sábado, 11 de abril de 2015

HQ do Astronauta e o desaparecimento da água na Terra

Compartilho uma história do Astronauta em que toda a água do planeta Terra desaparece e o Astronauta tem a missão de recuperar. Foi publicada originalmente por volta de 1983 e que eu li pela primeira vez republicada no 'Almanaque da Mônica Nº 25' (Ed. Globo, 1991).

Capa de 'Almanaque da Mônica Nº 25' (Ed. Globo, 1991)

Com 7 páginas no total, começa com dois alienígenas com corpos de peixes, o Ping e o Pong, estão no espaço à procura de um planeta azul que irá salvar o planeta deles. Ping fala que é para confiar nele, que não está muito longe. Pong fala para o Ping que está pedindo muito em confiar nele. Eles acabam encontrando e realizam a operação X de roubar toda a água do planeta Terra.


Enquanto isso na Terra, em uma praia, dois homens correm para o mar, disputando corrida de quem chegar por último é mulher do padre e aí quando um deles vai mergulhar, cai  na areia e descobre que o mar desapareceu, sem mais nem menos. Todos na praia ficam surpresos com o desaparecimento do mar. 

A notícia se espalha e chega até os ouvidos do presidente da "Brasa" (órgão para o qual o Astronauta trabalha, cuja sigla significa Brasileiros Astronautas), que fala a seu assistente que só uma pessoa no mundo pode ajudá-los. O assistente pergunta se é o Capitão Gay e o presidente responde que é o Astronauta e o manda o assistente enviar uma mensagem para ele, além de ordenar ao guarda que reviste todas as casas para saber se alguém roubou o oceano. 


Naquele instante, o Astronauta surge lá, antes mesmo de passarem mensagem a ele. O assistente pergunta como ele soube, se ainda não havia mandado mensagem e Astronauta responde que assistiu ao "Fantástico" pela TV da nave dele. O presidente pergunta se já sabe se tem ideia de quem estava por trás disso e o Astronauta diz que sabe e vai atrás.

Astronauta pega a nave e vai para o espaço, falando que desconfiou quando cruzou com uma nave com uma bolsa d'água, enquanto mostra a Terra toda marrom, sem água. Astronauta vai atrás da nave e vê que vai a em direção a um planetinha cinzento e descobre que era um planeta aquático e chega bem na hora da condecoração do Ping e do Pong pelos serviços prestados e interrompe a cerimônia, falando que a água pertence ao planeta dele.


O chefe deles manda atacar o Astronauta para não estragar o plano dele. Astronauta consegue dribá-los, prende um deles com uma tarrafa e o outro pesca com uma vara de pescar, deixando suspenso no ar. Só resta ao chefe explicar  a razão de levar a água do planeta Terra. Ele conta que as indústrias do planeta estão poluindo cada vez mais a água deles e resolveu pegar a água da Terra por empréstimo, mesmo não sendo a melhor do universo, e depois devolveria.


Astronauta intervém falando que depois ele devolveria mais poluída ainda. E diz também que depois que a água não servisse mais, roubaria de outro planeta, depois de outro e se tornaria um círculo vicioso. Sugere que em vez disso, não tenta controlar a poluição do planeta e multar as fábricas poluidoras. O alienígena aceita a proposta, prometendo que vai providenciar e pensa na hora que o povo da Terra devem fazer isso.

Com isso, Astronauta sai vitorioso e devolve toda a água da Terra e tudo volta ao normal. Depois da aventura e de tudo resolvido, Astronauta resolve descansar, curtindo uma praia. Quando vai mergulhar, ele fica todo sujo, com direito a pneu enroscado nele e casca de banana na cabeça e Astronauta se pergunta se valeu a pena trazer a água de volta, terminando assim. 


É uma história muito legal e criativa que mexe com a fantasia e imaginação dos leitores, sem deixar de lado uma crítica social acerca do problema da poluição e falta d'água no planeta. Misturando humor inteligente e filosofia, mostra uma conscientização de uma forma divertida para as crianças. Mesmo antiga, continua bem atual e tudo a ver com o momento que passamos com problemas de seca, água insuficiente nas hidrelétricas e medidas de economia de água e luz. 

Os traços maravilhosos, muito bem desenhados. Na postagem a coloquei completa. Achei interessante a parte do ET pensar que o povo da Terra cria medidas eficazes contra a poluição da Terra. Na verdade, é o contrário. O final muito bom também com o Astronauta questionando ao leitor se valeu a pena lutar pela água, permitindo refletir sobre o problema da poluição. 


Tem uma série de absurdos como, além do tema central dos  alienígenas roubarem toda a água da Terra, como também existir outros planetas com água e o mais engraçado de todos foi o Astronauta assistir ao "Fantástico" pela televisão da nave dele. Como consegue ter transmissão do programa de TV da Terra em pleno espaço sideral?  Esses absurdos é que faziam a diferença e as deixavam mais divertida ainda. Afinal, em história em quadrinhos tudo é permitido pra fugir da realidade. Mas, hoje absurdos são evitados. 


Ainda sobre programas de TV, teve referência também ao Capitão Gay, personagem do Jô Soares do programa "Viva o Gordo" que a Globo exibia na época. Tanto Capitão Gay e o "Fantástico" não tiveram seus nomes parodiados. Naquela época, às vezes não parodiavam nomes famosos. Atualmente é obrigatório isso nas histórias novas e se essa fosse republicada novamente, fariam alterações parodiando isso e dessa vez até na "Coleção Histórica" alterariam também,  visto que já mudaram Faustão para Fostão na história "Gato gordo" do Mingau na Coleção Histórica Nº 33 - Magali nº 33. Se bem que para Capitão Gay, acredito que colocariam no lugar "Superomão", "Batmão", "Homem-Aranho" ou outro qualquer para ficar atual.

10 comentários:

  1. Ótima história, e os traços excelentes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa mesmo. e traços ficaram perfeitos, sem dúvida.

      Excluir
  2. Olá, Marcos! Tudo bem? Espero que sim!
    Realmente, os traços são bem legais, bem característicos dos miolos da revista da Mônica já bem depois dos números 120 em diante. Nota-se também que tiveram um capricho nos cenários, tendo cuidado para mostrar mesmo a mobília e a perspectiva da areia da praia.
    Quanto às citações, era um época em que ninguém se preocupava tanto com esse fato. Hoje em dia não é proibido, mas há sim um risco de alguém fazer algum "barulho" a respeito de fazer publicidade no meio da HQ. Uma bobagem, mas compreensível.....

    E haja saco pra colocar toda a água da Terra e mandá-la de volta ao planeta. Eu ri com esse quadrinho.

    Uma boa postagem essa. Valeu por compartilhar!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá tudo bem, Fabiano. Sim, os traços naquela época eram detalhados e caprichados, muito bons de se ver. E hj o pessoal se preocupa com muita bobagem, por isso q prevalece o politicamente correto.

      Eu tbm achei engraçado o Astronauta carregando toda a água da Terra em um saco. Muito legal. Q bom q gostou da postagem. Valeu!

      Excluir
  3. Capitão gay??? kkkk, muito politicamente correto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk... eles eram demais. Criatividade era alta.

      Excluir
  4. Uau que HQ..nunca tinha lido antes e os traços? xD kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sensacional essa hq em tudo. Tempos q não voltam mais.

      Excluir
  5. CAPITÃO GAY? Meu deus... acho que o mauricio não sabia o que é um gay....

    ResponderExcluir