quarta-feira, 17 de abril de 2013

Cascão 50 Anos: Mudanças em Histórias



Eu já tinha feito um comentário aqui sobre a minha opinião da edição "Cascão 50 Anos". Só que eu ainda não tinha lido ainda na ocasião, foram comentários gerais, como eu conhecia a maioria das histórias, achava que eu podia comentar. Eu nem iria mais falar sobre essa edição, mas quando eu estava lendo, vi várias mudanças que eles fizeram em relação às histórias originais. Se fosse em apenas uma história tudo bem, mas foram em 4 histórias. É tanto absurdo que mudaram que eu resolvi falar desses absurdos do livro.

A pior mudança foi na história "Lava o prato, Lava" (CC # 55 - Ed. Abril, 1984). Essa é revoltante. Na trama, Cascão e Cebolinha estavam almoçando e a mãe do Cascão informa que a empregada não foi trabalhar e eles tinham que lavar a louça. Na hora que o Cebolinha fala que o Cascão não quer lavar a louça, a mãe do cascão fala ele que é um bom menino e que nunca se recusaria a ajudá-la. Aí vem o absurdo da mudança. 

Na revista original, ela mostra o chinelo para dizer que o Cascão apanharia se ele ousasse não lavar a louça, e agora em "Cascão 50 Anos" simplesmente redesenharam a cena, tirando o chinelo da mão dela e colocaram no lugar ela apontando o dedo dizendo que ele ficaria uma semana sem jogar videogame. Na outra cena, a mesma coisa: quando o cascão fala que nada vai fazer com que ele mexe na água, eles tiraram ela mostrando o chinelo, redesenhando apenas ela apontando o dedo. como assim?

Imagem original, tirada do Almanacão de Férias nº 12 (Ed. Globo, 1992)
Imagem tirada de "Cascão 50 Anos"
A MSP só apoia agora o politicamente correto, hoje seria inadmissível ter nas histórias crianças apanhando dos pais e ainda mais de chinelo, já que eles não apoiam violência. Isso é até falado na Coleção Histórica. Tem até uma capa do Pelezinho que ele aparece apanhando da mãe na bunda e eles falaram nos comentários q hoje nunca sairia uma capa igual a aquela. Até aceito nas histórias inéditas, mas mudar radicalmente a história em um almanaque é ridículo. E ainda mais em uma edição especial como essa.

Comparando a diferença nas imagens, ficou sem graça a cena da história mudada desse jeito. Eu adoro essa história, é até a melhor dentre as da Editora Abril desse livro, só que republicada desse jeito perdeu o sentido da história. O que é engraçado na cena é ver a mãe mostrando o chinelo para o Cascão, informando que ele vai apanhar se não lavar a louça. É o ponto forte da história e aí mudam do nada. Como os pais não podem bater nos filhos, a MSP vai e mudam o castigo dele de só ficar uma semana sem videogame. Na verdade, o Cascão que eu conheço não se sujeitaria a lavar louça para não ficar sem videogame. Ele nem é fã de jogos eletrônicos, gosta mesmo de futebol e de brinquedos velhos. 

E além disso ainda fico me perguntando: será que faz mal dar umas palmadinhas nas crianças quando elas desobedecem aos pais? É certo não bater quando elas fazem malcriação? É uma discussão séria. Independente disso, se é para mudarem que não republicassem então. Nesse "Cascão 50 Anos", das histórias da Abril só tem histórias de 1984, então se a história tem cena politicamente incorreta, podiam ter colocado outra história no lugar, de preferência de outro ano fora 1984, histórias boas iguais a essa que não faltam.  
Imagem original, tirada do Almanacão de Férias nº12 (Ed. Globo, 1992)
Imagem tirada de "Cascão 50 Anos"
Outra modificação que o livro teve foi na história "O segredo do Cascão" (CC # 60 - Ed. Abril, 1984). Nela, Cebolinha vai á casa do Cascão já que fica intrigado porque o Cascão não foi mais brincar com ele. Lá, cebolinha vê Cascão saindo escondido, resolve segui-lo até uma gruta subterrânea e descobre que ele se encontra com uma namorada secretamente. O que foi mudado na história, foi o pensamento do Cebolinha. Na revista original, ele pensava errado, e na republicação agora colocaram ele pensando certo. Na época ele trocava o "R" pelo "L" até quando pensava. Nos últimos anos, a MSP coloca ele falando certo quando pensa. É que quem tem dislalia como o Cebolinha pensa falando certo e não querem ensinar errado. Então agora toda vez que republicam histórias antigas do Cebolinha falando errado quando está pensando, eles mudam o balão.

Recentemente mesmo trocaram no Almanaque da Mônica nº 33 (Ed. Panini, 2012) na história "Deixe eu ler o seu pensamento?" (MN #32 - Ed. Globo, 1989). Na hora que ele pensa "xi... além de baixinha, 'golducha' e dentuça, a mônica tá 'pilada', também", na revista original de 1989 ele pensa trocando as letras e na republicação da Panini trocaram o texto com ele falando certo. Até nas Tiras Clássicas e nos pockets L&PM eles fazem isso.  Acho uma bobagem isso. O que custava preservar o texto original pelo menos agora em "Cascão 50 Anos"? Ainda mais que nessa história o Cebolinha fica a maior parte pensando. Só na Coleção Histórica que não mudam isso, mas sempre deixando claro nos comentários que nas histórias atuais ele pensa sem trocar as letras. Lamentável.

Imagem original, tirada do Almanaque do Cascão nº 24 (Globo, 1993)
Imagem tirada de "Cascão 50 Anos"
Na história "Reflexo Rápido" (CC# 81 - Ed. Globo, 1990) também houve mudança. Na parte que o garoto brincando de caubói estava com uma arma de brinquedo, eles mudaram ele segurando uma squeeze d'água em vez da arma. Ridículo. É que porque nas histórias atuais, os personagens, em hipótese nenhuma, não usam arma de fogo e nem as de brinquedo são permitidas. E aí nas republicações é tudo modificado e adaptado para os novos padrões do politicamente correto. E, claro, que por causa não teremos mais histórias inéditas e nem republicadas deles brincando de bangue-bangue ou situadas no velho oeste. Lamentável. 
Imagem original de Cascão nº 81 (Ed. Globo, 1990)
Imagem tirada de "Cascão 50 Anos"
E a outra mudança  foi na história "Gibis, pra que te quero" (CC# 78 - Ed. Globo, 1990). Nela, Cascão queria comprar uma bola nova, mas como os pais estavam sem dinheiro, resolve vender seus gibis velhos. Quando o cascão xinga "Droga!" na edição de 1990, eles mudaram agora pra "Puxa!". Mudou muito o sentido. Quando ele fala "Droga!" dá sentido de raiva que os pais não lhe deram dinheiro, e quando fala "Puxa!" dá um tom de lamentação. Além disso, não vejo problema de omitirem a palavra "Droga!", não vi nada demais. Não gostei!

E outra alteração menos importante diante disso tudo, mas para registrar que teve, aconteceu nessa mesma história. Na hora que uma menina pergunta qual o preço dos gibis, eles mudaram de 2 cruzados na original para 2 reais agora. Nas republicações antigas, eles não mudavam preço, mantinham cruzeiro, cruzado, e pelo jeito mudam nas republicações. Antigamente, só mudavam algumas vezes referências a anos, e, mesmo assim, mais nas histórias de Ano Novo, e agora mudam tudo sem mais nem menos.

Imagem original de Cascão nº 78 (Ed. Globo, 1990)
Imagem tirada de "Cascão 50 Anos"
Todas essas modificações acontecem também nos almanaques convencionais,e andam muito frequente isso, já que estão colocando histórias mais antigas. Será que vale a pena republicarem histórias antigas com todas essas adaptações. Eu acho que seria melhor então saber escolher melhor as histórias. Se a história não é politicamente correta para os padrões hoje que não republiquem e deixe apenas na Coleção Histórica. A história "Lava o prato, Lava" foi o pior caso que vi até agora.

Para finalizar a postagem, só constar que erraram na apresentação de capas que o Almanaque do Cascão nº 1 da Globo foi de março/1988. Na verdade o correto foi de março/1987. E de todas as histórias do livro, confirmo que a melhor história da edição foi mesmo a "Final Infeliz" (CC #83 - Ed. Globo, 1990). Originalmente não foi de abertura e curiosamente nem fala de banho, sujeira e afins. Nela, Cascão conta o final dos filmes e seriados para o Cebolinha e ele fica furioso. Sempre dou gargalhadas quando releio essa história. Muito legal. No geral, juntando com os comentários que eu já tinha feito aqui e todas essas mudanças que fizeram, "Cascão 50 Anos" foi uma decepção. "Bidu 50 Anos" o melhor até agora.

Ah, lembrando que as imagens da Editora Abril na postagem eu tirei dos almanaques da Editora Globo em que as histórias foram republicadas porque eu não tenho os originais da Ed. Abril, mas com certeza foram assim que foram publicadas, já que os almanaques da Globo seguiam fielmente o conteúdo das histórias, diferente os da Panini.

42 comentários:

  1. Bom dia! alguns comentários sobre essa excelente postagem:


    "Na verdade, o Cascão que eu conheço não se sujeitaria a lavar louça para não ficar sem videogame. Ele nem é fã de jogos eletrônicos, gosta mesmo de futebol e de brinquedos velhos. "


    Exato! Ainda mais atualmente. A adoração pela sujeira - que antes era filosofal e depois passou a ser traumática - foi um pouco atenuada e colocaram no Cascão o reforço de mostra-los brincando com qualquer coisa simples, usando a imaginação e mostrando que é possível obter diversão sem pagar caro por um brinquedo de última geração. Na verdade, a proposta do personagem é pincela em reaproveitamento de coisas, sejam elas orgânicas ou objetos.

    Gostei da colorização, sem aqueles espaços em branco entre as cores da atmosfea, tão característico de impressões de antigamente. Em compensação, tirar o chinelo foi um erro. Estão fazendo isso na revista do Recruta Zero. Tenho uma aqui onde o cozinhieor Cuca aparece sem o seu tradicional cigarrinho. Uma bobagem desnecessária!

    ResponderExcluir
  2. "E além disso ainda fico me perguntando: será que faz mal dar umas palmadinhas nas crianças quando elas desobedecem aos pais? É certo não bater quando elas fazem malcriação?"


    O Brasil é um país onde os políticos ganham muito bem e simplesmente não querem trabalhar. Então, o que eles fazem? Promulgam leis bobas que, de tão mal feitas, acabam tirando a autonomia dos pais e transformando uma criança em um monstrinho. Aqui onde moro, a falta de umas palmadinhas para colocar limites levou um moleque a prestar um falso testemunho à polícia alegando que sua mãe saía de casa para o trabalho e o largava trancado e sem comida o dia todo - depois, quando ele viu que ia para um abrigo, arrependeu-se e contou a verdade: que só queria se vingar da mãe porque ela retirou seu videogame porque ele não queria mais ir à ecola.

    Dar um palmadinha, uma cinelada, não é espancar. as pesoas parecem de Cristal, qualquer coisa e já se quebram todas. Eu apanhei de cinta várias vezes, já levei beliscões e puxões de orelha de meus pais. Nem por isso eu sou um assassino, psicopata.Eu amo muito eles e hoje em dia eu compreendo como é duro criar um filho.

    ResponderExcluir
  3. E o que mais me irrita são os hipócritas. Tenho uma amiga que sempre diz que não bate em sua filhinha, e faz o maior discurso sobre isso. Só que toda vez que eu a visito, a cada dois ou três meses, vejo ela apanhando o chinelo e gritando com a menina como se ela estivesse a 1 km de distância. Então tá, né?

    ResponderExcluir
  4. Bom, sobre os textos com as palavras erradas do Cebolinha enquanto pensa, simplesmente para mim tanto faz. Só acho que a MSP vem se preocupando demais com cada coisa nada a ver. Chego a pensar que às vezes há um excesso de zelo que acaba deixando as coisas um pouco sem tempero. Quadrinhos não são romances e nem relatos didáticos, onde há neessidade de ser impecável na ortografia e emprego correto das palavras, expressões, vírgulas e acentuações. Quadrinhos nada mais são do que uma arte, um forma de expressão singular que envolve imagem e comunicação. E em muitos casos, uma comunicação tão impecável e vigiada pode não transmitir a comunicação que se pretendia.

    Tenha um bom dia! Obrigado por compartilhar esse conteúdo!

    Abraços.

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
  5. Eu me enrolei um pouco nesse final, sobre a comunicação, mas espero que você tenha entendido.... vou dormir...rsrsrs.... desculpe!

    ResponderExcluir
  6. Marcos,

    por isso te sugeri abrir este espaço. Com seu acervo e sua memória, conseguimos matérias como essa!

    Sobre: "hoje seria inadmissível ter nas histórias crianças apanhando dos pais e ainda mais de chinelo", penso que o MSP vive alienado do restante do mundo, apenas. Cansei de tentar compreender o que acontece ali.

    Sobre: "Na época ele trocava o "R" pelo "L" até quando pensava. Nos últimos anos, a MSP coloca ele falando certo quando pensa.", e isso por pouco tempo, pois, acho, daqui a pouco darão um jeito de corrigir o jeito de falar do Cebolinha, após seu esforço junto a tratamentos fonoaudiológicos etc etc etc...

    Sobre: "E aí nas republicações é tudo modificado e adaptado para os novos padrões do politicamente correto.", bem... Isso é sério! Fazer histórias bobas hj em dia, ok. Já sabemos o que vamos encontrar nas mensais e, por isso, não as compramos. Mas alterar as histórias para os padrões furados do "MSP atual" é uma falcatrua com os leitores mais maduros que compram edições com republicações.

    Fiquei pasmo com esta postagem. A que ponto estão indo nessa psicose? Tô cansado da TM e, francamente, acho que só comprarei, mesmo, a CHTM... Infelizmente, como fã da Turma e pretenso colecionador, fico tentado por edições "especiais" (no formato) como essas dos 50 anos. Como são salteadas, darei uma chance a elas. Mas evitarei comprar almanaques Panini e mensais. Quanto a estas últimas, já havia cortando há tempo (exceto pelo Chico Bento, por questão de apreço ao personagem).

    Parabéns e abraço,

    Kleiton

    ResponderExcluir
  7. Cara... nem sei o que falar. Suas postagens são excelentes! Incrível suas lembranças das histórias! E ainda colocando a imagem dos originais, para não deixar dúvidas! Parabéns mesmo! É triste ver o que ocorre, ainda mais em almanaques "especiais" como este. Você tem informações como estas sobre o almanaque de 50 anos do Cebolinha? Seria interessante sua análise sobre este. Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Fabiano,

    "colocaram no Cascão o reforço de mostra-los brincando com qualquer coisa simples, usando a imaginação e mostrando que é possível obter diversão sem pagar caro por um brinquedo de última geração."

    Isso até tinha nos gibis antigos, inclusive na Abril. Só q era raramente hqs assim. Hj é frequente isso e não gosto das hqs dele com esse foco.

    Sobre palmadas em crianças, é q o governo acha q bater vai traumatizá-las. Tem até a campanha "Não bata, eduque". Acho bobagem. Aí nos gibis tem q se adequar a isso. Só fico puto é mudar nos almanaques. Não republica então. Simples assim. Estragou a história.

    ResponderExcluir
  9. Kleiton,

    "daqui a pouco darão um jeito de corrigir o jeito de falar do Cebolinha, após seu esforço junto a tratamentos fonoaudiológicos etc etc etc..."

    Já fazem isso na terrível TMJ. Ele fala certo lá, só fala errado quando está muito nervoso. Agora, nas convencionais não duvido q aconteça isso qualquer hora dessas. O mesmo para o caipirês do Chico Bento, voltar como era nos anos 70, pq vão implicar q estão ensinando as crianças a ler e escrever errado.

    "alterar as histórias para os padrões furados do "MSP atual" é uma falcatrua com os leitores mais maduros que compram edições com republicações."

    A intenção da postagem era essa, informar o q fazem nos almanaques hj. Concordo com vc, colocar hqs politicamente correta nos gibis novos até aceito, mas mudar nos almanaques pra adaptar aos novos tempos não dá né? Se é pra estragar a hq não republica e pronto. Fizeram isso nessa edição especial, imagina o q fazem nos convencionais e a gente não sabe.

    Sobre as novas, só compro mesmo CHTM, Pelezinho e especiais como Tiras e 50 Anos. Ou seja, tudo envolvendo republicações rsrs. Só essas valem a pena mesmo, ou no seu caso aconselho a comprar antigos em sebos e lojas virtuais, desde q o preço esteja aceitável. Pq comprar gibis novos da MSP e até mesmo almanaques como a gente viu é furada.

    ResponderExcluir
  10. BRS, valeu pelo elogio. Sobre Cebolinha 50 Anos pretendo falar quando der, mas te adianto q teve uma alteração: em uma hq q ele escreve no muro, colocaram uma moldura pra dizer q ele está escrevendo em um cartaz pra não rabiscar o muro. Como sempre fazem nos almanaques com hqs assim pq eles não escrevem mais em muros.

    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Adorei essa matéria, assim como fiquei pasmo ao mesmo tempo com o que andam fazendo na republicação de histórias, acho que a melhor alternativa mesmo é que nem republiquem. Acho o Cascão o personagem que mais se descaracterizou ao longo dos anos, foi perdendo a essência de um personagem que era clássico (a do menino sujinho que não gosta de tomar banho). Pra quem é das antigas ou pra quem quer realmente conhecer o verdadeiro Cascão, o jeito mesmo é recorrer às edições antigas.

    Sobre essas edições especiais que andam sendo lançadas eu não comprei nenhuma, nenhuma mesmo, por causa justamente dessas alterações (que eu não imaginava que eram tão descaradas) e das escolhas das histórias, que pra mim ficaram muito a desejar.

    Queria aproveitar pra parabenizar pelo blog que é muito bom mesmo, sinto que somos praticamente da mesma geração, pois gostamos da mesma fase Globo clássica e tb pra fazer um pedido, uma postagem sobre o Especial Maurício 30 anos, que eu sempre tive vontade de ter e nunca tive mas que penso em comprar brevemente. Abç.

    ResponderExcluir
  12. "Sobre essas edições especiais que andam sendo lançadas eu não comprei nenhuma, nenhuma mesmo, por causa justamente dessas alterações perfumes importados (que eu não imaginava que eram tão descaradas) e das escolhas das histórias, que pra mim ficaram muito a desejar."


    Suas palavras tb são mnihas palavras.

    ResponderExcluir
  13. Eu tinha voltado a comprar as revistas da Turma depois de um longo período, e estou pensando seriamente em parar de comprar os lançamentos em bancas. A MSP tá com uma bundamolice incrível! Vocês sabem dizer se as revistas Disney também estão seguindo esse modelo politicamente correto atualmente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não estão seguindo, Disney continua a velha disney de sempre, até nas revistas convencionais e almanaques as vezes eles colocam a mesma paleta de cores da época, e continuam usando arma, essas coisas etc..... Pelo menos não tem essa frescura da MSP ai.

      Excluir
  14. Mal posso acreditar nessas mudanças sem nexo! Estava pensando em comprar tal edição, mas depois disso... Aliás, se não me falha a memória, possuo grande parte dos quadrinhos incluídos nessa edição comemorativa, então essa censura foi apenas mais uma desculpa.

    Ah, sim. Censura. Lembro das censuras cometidas em várias estórias de Carl Barks por terem sido publicadas na época da ditadura, e nas edições de luxo O Melhor da Disney foram publicadas os originais. Que vergonha a MSP decidir ir pelo caminho avesso, que retrocesso...

    Não tenho acompanhado as mensais da MSP, e com o que tenho lido nem dá vontade. E não me alegro de pensar assim.

    ResponderExcluir
  15. llpsdll, concordo q o Cascão foi o q mais mudou, do q eu vejo ele praticamente só fica consertando brinquedos velhos dos amigos. Lamentável. Os livros 50 Anos compro mais pelo valor histórico mesmo, pq com certeza todas tem histórias a desejar, com exceção do Bidu.

    Obrigado pelo elogio, eu tenho o Maurício 30 Anos e quando der eu faço uma postagem sobre a edição. Abraços

    ResponderExcluir
  16. Bruno, com certeza o q estraga é o politicamente correto, se não tivessem tantas preocupações bobas seria melhor. Não troco meus antigos pelos novos. Quanto a Disney não tenho muito conhecimento, mas parece q tem as suas mudanças, mas não tanto como a MSP, até pq as hqs da Disney são de outros países. Quem acompanha aí pode responder melhor.

    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Danil, vc tem razão. É lamentável a MSP se focar apenas no politicamente correto. Agradam mais a professores e governo. E só.

    ResponderExcluir
  18. A produção Disney também teve mudanças, mas não exatamente sempre batendo em cima do politicamente correto, mas é que a Itália e a Dinamarca meio que mudaram um pouco alguns perfis dos personagens. Alguns traços deles estão tão estilizados que passam um certo infantilismo nonsense (principalmente com o Pateta, Peninha, João Bafo). Em compensação, há grandes aventuras sendo produzidas. Aventuras mesmo, com armas e acontecimentos inesperados. As mudanças da Disney são um pouco diferentes das que ocorrem na MSP. O caso da Disney é o estilo dos personagens, os traços estilizados. O caso da MSP é essa coisa constante de que nada mais pode ser colocado em suas histórias.

    ResponderExcluir
  19. Obrigado pela informação Fabiano. Pelo menos na Disney não tem politicamente correto. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso ai! E também assino as revistas Tio patinhas, zé carioca, mickey e donald. Ainda bem que escolhi assinar a disney pois olha só: imagina assinar um monte de besteira que tá agora??? da turma da monica, eu, só comprando mesmo.

      Excluir
  20. Obrigado. E que bom que a Disney ainda tenta resistir.

    Fico muito triste pelo Cascão, como já falei em outra postagem, ele não ganhou uma homenagem a altura, apenas um almanaque meia-boca com capa dura e formato americano.

    ResponderExcluir
  21. Isso aí Bruno, foi só um almanaque sofisticado, sem história especial e cheio de mudanças em relação ás originais. lamentável.
    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Não concordo nem de longe com alterar as histórias antigas, porém compreendo as pressões que a MSP vem sofrendo, com denúncias ao Ministério Público por parte de ONGs (principalmente a ALANA) e outros órgãos que tais reclamando do uso dos personagens em bolachas recheadas, macarrão instantâneo, bebidas doces (e eu que adorava a groselha da turma da mônica, da Cica lááá no começo dos anos 1980) e - pasmem! - até mesmo do uso da imagem do Cascão na propaganda de uma conhecida marca de verniz para vedação!! A MSP já teve de assinar termos de ajustamento de conduta, responder a processos, contratar advogados e tal, e, nesse contexto, acho que a MSP e a Panini optaram por evitar problemas jurídicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser Paulo, a gente entende isso nas histórias novas. A questão é eles alterar conteúdo das hqs antigas pra adaptar ao politicamente correto. Se a hq não é correta para os padrões atuais, então é só não republicar. Simples assim. E não estragar a hq com alterações sem sentido.

      Abraços

      Excluir
  23. Parabéns pelo excelente trabalho de pesquisa.
    Parabéns pelo magnífico post, sei muito bem o quão é trabalhos fazer!
    Virei fã do blog!

    Esse politicamento correto é uma chatice!
    Não falo deste caso em específico apenas.

    Quantas gerações foram cresceram lendo as maravilhosas antigas aventuras da Turma da Mônica do jeito que eram e nem por isso viramos uma legião de crianças violentas, obesas, sujas ou sei-lá-o-quê!
    Isso é um outro contexto, bem fora dos quadrinhos!

    Sobre a edição:
    Primeiro a edição só é luxuosa no papel 'literalmente', na questão seleção HQs não passa de uma simples almanaque.

    ResponderExcluir
  24. Rivaldo, bem vindo e q bom q gostou do blog. O trabalho maior nem é o texto e sim são as imagens.

    Pois é, o politicamente correto estraga a TM atualmente. Coisas bobas q não fazem sentido nenhum. Uma pena chegar a esse ponto, fazer o q.

    Quanto a essa edição, realmente a Panini tem um acabamento de luxo em suas edições, mas nada adianta se as hqs não atender as expectativas. Cascão tem hqs infinitamente melhores q essas do livro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  25. Gente, eu fiquei sabendo alguma coisa sobre os quadrinhos estarem agora "politicamente corretos" depois de ler postagens como essas (inclusive vi este link nas dicas do blog do Kleiton, em uma postagem em que ele também mencionava o assunto). Eu adoro histórias em quadrinhos, nem sei quantos gibis eu tenho, ainda mais da Turma da Mônica, mas todos são dos anos 80 e 90... de gibis novos quase não comprei nada, então estava bem por fora dessa nova mudança, que, convenhamos, achei revoltante. Eu nunca vi maldade nenhuma nos quadrinhos, até acho que toda criança deve mesmo de vez em quando levar uma chinelada, já que eu e quase todo mundo que conheço levou mesmo quando criança, o que não acarretou em nenhuma sequela negativa. E a verdade, é que o problema hoje está é na cabeça dos leitores, a maioria com a mente poluída encontra maldade em qualquer coisa. Adorei o que tu escreveu sobre o Cascão: "(...)o Cascão que eu conheço não se sujeitaria a lavar louça para não ficar sem videogame. Ele nem é fã de jogos eletrônicos, gosta mesmo de futebol e de brinquedos velhos." Acho que a MSP deveria ler postagens como essa, viu...hehehe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, totalmente ridículo isso. Por isso que nao troco as minhas revistas velhinhas pelas novas. Não dá.

      Com certeza cascão não lavaria louça por causa do videogame. Absurdo. Seria interessante se a MSP visse, quem sabe né? Mas mesmo assim nao mudaria nada, pq o Mauricio acha melhor o politicamente correto.

      Excluir
  26. Sabe, Marcos, esses dias estava conversando com um amigo e ele me disse: "não sei ainda como essas revistas da turma da Mônica resistem diante do politicamente correto já que a personagem principal sofre bullying e resolve as coisas na porrada" kkkkkk que bom que não mudaram isso (ainda)... Não estou dizendo que é certo provocar bullying e muito menos resolver as coisas na violência, mas faz parte da essência dos personagens essas brigas essas coisas... E poxa, crianças brigam! kkkkk Por que em vez de tirarem o chinelo da mão da mãe do cascão não colocam uma nota qualquer dizendo que isso não é aconselhável, sei lá? O que não poderiam é mudar a história como fizeram... isso é mesmo revoltante. Hoje li um almanaque temático do Franjinha (invenções) da Panini e tinha uma nota dizendo que o Bidu não fazia mais xixi no poste auuhauhahauha Embora seja uma nota ridícula - já que sabemos que os cães fazem xixi no poste - pelo menos não modificaram o original. Mas é isso: busquemos boas histórias no sebo e nas edições históricas... comprei as tiras clássicas, mas só li a primeira... vamos ver! bjs, Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natália, essas mudanças nas hqs são ridículas. Já q eles se preocupam com o politicamente correto, acho q certas hqs nao tem q ser republicadas, só na coleção histórica. O q não pode é mudar as hqs desse jeito. E mudar algo em livro especial como esse do Cascão 50 Anos é inaceitável.

      Acho q é nesse almanaque temático do franjinha q tem tbm uma nota q Cascão não brinca mais na lama, ou no lixão, algo assim. Um absurdo isso. Por isso q não compro gibis novos. Bjs

      Excluir
    2. Natália, será que brasileiro é tão burro que tem que ser ensinando o que deve ou não fazer? Pelo amor de Deus, uma revista infantil com nota explicativa sobre o que é ou não aconselhável fazer. Isso é pior do que o politicamente babaca.

      Excluir
    3. Agora eles não colocam notas e já vão mudando tudo q encontra pela frente. Todo almanaque eles modificam alguma coisa em relação aos originais. Ridículo.

      Excluir
  27. Em dez anos quando o GAYZISMO se instalar de vez no Brasil, vão redesenhar as histórias e o Chico Bento em vez de querer namorar só a rosinha vai se tornar bi-sexual e além da Rosinha terá que ir atrás de algum menino, ou então será acusado de heterofilia - um conceito que os gayzistas irão impor como impuseram a tal homofobia. Heterofobia, será, segundo as bichas, um crime de ódio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O politicamente correto irrita mesmo, por isso não compro gibis novos.

      Excluir
    2. E irrita mesmo! Ou seja, os gibis originais e almanaques da Abril e da Globo são bem melhores do que os da Panini, não é?

      Excluir
    3. Muito melhores, sem comparação.

      Excluir
  28. pelo menos colocaram o mlk com alguma coisa que solta água em vez de apontar o dedo e do nada sair água, ja o pensamento do cebolinha eu acho que deviam mudar mesmo nos gibis atuais mas nos almanaques deviam deixar como era

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos almanaques não tinham que mudar nada disso ai. Perde a graça.

      Excluir
    2. concordo, no caso da arma era melhor nunca mais republicar hqs com armas de brinquedo mas o cebolinha dava pra deixar exatamente como era

      Excluir
  29. "Irmão Cascão" e "Campo de Guerra"
    Melhor publicar os dois

    ResponderExcluir