quarta-feira, 16 de abril de 2014

Almanaque Piteco & Horácio N º 11 - Panini


Já nas bancas o novo 'Almanaque Piteco & Horácio nº 11'. Nessa postagem comento um pouco sobre essa edição e também falo um pouco sobre os almanaques dos secundários como um todo e suas curiosidades.

Os personagens secundários têm almanaques regulares desde 2004 ainda na Editora Globo. Em vez de criarem gibis próprios, eles criaram almanaques para atender ao público que sempre desejou que eles tivessem gibis. Na Globo, apenas Tina, Penadinho e Astronauta tinham seus almanaques, encaixados na série "Almanaque da Turma". Eram bimestrais, mas cada personagem acabava sendo lançado semestralmente. 

Naquela época, as numerações não eram independentes e os 3 revezavam na numeração. O Nº 1 foi da Tina, o Nº 2, do Penadinho , o Nº 3 do Astronauta, o Nº 4 da Tina e por aí vai, sempre seguindo essa ordem. Essa coleção foi até o Nº 14, terminando com Penadinho. Curioso é que o primeiro Almanaque do Penadinho, na capa veio "Nº 1", mas devia ter vindo "Nº 2", causando uma certa confusão nos leitores, sendo o erro avisado no 'Almanaque do Astronauta Nº 3'.

Capas dos primeiros 'Almanaque da Turma' da Globo que eu tenho

Quando foram para Panini em 2007, a ideia dos almanaques continuou, só que a partir daí a numeração foi independente e cada um teve o seu "Nº 1" e seguiu cronologicamente. E, aos poucos, as outras turmas também passaram a ter almanaques próprios para atender a todos os gostos, formando duplas, de acordo com temas semelhantes. Em 2008, começou a circular os Almanaques do 'Bidu & Mingau' e em 2009, 'Piteco & Horácio', além de 'Papa-Capim & Turma da Mata' em 2010. O do Louco foi o último a ser lançado em 2011.

Todos esses almanaques são semestrais e tem um pouco menos páginas que os convencionais, com 76 páginas no total e o que é melhor: sem passatempos. E custam menos também que os tradicionais. Enquanto que os da Turma da Mônica custam R$ 4,90, esses custam R$ 3,80, e como não tiveram reajuste de preço, atualmente custam menos que as mensais com lombada de 68 páginas, que custam R$ 3,90.

Eu não costumo comprar almanaques atuais. Quando republicam histórias mais novas não me interessa e as antigas que vem republicando eu tenho as originais e, com isso, sempre ficam de lado. Até hoje os dos 5 principais eu não tenho nenhum da Panini. E esses almanaques da Turma, tenho só do 'Astronauta Nº 12', do 'Papa-Capim & Turma da Mata Nº 5', os 2 primeiros do Louco e 4  do 'Piteco & Horácio', incluindo esse que eu comprei.  

O que me levou a comprar esse 'Almanaque Piteco & Horácio Nº 11' é que tem várias histórias clássicas do Horácio da Editora Abril, coisa rara de republicar nos almanaques atuais. Algumas eu já conhecia nos almanaques da Globo e outras, não. Os do 'Piteco & Horácio' eu já tinha os Nº 1, 2 e 5 porque tinham histórias da Abril. aliás o nº 1 só com histórias da Editora da Abril e o nº 2, apenas 1 do Horácio que foi da Globo 1991 e as demais da fase Abril; e o Nº 5 com a última história do Horácio da Ed. Abril.

Capas dos 'Almanaques Piteco & Horácio' que eu tenho

Esse 'Almanaque Piteco & Horácio nº 11' tem 20 histórias no total, sendo que são 6 do Piteco (incluindo tirinha final) e 14 do Horácio. Normalmente, teriam que alternar as histórias, sendo uma do Piteco e a  seguir uma do Horácio, assim como as dos outros almanaques de duplas. Mas, como as do Horácio a maioria são de 2 páginas, eles colocam várias do Horácio, uma atrás da outra, sendo que ao contar o total de páginas destinadas pra cada personagem, ficou praticamente meio a meio, com 34 páginas destinadas ao Piteco e 33, com Horácio.

A capa ficou muito legal, e ainda mais com a presença do Zum e Bum e da Ogra, que estão sumidos atualmente. O almanaque abre com história do Piteco, "O platô das garotas maravilhosas", publicada originalmente em 'Cebolinha nº 231' (Ed. Globo, 2005), onde há um platô bem alto difícil de ser escalado na aldeia de Lem com a lenda onde há várias mulheres lindas no topo e, com isso, Piteco e Bolota vão lá conferir. Apesar de ser de 2005, até que gostei dessa história. Não a conhecia.

As outras histórias do Piteco seguem com 2 dos anos 90 e 2 dos anos 2000. Eu conhecia as histórias "Isso é evolução" (original de 'Mônica Nº 107', de 1995), em que o Piteco caça um dinossauro para provar que o homem evoluiu,  e "Pai desnaturado" (original de 'Mônica Nº 117', de 1996), em que aparece um filho misterioso para o Piteco. 

Uma coisa boa na história "Isso é evolução" é que não alteraram o prego da clava do Piteco. Atualmente, eles não colocam prego na clava porque além de ensinar errado já que não existia prego na pré-história, ainda era perigoso e machucar. Ou seja, politicamente incorreto. E o bom que não mudaram isso e mantiveram o prego lá. E interessante uma história envolvendo caça de animais, coisa também proibida atualmente, mesmo com uma boa lição de moral no final, como essa. Ponto positivo da edição. Só é uma pena que nas cores não mantiveram o degradê tão bonito e característico das histórias do 2º semestre de 1995. Abaixo, a comparação das 2 revistas:

Comparação: 'Mônica Nº 107 (Ed. Globo, 1995) e 'Almanaque Piteco & Horácio Nº 11'

As 2 histórias dos anos 2000 do Piteco são normais e praticamente mudas, mas nada que estrague. E a tirinha final foi inédita, com presença do Tio Glunc, personagem esquecido pela MSP.

Já as histórias do Horácio são um caso à parte. São quase todas da Editora Abril, apenas a da página 28 que foi publicada em 'Mônica Nº 1' (Ed. Globo, 1987). A maioria são de 2 páginas, mas tem uma de 3 páginas e a última com 6 páginas. Tem história que foi publicada em 'Mônica Nº 143' (Ed. Abril, 1982) na página 58, além de ter uma história protagonizada pelos Napões e o Horácio nem aparece, que foi inédita pra mim. E as histórias das páginas 32 e 46 eu também não conhecia. As outras, sim.

Trecho da história dos Napões

Tem histórias em que não tem balão nas falas dos personagens, apenas um traço direcionado ao personagem para indicar quem está falando. Para ver como são raras e antigas essas histórias. Abaixo, um trecho de uma história da página 20, sem balões. tem outra também assim na página 56.

Trecho de HQ do Horácio sem balões

Em relação às originais, teve um história com o mamute Antão que omitiram o título "Horácio" no inicio de cada página. Foi aproveitada de páginas semanais do jornal "Folha de São Paulo" para os gibis, e em cada página tinha uma piadinha no final, sendo histórias independentes, mas que juntando as 3 partes, formava uma única história. Nas originais em cada inicio de página tinha um "Horácio" e agora tiraram, que dá para perceber que tinha espaço para escrever o título no canto esquerdo. Apenas um detalhe, que não prejudica o conteúdo da história. Abaixo, um trecho com o título "Horácio" omitido da 2ª página:

Trecho com o título "Horácio" omitido

A última história da dinossaura com cauda grande, pé curioso que foi republicada em 'Mônica N 42' (Ed. Globo, 1990), só que na ocasião foi redesenhada e recolorida para adaptar ao número d epáginas que queriam e, com isso, em 1990, a mesma história ficou com 5 páginas em vez de 6. Nesse almanaque atual, eles republicaram a versão da Editora Abril. Abaixo, um trecho comparando as 2 versões:

Comparação: 'Mônica Nº 42' (Ed. Globo, 1990) e 'Almanaque Piteco & Horácio Nº 11'

Como podem ver, esse almanaque vale a pena pelas raridades das histórias, sobretudo as do  Horácio. Tem os seus deslizes, como costumam ter os almanaques atuais, mas dessa vez até que não prejudicou o conteúdo como um todo. Fica a dica. 

39 comentários:

  1. Oi, Marcos! Eu sou um dos poucos leitores (acho) que não gosto do excesso de degradês no miolo das revistas. Quando é um degradê entre cores, até fica legal, mas normalmente o que acontecia era sempre um degradê que terminava em branco. Aquilo dava a impressão de que queriam economizar tinta. Hoje em dia até conseguem colocar um degradê bacana, bem trabalhado (não vi isso na turma da Mônica, mas em outras revistas). Mas, na medida do possível, prefiro cores simples mesmo, chapadas e límpidas. Eu adoraria que as capas das revistas da Panini também tivessem menos efeito de cores. Acaba ficando tudo muito poluído com essa tecnologia de sombra, luz e degradês nas capas. Bom... eu acho que serei o único com essa opinião por aqui.

    Também não gosto desses títulos. Perde-se a oportunidade de fazer bons "mixes" nos almanaques de personagens-chaves, fazendo com que um almanaque da Mônica ou do Cascão fique cansativo de ler porque quase não há "mix" de personagens e, quando há, são historinhas muito xexelentas, que me fazem sentir com dois anos de idade. Essas histórias poderiam ser facilmente remanejadas para compor um bom "mix" nos outros almanaques. Até valorizaria eles.

    Desculpe pelas palavras. Espero não ter te magoado, mas é que sinto a obrigação de compartilhar o que sinto. Tento ser educado para não ferir e nem sempre eu consigo. Eu só quis expressar minha opinião e é claro que eu sei que penso diferente de muitos amigos, portanto, peço desculpas a todos.

    Obrigado por compartilhar! Tudo de bom!

    ABraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar q não magoou não, Fabiano. É sua opinião.

      Acredito q fizeram esses títulos para agradar o público q sempre desejou q os secundários tivessem gibis próprios. E, logicamente pra ganhar um $$$ a mais.

      Eu sou indiferente dessesalmanaques, tanto q raramente compro tbm. Eles podiam eram deixar a revista "Turma da Mônica" só com hqs com secundários (embora até tem mais hqs com eles em vista dos outros gibis)... ou senão colocariam o título "Turma da Mônica Extra" mensal, e aí sim cada mês republicando hqs com um personagem diferente. Seria melhor assim.

      Até q quando tinha o cenário em degradê os desenhos internos ficavam com cores mais fortes. Pena q o Flash aí não deu pra ter a comparação melhor q eu esperava da foto, mas dá pra ter uma ideia.

      Mas degradê em todos os quadrinhos foram só no 2º semestre de 95, Hj até tem degradê, mas são só em alguns quadrinhos. Eu achava bonito, mas cada um tem um gosto pessoal.

      Abraços



      Excluir
  2. Não tenho nenhum desses almanaques, mas penso seriamente em comprar o Almanaque Piteco & Horácio e Bidu & Mingau, nem sei pq nao comprei ainda. Essa última história da dinossaura com cauda grande eu ja li em algum lugar, acredito q em algum almanaque atual de outro personagem. Sempre tive vontade q fizessem um almanaque desses do Xaveco, gostaria q ele tivesse um gibi proprio, gosto das historias dele, mas acredito eu q ele nao tenha tantas historias solo pra atender à demanda de hqs.
    Ótima postagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, já teve um gibi do xaveco, em 2011. claro que não deixei de comprar! infelizmente era reedição de hqs do cebolinha com o xaveco. espumei de raiva quando vi! :-(

      Excluir
    2. André Costa, esse Almanaque Piteco & Horácio ainda está nas bancas e é mais fácil de encontrar. O do Bidu & Mingau costumam sair em janeiro e julho, entao pra conseguir agora só em sebo ou esperar julho.

      Sobre almanaque do Xaveco acho difícil q tenha, e com certeza as hqs seriam dquando ele passou a ter mais destaque e hqs solo... antes disso ele só participava, mas não estrelava hqs, muito raramente.

      Excluir
    3. Lucas, esse gibi foi a Turma da Mônica Extra nº 8 q republica hqs dos personagens. Esse foi até com a Xabéu junto pra dar graça ao fato dele ser secundário.

      Excluir
    4. eu tenho um gibi extra do xaveco, e por curiosidade tem uma história que já virou desenho animado, que se chama: um doente, sua irma e o campeonato de cuspe a distancia

      Excluir
  3. Por enquanto, continuo comprando a revista MÔNICA pra ver se ALGO melhora. por enquanto, o JEREMIAS melhorou, mas vamos ver..... o manfredo ficou com um visual diferente nos gibis atuais, e, por incrível que pareça, ele parece MAIS ANTIGO!(?) não entendi o sentido da mudança. quanto as cores atuais daquela hq do piteco ficou muito.... atual. não sei explicar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q bom q vc tá tirando proveito com o gibi da Mônica. Eu só compro as especiais, aí nem posso comentar nada. Nem reparei a hq do Manfredo, vou folhear de novo nas bancas e ver melhor. O Jeremias eu vi q voltou a ter lábios, menos mal pq é uma coisa q nunca devia ter tirado. Boa leitura.

      Sobre as cores dos almanaques, eles recolorem tudo com os tons atuais q eles gostam, tudo digital. Aí diferenciam das originais de qualquer época. Prefiro as cores originais, mas se mantiver azul onde era azul, vermelho aonde era vermelho já tá bom. tem vezes q eles mudam isso, aí não dá.

      Excluir
  4. Show de bola! Adorei a postagem...apesar de ter apenas um almanaque desses do Penadinho da época da Globo, acho muito show focar reedições nessas turmas que muitas vezes são esquecidas nos gibis atuais. Esse almanaque em especial é muito bom, pois gosto dessas duas turmas pré-históricas.

    Pelo que vc falou, se tratando de Horácio esse gibi é praticamente impecável. Praticamente sem alterações, histórias bem antigas e ainda um conserto com com a história que havia sido alterada nos quadrinhos vindo da forma original. Gostei muito e vou amanhã mesmo procurar esse almanaque nas bancas.
    Ah, que bom que usaram o Tio Glunc em uma tirinha inédita, e Zum e Bum na capa me parece ser um bom sinal.

    Ps: Só me tira uma dúvida. Apesar de ter inúmeros gibis aqui em casa, não tenho NENHUM com história dos Napões (provavelmente os únicos personagens que não tenho nenum tipo de edição de nada). Eles sempre foram assim raríssimos? E hoje em dia, mesmo não comprando muito os gibis, vc consegue perceber a presença deles nas novas HQs ao folhear?
    Abço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse almanaque tá bom, sim. Pequenas alterações como na história do Antão, mas nada que prejudique o conteúdo. Foi uma boa a presença do Tio Glunc na tirinha.

      Sobre os Napões a presença deles eram muito frequente nos anos 70, apareciam algumas vezes nos anos 80 e 90, as vezes em hqs dos anos 70 redesenhadas e adaptadas para a época, estilo dessa da dinossaura com cauda grande. Atualmente, é raro ter hqs novas do Horácio, ainda mais com os Napões rsrs.

      Excluir
  5. Oi Marcos,tudo beleza?
    Raapaz ... gostei muito de saber o conteúdo dessa revista!
    Primeiro vem sempre o cascão,depois a turma do penadinho,e junto com astronauta vem o piteco como os meus preferidos.Por isso acho esses almanaques na medida certa pra mim,já que voltei a colecionar os quadrinhos MSP pouco tempo atrás!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, tudo certo... esses almanaques atendem o gosto de quem só quer ler uma revista com os secundários. Hj todos os núcleos de personagens tem seus almanaques agora, aí é só escolher os q mais agradam. E até q costumam escolher hqs boas com eles. Pra quem gosta, vale a pena, sim.

      Excluir
  6. Eu consegui os números 3,8 e 11 do almanaque turma do penadinho e fiquei bastante satisfeito com as histórias e o precinho camada de 1,50R$ que paguei por eles, mais os 8,00R$ na compra dos clássicos do cinema turma da mônica 8 e 9.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi em sebo né? Fiquei na dúvida as edições dos Clássicos do cinema foram cada um valendo R$ 8,00 ou os 2 juntos?

      Excluir
  7. O almanaque foi em sebo mesmo.Os clássicos do cinema na verdade é um encalhe que uma distribuidora aqui de Fortaleza jogou nas bancas custando 4,00R$ cada.

    Fiz uma busca nas bancas da região onde moro e no centro da cidade procurando por outros números dessa coleção ,mas fora os números 8 e 9 só encontrei o 27 com a história do lanterninha verde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é muito fácil encontrar Clássicos do Cinema em sebos. São edições raras, mesmo nem todas ter uma ótima hq nele. Ate q vc conseguiu esses baratos, mas como vc disse era encalhe e aí é normal mesmo encontrar mais barato.

      Excluir
  8. Vi em varios almanaques que a MSP ta cada vez menos tolerante com nudez entre os meninos da turma, incluindo o chico bento, fazendo mudanças horríveis! Queria uma postagem especial sobre isso, mostrando como eram as hqs antigas que mostravam os meninos pelados sem nenhum pudor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, antigamente eram mais liberais com a nudez das crianças, hj é mais restrito quando não alteram isso nos almanaques. Quando der, falo sobre isso.

      Excluir
    2. Eu tenho um almanaque onde é republicado uma história dele nu.Também quero uma reportagem desse assunto,mostrando inclusive as alterações que eles fazem nos almanaques para não aparecer os personagens pelados.

      Excluir
    3. Valeu, quando der faço a postagem.

      Excluir
  9. Acredito que só não apagaram esse prego porque passou desapercebido.
    Histórias sem balão são raras mesmo!
    Vi esse gibi na banca, mas não o comprei, por mais que goste dos personagens. É que estou evitando mesmo adquirir qualquer publicação MSP que não seja a CHTM.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Acredito que só não apagaram esse prego porque passou desapercebido."

      Eu tbm penso assim, até pq já folheei almanaques q eles tiraram o prego da clava aonde tinha nas originais. Ainda bem q esqueceram dessa vez rsrs.

      Até q esse almanaque tá bom. Eu tbm evito comprar material novo, só comprando raridades ou q me agrada ao folhear.

      Abraços

      Excluir
  10. Dos almanaques secundários tenho 4: 1 do Penadinho, 1 do Astronauta, 1 da Tina e 1 do Louco e não me arrependo de tê-los. Agora, quanto a esse almanaque eu não possuo e, pela postagem parece ser muito legal, tanto pelo fato das histórias mais antigas quanto pela graça que algumas possuem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, vale pelas raridades do Horácio. Até q não tá ruim, são hqs boas.

      Excluir
  11. A MSP agora deu pra escolher histórias recentes para seus almanaques.Eu tenho um almanaque do Astronauta que se inicia com uma história de 2006 e outro da Tina que abre com uma de 2004,agora essa do Piteco de 2005.Eu,hein!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse do Piteco & Horácio até q tiveram hqs de todos os tempos, mas as melhores são do Horácio q foram da Editora Abril. As do Piteco focaram anos 90 (a partir de 1995) e anos 2000.

      Esses almanaques da Turma no geral colocam hqs mais recentes mesmo, de vez em quando algumas dos anos 90. Eu folheei o ultimo recente do Penadinho, a mais velha é de 1996 e a maioria são dos anos 2000, inclusive a de abertura.

      Excluir
  12. Marcos,você que é todo chegado nesse lance de gibis pode me responder duas perguntinhas:

    1-Em qual gibi foi publicado originalmente a história Tá Proibido!,saida recentemente no Almanaque do Cascão 37?

    2-Qual é a história de abertura do Almanaque Bidu e Mingau número 12?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mozer, eu não tenho esses almanaques aí nem dá pra eu saber. Já essa hq do Cascão tbm não conheço ou nao estou lembrando dela originalmente. Se eu lembrar, aviso.

      Excluir
    2. Valeu.Aguardo as informações caso estiver.

      Excluir
  13. Olha, Marcos! Eu até que gostei dessa postagem do Almanaque Piteco e Horácio # 11. E isso me faz lembrar que lá no sebo, eles tão vendendo esse almanaque, e como eu não tenho, eu pretendo ir lá pra comprar, só por causa da postagem. E torce pra que não levem esse almanaque antes de eu voltar lá pra compra-lo. Abraços!

    ResponderExcluir
  14. qual foi a primeira apariçao da xabeu e do pai da magali?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Xabeu foi em Cebolinha nº 160 - Ed. Globo, 2000. Já o pai da Magali aparecia raramente na Ed. Abril, com cada história com traços completamente diferentes. A primeira vez com os traços que estamos acostumados foi na Ed. Abril em Mônica nº 193, de 1986.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  15. na primeira capa, eles querem comer o dinosauro?>

    ResponderExcluir