sábado, 16 de janeiro de 2016

Saiba Mais Nº 100: Estúdio de HQ


Nessa postagem comento sobre a "Saiba Mais Nº 100", uma edição especial mostrando o estúdio da MSP e como faz as histórias hoje em dia.

Quando as revistas chegam ao "Nº 100" se tornam especiais pelo valor histórico do título alcançar essa marca. Como foi lançada em agosto de 2007, diferente das mensais principais que foram lançadas em janeiro daquele ano, a "Saiba Mais" só chegou a essa marca agora em dezembro de 2015 enquanto que os outros "Nº 100" foram em abril de 2015. Não sou de comprar "Saiba Mais", não gosto de histórias didáticas, mas comprei dessa vez por ser a "Nº 100". Antes dessa, só comprei a "Nº 60 sobre o Pelé" para ter a edição 'Pelezinho Número Zero' que veio de brinde; e as comemorativas "Nº 75 - Mônica 50 Anos" e a "Nº 82 - Magali 50 Anos".

A distribuição desse título que é horrorosa demais, não chega em todos os lugares. Aqui até a "Nº 82" vinha normalmente, depois começou a vir irregular, as vezes chegando e outras, nem sombra. Essa "Nº 100" é original de dezembro de 2015 não chegou aqui nas bancas, encontrei por acaso no início de janeiro de 2016 em uma livraria que só tinha 2 exemplares vendendo.

Edições Nº 60, 75 e 82 que eu tenho

Essa edição "Nº 100" segue o estilo das anteriores, com uma história, 4 páginas de passatempos e um jogo de montar. Os passatempos são relacionados ao conteúdo que foi falado na história e o jogo é um Bidu para recortar e montar.

A história, com 20 páginas no total, não faz referência em nenhum momento sobre a edição "Nº 100" da "Saiba Mais", mas fala que a história foi produzida para essa revista. Só na capa que deram um destaque maior ao número. Para ter algo comemorativo e aproveitando o aniversário de 80 anos do Mauricio de Sousa em 27 de outubro de 2015 fizeram essa edição. Na trama, Cebolinha leva um menino para conhecer o Mauricio de Sousa e o estúdio e ele conhece um pouco da carreira do Mauricio e como faz as histórias em quadrinhos mostrado por uma guia do estúdio, não mostrando qual nome dela. Também não falaram o nome do menino. 

Em relação a carreira do Mauricio foi falado brevemente em 2 páginas, afinal o foco era falar sobre como faz as histórias no estúdio. Deu para ver que tudo é digital agora e a edição serve para atualizar o que foi mostrado em livros como "Mônica 40 Anos" e outras histórias desse estilo que era tudo manual. Desenhos, arte-final, letras, tudo agora são feitos pelo computador. Eles não utilizam mais papel no estúdio nem para os desenhos. Apenas os roteiristas que fazem os rascunhos dos roteiros em papel. Recurso adotado oficialmente em 2013, já que nos "Extras" do livro "Ouro da Casa" de 2012, boa parte ainda era manual, inclusive as letras. Apenas as cores eram digitais e estavam começando a colocar traços digitais em algumas histórias.

Uma página de "Saiba Mais Nº 100 - Estúdio de HQ"

Na história dessa "Saiba Mais" procuraram intensificar as vantagens do material digital em relação ao manual, fazendo questão de dizer que o digital agiliza tempo e o trabalho dos profissionais, economiza papel, etc. E que o conteúdo das histórias e estilos de desenhos tem que seguir a "Filosofia Mauricio".  Algumas páginas tiveram fundo colorido em vez de branco para não dar contraste com as imagens dos roteiros mostrados que não foram coloridas.

Ela mostra crédito de roteirista, desenhista e arte-final na 1ª página, assim como estão fazendo nos gibis convencionais. Até pensava que a "Saiba Mais" não mostrava créditos na história por ainda não ter chegado ao "Nº 100". Sendo que no final do expediente ao lado da tirinha, mostra a ficha completa, mostrando todos os créditos de quem trabalhou nessa edição. Gibis com história única mostram os créditos da própria edição. Só achei não tinha necessidade de um "R" no rodapé para entender que o Cebolinha troca as letras, quando ele diz que troca os "eles" pelo "L". E podiam ter falado os nomes dos profissionais parodiados que contracenaram com o Cebolinha e o menino.

Depois da história e das 4 páginas de passatempos, tem 1 página de curiosidades que não foram mostradas na história, ressaltando, dentre outras coisas, que alguns profissionais ainda fazem desenhos e arte-final a mão. E mostra uma seção "Galeria do estúdio" mostrando uma cena do Astronauta com todas as etapas de uma história: roteiro, desenho, arte-final, letras, retículas e cor.

Uma página de "Saiba Mais Nº 100 - Estúdio de HQ"

Então, essa edição não está ruim, dá para se atualizar como faz as histórias hoje em dia, tudo com tecnologia. De fato, o digital ganha praticidade, mas sem dúvida perde em beleza, tudo fica sem vida, completamente sem arte, personagens com mesmas expressões. Acho que perde em tudo assim se tornando uma máquina de quadrinhos. Se conseguir encontrar vendendo esse exemplar, levando em conta essa péssima distribuição, e se quiser saber como os profissionais fazem agora as histórias da MSP vale a pena conferir. 

Diferente das 6 mensais principais da Panini, que tiveram suas numerações reiniciadas depois das edições "Nº 100", a partir de janeiro de 2016 a "Saiba Mais" não vai reiniciar a numeração, continuando normalmente na próxima edição "Nº 101", "Nº 102" e assim por diante, até resolveram cancelar. Lembrando que esse título tem distribuição muito irregular, poucas bancas vendem e como muitos títulos da MSP foram cancelados, não duvido que esse seria também. O que seria uma pena porque é um título didático que serve para crianças fazerem pesquisas escolares e sendo cancelado, provavelmente voltariam a ter histórias didáticas nos gibis convencionais.

24 comentários:

  1. Pra ser sincero, nunca vi nenhuma edição destas aqui na cidade de Curitiba. Se veio, foi tão pouco que ou venderam tudo ou recolheram. Queria essa do Pelé também, mas por causa da número zero do Pelezinho. Não gosto de futebol, mas gostava das histórias do Pelezinho, vai entender, né? Muito legal a postagem.Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, que bom q gostou. Aqui também não chegou nas bancas, encontrei na livraria Saraiva por acaso. Tem vezes que vem, outras não, uma bagunça. mais um motivo de grandes chances da Saiba Mais ser cancelada, quando a distribuição não é boa, não indo em todos os lugares é sinal que pode cancelar.

      A número zero do Pelezinho depois veio de brinde também no gibi do Cebolinha nº 75 de 2013. O que é bom que agora vc só pode comprar em sebo a do Pelezinho zero sem precisar levar nem a Saiba Mais nem Cebolinha 75.

      Excluir
  2. Entendo o fato de quererem usar a tecnologia para agilizar a produção de histórias mas entendo também que a tecnologia deveria ser usada a favor da história, não como "copiar e colar" como ocorre... tem personagens que aparecem com o rosto igual praticamente nas histórias inteiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, usam a mesma expressão pra tudo. Quando estão com raiva é a mesma cara, quando estão rindo, etc, aí fica difícil. Fica horroroso assim.

      Excluir
  3. Sabe,usar o Flash só é bom em tirinhas/hqs de internet.Imprimir o desenho feito no Flash não é bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, os desenhos ficam muito estranhos, sem graça. Não é bom mesmo.

      Excluir
    2. Pelo andar da carruagem, não duvido que os quadrinhos (não só da TM) se tornem predominantemente digitais.
      E não é ruim, na verdade se torna até mais acessível. Por exemplo, uma pessoa que lê quadrinhos da TM online pra aprender português, pois em seu país não se publica os gibis.

      Excluir
    3. Por outro lado, acho que a TM precisa se reinventar em vários aspectos, se quiser continuar a vender e que os leitores se identifiquem com os personagens (isto dá audiência). Algumas coisas das histórias são incompatíveis com a realidade atual, por exemplo famílias totalmente padronizadas: Pai, mãe, Personagem, Irmã(o) do Personagem, um pet e casarão com quintal. Levando em conta que hoje em dia os casais preferem ter um filho só e boa parte das crianças são de apartamento (o que reduz a possibilidade de ter um pet) ou com pais divorciados, acho que elas se veem distanciadas dos personagens. Ou pior, acham que há algo de errado por não ser uma "criança padrão".
      Se os personagens esquecidos não sobreviveram a esta época, foi porque eles já tiveram sua vez. A dentuça do coelhinho e o cara de cabelo azul sobreviveram porque se atualizaram aos poucos. Claro que eu acho o politicamente correto algo tonto e estou longe de ser ativista de qualquer coisa, mas fazer todos os personagens na mesma fórmula "pai-mãe-pet-casarão" é meio atrofiante pra criatividade. Por que não inovar?

      Excluir
    4. Para leitura online até pode servir esse material digital, mas para gibis impressos acho estranho, fica sem arte nenhuma.

      Todos os personagens principais tem bichos agora, até a Mônica q não tinha, tem o Monicão. Também eles tem pais e mães definidos, o que mudava era a Tina que não tinha mãe, mas passou a ter nos anos 2000 e o xaveco passou a ter pais divorciados também nos anos 2000, mas não exploram mais isso nas hqs.

      Até q a maioria dos personagens são filhos únicos e realmente personagens só morando em casas com quintal, ruas com grama, diferem da realidade atual e pode ser que isso um dia não atraia novos leitores. A única coisa boa do gibi do Neymar era isso que ele morava em apartamento, isso diferenciava dos outros personagens. Não sei se crianças daqui 10 anos vão se interessar em ler gibis.

      Excluir
    5. Apesar das gerações estarem cada vez mais conectadas e cada vez menos leitoras, não descarto a possibilidade de surgir outro(a) desenhista cujos quadrinhos vão desbancar (ou ser adversário à altura) os quadrinhos da MSP.

      Excluir
    6. Verdade, pode acontecer isso sim. :)

      Excluir
  4. Eu nao cheguei a ler essa edicao pq nao chegou onde moro, mas considerando que tenho a monica 40 anos so de ver a capa dessa saiba mais me bateu a descrença... na 40 anos teve aquela abertura genial de agente secreto xD

    Eu estava querendo faar sobre o visua genérico de personagens de aparicaparição unica mesmo, que nem o menino dessq historinha... parece um Marcelinho com paleta diferente

    E por falar em Marcelinho... queria saber o que vc acha desse personagem. ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, essa edição chegou em poucos lugares, é raro de achar. Aqui mesmo não chegou em bancas. Esqueça tudo que você leu em Mônica 40 Anos, hoje eles fazem as histórias completamente diferente do que estava naquele livro. Só os roteiros que são feitos a mão, com raras exceções de alguns desenhistas.

      Concordo que personagens novos agora ficam tudo padronizados, o que muda é o cabelo , o jeito de vestir e só. O Marcelinho acho nada demais, até pela característica de mostrar o politicamente correto. Não é a toa, que era para ele se chamar "Marcelinho, o certinho". Tem boatos que algum dia ele vai aparecer nos gibis atuais. Vamos aguardar.

      Excluir
  5. Oi, Marcos! Esses desenhos digitais da turma da Mônica em gibis me incomodam. Também me incomoda o fato das histórias serem muito mais do mesmo. Não falo exatamente do tema, mas os diálogos, as falas, as situações chegam a ser entediantes. As expressões não condizem com as falas e infelizmente ficou tudo muito padronizado. Não sei que futuro terá uma empresa onde os desenhistas não gostam mais de desenhar e defendem as caras e corpos pré fabricados para serem inseridos quantas vezes eles quiserem no maior estilo "copia e cola". Faz muitos meses que não compro uma mensal. Quando compro algo, acaba sendo algum almanaque.
    As revistas antigamente eram mais simples, porém, melhores.

    Um abraço!

    Fabiano Caldeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São horrorosos esses desenhos, só servem para facilitar o trabalho do estúdio. Pior de tudo são as expressões, que ficam tudo do mesmo jeito, principalmente quando estão com raiva. Eu tbm acho mais jogo comprar almanaques hoje em dia, apesar das alterações que fazem em relação as originais.

      Excluir
  6. Não vai zerar a numeração não. O #101 tá previsto pra esse mês:

    http://www.planetagibi.com.br/2016/01/checklist-mauricio-de-sousa-panini.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Embora ali, diz no final do texto "2ª série". dando a entender que teria reiniciamento. Não sei se foi erro de digitação. Pode ser. Como não divulgaram a capa, na verdade nem sei se esse título vai continuar realmente. Vamos aguardar.

      Excluir
    2. Desculpa interromper, mas a Saiba Mais teve 2 séries, uma na Globo, e, agora, na Panini.

      Segundo informações q recebi, Saiba Mais vai seguir sua numeração normal.

      Excluir
    3. É que na Globo o nome era "Você sabia?". Independente disso o formato era o mesmo.

      E interessante que vão seguir numeração normal. Não dá pra entender porque reiniciaram as mensais sem necessidade.

      Excluir
  7. Embora não goste, aprendi a 'conviver' com os desenhos digitais depois que voltei a colecionar em 2015. Mas a qualidade das HQs ainda me deixa com um pé atrás, embora, desde q reiniciou, deu uma melhorada.
    Adorei a postagem. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em tempo: Cascão #6 teve uma tirinha de expediente feita à mão.

      Excluir
    2. Legal q vc gostou. Alguns trabalhos são feitos manualmente, como essa edição mostrou na seção de curiosidades. Mas, é difícil acontecer.

      Excluir
  8. Oi, Marcos! Muito legal o post! Comprei nesta semana esse Saiba Mais e gostei bastante! Senti como se estivesse na MSP novamente!
    Abraço! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, essa edição tá legal, realmente é como se a gente estivesse na MSP. Abraço

      Excluir