinquedos da "Coleção Pelezinho" da Estrela

Abaixo, coloco também a seção de cartas "Bate-bola com Pelé", em que o próprio Pelé respondia as cartas dos leitores, tirada da revista original e que infelizmente eles não reproduzem nessa reedição.

Seção de cartas "Bate-bola com Pelé" da edição nº 10

Nº 11:
Ocupa 47 páginas do gibi, com 3 páginas de comentários e 8 páginas de passatempos. A história de abertura é "Jão Balão volta a atacar". Na trama, Pelezinho visita a casa do Jão Balão, que aproveita para usar a sua nova invenção, a máquina "AntiPelezinho", que toda vez que o Pelezinho chute uma bola faz com que ele pense que está chutando um cachorrinho.

Destaque para a história "A despenteada", em que a Bonga fica com cabelo todo arrepiado depois de acordar e não consegue voltar ao normal. É muito engraçada. Interessante também colocarem uma cabelereira de cabelo azul. Nos anos 70, tinham os absurdos das pessoas com cabelo azul, roxo, verde, que atualmente não colocam mais. Pelo menos mantiveram isso nessa edição. Só faltavam mudar isso. Aliás, até que aparentemente não mudaram nada em relação às originais a não ser as imagens da propaganda da revista nº 10, já citado anteriormente.

Apesar de ser uma edição que saiu durante a Copa do Mundo de 1978 da Argentina, não tiveram histórias relacionadas ao tema da copa, mas nos passatempos alguns falam.

A propaganda dos brinquedos "Coleção Pelezinho", da Estrela que saiu na nº 10, também saiu nessa edição e foi a única relacionada á Turma da Mônica. Abaixo, coloco a seção "Bate-bola com Pelé" da revista original que eles não reproduzem nessa reedição.

Seção de cartas "Bate-bola com Pelé" da edição nº 11 

Nº 12:
Ocupa 51 páginas do gibi, com 3 páginas de comentários e tem 2 páginas de propagandas atuais, que podiam ter no lugar páginas de comentários no lugar.

A história de abertura é "Viagem fantástica", em que o Rex contrai o vírus "Olharus Tetricus Trementes" e um cientista faz com que Pelezinho, Cana Braba e Frangão reduzam de tamanho e entrem dentro do Rex para salvá-lo. A arte é espetacular, parece desenho animado e o roteiro também é excepcional. Um verdadeiro clássico. Até agora foi a história mais longa do Pelezinho com 13 páginas, já que suas histórias eram marcadas por serem bem curtas. Aliás, as revistas da Turma da Mônica daquela época normalmente eram histórias curtas e objetivas e por isso eram tão boas.

Não teve tirinha final na revista original aí colocaram uma imagem do Frangão no lugar. Não fala nos comentários que se trata da revista nº 12, nem data e nem o preço. Pelo certo, teria que falar porque na capa reproduzida também não mostram essas informações, colocando só o desenho (que não gosto disso). Infelizmente não tenho a original nem escaneada, mas fiz uma pesquisa, e essa edição original, assim como as nº 10 e 11, custaram Cr$ 7,00. Interessante que manteve o preço congelado por muito tempo, o que era raro.

41 comentários:

  1. Já vou comprar amanhã. Pena que não atenderam o pedido de alterar o "O Jogão" noz passatempos, para que viesse com cartela própria ou fundo branco. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho pouco provável q isso aconteça, quem sabe ano q vem. Por mim, as capas internas deviam ser em papel couché.

      Excluir
  2. Comprei há um tempo, mais ainda não a li.

    Legal vc ter disponibilizado imagens do conteúdo cortado. Não sei o porquê de suprimirem o "Bate-bola".

    Gosto desse formato da coleção histórica do Pelezinho e até me pergunto se não seria interessante uma coleção histórica assim para o restante da turma! Mas, certamente, sem sair tudo de uma vez. Assim, num mês, teríamos um "almanaque" da Mônica; noutro mês, um do Cebolinha etc.. E o leitor só compraria o título que lhe interessasse. Mas nem adianta pensar nisso agora! De qualquer forma, tb sou fã do box.

    E, claro, saudades de histórias sem limitações estapafúrdias.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho q no máximo juntariam as 5 edições, uma de cada personagem, no formato com lombada.

      Vender separadamente por título, não estaria nos planos da MSP, até pq a maioria iria comprar mais da Mônica e Cebolinha. E eles preferem q comprem todos. Eu mesmo não compraria Magali por tê-las na coleção.

      Eu prefiro as edições separadas como a CHTM do q tudo reunidas em um só volume. A vantagem do Pelezinho assim é q ocupa menos espaço, apenas isso.

      Abraços

      Excluir
    2. Realmente. Os dois formatos têm suas vantagens. Não há como negar que a CHTM foi uma grande sacada dentro do MSP!

      Excluir
    3. Foi mesmo. Apesar das suas limitações, são ótimas publicações.

      Excluir
  3. Comprei algumas, pois eu revendo elas e até agora tenho conseguido fazer isso sem problemas. Porém, esse número 04 ainda não li e nem coloquei à venda. Em breve farei. Portanto, como não conheço o interior, não tenho opinião. As três anteriores são excelentes e o cãozinho Rex é o meu xodó.

    Abraços, Marcos, obrigado por compartilhar a revista tão já!


    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiano, quando vc ler vai ver q tá muito boa a edição. legal q compra pra revender.

      De nada, sempre procuro postar depois q leio. Abraços

      Excluir
    2. Eu compro naquele sebo a 3,00 ou 3,50... e revendo a um preço acessível, entre $8,00 e $9,00 com frente livre - encomenda simples.

      Eu faço só pra livrar os interessados da extorção que tem por aí, já que nesses primeiros números o povo costuma enfiar a faca.

      Excluir
    3. Ah sim, no Mercado Livre e outros sites de vendas os preços vão às alturas. Nos sebos nem tanto. É bom q vc lucra de qualquer forma, já q comprou mais barato do q em banca.

      Abraços

      Excluir
    4. ola me interesso pelos 2, 3 e 5.
      no aguardo.
      carlos.carvick@controlmotors.com.br

      Excluir
  4. As revistas do Pelezinho dessa época eram sensacionais. Acho que já tinham histórias da fase "fofinha" nelas também.

    Não me espanta não reproduzirem as propagandas e as seções de cartas. Na CHTM também não tem. Uma pena. Mas ao menos os passatempos vieram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, todas as hqs já são da fase fofinha, algumas hqs é q colocam hqs com uma arte melhor ainda, de acordo com roteiro.

      Tbm não espanto de não colocarem isso, mas bem q podiam nas 2 coleções, pelo menos as cartas omitindo endereços e as propagandas em tamanho real. É algo q eles não pretendem e nem esquento mais.

      Excluir
  5. Pelezinho (clássico) > "Monstrinho" Gaúcho > Neymar Jr... Tenho até medo de onde vamos parar! Ronaldão Pegatraveco, sei lá?! Vou mandar a ideia pra MSP, vai que cola?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk... é melhor nem dá ideia, vai q gostam e façam revista com ele rsrs.

      Excluir
  6. A MSP já passou por vários personagens relacionados a futebol. Já na época das tiras, teve o primo do Cascão, o Boa Bola (sumido), que só falava em futebol. Depois, o nosso clássico Pelezinho, inspirado no Pelé, que ganhou a terceira revista própria na época (as outras duas, Mônica e Cebolinha, nessa ordem). Depois do sumisso do personagem, se passou um vácuo de vários anos sem jogadores nas historinhas. Quando precisavam de algum personagem para uma hq com o esporte, o mais utilizado era o Cascão. Chegou então o Ronaldinho Gaúcho e o Diego, inspirado nos esportistas hormônios, já na época da panini, e que permeiam até hoje em revista própria. Esses já são da época em que a MSP decaiu em suas produções. E quem disse que o que já está ruim não pode piorar? Inspirado no sucesso atual Neymar Júnior, o mesmo estreou há pouco já em produção própria (oh, mas que surpresa!) e, ao menos para os tradicionalistas, não emplacou. Pelo que parece, não ganhou público de ninguém, para falar a verdade. Esse vai decair, quando a fama (temporária) do jogador decair também, como já acabou para muitos do ramo. Qual será o próximo?

    E é isso. Parece que Maurício aproveita-se do súbito sucesso de algum esportista, e em cima dele cria um personagem para lucrar. Mas não é preciso apenas a forma do mesmo. Precisa ter alguma característica especial que se identifique com as pessoas, e precisa de HISTÓRIAS BOAS, LEGAIS, e que divirtam. Ficar criando ás cegas, sem a essência que é preciso ter, é como fazerem bolo e não por o açúcar. É como não fazer nada. Pelo visto, se esqueceram disso...

    (Não, não colei de nenhum lugar. Criei esse texto porque estou me sentindo incomodado com o padrão e a qualidade de quadrinhos hoje em dia).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Parece que Maurício aproveita-se do súbito sucesso de algum esportista, e em cima dele cria um personagem para lucrar."

      Falou tudo Gabriel, desde o Pelezinho foi assim. Só q a diferença é q na época do Pelezinho o estúdio fazia hqs boas e envolventes e hj não. Por isso é tão querido. Se fizessem hjs novas com ele, seria a mesma coisa dos outros personagens-jogadores.

      Por mim, podia ter continuado com o Boa Bola até hj, ou hqs de futebol com o Cascão, q eram bem melhores.

      Excluir
  7. Oi Marcos, bacana a revista do Pelezinho. Sempre vale a pena conferir e colecionar. Parei com todas as coleções da MSP, exceto a Coleção Histórica e Pelezinho. Colecionei por vários anos a Turma da Mônica, mas hoje em dia não tenho mais vontade. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, essa revista é boa mesmo. Claro q por mim compraria as originais, mas como sairia mais caro, o jeito é comprar a Coleção Histórica.

      Eu tbm não compro as mensais, só quando tem algo muito especial, esse mês devo comprar da Mônica e olhe lá. É uma pena o estúdio cada vez mais com hqs fracas. Só não deixe de comprar as antigas em sebos, essas valem a pena.

      Abraços

      Excluir
    2. Esses mês tem o quê de especial na mensal da Mônica?

      Excluir
    3. Gabriel, tem uma hq comemorativa sobre a origem do coelhinho amarelo e a revista tem mais páginas. O lance de realidade aumentada fica em segundo plano por causa disso.

      Excluir
    4. Eu confesso que toda semana de lançamento, aguardo ansiosamente pra dar uma passada na banca e comprar tudo, mesmo que seja uma bosta, só pra manter minha coleção completinha e depois não me arrepender, pois há algumas edições que, mesmo sendo novas são muito difíceis de encontrar em sebos, enquanto às vezes me deparo com 10 cópias da mesma revistinha na prateleira. Não sei por que isso acontece. Não me perguntem por que não faço assinatura, já que compro tudo mesmo, pois nem eu sei responder... acho que gosto da rotina de ir na banca.
      Quanto à qualidade das publicações novas, ao contrário de muitos, nem tenho tantas críticas a fazer. É claro que tem meses que não tem absolutamente nada de bom, só umas historinhas xoxas de 10 ou 12 paginas (gosto das mais longas) e uma porção de "fillers" sobre os quais já demonstrei meu repúdio nos comentários sobre a HQ do Astronauta. Entretanto, mesmo pra quem não coleciona, sugiro dar uma folheada nas publicações mensais, pois volta e meia aparecem umas historinhas muito legais. Só pra citar alguns exemplos dos últimos anos: Sobrado Assombrado do Senhor Samir (Cascão n. 20) / Dias Gostosos de Chuva Fina -Magali n.21. / A que talvez tenha sido a primeira trilogia a ser publicada nas revistas da Turma: "Terror dos Rios", "O segredo da Lagoa" e "O mistério do Pântano" - Chico Bento n. 27, 28 e 29. A volta da Boneca Tenebrosa - Mônica n. 49. Enfim, tem muitas outras além dessas. Além disso gostei do fato de terem ressuscitado o Seu Juca, que andava meio desaparecido e também gosto das histórias novas do Xaveco e do pai dele (que possui um fusca que ganhou numa rifa do Seu Jura do Armazém), da Carmem da Esquina, da Denise, Madame Creuzodete, enfim, novidades que, na minha opinião são bem vindas. Há outros personagens novos que são uma forçação de barra, como Marina, Nimbus (gosto muito do Do Contra), Luca, mas felizmente eles não tem aparecido muito.

      Em resumo, para os que andam insatisfeitos com a MSP, se passarem por uma banca, pelo menos folheiem as revistas e avaliem com carinho, pois encontrarão boas surpresas, que certamente, daqui a alguns anos serão relembradas como clássicos!

      Excluir
    5. Até concordo com você, Rafael. Até hoje eu não sei porque coleciono a revista do Neymar!

      Excluir
    6. Rafael, realmente a gente não pode generalizar, já q sempre há alguma coisa boa no meio disso tudo. O problema é q são poucas coisas se salvam, e antes era o contrário. A coisa q não gosto mesmo são as hqs mudas gigantescas, acho muita encheção de linguiça.

      Desses núcleos q vc falou, não gosto das hqs do pai do xaveco por serem mudas longas, se ao menos colocassem texto. Gosto do luca, do seu Juca então nem se fala.

      Eu sempre folheio todos os gibis, inclusive Neymar, e poucas vezes encontro coisa boa. Nesse mês comprei só a da Mônica por ser comemorativa.

      E uma pergunta: vc tem todas as edições da MSP das 3 editoras? Se for, parabéns, é difícil ter tudo q lançam.

      Abraços

      Excluir
    7. Marcelo, Neymar é dose. É bom, pq vc terá uma raridade daqui uns anos na sua coleção. Mas q as hqs são ruins, isso é.

      Excluir
    8. Olá Marcos, não tenho tudo não, quem me dera!!! A única coleção completa é a da Panini e por isso eu continuo comprando todas. Da globo, tenho uns 80% completa e da Abril, apenas uns 50% (as numerações mais altas principalmente). Estou sempre correndo atrás e meu objetivo é algum dia completar as coleções da Abril e Globo!
      Quanto ao Pai do Xaveco (me lembro de uma HQ em que o Xaveco relata que o verdadeiro nome do pai é Xavier Lorota), da mesma forma que você, odeio HQs sem texto, mas as dele são exceção, e normalmente são as que me fazem rir mais, não sei por que. Na verdade, a impressão que tenho é que como em tantas outras obras de humor atuais, existe uma espécie de cópia (ou homenagem) a Homer Simpson, como Peter em Family Guy, Stan em American Dad ou Randy em Southpark. Enfim, o pai do Xaveco ou Xavier Lorota, na minha visão, é uma homenagem, talvez nem intencional, a Homer Simpson (o melhor personagem da TV de todos os tempos), ou seja, é um pai burro, desengonçado, loser, pobre, que causa vergonha aos filhos, mas que mesmo assim aprendemos a gostar, talvez por pena, talvez por sadismo, sei lá!
      Quanto ao seu Juca, é um clássico definitivo da Turma da Mônica, não sei por que não fizeram um almanaque temático até hoje. As histórias atuais são muito boas, mas minhas clássicas favoritas são: seu Juca como trapezista, ponto de teatro, encanador e barbeiro. Pegando a mesma linha de raciocínio de meu comentário anterior, sobre o pai do Xaveco, eu sempre identifico o Seu Juca com o Seu Madruga, ou seja, aquele cara que só quer ficar sossegado e fazer o seu trabalho e sempre é incomodado pelas crianças da vizinhança. Fica a sugestão Marcos, não sei se você já escreveu algo sobre ele, mas o Seu Juca Seria uma postagem interessantíssima.

      Excluir
    9. Mesmo assim vc tem bastante revistas... legal.

      As hqs do pai do Xaveco se tivessem texto ficariam melhores, nesse mês mesmo tem uma dele na revista do cebolinha (q nao comprei) de 12 páginas e sem texto, acho muita coisa.

      Seu Juca é ótimo, aparecia de vez em quando na panini, agora tá aparecendo mais. Boa comparação com seu Madruga, parece mesmo. Todas essas clássicas q vc citou sao ótimas. tbm acho q devia ter Almanaque temático com ele, mas a MSP não quer inovar e colocam sempre os mesmos temas.

      Quando der, falo aqui sobre alguma hq do seu Juca. Abraços

      Excluir
    10. Beleza, ficamos aguardando a publicação sobre o seu Juca, mas sugiro que não seja uma análise de uma HQ só e sim uma espécie de compilação com os principais trabalhos executados por ele, seria bem legal ter um apanhado geral das profissões que o seu Juca já teve.

      Excluir
    11. Vai levar um tempo para fazer essa postagem, pq vou ter q ver os almanaques q eu tenho as hqs. Vamos ver o q posso fazer.

      Excluir
    12. Essas "historinhas bem legais" que o Rafael mencionou são do Emerson Abreu. Realmente, as HQs dele estão se destacando muito no meio de tanto conservadorismo, além dele ter desenvolvido a Denise após a morte de Rosana e dado uma família ao Xaveco, e tê-lo tornado o principal personagem secundário da turminha. :)

      Excluir
    13. Danil, realmente as hqs do Emerson é q salvam um pouco a MSP atualmente, embora acho q as vezes ele viaja demais e não sou muito fã das caretas exageradas em suas hqs.

      Abraços

      Excluir
  8. Essa daí também nunca chegou na minha cidade. Mas,é uma das publicações que ainda vale a pena colecionar. Abraço amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heri, a distribuição da Panini é muito ruim memso para essas edições. No seu caso é melhor comprar na internet. Essa vale a pena sim. Abraços

      Excluir
  9. Sempre gostei das histórias do Pelezinho, mas tive poucas oportunidade de ler na época. Esses resgates valem muito a pena! Aliás, sabe quando sai a coleção história da TM desse mês?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm não acompanhei as hqs do Pelezinho pq não era nascido, mas gostava bastante quando republicavam ou até saía algo novo.

      A Coleção Histórica apesar de ser desse mês, só deve sair no inicio do mês de outubro pq sempre chega atrasada, pelo menos por aqui. No mínimo, final do mês.

      Excluir
  10. Marcos, mais duas perguntas:

    Achas que quando a CHP chegar na história da Bonga que faz menção á Lady Gaga, colocada atualmente (:p), vão republicar assim, colocar uma cantora que esteja no auge, ou republicar o nome original?

    E tens aquela história do Cebolinha em que ele compra um disco de vinil na loja do Louco, e a cada música de filme tocada, ele vai parar dentro do filme? Se sim, quais as músicas que são mencionas?

    Gracias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel, acredito q vão colocar o texto original na CHP. pelo menos é o q a gente espera e essa é a proposta da coleção, assim como aquela hq da "falta de sorte" q pelo certo era "azar'.

      Sobre a hq do Cebolinha com o Louco, eu sei q saiu na revista do Cebolinha nº 55 (Ed. Globo, 1991). Não lembro de cabeça todos os filmes, vou procurar e aí te digo.

      Excluir
  11. Marcos, vc sabe o que significa "tata deixa"?
    Tem uma historia, edição 58, com este nome!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana, só vendo a hq pra eu saber. No momento eu não sei.

      Excluir
    2. Que pena! Minha sobrinha de 17 anos me perguntou, eu puxei pela memória, mas não consegui completar o pensamento.
      Obrigada, gde abç!

      Excluir
    3. De nada, Juliana. E se eu descobrir alguma coisa respondo aqui.

      Excluir