terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Os 10 anos do Bloguinho, Dorinha e Luca


Há 10 anos foram criados os personagens Bloguinho, Dorinha e Luca. Em homenagem, nessa postagem falo sobre eles e suas histórias de estreia.

Os três personagens foram criados na mesma época, no final de 2004, sendo o Bloguinho e a Dorinha estreando em novembro e o Luca, em dezembro daquele ano. Todos surgiram com a intenção de estimular a inclusão digital e social.

Capas de gibis de estreias dos personagens: 'Cebolinha nº 221', 'Mônica Nº 221' e 'Nº 222'.

O Bloguinho foi criado baseado no fato das crianças estavam mais interessadas em tecnologia. Como estavam muito ligadas a assuntos virtuais, como internet, chats, orkut, o Mauricio achou interessante incluir um personagem apaixonado pelo mundo virtual. Surgia assim, o Bloguinho, um garoto aficionado por Internet, com cabelo arrepiado em forma de um arroba, que fica sempre na frente do computador e só fala com expressões utilizadas pelos internautas, o chamado "internetês".

Com isso, o Bloguinho fala "Blz", "Ae", "Nick", em vez de falar "Beleza", "E ai?" e "Nome", por exemplo. Nas suas histórias é muito comum também aparecer emoticons nas suas falas, como " :-) ", " :-( ", etc. Os seus balões, quando está falando algum emoticon, são diferenciados dos outros personagens, sendo retangulares, em vez dos tradicionais cantos arredondados, para dar um ar mais inovador.

O Bloguinho passou a ser o irmão caçula do Teveluisão, que não desgruda por nada da televisão. Por isso a aparência do  Bloguinho ser parecida com ele. Com a criação dele, marcou até a volta do Teveluisão aos gibis que andava sumido na época. O Bloguinho ficou responsável, então, de levar a tecnologia para as histórias, com a intenção de ensinar os emoticons e expressões e se familiarizar com esse universo, e, logicamente, atrair as crianças que estavam acostumadas com o internetês.

Sua história de estreia foi "Internetês", publicada em 'Cebolinha Nº 221', de novembro de 2004, com 11 páginas no total. Nela, o Cebolinha e o Cascão estavam juntos, quando aparece o Bloguinho, falando internetês. O Cebolinha não entende nada o que ele quer dizer e, então, o Cascão e o Bloguinho o ajudam a  compreender. Ao longo da história vão falando várias expressões, como "kkkk" e emoticons, como " [ ] " (abraços), " B:-) " (óculos na cebeça), " :- ( )" (Ooh!), entre outros, e eles vão explicando ao Cebolinha o que significa.

Trecho da HQ "Internetês" ('Cebolinha Nº 221' - 2004)

O Teveluisão aparece mais no final, falando que o Bloguinho é irmão dele e o leva para casa. Cebolinha fica triste que o Bloguinho teve que ir embora porque estava gostando de aprender e então o Cascão ensina mais expressões para ele. No final, alienígenas escondidos falam para cancelar a invasão a Terra porque os humanos já foram dominados e até falam a língua deles.

Trecho da HQ "Internetês" ('Cebolinha Nº 221' - 2004)

A Dorinha foi a primeira personagem  cega da MSP. Foi criada, pensando na vontade do Mauricio de um personagem deficiente visual interagindo com a turma, mostrando uma nova maneira de ver a vida e ensinar que essa deficiência não seja motivo de exclusão social, já que todos os personagens a tratam de igual para igual, sem se importar que ela seja cega.

Ela foi inspirada na filantropa cega Dorina Nowill, que perdeu a visão quando criança e criou uma fundação com seu nome que trata de cegos. Dorinha sempre aparece de óculos escuros, normalmente segurando uma bengala e tem a companhia do seu cachorro labrador chamado Radar, que é o seu cão-guia. Dorinha é muito sensitiva, reconhece seus amigos só pela voz e brinca com eles como qualquer criança. Nas histórias, ela mostra como ouve, sente o cheiro das coisas, apesar das suas limitações, sem se tornar tão didático, mas a maioria das histórias mostra mesmo a Dorinha participando nas histórias como qualquer outro personagem, interagindo normalmente com eles, que até esquecem que ela é cega.

Sua história de estreia foi "Dorinha, a nova amiguinha", de 'Mônica Nº 221', de novembro de 2004, com 15 páginas. Nela, a turma está brincando de cabra-cega e é a vez da Mônica ficar com a venda nos olhos para procurá-los. Eles correm e a Mônica não consegue alcançá-los até que ela se esbarra com um cachorro. Era o Radar, o cachorro da Dorinha, que estava ao seu lado.

Trecho da HQ "Dorinha, a nova amiguinha" ('Mônica Nº 221' - 2004)

Dorinha fala para Mônica que é nova no bairro, o Radar é seu cão-guia e que ela não enxerga. Mônica leva a Dorinha para conhecer seus amigos. Chegando lá, Dorinha diz que já sabia o nome de todos por ouvir bem as vozes e então a Mônica revela que não enxerga. Dorinha diz que não enxerga como eles, mas sente, ouve, cheira e imagina.

A turma chama a Dorinha para brincar com eles, com a Dorinha procurando por eles na cabra-cega e ela fez questão de colocar as vendas nos olhos só pra entrar no clima da brincadeira. Dorinha encontra a Mônica só ao ouvir a risada baixinha atrás da moita; Cascão, pelo cheiro; Magali, pelo cheiro do cachorro-quente que comia; Marina, pelo risco do seu desenho, e o Cebolinha ela consegue pegá-lo quando ele tropeça no Radar.

No final, Marina diz que fez o desenho da paisagem, mas esquece q Dorinha não enxerga. Ela diz que sente, ouve, cheira e imagina e acredita que está lindo, com uma bonita imagem do Sol se pondo e todos reunidos, simbolizando uma bela amizade que estava surgindo.

Tem um lado curioso nessa história é que eles não utilizam os termos "cega" nem "deficiente visual". Dorinha diz apenas que não enxerga. E dá para perceber uns diálogos dos personagens com muitas gírias, já estavam mais diferentes do que era nos anos 90, E eles já não falavam mais a palavra "azar", substituindo a palavra por "zica".

Trecho da HQ "Dorinha, a nova amiguinha" ('Mônica Nº 221' - 2004)

O Luca surgiu, assim, como a Dorinha, no interesse do Mauricio da inclusão social e de ter um deficiente físico interagindo com os personagens, como qualquer pessoa normal. Mostram de vez em quando histórias envolvendo situações de dificuldades de locomoção na rua, mas prevalecem mesmo histórias com ele interagindo e brincando com os personagens, como uma pessoa normal. Luca adora esportes, principalmente basquete, e passou a ser o queridinho das meninas do bairro, que achavam muito bonito e charmoso. Mesmo assim, não impede de participar dos planos infalíveis do Cebolinha contra a Mônica, junto com os outros meninos e apanha da Mônica normalmente.

Foi inspirado no cantor Herbert Vianna, dos Paralamas do Sucesso, que ficara paraplégico em 2001, após um acidente aéreo. Tanto que a ideia era chamar o personagem de  de "Paralaminha", mas no início acharam melhor colocar o nome de "Da Roda", porque sempre estava em cadeira de rodas. Pelo jeito acharam o apelido muito pejorativo e com certa discriminação, e, com isso, resolveram dar o nome de "Luca" para ele e o apelido ficou de lado.

Sua estreia foi na história "Um menino sobre rodas", de Mônica Nº 222', de dezembro de 2004, com 23 páginas no total. Magali comenta com Mônica que um garoto se mudou para o bairro. Magali tira uma foto com a câmera digital debruçado na janela e as duas vão a casa dele. Chegando lá, não tinha ninguém e estranham detalhes na casa, como marcas de rodas no chão do quintal, que pensam que ele anda de skate, bicicleta ou patinete.

Trecho da HQ "Um menino sobre rodas" ('Mônica Nº 222' - 2004)

Elas notam também portas largas e pensam que ele é gigante e obeso, além de uma rampa na porta da entrada e pensam que ele cria cobra. Da Roda aparece do lado de fora do muro e elas se escondem no banheiro. Lá, elas veem pia baixa e privada alta com ferro para segurar. Aí, pensam que são ETs que moram lá. Ficam desesperadas e tentam fugir. Até que ele se aproxima e elas veem que ele é cadeirante.

Da Roda desvenda os mistérios, que tudo foi adaptado na casa por causa da cadeira de rodas e no final, elas adoraram o Da Roda e imaginam como seria namorar um cadeirante.

Assim como a Dorinha, eles não falaram que ele é "cadeirante", "paraplégico" ou "deficiente físico". Os diálogos também mais modernos, em comparação aos anos 90 e interessante a câmera digital ser tratada como uma novidade na época, afinal tinha se popularizado há pouco tempo, até então. Lembrando que essas histórias de estreias da Dorinha e do Luca dá para ler no site oficial da Turma da Mônica. A do Bloguinho, não.

Trecho da HQ "Um menino sobre rodas" ('Mônica Nº 222' - 2004)

Depois dessas histórias continuaram a parecer, sem muitas mudanças em comportamento e tipos de histórias. Dorinha e Luca normalmente continuam sem se da rmal nas histórias. De mais diferente, é que o Bloguinho não fala tanto internetês como no início. Ultimamente, esses 3 personagens não andam aparecendo muito nos gibis, sem dúvida apareciam bem mais e agora andam meio sumidos. Até o momento dessa postagem, a  aparição mais recente foi só da Dorinha em história solo no gibi da 'Mônica Nº 96', de 2014, depois de um bom tempo sem aparecer.

Como podem ver são personagens muito importantes, todos a favor da inclusão digital e social. Para mim, os melhores foram Dorinha e Luca. Pena que mudaram o nome do Luca, gostava mais de Da Roda. O único personagem com deficiência era o Humberto (mudo) e a inclusão deles até que achei uma boa por isso, afinal é imprescindível que todos saibam respeitar os deficientes, sejam eles físicos ou mentais e aprender isso desde criança é uma boa. Só podia ter alguns conflitos com eles e se darem mal no final. Enfim, parabéns pelo aniversário de 10 anos desses personagens!

40 comentários:

  1. Nas últimas vezes que li HQs com o Bloguinho (e não faz pouco tempo não, hein!) os balões, apesar de ainda estarem retangulares, não estavam escritos em internetês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :-( )

      Nem acompanhei a evolução dele, tenho poucas revistas com ele, mas sem o internetês acho q descaracteriza o personagem... ao menos os balões estavam retangulares.

      Excluir
    2. Creio que retiraram o internetês por conta do idiotamente correto, que pode ensinar as crianças á escreverem errado (sendo que todo mundo escreve assim na internet) e o blá blá blá de sempre

      Excluir
    3. Tbm acho. Não duvido nada. Uma pena pq descaracteriza.

      Excluir
  2. Que bacana você ter lembrado, eu não lembrava que eles estavam completando 10 anos.
    Não gosto muito da Dorinha e nem do Bloguinho, acho eles meio sem graça. Prefiro o Luca, acho um bom personagem. Eu prefiro Luca do que Da Roda, acho esse nome meio estranho.
    Ótima postagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, dos 3 tbm acho o luca mais interessante. O Bloguinho é o q menos gosto. Legal a sua opinião de preferir o nome dele Luca. Q bom q gostou da postagem. Valeu!

      Excluir
  3. Se a Dorinha e o Luca tivessem sido criados nos anos 70, 80 ou início dos anos 90, com certeza teriam histórias cômicas e com pessoas se aproveitando da deficiência deles ou alguma trapalhada, assim como tinham com o Humberto. Falando nele, não tenho visto muito ele ultimamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, sim, colocariam os personagens se dando mal, com situações engraçadas q envolvem as suas deficiências, q seriam, críticas com o q acontece na vida real.

      Eu adorava o Humberto se dando mal porque não falava. Realmente, ele tbm anda sumido, infelizmente. Quase não aparece hqs solo do Humberto ou aparece só como figuração, poucas vezes.

      Excluir
    2. Pois é, Marcos! Imagine se o Luca e a Dorinha fossem criados nos anos 60, 70, 80 ou 90. Com certeza, eles seriam igual ao Humberto: Sempre dariam mal nas suas HQs. E claro, assim como as HQs antigas do Humberto, elas seriam politicamente incorretas, porque maltratariam muitos os deficientes. O que você acha? Se eles fossem criados antigamente, eles iriam se dar muito mal, assim como o Humberto? E suas histórias serem incorretas pros dias de hoje? Abraços!

      Excluir
    3. Provavelmente, sim. Abraços

      Excluir
  4. Eu tenho as 3 revistas..mas nossa..como passam rápido!! :o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Xandro. De fato, passou muito rápido. O tempo voa. :)

      Excluir
  5. Eu gosto desses personagens, só não vi ainda uma boa utilidade pra eles. O Luca até já vi algumas historinhas bacanas, mas a Dorinha e o Bloguinho, eu não tive essa oportunidade ainda. Eu quero HQs com eles onde haja acontecimentos comuns a qualquer personagem da turma. Parece que a esses personagens deficientes, dificilmente acontece algo que os coloque em saia justa. Não sei porque. Eles estão sempre sorrindo, felizes com tudo, rodeados pelos migo e a vida parece ser um mar de rosas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, não acontecem nada com eles. Só vi isso com o Luca e mesmo assim nas primeiras hqs dele. Isso por causa do politicamente correto, q não permite q nada de mal aconteça com deficientes...

      Seria bom alguns conflitos, como eram nas hqs antigas do Humberto. Até ele tbm não se dá mais mal no final...

      Abraços

      Excluir
    2. O que esses personagens transmitirão afinal, sem os momentos "difíceis"? Como as pessoas vão se enxergar neles? Isso é muito estranho.... Parece até que o deficiente não pode ser mostrado com dificuldades ou limitações porque vão falar que é discriminação. Isso acaba sendo uma cegueira hipócrita. Eu gosto dos personagens e quem sabe um dia eles começam a ser melhor explorados, assim como aconteceu com a Denise, o Xaveco e alguns outros. Torço para isso.

      Excluir
    3. Isso aí Fabiano, eles não colocam os deficientes se dando mal nas hqs por causa da discriminação. Uma pena. Tbm espero q passem a ser mais explorados de forma melhor o q anda.

      Excluir
  6. Nenhum desses ai tão aparecendo mais :(
    Nem na tm nem na tmj ..nunca gostei do bloguinho..o Luca era legal pq nas historias mostravam a Mônica paquerando ele e se dando mal kk..nao tenho nenhuma dessas revistas mas já as li numa biblioteca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dos 3 o Luca é o melhor. Os outros acho normais, podiam ser dar mal as vezes pra variar um pouco. A Dorinha mesma fica mais como um personagem de apoio participando das hqs com a turma e só.

      Ah eu tava folheando os gibis desse mês, a Dorinha teve uma hq solo em Mônica Nº 96...

      Excluir
  7. Esses personagens acabam sendo desnecessários já que os roteiristas não tem muito o que criar com eles sem violar as normas do hipocritamente correto. Como comentou o Fabiano lá em cima, esses personagens tem o problema de serem "perfeitos": Nunca se irritam, não aborrecem ninguém, não passam constrangimentos... Ao contrário dos personagens clássicos. Já houve até uma personagem com síndrome de down, mas pouco ou não acrescenta nas hqs. Simplesmente não tem carisma. O que esperar de uma personagem que apenas sorri e praticamente só fez figuração?
    A MSP só transmitiria uma mensagem positiva mesmo se mostrassem esses personagens "especiais" interagindo normalmente com os outros e não como crianças que nem parecem humanas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Fábio. A função sempre foi mesmo fazer figuração com os personagens, interagir com os personagens como pessoas normais. Por essa razão q acahava nada mais natural q era pra acontecer coisas com eles, constrangimentos, etc. Infelizmente não é isso q acontece. Vale a intenção e só. Se tivesse conflitos com eles, seria melhor.

      Excluir
    2. O ultimo parágrafo do Fabio se trata perfeitamente do que eu penso e não consegui dizer.

      Excluir
    3. Verdade, ele falou coisa certa. Assino embaixo tbm.

      Excluir
  8. Minha nossa, Marcos! Bloguinho, Dorinha e Luca tão fazendo 10 anos? Meu Deus, acho que eu tô ficando véio!

    E vendo essa postagem, acabei me lembrar uma história: Eu já conhecia esses personagens desde as suas estreias nos gibis. Por isso, eu irei lhe contar uma história bem engraçada e divertida.

    O primeiro desses personagens que eu conheci foi o Bloguinho. É que nessa época, em 2004, eu comprava muitos gibis da Turma. E quando vi a HQ de estreia dele, Internetês, eu sinceramente curti pra valer. E foi bom o Teveluisão aparecer nessa história. Ele tava tão sumido. Pra falar a verdade, a história em si é muito divertida, tirando o fato de que os traços dela vão mudando bizarramente. Eu quando criança não entendia muito o que o Bloguinho falava, sei lá, ele falava mais a língua dos marcianos. É que nesse tempo eu não acessava a Internet tanto assim, nem batia um papo com meus amigos. Mas não importa, pois eu acho uma das HQs que marcaram a minha infância. Infelizmente, eu não tenho mais Cebolinha # 221, porque ele tava todo rasgado e picotado. Quem sabe eu encontro esse gibi de novo.

    Depois, foi a vez de eu conhecer o Luca, um mês depois, em dezembro, em Mônica # 222. E eu gosto tanto dessa história, que os traços dela são a melhor parte. Eu também curtia muito essa HQ, e eu acho que você tem razão. Era muito melhor o nome dele ser Da Roda do que Luca. E você, também acha? E assim como o gibi do Bloguinho, eu também não tenho mais essa revista. Mas tomara que eu a ache de novo.

    Agora, a HQ da Dorinha eu não conhecia, nem tive o gibi Mônica # 221, mas eu acabei conhecendo ela no antigo site da Mônica e achei fenomenal. Muito bonita a história, por sinal, e eu acho hilária a parte em que a Mônica achou que foi Radar, o cão-guia da Dorinha, quem falou, e ela ainda achou que era o Cebolinha. Muito bom!

    E essa foi minha história, bem curta, mas foi meu modo de homenagear os 10 anos desses personagens. Na minha opinião, o melhor personagem é o Bloguinho, porque ele é e fala engraçado ao mesmo tempo, o Luca é o mais interessante e a Dorinha é a mais séria, ou seja, é a que menos curto. E você? Quais desses personagens você acha o melhor?

    Como eu já disse, eu não tenho todos os gibis de estreia dos personagens, quem dera se eu tivesse comprado Mônica # 221 na época de lançamento e quem me dera eu ter cuidado das outras revistas, aí eu teria elas pra sempre. Mas não tem problema, é só você ficar torcendo pra eu procurar esses gibis que dá tudo certo.

    E foi muito bom o novo site da Turma ter essas histórias pra ler online, mas não tem como ler a HQ do Bloguinho. Uma pena!

    E acho que você não sabia que essas histórias foram republicadas, né? Sim, elas foram republicadas. As HQs do Bloguinho e do Luca foram republicadas em 2010, respectivamente no Almanaque do Cebolinha # 23 e Grande Almanaque Turma da Mônica # 7, pelo menos foram republicadas na época certa, já que em 2009/2010, era permitido republicar histórias até 2004. Já a da Dorinha, não sei se foi republicada, mas deve ter sido no Almanaque Temático # 20 - Mônica Amigos Especiais, de 2011, mas se não for, então eu não sei se foi mesmo republicada.

    Mas é isso, e antes de me despedir, fique torcendo pra que eu procure os gibis de 2004, aí eu te conto como foi. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, valeu pelo comentário e informações. O melhor pra mim é o Luca e o q menos curto é o Bloguinho. Abraços

      Excluir
  9. São personagens que não curto. Mas vale sempre a pena investir na criação de mais personagens para diversificar as tramas e, claro, em prol da inclusão social.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, apesar de não acontecer grandes coisas com eles, são importantes participarem nas hqs.

      Excluir
  10. Não gosto de nenhum deles. Acho ridículo aquele arroba no cabelo do Bloguinho e a cadeira ultra-tecnológica do Luca, totalmente fora da realidade. Talvez a Dorinha, que passa uma mensagem legal para quem convive com pessoas com deficiência visual (cegas, como antigamente). Agora eu penso o seguinte: se a leitura do Bloguinho é em internetês, porque o da Dorinha não está em Braille? ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eles não acrescentam nada nas hqs, só participam, aí não vejo nada de mais tbm. Parece q a intenção é só mostrar uma mensagem de que os deficientes podem viver em sociedade normalmente.

      Sobre a Dorinha em braile, acho q pq o público não ia entender direito, mas nada impediria de fazer uma hq com ela ensinando braile para os seus amigos.

      Excluir
  11. As historinhas da Dorinha em Braille foi apenas uma piada, mas a sua ideia de uma hq dela ensinando não seria nada mal. Deveria escrever para o estúdio do Maurício falando disso. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até q não seria ruim uma hq educativa assim. Se for bem elaborada, sem deixar tão piegas seria uma boa. Quem sabe façam algum dia.

      Excluir
  12. Ainda que seja raro como disse, ainda assim o Luca se dá mal em algumas histórias... Lembro de uma da Mônica(do mesmo mês da chinchila do Cebolinha, ele até fala isso no final, acho legal como as histórias se relacionaram) que ela vai a um "encontro" com ele, e acontecem vários desastres, como a cadeira de rodas ejetando e se quebrando, e ele junto com a Mônica descendo o morro em um carrinho de feira e caindo em um lago. Lembro até que no final ele foi para o hospital...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso foi bem nas primeiras hqs dele, quando ainda tinha um pouco de coisas incorretas nos gibis. Essa aí parece q foi na Monica 234, de 2005, na hq "Por que todo mundo vai embora?".

      Mas foram poucas vezes q ele se deu mal e atualmente mais difícil ainda. E a Dorinha, então, muito menos. É muito mais difícil acontecer alguma coisa com ela.

      Excluir
  13. Oi, Marcos. Tudo bem? Eu encontrei o seu blog através de uma pesquisa por uma história específica da Dorinha. Digamos, aquela foi a história que mais mexeu comigo de todas as HQs que eu já li do Maurício de Sousa e considero-a a melhor que eu já vi: eu não lembro o nome dela, mas começa com vários quadrinhos totalmente pretos, e apenas aparece aquele quadrinho do narrador no canto superior esquerdo. Conforme a história avança, aparecem onomatopeias. O último quadrinho mostra a Dorinha indo embora e passa uma mensagem do tipo "tentar perceber o mundo de outra forma", ou "imaginar como as outras pessoas percebem o mundo", algo assim. Eu gostaria de saber se você já viu essa história e poderia me dizer o nome. Anos que procuro já. Obrigado :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por gostar do blog, seja bem vindo. Infelizmente eu não tenho essa história, é boa mesmo. Se for da Globo, jogando por alto, provavelmente seja de um gibi da Mônica de 2005 a 2006, entre os nº 223 a 246. Aí já fica uma dica de vc procurar por esses gibis. Se eu souber de algo eu falo.

      Excluir
  14. Tem uma história que ele quase "morre" (a que já foi mencionada acima)... haushuasha Até fiquei com raiva da Mônica na época, nunca vi uma história em que um personagem se machuca tanto em um só história quanto o Luca nessa, não gostei quando li quando criança, acho que fiquei espantado vendo um quadrinho de alguém (uma criança) numa maca todo enfaixado e depois ainda é esmagado. hasuhasu Ah, não sei se tu já viu, mas no facebook, o icone do Youtube é o Teveluisão, e o Bloguinho era de outra coisa, mas não tô achando mais. Lembro de ler essas revistas pela primeira vez, o Bloguinho, por boas e más razões, fez bastante sucesso na internet na época do orkut, ou pelo menos lembro de uma repercussão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essa dele eu li, até que foi engraçada sim, poucas vezes que ele se deu mal. Não lembro de ícone do youtube e facebook com os personagens, mas lembro do sucesso do Bloguinho no orkut.

      Excluir
    2. Tem certeza? Ele não aparece muito, mas metade das histórias que ele aparece ele se dá mal: é derrubado da cadeira, leva uma bolada na cara, cai de um barranco (já aconteceu em umas 3 histórias acho), é atacado pelo Monicão, é cobaia das invenções do Franjinha que coloca um monte de coisas na cadeira dele e dá errado...

      Excluir
    3. Eu li poucas hqs dele, tiveram outras sim que ele se deu mal, mas não lembro. De certo é a Dorinha quase não se dar mal.

      Excluir