sábado, 13 de agosto de 2016

Tina: HQ "Emergência! Emergência!"


"Dia dos Pais chegando e então em homenagem mostro uma história com a Tina falando sem parar no telefone para o desespero do seu pai. Com 5 páginas no total, foi publicada em 'Mônica Nº 1' (Ed. Globo, 1987).

Capa de 'Mônica Nº 1' (Ed. Globo, 1987)

Nela, Tina está falando no telefone e o pai dela fica de olho não gostando da filha o tempo todo falando. Ele espera no sofá e vê que fica mais de meia hora no telefone. Quando Tina desliga, ele vai cobrar que aquela era a terceira ligação do dia e pergunta se ela sabe quanto está custando cada ligação.


Tina responde que não falava com sua amiga Clarissa há meses. O pai diz que agora só quer que ela use o telefone em caso de emergência porque o dinheiro dele não é água. Foi só o pai ir à cozinha beber água que Tina volta a telefonar. Ele chama a atenção de novo e Tina diz que é um caso de emergência porque ela tem que passar uma matéria par ao Rolo da prova que ele vai ter. Só que eram 15 páginas de matéria.

O pai, inconformado com isso, vai assistir televisão até ela terminar a conversa. Quando ele volta, Tina ainda está falando no telefone, dando receita de bolo. Ele até pensa que era para o Rolo, mas Tina diz que é pra amiga Lu que recebeu convidados de última hora e e não sabe o que preparar. Enquanto ela ensina como faz o recheio, o pai só fica pensando no dinheiro voando.


Assim que Tina desliga, trata logo de telefonar para o Jaiminho, seu namorado. O pai fica uma fera e pergunta se desde quando namorar por telefone é uma emergência. Tina diz para o pai dar um tempo porque faz 3 dias que ela não fala com o Jaiminho e sente falta dele. Depois de 40 minutos ela acaba de falar com  o namorado e avisa ao pai que acabaram-se os telefonemas de hoje.

O pai reclama que os papinhos dela vai custar uma nota no final do mês e ordena que telefone agora só pra emergência de verdade. Aí, de repente toca a campainha e era o carteiro entregando a conta de telefone. Quando o pai vê que o valor foi um absurdo acaba desmaiando de susto com a conta na mão e só resta a Tina telefonar mais uma vez para telefonista passar para o pronto-socorro para o seu pai porque era uma emergência, terminando assim.


Uma história muito legal com a Tina perturbando seu pai. Mostra uma típica adolescente dos anos 80 que fica horas no telefone, sem se importar com o valor da conta. Hoje em dia se fizessem história assim o veículo seria diferente porque os jovens ficam horas no celular ou na internet, mas de qualquer forma os pais têm gastos com gasto de celular. Na época o telefone era cobrado por pulso, e, não por minutos, aí cada pulso correspondia a um valor. 


Nessa história a Tina tem até uma personalidade meio diferente do que tinha. Normalmente, ela com Pipa, Zecão e Rolo ela servia de conciliadora, era quem resolvia os problemas dos seus amigos. Já nas suas histórias solo ela não era muito certinha e ficava às volta com o seu namorado Jaime ou perturbando o seu pai ou a Vovoca. Naquela época, a Tina não tinha mãe o que eu achava o máximo para diferenciar dos outros personagens. na postagem a coloquei completa.


Os traços seguiram um estilo da época com contornos mais grossos e mais fofinhos, que tinham em algumas histórias da Tina e sua turma. Não foi o estilo padrão, apenas uma variada de traços para não seguir sempre o mesmo tipo de desenho, que variava de acordo com o desenhista, mas mesmo assim respeitando a essência do estilo padrão dos anos 80 da Tina com cabelos curtos até a cintura e de óculos. Hoje em dia o pai da Tina é desenhado magro e agora e se chama Seu Durval, mas na época ele não tinha nome e para seguir como era no texto só o chamei de pai da Tina.

18 comentários:

  1. Puxa, Marcos! Que história genial, hein? Os adolescentes dos anos 80 não tinham jeito mesmo com o telefone! E a postagem ficou perfeita como homenagem ao Dia dos Pais. Meus parabéns!

    Esse gibi da Mônica nº 1 da Globo é um clássico da MSP. Infelizmente, ainda não tenho ele na coleção, mas cheguei a baixá-lo da internet uma vez, e não é que ele é ótimo? Uma história melhor que a outra.

    Por isso, me deseje boa sorte na procura desse gibi. E mais uma vez, parabéns por essa homenagem da data de hoje.

    Um feliz dia dos pais e aquele abração!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Daniel. Essa história é muito bacana sim e homenageia bem o Dia dos Pais.

      Sem dúvida é um clássico esse gibi da Mônica. pelo menos vc já leu baixado na internet. Tomara que vc consiga encontrar nos sebos.

      Feliz Dias dos pais também. Abraços

      Excluir
  2. Fala Marcos! Tudo bom? Curtindo muito aqui seu blog!

    Será que você consegue me ajudar com um assunto? Tenho buscado alguns exemplares que pra mim foram emblemáticos na minha infância e no geral tenho encontrado no mercado livre. Mas tem um que está difícil achar qualquer informação. Trata-ase fo Manual dos Direitos da Criança, que foi publicado lá por 88 ou 89. Você sabe onde posso encontrar um exemplar pra comprar ou ao menos copiar?

    Obrigado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Bruno, que bom que gostou do blog. Não conheço essa edição, a mais parecida que lembro é o institucional Estatuto da Criança e do Adolescente que teve várias reimpressões. Desse Manual dos Direitos da Criança não consegui achar nem capa, nem sei como é capa. Uma forma de encontrar é também no site Estante Virtual. Se eu encontrar algo te aviso.

      Excluir
    2. Bruno Serroni, estava vendo aqui, o manual que vc fala deve esse aqui do link que mostro embaixo. Na verdade, é de 1979, mas talvez tenha tido reimpressões. Vi que tá vendendo no Mercado Livre esse, custando entre 25 a 50 reais. Confere aí a capa no link se é esse mesmo.

      http://manuaisdisney.tripod.com/imagelib/sitebuilder/misc/show_image.html?linkedwidth=300&linkpath=http://manuaisdisney.tripod.com/sitebuildercontent/sitebuilderpictures/manualdamonica.jpg&target=tlx_new&title=Manual%20da%20M%C3%B4nica

      Excluir
    3. Teve reimpressão sim, em 1985, pela Editora Nova Cultural. O de 1979 é da Editora Abril. Aqui a capa do manual da Editora Cultural:

      http://manuaisdisney.tripod.com/imagelib/sitebuilder/misc/show_image.html?linkedwidth=300&linkpath=http://manuaisdisney.tripod.com/sitebuildercontent/sitebuilderpictures/.pond/manualdamonica-nc.jpg.w300h444.jpg&target=tlx_new&title=Manual%20da%20M%C3%B4nica

      Excluir
  3. Marcos, conheço essa história publicada em outro lugar. São histórias como estas, em que se trata de Telefone, que vemos como os tempos mudaram. Quem tem dez anos hoje jamais saberá como é essa situação. Hoje em dia os pais se irritam com os filhos que não saem do celular. Antigamente os pais se irritam porque os filhos não saíam do telefone fixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Capaz de vc ter lido em algum almanaque. Sem dúvida mudou mesmo, tem gente que nem usa mais telefone fixo. Se fizessem história assim hoje em dia mudariam para celular sem dúvida.

      Se bem que acho impublicável pelo fato da Tina estar desobedecendo o pai e dando prejuízo a ele, iriam implicar que iam influenciar as crianças a fazerem o mesmo.

      Excluir
    2. Essa história foi publicada no Almanaque Turma da Tina nº 20,da editora Panini.Quando eu li a história,logo lembrei desse post.Mas o ruim é que a Panini está republcando hqs de outros almanaques da própria Panini.Por exemplo,a história de abertura desse Almanaque já foi republicado no almanaque 6 ou 7 (não lembro qual era) da Tina

      Excluir
    3. Sim, eu vi, foi uma grande coincidência. Se eu soubesse não tinha postado agora. E essa história aqui da postagem já saiu em outros almanaques da Tina.

      Anda muito repeteco os almanaques dela, as histórias dos primeiros números da Globo já foram todas re-republicadas em almanaques da Tina. Podiam colocar histórias da Ed. Abril pra mudar isso como fizeram com o do Louco.

      Excluir
  4. Ih, Marcos...sou da época do telefone por minutos hahaah
    Como assim, cobrança por pulso? Como funcionava?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk. era uma tabela a cada pulso custava um preço elaborado pela operadora. Quanto mais pulsos, mais cara ficava a conta. Semelhante quando a internet era discada. Não sei se era mais vantajoso do que cobra rpor minutos em questão de preço, mas pelo menos com minuto vc controla o tempo melhor.

      Excluir
    2. é que não entendi o que exatamente era esse pulso

      Excluir
    3. Era mais ou menos assim. :)

      Excluir
  5. Nesta capa da MÔnica iria ser censurada. por causa que mostra os coelhos como armas ... -_- triste

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, cada coisa que eles se preocupam

      Excluir
  6. "Tina com cabelos curtos até a cintura", Marcos? KKKKKKKKKKKKKK! De acordo com esse e outros desenhos até mais recentes, seus cabelos eram relativamente curtos, com caimento até os ombros. Até aí, sim... Se as pontas dos cabelos de qualquer pessoa estiverem caindo abaixo dos seus ombros, logicamente eles não são mais curtos, são longos... E ainda mais se chegarem até a cintura! (E os cabelos da Tina atual são mais longos, tanto que em algumas histórias ela aparece com eles presos, sugerindo que está praticando algum esporte ou simplesmente se trata de história de verão.) Se bem que, numa aula de teatro na minha cidade, o professor disse que temos três cinturas no corpo: esta que conhecemos, na divisa do tronco com os quadris; outra mais acima, entre as costelas e o umbigo (até onde chegam os cós das calças femininas de "cintura alta"); e o próprio pescoço também é considerado cintura (e as pontas dos cabelos da Tina ficavam por aí).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis dizer que eram mais curtos que hoje em dia

      Excluir