sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Magali: HQ "A garçonete"

Publicada originalmente em Magali nº 107 (Ed. Globo, 1993), a história "A garçonete" mostra as confusões que a Magali arrumou quando trabalhou como garçonete no restaurante da Tia Nena.

Capa de Magali nº 107 (Ed. Globo, 1993)

Começa a Mônica e o Cebolinha saindo às escondidas para conhecer o restaurante que inaugurou no bairro para não esbarrarem com a Magali no meio do caminho e comer toda a comida deles.


Quando chegam, eles chamam o garçom e eis que surge a Magali. Eles não percebem que ela estava trabalhando de garçonete e dão desculpa que não convidou porque não encontraram. Aí ela fala que a Tia Nena abriu um restaurante e está trabalhando no lugar do garçom, que estava doente. Eles ficam sem graça e fazem os seus pedidos. Quando a Magali sai, a Mônica comenta que ela está curada da gulodice trabalhando em um restaurante, mas Cebolinha desconfia que não viria coisa boa por aí. Magali continua a atender os pedidos dos outros fregueses e vai para cozinha.


A partir daí, a ficha cai e ela fica desesperada e fala para a Tia Nena que é muita tortura estar em um restaurante levando comida de um lado pro outro e sem poder comer nada. A tia não leva a sério e manda entregar a sopa da mesa 6. Ela entrega, mas inventa que tem uma mosca e toma a sopa toda do freguês. Ela dá a desculpa a sua tia que o freguês derrubou sopa, e Nena manda para ela entregar também o pedido da mesa 12, que era a da Mônica e do Cebolinha.


Magali entrega os lanches deles, porém faz de conta que o Cascão está chamando na porta e enquanto eles vão conferir, ela come a pizza da Mônica e e se esconde debaixo da mesa. Eles voltam, a Mônica vê que comeram a pizza dela e pensa que foi o Cebolinha. Como castigo, a Mônica pega o beirute dele e ainda dá sermão.


Enquanto ela dá sermão, a Magali pega o beirute debaixo da mesa mesmo e a Mônica fica furiosa. Quando ela vai bater no Cebolinha, eles e todos os fregueses percebem que a garçonete sumiu. Com a gritaria, a Nena aparece e pergunta o que ela estava fazendo debaixo da mesa, que responde que estava caçando barata. Os clientes ouvem e saem todos correndo, reclamam que o restaurante é uma espelunca e ainda deixam tudo revirado.


Com isso, descobrem que foi a Magali que comeu os lanches debaixo da mesa. Ela fica arrependida e sua tia não fica braba e acaba tendo uma ideia para atrair clientela para o restaurante: coloca uma placa dizendo que é o restaurante favorito da Magali, a maior comilona do mundo. Então, o restaurante passa a ficar mais cheio do que era, Mônica e Cebolinha ficam felizes que estão comendo seus lanches e a Magali também , já que agora pode comer tudo o que quiser, afinal como diz a mônica, "ela não tem vocação pra garçonete... e, sim, pra freguesa de restaurante!".


Essa história tem 13 páginas é sensacional e muito engraçada. Traços, roteiro tudo ótimo. As caras que a Magali faz quando está com fome ou devora a comida dos outros sempre dão um toque especial. Como deixam uma garota esfomeada como a Magali trabalhar em um restaurante. Só podia dar confusão mesmo. Até lembra um pouco os episódios do Chaves no restaurante da Dona Florinda. Provavelmente foi inspirado nisso.


Legal o nome do restaurante, "Kitut's". Afinal, como diz a Magali, a sua Tia Nena é a maior quituteira do bairro. E por curiosidade, não tiveram outras histórias da Tia Nena no restaurante, foi apenas nessa. Apesar dela ser excelente cozinheira que faz de tudo, a especialidade dela é preparar doces e bolos.

Infelizmente essa história nunca seria aprovada atualmente, já que trabalho infantil não pode nas histórias atuais. Ao longo da postagem, coloquei a história completa.

28 comentários:

  1. Caramba, Marcos mais outra excelente HQ!!:o

    Nunca tinha lido antes(gostei/desenhos/traços do jeito que gosto nas HQs da turminha também = o que hoje está bem raro com essas HQs com traços fininhos e montagens de computador/feito as pressas - a impressão que passa! :p

    E outra obs importante sua a que tem essa de 'trabalho infantil'.........então se não fosse por você eu não iria ler essa,kkk,até e abraços! :D

    XANDRO > http://blogdoxandro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xandro, os traços atuais são ridículos, parecem carimbo. Antigamente cada hq era com traço diferente e um melhor q o outro. E os dessas hqs são muito bons sim.

      Com certeza, hqs com trabalho infantil é inadmissível nos gibis atuais. Abraços

      Excluir
  2. Muito boa mesmo essa história, que li pela primeira vez um dia desses num almanaque da Magali. Se não me engano é a história de abertura do número 54. Legal mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heri, legal q foi republicada. É muito boa sim, alias todas dela dessa época eram ótimas.

      Excluir
  3. Qualquer dia tomo coragem para ver como andam as histórias na revista da Magali na Panini. Essa revista aí já é de uma época onde eu não lia mais gibis, sequer os via em banca. Boa trama. Gostei principalmente da parte onde a Mônica pensa que o Cebolinha tá agindo de má fé com ela enquanto a Magali fica embaixo da mesa. Ah, ah, ah, ah!

    Abraços.

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os gibis atuais da Magali estão tão ruins como a dos outros personagens, não muda grande coisa. Qualquer coisa compra a edição esse mês de agosto e verá.

      Já os gibis dessa época todos eram bons e essa hq é ótima. Essa parte q vc citou é muito engraçada. Como o Cebolinha sofre... rsrs

      Excluir
    2. Sim, é verdade, Marcos! Mas, o Cebolinha sofre, mas em compensação a Mõnica também sofria muito mais com seus planos que eram bem melhores e suas safadezas. A gente realmente via o que era amizade incondicional.

      Abraços.

      Fabiano Caldeira.

      Excluir
    3. Sim, Fabiano, os planos dele eram muito bons.. e a Mônica acreditava em tudo. Muito legal.

      Excluir
  4. Cara muito legal!!!!
    E eu gosto muito da Magali!!!
    Mas queria tirar uma dúvida em relação aos almanaques temáticos...
    Eles vêm com boas republicações!? Mais antigas ou mais atuais?
    Vi que saiu o da Magali - Fábulas, ou vai sair ainda...
    Sempre ótimos posts da turminha aqui no blog!!!
    Valeu!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dark, eu tbm adoro a Magali. Essa hq é ótima.

      Sobre os Almanaques Temáticos, tem edição q colocam hqs mais antigas, outras mais novas, acho q depende do tema. Normalmente, há uma mistura de hqs antigas e novas.

      Em relação ao Magali Fábulas tá ótimo... eu recomendo comprar. Tá cheio de hqs antigas dos primeiros números da Magali, todas entre 1989 e 1993, antes do nº 100. Só a hq do gato de botas q é do nº 142 de 1994 (q tbm é antiga).

      Tem hqs de abertura da Magali nº 12, 53, 57, 65, 69. Tem até a hq "Branca de fome", de Magali nº 57 (1991). Tá muito bom mesmo. Não vai se arrepender.

      Excluir
  5. Eu adorava essas capas da Magali com piadas alimentícias :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, eu tbm adorava capas assim. Já era uma piada, muito bom.

      Excluir
  6. muitoo bom me seguir sigo de volta
    http://turmadosfeitosas.blogspot.com.br/
    da uma passada la

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mateus, legal seu blog... to seguindo.

      Excluir
  7. Hoje tudo está mudando. Os personagens estão perdendo a idéia do começo e vivendo uma personalidade diferente. O Rolo era hippie e baiano. Depois começou a perder sua barba cheia. Virou paulistano e passou a encarar um universo mais jovem. Agora entrou na faculdade e está cursando jornalismo. Perdeu todo o seu estilo de vestir do começo e agora perdeu toda a barba! Mudou completamente os traços dos olhos do nariz, do corpo inteiro! Que o vê hoje e o vê nos seus primórdios nos quadrinhos, não há de saber nunca que é o mesmo personagem.

    A mesma coisa com o Dudu. Era o vizinho da Magali e sua antiníase. Suas histórias eram todas baseadas em sua falta de apetite. E era divertido. Agora virou o primo da menina. A mãe o larga na casa dela toda tarde porque já não o agüenta. Virou um pertinho mimado. Chato. E a Magali tem que contar, em todo o gibi, uma história diferente para deixar ele distraído. Ora é a da cinderela, ou da capa invisível (sempre parodiada). E o final é sempre previsível. Perdeu toda a graça das histórias, está sempre uma repetição. E o personagem se perdeu tambem. Perdeu suas qualidades e características.

    A Mônica que levantava uma casa com o dedo mindinho, agora tem que se esforçar para erguer uma tábua (passou isso em um gibi) alegando que ela estava pesada. A Magali que comia dez melancias em dez segundos agora se contenta com uma fatiazinha durante a história inteira. E o Maurício dizendo que modificou os personagens para as crianças "não imitá-los em casa". Chegou o fundo do poço. A turma da Mônica acabou.

    Saudades de outros tempos em que não precisava ter lógica para fazer sentido e divertir. Em que o politicamente incorreto dava sempre um gostando de quero mais...

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Uma correção no comentário que fiz acima: o Dudu virou um "pestinha mimado" isso sim!!!

    ResponderExcluir
  10. Gabriel, com certeza tá tudo mudado na Turma da Mônica, toda a essência se perdeu. O Maurício quer seguir a cartilha dos bons costumes, aí dá nisso.

    O visual do Rolo é triste e lamentável. Dudu tbm tá horrível, tá uma espécie de Alvinho da Luluzinha. E os demais personagens, concordo com tudo também. Infelizmente é uma outra turma. Por isso de novos só compro edições especiais e prefiro reler as minhas antigas q ganho mais.

    ResponderExcluir
  11. Essas cenas impossíveis eram propagandas de que eu gostava muito, principalmente quando era crianca. Ficava tremendo para virar a página, e quando via a figura ficava maravilhado e surpreso. "Era uma coisa que não se via todo dia" rsrrs. Eu arrancava elas com muito jeitinho, com um canivete, para não danificar os gibis, e pendurava na parede do meu quarto. Hoje estão todas plastificadas e bem guardadas.

    ResponderExcluir
  12. Gabriel, eu tbm cortava as cenas impossíveis, só q com tesoura mesmo na área pontilhada. Isso nas primeiras vezes, depois via q tava repetindo parei. Não deviam mandar cortar nas cenas.

    Na época eram impossível de acontecer, hj nem tanto assim. Farei uma postagem sobre elas aqui no blog. Abraços

    ResponderExcluir
  13. HQ sensacional, e realmente lembra os episódios do Chaves na espelunca/restaurante da D.Florinda haha
    Aliás, essa história é levemente parecida com uma história também de abertura da Magali onde ela trabalha no restaurante do pobre do Seu Juca. Resumindo tudo ela causa INÚMERAS confusões durante toda a história. É divertidíssima e parece até um "remake" bem modificado dessa aí. Você já leu essa HQ? É inclusive de um gibi um tanto quanto "recente", pois é de 2004!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho q tiveram inspiração nos episódios do restaurante da dona Florinda, lembra mesmo. É muito engraçada.

      Sobre essa do seu Juca não li, parece ser boa. Hqs do seu Juca adorava. Nessa época ele já andava sumido, só aparecia de vez em quando. Até hj é assim.

      Excluir
    2. Olha, Marcos, pra você que não sabe, a HQ que você tá em dúvida se chama Um Restaurante Muito Louco, de Magali # 372 (Globo, 2004), e o enredo é esse mesmo. Seu Juca trabalhando num restaurante, aí vem a turminha só pra lhe encher o saco!

      Sem dúvida ela é muito boa, o único problema são os traços que são um pouquinho feios. Mas nessa época, confesso que ainda gostava dos gibis da turma. Eu já conhecia a HQ pelo gibi original, mas não sei que fim levou meu gibi. Não sei mesmo!

      Mas confesso que as melhores HQs do Seu Juca são desde a época da Ed. Abril. Essas são bem melhores. E você sabe qual foi a estréia dele?

      E até que você tem razão, nesse tempo ele já tava sim esquecido, só aparecia de vez em quando. E eu nem sei se tem mais histórias dele.

      O problema é que não sei se ele já teve histórias na Globo, pra mim ele só teve HQs republicadas nos almanaques. Pelo menos, a única HQ dele da Globo que já li foi Festa Inesquecível, de Cebolinha # 170 (Globo, 2000). Será que você conhece essa HQ ou só lia no portal mesmo? Você também sabe se ele já teve HQs no final dos anos 80 e nos anos 90? Porque pra ele era só republicação.

      Enfim, eu acho que você deveria falar do Seu Juca aqui no blog, e também de várias HQs dele. Claro que é ele mesmo um louco, então você devia falar de uma dessas histórias aqui no blog. Porque sem dúvida, ele é um dos melhores personagens da turma, entende? Abraços!

      Excluir
    3. Nesse periodo de tempo, encontrei esse gibi da magali com a hq Um Restaurante Muito Louco. Logo, a conheço agora e realmente os traços são feios.

      A estreia dele foi em Mônica nº 65 (Ed. Abril, 1975). Eu acho as melhores do seu Juca são da Ed. Abril. Hqs na Globo são poucas q existem e mesmo assim foi a partir de 1996, sem muita regularidade. Aparecia de vez em quando.

      Já a hq Festa inesquecível não li, nem no site. Mas, pelo jeito vc leu a da Magali 372, se não não saberia dos traços feios...

      Excluir
  14. Muito boa a história, Marcos! Eu gosto tanto dela que tenho até o gibi original, mas ela foi republicada no Almanaque da Magali # 54 (Ed. Globo, 2006), o que acho proibido de republicar já que trabalho infantil é proibido nas histórias da turma. Além disso, vi em um dos comentários de um carinha falando da HQ Branca de Fome e os Sete Anões (MG # 57, Ed. Globo, 1991), e eu acho que deve ser uma HQ boa, já que nunca li a história. Mas sei que virou desenho animado. Um dia você me fala dessa história pra mim, por favor? Depois, posso finalmente ver essa história tão esperada (pelo menos pra mim).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo jeito em 2006 ainda aceitavam trabalho infantil nas hqs, ou pelo menos serem permitidas pra republicação. Hj, nem pensar.

      A HQ "Branca de Fome" foi republicada em "Coleção Um Tema Só - Mônica Fábulas # 20 (Ed. Globo, 1998) e agora recentemente no "Almanaque Temático # 27 - Magali Fábulas" (Ed. panini, 2013).

      História sensacional. Quem sabe, vc consiga esse Temático da Magali em algum sebo. Como republicaram recentemente, é melhor esperar mais pra falar sobre ela.

      Excluir