sexta-feira, 22 de maio de 2015

Edições Nº 1 da Editora Panini - 2015


Nas bancas as edições "Nº 1" de maio de 2015 da Editora Panini. Sim, depois das edições "Nº 100", eles resolveram reiniciar a numeração na mesma editora. Nessa postagem comento como foram essas novas edições da Panini.

Normalmente, a MSP reiniciava a numeração a cada troca de editora para informar uma nova coleção pela outra editora. Aconteceu isso em 1987 quando mudaram da Ed. Abril para Globo e em 2007 quando mudaram da Globo para Panini. Mas reiniciar numeração na mesma editora foi a primeira vez. Fizeram isso, em acordo com a Panini, explicando, segundo eles, que é para as novas gerações sempre ter uma edição "Nº 1" e não ficar traumatizada porque nunca teve uma "Nº 1" na coleção. Tipo, quem nasceu em 2007 e está curtindo os gibis hoje, não teria o gosto de ter uma "Nº 1" na coleção e, reiniciando tudo, agora é possível. Com isso, a partir de agora todo título que chegar ao "Nº 100" vai voltar ao "Nº 1" por causa dessa finalidade. Lógico que também estratégia da editora para incentivar as compras, já que se essas fossem as "Nº 101" ninguém daria bola e voltando ao "Nº 1" tem venda maior e repercussão. 

Junto com os 6 títulos principais, o gibi 'Neymar Jr.' também teve sua numeração reiniciada, após a "Nº 24", para seguir o estilo das outras revistas mensais, e também os títulos em inglês e em espanhol (agora renomeadas para 'Monica and Friends' e 'Monica Y Sus Amigos', respectivamente) também estão no "Nº 1", para ficar com a mesma numeração do título "Turma da Mônica" que tem o mesmo conteúdo das revistas em inglês e espanhol.

As capas das edições "Nº 1" da Panini (2ª série)

Para diferenciar da outra coleção iniciada em 2007, fizeram algumas pequenas mudanças no layout dos gibis. Nas capas, o logotipo ficou maior, ocupando toda a largura dos gibis, como era nas antigas e os personagens agora ficam meio que escondidos atrás do logotipo em vez do lado. Essas imagens foram tiradas de revistas recentes da 1ª série da Panini e podem mudar de vez em quando em edições e datas especiais.

Ainda nas capas, colocaram número, preço, logotipo da Editora Panini e Mauricio de Sousa Editora,  código de barras, endereço do site, título das histórias, tudo em baixo para dar mais espaço para apresentar a arte na capa. E a assinatura do Mauricio agora sempre vai aparecer no canto superior direito, em cima do logotipo. Mas as capas continuarão a ser com referência às histórias de abertura, com muitas cores, brilhos, sombras, movimentos e tudo mais. É que infelizmente o Mauricio e os roteiristas não gostam e não querem capas com piadinhas, querendo dar prioridade ao conteúdo. Por isso não veremos mais capas com piadinhas muito criativas como eram nos gibis das editoras Abril e Globo. 

Nem essas consideradas "Nº 1" tiveram capas com desenhos bonitos como foram as outras das Editoras Abril e Globo. Acho que pelo menos as "Nº 1" não devia fazer referência às histórias de abertura porque assim fica parecendo uma edição qualquer. Do jeito que ficaram em nada lembra que são gibis de primeira edição. Outros detalhes são que o tipo de papel das capas estão mais brilhosas em relação à coleção anterior, com um pouco de verniz e a lombada nos gibis da Mônica vão ter o seu logotipo oficial com sua numeração. 

No miolo, a diferença foi que mudaram o layout das páginas de seções de correspondências e passatempos. Agora, a seção "Correio" tem espaço para mais mensagens e fotos das crianças, com média de 18 mensagens para gibis da 'Mônica' e 'Turma da Mônica' (2 páginas reservadas para a seção) e de 8 nos demais gibis (1 página reservada). O que já estava ruim, conseguiram piorar, parecendo de fato um mural de fotos ou álbum de figurinhas. Saudades do tempo que nas cartas tinha interação com os leitores, as crianças davam sugestões de histórias e melhorias para os gibis, o pessoal do estúdio respondia as cartinhas, tinha o "Troca-Troca", etc. E seria visualmente melhor que os personagens na frente do computador no topo da seção fossem coloridos e não todo branco como ficaram.

"Correio da Mônica": seção de correspondências com novo layout 

Já nos passatempos o fundo agora é colorido e aparece um personagem no lado esquerdo do título "Passatempo". Nesse mês colocaram Marina no gibi da Mônica; Piteco, nos do Cebolinha e do Chico Bento; e Dudu, nos do Cascão, da Magali e da Turma da Mônica. Depois de mais de 30 anos com o mesmo layout, agora mudaram. Nem nas mudanças entre Ed. Abril para Globo e da Globo para Panini eles não tinham mudado o layout.

Passatempo com novo layout, tirado do gibi da 'Magali Nº 1'

Outra mudança são nas tirinhas no final do expediente que não vão mais colocar o logotipo do personagem em cima. O logotipo vai aparecer em cima dos créditos no expediente. Não gostei disso. Era muito melhor um logotipo no alto. Assim como ficou fica parecendo uma história sem título. Até em tiras de jornais aparece o nome do personagem. Se não quisessem colocar o logotipo, podiam, então, colocar o nome do personagem com outra fonte, como eram nas tirinhas dos gibis da Editora Abril e nas da Magali na Editora Globo. Aliás, ficaria até melhor do que o logotipo oficial.

E outra mudança, a mais importante e a única que realmente valeu a pena, é que a a partir de agora vão ter créditos com nomes de roteiristas, desenhista e arte-finalista nas histórias, como deve ser. Já tava na hora isso de valorizar os artistas da MSP. Algumas histórias dessas edições tiveram. O Mauricio nunca quis colocar os créditos porque falava que não tinha espaço para colocar uma ficha completa com todos os envolvidos em cada história. Mas a gente não queria uma ficha completa, apenas mesmo quem escreveu e desenhou para ter uma noção do estilo de cada artista. Enfim, Mauricio finalmente cedeu e tomara que todas as histórias tenham créditos logo. É que por enquanto vai ser de forma gradual, até que todas as histórias tenham créditos. Acho que até em 2016 todas terão.

Trecho da HQ "O apanhador de sonhos": com créditos na 1ª página

Em todas as edições dessa "Nº 1" tem um editorial escrito pelo editor-chefe da Panini, Érico Rodrigo Rosa, explicando isso de reiniciar numeração para que as novas gerações tenham sempre a "Nº 1" na coleção. Esses editoriais eram escritos pelo Mauricio nas trocas das editoras em 1987 e 2007 e agora, não. E colocaram na página 2 no lugar de uma propaganda ao invés da página 3. Nessa página de editorial ainda informa sobre o código "QR" que aparece estampado nas capas, que é pra fazer cadastro no site do aplicativo "Caixa de Quadrinhos" para smartphones e tablets, para baixar gibis antigos através dele. E tem um endereço de e-mail para que o público mande para eles a sua história com o Mauricio que pode ser aproveitada para alguma publicação.

Propaganda que circula nos gibis

Fora esses pequenos detalhes que serviram mesmo só para diferenciar da outra coleção, o nível de conteúdo das histórias continua a mesma coisa, com roteiros tudo iguais, muito politicamente correto, traços e letras horrorosos de PC, excesso de caretas, etc. Em comum, notei que foram poucas histórias com personagens secundários, dando mais foco à turminha. A seguir comento um pouco sobre cada revista. Os títulos coloquei na ordem que eu li.

Mônica - "Em busca do gibi Nº 1" - Mônica e Cebolinha vão a ilha mágica com os gibis mais raros do mundo para a Mônica conseguir o exemplar do gibi "Nº 1" da Vaquinha Blau Blau que o Monicão rasgou.

Achei uma história normal, típica do Emerson Abreu, com excesso de caretas e movimentos, privilegiando mais as tiradas dos personagens do que o roteiro em si. A história toda com enquadramento 4 quadrinhos por página, dando impressão que a história é grande. Ela tem 38 páginas, mas se fosse com enquadramento normal, teria bem menos páginas. Até dá para rir com algumas tiradas, como a Mônica dizendo que não tinha nascido em 2004, quando o Cebolinha fala que o Xaveco ganhou um submarino na história "Barraco entre famílias" ('Cebolinha Nº 211' - Globo), mas no geral não vi nada de mais, fora algumas tiradas.

Trecho da HQ "Em busca do gibi Nº 1" : caretas excessivas

Foi o único gibi com capa que tem a ver com "Nº 1", mesmo fazendo referência à história de abertura. Como o tema da história foi sobre gibi "Nº 1" mesmo não sendo gibi da Mônica, ajudou para isso também. Essa história foi a única com créditos nesse gibi.

O gibi teve 7 histórias no total, incluindo a tirinha, sendo que as com secundários só com a Turma do Penadinho , mais especificamente com o Lobisomem. Na última história "O submarino amarelo" teve participação dos Bitous (Beatles) no final. 

Cebolinha - "O "Apanhador de sonhos" - Escrita por Edson Itaborahy, Cascão chacoalha o apanhador de sonhos do Cebolinha que ganhou de um índio e os pesadelos do Cebolinha vão parar no mundo real.

Com 18 páginas no total, até que gostei do roteiro. Gostei da parte do Cebolinha e Cascão se escondendo na lata de lixo, já que atualmente, eles não entram mais na lata de lixo. Talvez até passou despercebido pelo Mauricio. O que estragou foram os traços ruins digitais, muitos olhos redondos esbugalhados. Para ter uma ideia, em uma página o garoto desenhado igual e cenário de casa e árvore iguais, tudo nas mesmas posições, só mudando cores, bem ao estilo "copiar" e "colar". Péssimo.

Trecho da HQ "O apanhador de sonhos"

O gibi teve 11 histórias no total, com tirinha, maioria focadas com a dupla Cebolinha e Cascão. Além de abertura, a história do Anjinho, "Asas, para que te quero", também tem créditos e a gente sabe que também foi escrita por Edson Itaborahy, por exemplo. Histórias com personagens secundários foram com Penadinho, Rolo, Anjinho (apesar do Cebolinha e a turma aparecerem nela) e Chico Bento (com traços de PC horrorosos, por sinal e título também digital com um "Turma do Chico Bento" com o logotipo atual, que estraga ainda mais).

Magali - "Será que ela é?" - Escrita por Edson Itaborahy, Cebolinha e Cascão pensam que a Magali é uma bruxa por causa de suas atitudes estranhas.

Essa história teve 19 páginas, mais um caso com roteiro legal, mas com traços feios, cheio de olhos redondos esbugalhados.  Só não gostei de fazer ligação à Turma da Mônica Jovem. Muitos roteiros da turma agora tem uma certa ligação com as histórias da Turma da Mônica Jovem e acho que não devia misturar os universos.

Apesar da capa não fazer referência, mas se trata mais uma vez de história de aniversário da Magali. O tema aniversário não é o foco principal dessa vez, mas está presente como segundo plano. Como é obrigação todo mês ter história de aniversário dos personagens nos seus respectivos meses, então todo mês de maio tem que ter uma de abertura de aniversário da Magali nos gibis dela. Dessa vez coincidiu com a sua edição "Nº 1".

Trecho da HQ "Será que ela é?"

O gibi teve 8 histórias no total, sendo as dos secundários com Pipa e Penadinho. Apenas a de abertura teve créditos. Além da de abertura, outras duas histórias envolveram aniversário: "Desejo atendido", de 1 página. e a última, "Um ou outro", sendo que foi aniversário do Dudu, com a Magali tentando não comer os doces que precisava embalar ao ajudar a Dona cecília.

Cascão - "O porcozila" - Escrita por Paulo Back, Chovinista é sequestrado por engano pelos seres do esgoto do Capitão Feio e o porquinho acaba virando um monstro gigante tipo Godzila, quando entra em contato com o lixo radioativo do esgoto.

Não gosto da característica do Chovinista querendo limpar tudo. Antigamente, ele era sujo e adorava sujeira como o seu dono e agora só quer limpar tudo que encontra, mudando completamente o personagem. Atualmente, só o Cascão que ainda é sujo, mas mesmo assim só foge do banho, sem mostrar se sujando nem fazendo apologia á sujeira como era. Nessa história também não gostei do Cascão mexendo com mangueira, coisa que era impossível de ver nas antigas. Com 20 páginas no total, até que os traços dessa vez foram bons, apesar de algumas caretas e olhos esbugalhados que insistem em colocar.

Trecho da HQ "O porcozila"

O gibi teve 9 histórias no total, sendo as dos secundários com Do Contra e Bidu. Nenhuma história dessa edição do Cascão teve créditos, nem a de abertura. Os traços das histórias muito ruins, como de costume, sendo que "O Tubarão" foi a que teve piores desenhos.

Uma pena o logotipo do Cascão na capa vão continuar colocando as sujeirinhas coloridas em vez de ser pretas que nem o contorno. Dessa vez deu para visualizar porque o fundo foi claro, mas quando o logotipo é amarelo, vermelho e azul, por exemplo, fica imperceptível enxergar as sujeirinhas. Não dá para entender por que não colocam as sujeirinhas pretas como eram nos gibis da Editora Abril e Globo. Se pelo menos continuar a conseguir visualizá-las, menos mal.

Chico Bento - "Dia de gincana" - Mostra uma gincana na escola do Chico, dividida em equipes amarela e vermelha.

Com 13 páginas, tem um ar educativo e voltada ao politicamente correto, ensinando reciclagem. Os traços dessa história ficaram terríveis, muito mal desenhadas, com Chico com nariz esquisito, aí junta as letras de PC, piora mais ainda. Aliás, o gibi inteiro com traços péssimos e decadentes, dessa vez foi o gibi com piores traços do mês. Até os do Cascão ficaram com desenhos pouco melhores que o do Chico Bento.

Trecho da HQ "Dia de gincana"

Esse gibi teve 10 histórias, com secundários da Turma da Mata e Piteco. Esta do Piteco, inclusive, a única história grande envolvendo secundários dentre todas as revistas do mês. Senti falta mais uma vez de história do Papa-Capim no gibi do Chico, coisa que era tão comum. Aliás, Papa-Capim não teve história em nenhum gibi desse mês.

Só 2 histórias tiveram créditos, sendo que a de abertura, não. "O assombrado" e a última "O ovo ou a galinha? Eis as questão" foram as que tiveram, com roteiros de André Simas e Gerson Teixeira, respectivamente. Na última, acho que ficaria melhor que fosse adaptada com a Vó Dita contando a história das galinhas espaciais, em vez de ser do próprio Chico.

Tudo indica que o logotipo na capa vai continuar sem a sombra embaixo do nome. Dava um efeito legal e simplesmente tiraram quando foram para a Panini, sem mais nem menos. Uma pena.

Turma da Mônica - "Cascão, o novo dono da rua!" - Mônica, cansada dos planos infalíveis, decide tornar o Cebolinha o novo dono na rua, mas, para sua surpresa, acaba o Cascão se tornando  o dono porque ele precisou viajar no dia da posse.

Essa história teve 10 páginas total. O roteiro não gostei muito, ficou estranho a Mônica querer dar a rua, sem mais nem menos, só para eles não fazerem mais planos infalíveis contra ela. Pior mesmo foram os traços e letras, que ficaram terríveis, bem deprimentes.

Esse gibi teve 9 histórias no total, só a última, "Nas últimas" teve créditos, com roteiro do Edson Itaborahy. Histórias de secundários da Tina e do Piteco. Nas da Marina e do Anjinho a turminha aparece. Aliás, a personagem Marina sem graça, como sempre, muito fraca essa história dela, "Tá faltando o quê?".

Trecho da HQ "Cascão, o novo dono da rua!"

O frontispício na página 3 fazendo chamada para a história de abertura continua, herdado da Revista Parque da Mônica e que continuou mesmo depois que a revista deixou de ser Parque da Mônica. Na seção "Correio da Turma", o personagem quem aparece no alto em frente ao computador é o Bloguinho. Continua com 2 páginas reservadas para a seção de correspondências e 1 pagina para passatempos.

Na capa, o personagem ao lado do logotipo foi o Bidu. Ficou estranho, seria melhor o quarteto principal ou o Mauricio. Tenho a impressão que a cada mês o personagem estampado vai ser diferente. Vamos aguardar.

Como o Parque da Mônica vai reinaugurar em breve, pensava que esse gibi seria cancelado para ter a volta da revista "Parque da Mônica". Caso voltem a produzir histórias do Parque, creio que a revista terá um sub-título "Uma aventura no Parque" ou similar, para que, se caso o Parque voltar a fechar, o título se manter até a nova "Nº 100".

Para constar, não comprei as revistas em Inglês e Espanhol porque têm o mesmo conteúdo de "Turma da Mônica". Nas capas só muda a cor do findo e os personagens ao lado dos logotipos, que até que ficarma bacanas. E o gibi "Neymar Jr", que também voltou ao "Nº 1", também não comprei e esse nem pretendo porque não dá. É fraco demais até folheando nas bancas. Abaixo, as capas:

Capas "Nº 1" de 'Turma da Mônica', 'Monica and Friends' e 'Mónica Y sus amigos'
Capa de 'Neymar Jr. Nº 1' (2ª série)

Essas edições "Nº 1", então, achei todas normais, não vi nada de mais nelas a ponto de ser considerar algo excelente ou um recomeço em alto estilo. Os mesmos tipos de roteiros fracos, voltados ao politicamente correto, desenhos digitais sem vida, letras horrorosas também de PC, etc. As de abertura se saíram melhor. Foram como uma edição qualquer, como se fossem as "Nº 101" da Panini, só com mudanças no layout de capas e seções de correspondências e de passatempos. Nem as capas não lembram nada que são "Nº 1". Não precisava reiniciar numeração para mudar layout, podiam fazer essas mudanças em qualquer número e seguir as revistas com o "Nº 101" normalmente.

Acho uma bobagem reiniciar numeração só para as crianças não ficarem tristes porque não tiveram uma "Nº 1" comprada em banca na infância e estratégia de aumentar as vendas por causa disso. Preferia que as revistas tivessem números altos como são na Disney até hoje. Seria melhor ver 'Mônica Nº 547', 'Cebolinha Nº 515', 'Chico Bento' e 'Cascão Nº 682' (ambos), 'Magali Nº 504', 'Turma da Mônica Nº 101' e 'Neymar Jr. Nº 25', os verdadeiros números que são essas edições, contando desde que começaram. 

Enfim, nesse mês ficaram abaixo das minhas expectativas e eu não tenho esperança que melhorem um dia. A tendência é continuar tudo do jeito que está ou piorar para ficar a favor do politicamente correto. O ideal é se contentar com as antigas, sempre.

49 comentários:

  1. Justo a HQ do tubarao foi a que mais curti.
    Kkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkkkk

    Sempre bom ler o que você escreve. Afinal, o que seria do amarelo se todo mundo gostasse do azul e do vermelho, não e mesmo?

    Estou rindo aqui... Rsrsrs.. Abraços. Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um tem o seu gosto pessoal. Eu não vi nada de mais no roteiro da hq "O Tubarão" e os traços ficaram péssimos. Mas é questão de gosto. Bom q vc gostou das revistas, aí não foi dinheiro perdido. Tudo de bom. Abraços

      Excluir
    2. Eu gostei da historia principal do Chico :v

      Excluir
  2. Pra mim o que tem de mais horroroso eles não eliminam que é o excesso de caretas feias e sem a menor graça. A história de abertura da Mônica achei legal, porém achei que os desenhos do oceano poderiam ter sido melhor trabalhados. Fora as caretas que só servem para piorar a situação. De que adianta tantas imagens e excessos de informações na capa se por dentro é tudo meio sem graça? Podiam caprichar mais não? Acabo recebendo essas revistas porque tenho uma assinatura que já está paga e que não vou renovar de modo nenhum. Já doei quase todas. Desse jeito vão ter que reiniciar a contagem mais vezes se quiserem continuar vendendo. ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podiam caprichar muito mesmo, principalmente tirar as caretas sem graça. Concordo com vc q as capas são chamativas, mas quando vai ver por dentro não atende às expectativas.

      É, se já pagou tem q receber mesmo a assinatura. Aí é só não renovar depois e comprar uma ou outra em banca quando for especial. Só acho q vc podia vender em vez de doar.

      Excluir
    2. tinha achado uma hq que o pai do xaveco (ou o seu cebola), o xaveco e o cebolinha vão pra um sitio, e é da globo e tem essas caretas.
      Eita.

      Excluir
    3. essas caretas são horrorosas

      Excluir
  3. Como sempre, um ótimo post! Bom... é triste ver os traços, incluindo estes olhos esbugalhados, dá nervoso! Tenho que comentar a edição 100 de Turma da Mônica... eu senti vergonha alheia ao ler a revista. Eu quase parei no meio da primeira história. Eles nos entopem demais com esta Marina... as histórias ficam vergonhosas demais. Uma pena. Mas, as crianças menores devem gostar, só isso justifica este nível de roteiro. No mais... as edições 1 continuam a mesma coisa, infelizmente. Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q bom q gostou do post. Valeu. Eu tbm odeio esses olhos esbugalhados, nada a ver isso e estraga os traços. Nas nº 100 a Marina apareceu muito mesmo, principalmente em "Turma da Mônica" com 3 hqs dela.

      Nos roteiros até concordo com eles, q em primeiro lugar tem q agradar as crianças, q são o público alvo. Mas uma pequena melhoria nos traços e as letras voltarem a ser feitas á mão ajudaria bastante.

      Excluir
  4. O logotipo do Passatempo antigo era mais divertido, cada letra com uma cor e estampa diferente. Se é para deixar tudo digital, poderiam apenas redesenhá-lo no computador.
    Nas últimas revistas que li 2012-13, já passava direto a seção de cartas. Agora é tudo na linha "Amo [personagem fulano]" e fim. Parece que o objetivo é só ter a foto ali.
    Mas me pergunto se não vai haver confusão quando ficar reiniciando. Supondo uma pessoa em 2050 procurando pela revista Mônica n°3.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm gostava do logotipo antigo dos passatempos. Mas nos últimos tempos ficava com raiva q os passatempos tinham letras feitas a mão e nas hqs não.

      Eu tbm fiquei pensando nisso da confusão em procura de sebos, quando soube q iam reiniciar. E não precisaria ser em 2050 pra isso, já meados do ano q vem já podia rolar confusão. Uma pessoa desavisada pode comprar uma nº 3 sem folhear pensando que é de 2007 e quando vai ver é de 2015.

      Mas talvez não aconteça tanto pq o personagem q aparece ao lado do logotipo são diferentes. Isso faz diferenciar. Aí só por causa disso, só mesmo quem está começando a colecionar q pode fazer essa confusão no início.

      Excluir
  5. Marcos, algumas observações. Na revista do Cebolinha, se vc reparar melhor, dá pra ver que o garoto, a casa e a árvore não estão desenhado igual. Há algumas diferenças em cada quadrinho. Reveja lá e perceberá que são traços feitos a mão.

    Outra coisa: A revista TM #1 está atrasadíssima, ainda não chegou em lugar nenhum, nem em SP. Até Clássicos do Cinema chegou antes. A revista do Parque deve voltar em junho ou julho, porque no site de assinaturas da Panini consta como "Parque da Monica" e não "Turma da Monica".

    No geral, achei bem legal as revistas desse mês. A maioria foi feita a mão, ao contrário do que estávamos vendo. Se vc der uma olhada de novo, vai perceber. Acredito que teve mudanças significativas sim.

    Nos Almanaques, teve uma HQ que ficou horrível depois que alteraram. Foi no Almanaque do Cascão #51, na história "O chupa-cabra", que na original o personagem aparece segurando uma arma na história inteira, mas dessa vez, apagaram e o personagem fica segurando o ar. Ficou esquisito.

    Enfim, ótima análise. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matheus, apesar de serem feitos à mão, achei a hq mal desenhada. Naquelas cenas especificamente foram pouquíssimos detalhes q mudaram e as posições praticamente as mesmas. Eles podiam pelo menos no garoto colocar os braços em posições diferentes ou chupar o pirulito pra dizer q se movimentou de alguma forma. Ficou imóvel o tempo todo q o Cebolinha e Cascão conversavam. Mas o roteiro dessa foi legal, só desenho q não.

      Realmente Turma da Mônica atrasou muito, aqui tbm nem sombra. Fica um mistério no nome da revista quando o Parque reinaugurar. Eles podem colocar um subtítulo do Parque em baixo como era... ou renomear como Parque da Mônica, mas aí a numeração fica o mistério se vai ser nº 1 ou continuar com a numeração de Turma da Mônica. O mais certo era já ter começado com o título Parque da Mônica desde agora, mesmo o Parque ainda não inaugurado. Vamos aguardar.

      Não reparei nessa hq do ACC # 51, vou ver melhor. Outra q mudaram nesse almanaque foi na de abertura q mudaram o gato revirando uma "lata" em vez de "lixo". pelo menos não alteraram o Cascão dentro da lama no final. Isso aí é outra coisa q deviam fazer de mudar as hqs nos almanaques a favor do politicamente correto. Ou deixam como era ou não republiquem nunca mais determinadas hqs.

      Valeu pelo elogio. Abraços

      Excluir
  6. Oi Marcos, eu gostei destas revistas de nº 1, acho que as mudanças começaram discretamente a aparecer. Parabéns pela postagem. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal q as revistas te agradaram, Paulo. Para mim, foi tudo normal para os padrões atuais. Questão de gosto. Só o tempo vai dizer se vão acontecer mudanças positivas. Acho ainda cedo. Abraço

      Excluir
  7. Eu acho que sou um dos unicos que gostam de referencias com a TMJ,pô ja reclamavam que no começo os personagens não tinha ligação mas agora que tem ficam de mimimi, e é ate bom porque as historias ficam boas,ou acharam ruins e se acharam vocês não veem graça em nada :v

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E TMJ esta bem mais agradavel de se ler os personagens tão mais caracterizados e não tem frescura de mãe mimada reclamando

      Excluir
  8. No fim, a do Neymar foi boa, melhor que as últimas. Nela, a salva-vidas na verdade queria apenas capturar os animais e ganhar bastante dinheiro, mas é desmascarada por seu namorado, Neymar e sua irmã. O legal é que agora sempre há bastante ligações com histórias anteriores, com personagens como Gabo Garboso e o pinguim de uma edição. Isso no Neymar está fantástico.

    As outras edições nº1 estão bem boas, especialmente da Mônica. Do Cebolinha e Cascão também gostei bastante; da Magali, foi muito legal, só achei que o final ficou meio estranho. Seria melhor se tivesse acabado com a Tia Nena pensando que não foi ela que fez a magia. Ficou muito direto. Sobre o negócio da referência à TMJ, não acho que tenha que ser assim, até gosto bastante disso. É bem legal porque liga a infância à adolescência dos personagens.

    Do Chico foi uma das que mais gostei, mesmo sendo didática. Ficou bem legal (a cena da Dona Filomena e da Vó Dita foi ótima), mostrando tb que, quando quer, o Chico é esperto - vide sua ideia dos copos. :D

    Pena que o do Ronaldinho não continuou, gostava do gibi - apesar de as histórias estarem um pouco piores que as outras (como sempre foram, mas ainda eram legais).

    Da TM ainda não li e achei que ia começar como Parque da Mônica (tipo... eles acompanhando e fazendo um anúncio da reabertura do Parque)... Mas, que seja. :/

    Vamos ver como vai ficar (o engraçado é perceber que, nas primeiras edições da TM - Primeira Série, os créditos eram TM - Uma Aventura no Parque, mas depois ficou só TM).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal q vc gostou dos gibis desse mês. Cada um tem sua preferida. Normal. Quanto a TM vamos aguardar como vão ficar. Seria mais coerente q fosse Parque da Mônica já nesse mês. Acho q vão colocar "TM - Uma Aventura no Parque" como foi na outra série e seria muito estranho q colocassem "Parque da Mônica", começando com o nº 2 ou nº 3, caso o parque volte seja inaugurado em junho ou julho.

      Excluir
    2. Gostei da sua opnião,no gibi do Neymar,a julgar pela capa,muita gente pensou,ah é uma historia em que o Ney finge se machucar pra salva vidas bonita ir socorrer ele e a irmã dele o desmascarar,porque sera que eles não mudam o traço da boca que é sempre o mesmo

      Excluir
    3. Sim, no começo é isso mesmo, mas acaba ficando mais legal depois. :P

      Excluir
    4. Tomara,mas também eles não iam colocar coisas que apareciam antes tipo o politicamente incorreto se vai colocar mesmo vai aos poucos se não ia dar treta mesmo

      Excluir
  9. Também acho que seria muito melhor ver a verdadeira numeração dos gibis do que ficar recomeçando a contragem o tempo todo. Só um detalhe, o da Turma da Mônica deveria ser 267, já que é uma continuação da revista Parque da Mônica da Globo, não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aliás, acho que já pssaou da hora do gibi do Cebolinha ficar com a mesma quantidade de páginas do da Mônica. Ele é um personagem mais principal do que o Cascão, a Magali e o Chico Bento, merece um destaque maior.

      Excluir
    2. Claro, a numeração real seria mais coerente. Isso tudo de reiniciar é pra vender mais. Eu mesmo não compraria nenhuma nesse mês folheando nas bancas se fossem as nº 101.

      O da Turma da Mônica não considero como Parque da Mônica pq se tornou diferente desde q o Parque fechou. Aliás na transição da Globo p/ Panini o nome da revista foi mudada para "Turma da Mônica - Uma aventura no Parque" e depois simplesmente "Turma da Mônica". Considero pelo nome do gibi.

      Acho q os gibis deviam continuar com o mesmo nº de páginas, pq quanto mais páginas, mais páginas de hqs e enrolação. A não ser q preenchessem as páginas a mais com seções criativas como eram na Ed. Abril.

      Excluir
  10. Pois é, quando mudaram pra Panini eles mudaram o nome da revista, mas não deveriam, pois ainda existia o parque. Inclusive, ele irá voltar em breve, o que pode fazer a revista voltar a ter o nome do Parque. Quanto ao número de páginas, mesmo as histórias de hoje em dia sendo mais chatas eu acho que valia a pena o Cebolinha ter mais páginas, sempre quis ver o gibi dele com a lombada quadrada, rs. E se for ver, o Cebolinha foi o único gibi que nunca teve alterados seu número de páginas (sempre 66) e periodicidade (sempre mensal)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm adoraria ver os gibis com lombada quadrada. Nem precisava de mais páginas pra terem lombadas. Os almanaques dos secundários mesmo só tinham 4 páginas a mais q as mensais e tinham lombadas. Se quisessem podiam colocar.

      Concordo q a revista Parque da Mônica devia ter sido chamada assim mesmo na troca de editora. Parece q mudaram pq foi pq "Revista Parque da Mônica" foi lançada na Globo e não podiam manter esse nome. Acho bobagem pq a marca "Parque da Mônica" da MSP. Podiam então terem mantido o nome, só tirando o termo "Revista". Vamos aguardar pra ver como vai ficar.

      Excluir
    2. Gabriel, teves sorte. Em Fevereiro 2016 o gibi do cebolinha começou a te mais páginas.

      Excluir
  11. E eu torcendo que essa nova fase fosse boa! Pelo menos estão colocando créditos nas história, o que já era tempo!

    ResponderExcluir
  12. Ah sim! Gostei do novo banner do blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, não tiveram mudanças significativas nas hqs. Não gostei. Os créditos é q foram a melhor coisa q fizeram.

      Valeu por ter gostado do banner. :D

      Excluir
  13. Porra Maurício! Zerar a numeração dos gibis após o nº 100? Gibi nº1 é nº 1! Não tem outro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda zerar na mesma editora. Nada a ver. As Nº 1 verdadeiras foram as da Editora Abril e a da Magali da Globo. E aceitáveis quando mudam de editora. Fora esses, só marketing pra vender mais.

      Excluir
  14. Marcos, boa tarde. Eu queria aproveitar o momento para falar sobre um certo trauma de infância. Quando eu era pequena, eu tinha uma revistinha do Parque da Mônica onde havia uma propaganda da Dona Morte sorrindo com uma cara malvada. Toda a vez que eu fazia besteira, meu pai me mostrava esse desenho e eu gritava, principalmente quando me esfregava no rosto. Passei a infância tomando mais cuidado ao abrir as revistinhas para ver se a Dona morte não ia aparecer, e quando a via, fechava logo, de modo que só comprei revistas do Chico Bento. Você como colecionador, sabe me dizer que propaganda era aquela nessa revista do Parque da Mônica? (Sem mostrar a foto, por favor)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maldade fez seu pai hein rsrs... se for a q eu to pensando, acho q essa propaganda foi uma contra cigarro, e deve ter saído nos gibis de por volta de 2002/ 03. Eu vi essa propaganda, mas não lembro qual gibi vi, mas não foi do Parque. Se eu lembrar ou encontrar, te aviso aqui.

      A Dona Morte é uma personagem legal, pena q ficou esse trauma pra vc, entendo o seu lado. Tomara q tenha superado. Muito chato não comprar os gibis porque quase todos tem hqs da Turma do Penadinho, principalmente os do cascão. Só as mensais do Chico q não colocam, daí o q vc comprava mais. Da Magali enquanto eram quinzenais não tinha, mas depois q passou a ser mensal com mais páginas, passaram a colocar hqs do Penadinho nos gibis dela tbm...

      Excluir
    2. Deve ser essa mesma, eu tinha uns seis, sete anos. Hoje em dia não fico tão apavorada mas confesso que quando folheio um gibi e a Dona Morte me pega desprevenida, coração acelera kkkkk. Mas como era essa propaganda do cigarro? Devia ser bem pesada para uma criança pequena...

      Excluir
    3. Parece frescura ter trauma de desenho, não? Kkkk

      Excluir
    4. Não lembro de muitos detalhes dessa propaganda, tinha uma imagem da Dona Morte sorrindo meio q sem graça e nos letreiros falando algo do tipo se não parar de fumar, a Dona Morte ia fazer uma visita mais cedo. Mais ou menos assim.

      Sempre tem hqs da Dona Morte, então tem q ficar atenta quando folheia kkkk

      Excluir
    5. Mas por que descrevem a Dona Morte como uma caveira se ela parece com o Penadinho? (Inclusive eu achava que ela era mãe do fantasminha, não conhecia a história direito)

      Excluir
    6. Ela de fato tem formato oficial de caveira nas hqs, ela não é fantasma q nem o Penadinho. Em algumas hqs colocavam uma sombra no rosto pra dar um ar sombrio, e em outras só cara branca q nem caveira. Até já tiveram hqs q ela tira o capuz confirmando q ela é uma caveira.

      Excluir
  15. Vai fazer uma postagem especial sobre as n° 1 da primeira leva da Panini e da Globo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No momento não tenho planos, mas quem sabe. De qualquer forma já falei da Magali nº1 da Globo aqui no blog. Não sei se seria melhor falar pelo menos os da Globo de cada uma individualmente, um gibi em cada postagem, como fiz da Magali, sendo feito aos poucos ... ou falar de todos brevemente em uma só postagem como fiz nessa. Se fizer vejo o q será melhor,

      Excluir
  16. mas no caso dos da Globo, você pode falar dos outros e como foi a mudança de editoras, já que a Magali não tinha gibi quando mudaram de editora.

    ResponderExcluir
  17. Também detesto quando colocam olhos esbugalhados.
    outra coisa que tira um pouco a graça da história é quando os personagens falam:
    "Nós temos que agradar o leitor" ou "Vamos para o próximo quadrinho..."
    Deixando a história, digamos, muito ensaiada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os olhos esbugalhados são terríveis, sem dúvida. Quando tem metalinguagem até q não acho tão ruim, desde q não seja exagerado. Nesses casos aí q vc citou dá pra entender q a história não é metalinguística em si, só inserem diálogos assim em alguns momentos, aí fica sem graça mesmo.

      Excluir
  18. agora pra comemorar o aniversario de 1 ano das número 1 em todas as revistas tem uma versão da capa com o cebolinha no verso

    ResponderExcluir