terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Chico Bento: HQ "Doutor Chico"

A história que eu mostro é com o Chico Bento quando ele deu uma de médico para se livrar dos tiros de sal do Nhô Lau e ainda tirar sarro da cara dele. Foi uma história de abertura com 8 páginas no total, publicada em 'Chico Bento nº 54' (Ed. Globo, 1989).

Capa de 'Chico Bento nº 54' (Ed. Globo, 1989)

Nela, Chico está gripado e a sua mãe manda tomar injeção no consultório do Doutor Tonico. Como ele não estava com a mínima vontade de tomar injeção, ele caminha a passos mais lentos que de uma tartaruga, até que encontra a goiabeira do Nhô Lau. Ele sobe na árvore para comer as goiabas, até que chega o Nhô Lau, que passa a correr atrás do Chico pra dar tiros de sal. 


Chico corre até chegar ao consultório médico. Ele procura pelo Doutor Tonico, mas ele havia saído para almoçar. Com a aproximação do Nhô Lau até a clínica, Chico imediatamente se fantasia de enfermeiro, vestindo o uniforme do médico que estava encostado lá e um bigode postiço.

Nhô Lau chega e pergunta aonde está o Doutor Tonico. O Chico responde que ele é o enfermeiro que está no lugar do doutor enquanto ele foi almoçar. Nhô Lau fala que está procurando um moleque que tinha entrado lá, e o Chico fala que ele está branco e com olhos esbugalhados. Ele acredita, dizendo que o Chico o deixa doente. Chico Bento o examina e fala que ele está sem coração porque vive correndo atrás de menino bonzinho. 


Nhô Lau começa a ficar alterado, dizendo que o Chico é o moleque mais danado do mundo e aí, o Chico aproveita para jogar remédio na boca dele, dizendo que é remédio para garganta. Ele aproveitou para receitar e entregar remédios para raiva e brabeza e rabugice, e, para piorar, ordena que ele tome uma injeção na bunda com uma superseringa. O Nhô Lau fica desesperado por tomar injeção e o Chico fala que marmanjo não tem ter medo de injeção e como ele vive dando tiro de sal nos meninos, ia ser bom pra aprender. Na hora de dar injeção, porém, ele pega um prego e taca na bunda do Nhô Lau.


Enquanto isso, o pai do Chico, o seu Bento, encontra com o Doutor Tonico, que estava voltando para o consultório, e o pai do Chico resolve ir junto porque o Chico estava esperando lá para tomar a injeção. Antes de eles chegarem, Chico ainda dá 1 mês de repouso ao Nhô Lau para tirar a raiva e ter cuidado de não morder ninguém porque raiva pega. Ele ainda fala que não tem dinheiro para pagar os remédios e o Chico diz que depois ele vê isso. Nhô Lau vai embora com a pilha de remédios e o Chico dá gargalhada da cara dele, já que conseguiu enganá-lo direitinho.


Então, o Doutor Tonico e o seu pai chegam ao consultório e querem saber que bagunça é aquela lá. Chico fala que ele estava brincando de médico enquanto esperava. Quando o médico vai aplicar a injeção no Chico, chega o Nhô Lau com uma cesta de goiabas, dizendo que era o pagamento dos remédios que o ajudante receitou. Doutor Tonico fala que não tem ajudante nenhum, então o plano do Chico é descoberto. Ele tenta fugir, mas o pai o pega pela camisa para explicar o q estava acontecendo.

No final, Chico Bento chega em casa gritando, com a bunda doendo. A mãe pergunta q escândalo é aquele, que não era possível uma injeção doer tanto. Aí o pai interrompe dizendo que além da injeção, ele levou uma coça na bunda pra combater traquinagens.


Essa é uma história sensacional e muito divertida, mostrando o Chico Bento fazendo plano infalível contra o Nhô Lau. A sua ideia inicial era só se esconder do Nhô Lau e acabou surgindo o plano devido às circunstâncias. Só com 8 páginas, ela deu conta do recado sem enrolação e é muito engraçada. Roteiro, traços, cores, tudo excelente. Coloquei completa na postagem. Como foi um dos primeiros gibis do Chico na minha coleção, se torna mais especial ainda para mim.

O roteirista que a escreveu deve ter se baseado nos desenhos do Pernalonga, Patolino, Pica-Pau, etc, em que os personagens na hora do perigo se fantasiavam de alguma coisa pra enganar os inimigos. Ou seja, uma situação muito comum nos desenhos que ficam muito bem em histórias desse tipo.


Pena que não fazem mais histórias como essa. Ela tem várias situações incorretas que jamais fariam atualmente, como o Chico Bento se passar por enfermeiro, fazer consulta, receitar e dar remédios sem ser médico, Nhô Lau com espingarda dando tiro de sal, mostrar bunda do Nhô Lau, Chico sendo chamado de moleque, além de apanhar de chicote do pai, entre outros. Tudo isso inadmissível nas histórias atuais.


Tem também os seus absurdos, como, por exemplo, como o Chico arrumou um bigode postiço no consultório tão rápido, e já que o Chico falou que era enfermeiro, como Nhô Lau permitiu que ele fizesse receitas médicas. Nem importa, porque eram esses absurdos e essas cenas incorretas que faziam toda a diferença e se tornavam as histórias tão especiais e tão divertidas, como essa. E de curiosidade, o médico tinha o mesmo nome do pai do Chico, que se chama Antonio Bento, conhecido também como Tonico.


A capa dessa edição é maravilhosa e também é absolutamente incorreta para os padrões atuais, com uma diabinha apaixonada pelo Chico. Também é uma capa que nunca seria aprovada atualmente. Tem também a terrível etiqueta na capa, que colocaram por causa da transição da troca da moeda de Cruzado para Cruzados Novos, que infelizmente é impossível de tirá-la sem estragar o gibi.

40 comentários:

  1. Historinha bacana. Muito chato (sendo repetitivo) esse politicamente correto nas hqs de hoje. Felizmente ainda se encontram as revistas antigas em sebos, o nde podemos ver que eram bem melhores que as atuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As antigas eram melhores, sem comparação. Essa hq do Chico é completamente impublicável nos dias de hj.

      Excluir
    2. Marcos, a HQ pode até ser impublicável, mas ela já foi republicada sim. Foi no Almanaque do Chico Bento # 63, de 2001, que foi onde eu conheci a história. Mas eu acho que você não tem esse almanaque, né? Abraços!

      Excluir
    3. É impublicável só atualmente, pq naquela época eles republicavam tudo, independente de ser incorreta ou não. Ainda mais q eles ainda produziam algo incorreto na época. Abraços

      Excluir
  2. Quase caí da cadeira lendo essa história, kkkkkkkkk, muito bom!!
    Pena que não fazem mais histórias assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk.... muito hilária mesmo. Do tempo q Chico era o Chico que conhecemos. Adoro essa hq.

      Excluir
  3. Infelizmente não são mais permitidas, era tão engraçado! A revista mais nova que possui os tiros de sal era, se eu não me engano, "Um Tema Só 48 - Chico Bento: Histórias da Vó Dita", de 2005. Custava R$ 5,90.

    O gibi tem histórias boas, como "A Lenda da Rosa", "Oba! Sopa de Novo", "O Homem que Enganou o Diabo" e "Chico Malasarte e o Urubu Falante". "A História de uma Guerra" mostra uma simples guerrinha de mamona, o que não aparece hoje.

    A história dos tiros de sal é mais ou menos assim: Chico Bento conta uma mentira para Zé Lelé e ele vai embora, logo depois, Vó Dita diz que a mentira tem perna curta e ela conta a história de um homem parecido com o Chico que vivia na base da mentira: quando ele falava que ia ajudar o pai, ia dormir; ele falava que ia bem na escola e ia mal, depois dele se confessar na igreja ia roubar goiabas e, quando ele foi descoberto já era adulto e levou muito tiro de sal. Depois disso ele resolveu se tornar um homem correto, aprendeu a trabalhar, se arrependeu dos pecados e se alfabetizou. Já Chico Bento também resolve mudar da água pro vinho. Uma linda lição de moral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre lembrando q essas hqs foram republicações antigas. Em 2005 não faziam mais hqs novas com tiros de sal, mas pelo jeito ainda republicavam hqs assim. Atualmente, eles não republicam hqs do Chico levando tiros de sal ou senão fazem alterações.

      Eu não sou muito fã de hqs a da Vó Dita, tinha muita sabedoria, sei lá, mas algumas eram ótimas. Dessas q vc citou, adoro "O Homem que Enganou o Diabo" (CHB # 55, de 1989) e "Chico Malasarte e o Urubu Falante" (CHB # 132, de 1992). Dessa do tiro de sal, não me recordo, mas devo conhecer. É até de estranhar "O Homem que Enganou o Diabo" ter sido republicada, pensava q nunca foi.

      Excluir
    2. E foi mesmo. A história que citei chama-se "O Caminho da Mentira".

      Excluir
    3. Não to lembrado dela, mas pela sinopse já vi em algum lugar, só não lembro em qual gibi.

      Excluir
  4. História maravilhosa. Lembra muito os desenhos antigos. Principalmente o Pica-Pau.

    Aproveitando, passei aqui pra avisar que, finalmente, criei meu blog! Adicionei seu blog e os que eu mais gosto lá. Tem quadrinhos, música, TV e tudo o mais.

    Acessa lá: http://bloguemulti.blogspot.com.br/

    Até mais, Marcos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente. Lembra mesmo desenhos como Pica-Pau, Pernalonga, Tiny Toon... devem ter se inspirado pra fazê-la.

      Legal q vc fez um blog. Comentei lá em uma postagem e adicionei nos favoritos. Abraços

      Excluir
  5. Eu gostei da história toda em si,menos do final, ok podem dizem que eu sou certinha e chata,mas é a minha opinião,o Chico fez traquinagem fez sim,mas acho q não era para o pai chegar a esse ponto. Mas dá para compreender por causa da piada final, remédio contra traquinagem. Ainda assim eu não gostei disso.
    Mas do enredo em si ficou ótimo, dá até para lembrar um pouco o cascão e o cebolinha nessas horas.
    Sobre o prego, não tem para que alguém censurar, uma criança irá ver isso no Pica Pau e Looney Toones.

    Eu estava lendo um almanaque meu, nele tinha dois fatos interessantes e controversos: na história do Rolo "Garotas comprometidas" há uma cena que eu conheço pq eu tinha a versão antiga num almanaque, nela o namorado da garota aparece com aquelas caneconas de cerveja na mão espumando e tudo, mas na publicação recente editaram para colocar um copo de suco. Tá,mas na história seguinte, da Mônica,aparece ela falando palavrão com aqueles desenhos no balão. Vai entender O_o ,as vezes acho que até os editores cometem deslizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até q gostei do final. Não é certo mesmo pai bater em criança, mas nessa hq só assim pro Chico aprender. E dessa vez nem mostrou o Chico apanhando, em outras ocasiões mostravam tranquilamente, com qualquer personagem.

      Sobre a alteração na hq do Rolo, lamentável como sempre. Não tinha q alterar nada, simplesmente não republicassem. Pelo menos, não mudaram os palavrões tbm.

      Excluir
    2. Bem sobre o Chico Bento nunca acharia certo, mas é a minha opinião.
      Agora quando o caso é cerveja e cigarro nas revistas,eu acho bobagem pq até parece que uma criança não irá ver isso na realidade.

      Bem sobre as alterações, eu não entendo como editaram a caneca de cerveja para um copo de suco e na história seguinte da Mônica a deixaram falar palavrão a vontade. Isso que eu achei estranho.

      Excluir
    3. Eles se preocupam com cada bobagem. Agora é uma obsessão alterarem nos almanaques tudo q veem pela frente. Uma pena.

      Se bem q palavrão são só simbolos representando, e talvez por isso deixaram isso pra lá. O ideal não era alterar nada. Tem coisas q até deixam passar, q acredito q até por esquecimento, pq senão alterariam sim.

      Excluir
  6. Marcos,
    pois é: capa bonita e inteligente (mas impossível hj, pela "diabinha". E o Nhô Lau com trabuco na mão e um Chico safado contornando a situação com mentiras. Se saudade matasse....
    Ótima HQ. E esses preços colados são mesmo um problema. Melhor não mexer para não arruinar ainda mais a revista!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kleiton, tudo era ótimo naquela época. Essa hq é sensacional, do jeito do Chico q gosto e q o consagrou. Sem chances de republicação.

      Sobre as etiquetas a gente sempre tenta tirar, mas nesse se eu tirasse ia rasgar, aí melhor deixar para não arruinar.

      Abraços

      Excluir
  7. Ótima história! Só como curiosidade: essa semana comprei comprei o Almanaque de Historinhas de Duas Páginas (número 6) e tem uma história do Papa-Capim em que aparece um caçador com arma e uma nota "nas histórias atuais, os personagens não aparecem mais com armas". Sou a favor das notas, já que histórias com armas não pegam bem hoje em dia, mas nunca de se mudar o desenho ou a fala. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É acho que as notas seriam as melhores opções.

      Excluir
    2. Pra mim a melhor opção seria não republicar, mas como segunda opção, as notas saem melhores do q alterar os desenhos, sim.

      Excluir
  8. Passando aqui só pra perguntar: Você vai fazer post o especial da edição 500 do Cebolinha?
    Comprei o meu hoje na banca e apesar de o papel, o número de página e a colorização da capa serem os mesmos de sempre a edição é realmente especial. Só digo que o conteúdo me surpreendeu.

    ResponderExcluir
  9. Que coisa! Na hora que o meu comentário entrou o post novo apareceu. Ignore o anterior! ^^'

    ResponderExcluir
  10. Kkkk, ótima história, muito engraçada. Não a conhecia. O politicamente incorreto impera solto nela. Só fiquei preocupado com o prego, deve ter doído. Coitado do Nhô Lau.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma hq toda incorreta, do jeito q era bom o Chico fazendo artes. Adoro. Com certeza, o prego deve ter doído muito rsrs.

      Excluir
  11. KKKKKKKKKKK! História excelente, Marcos. E você tinha toda a razão mesmo. Essa HQ é parecida com desenhos antigos, tipo Pica Pau e Pernalonga: Cada vez que o personagem estava lascado, ele se disfarcava pra se esconder do perigo. E com o Chico, não foi diferente.

    Infelizmente, pra você corrigir, ela já foi republicada sim. Eu vi a HQ pela primeira no Almanaque do Chico Bento # 63 (Ed. Globo, 2001). E mesmo vendo na republicação, é uma HQ super bem bolada, super engraçada, e lógico, super bem politicamente incorreta de republicar hoje.

    Mas não foi só essa HQ do Chico Bento que foi censurada. Também lembro de Tudo Que é Demais (CHB # 25, Ed. Globo, 1988) e Eu Guardo O Que é Meu (CHB # 21, Ed. Globo, 1987). Em resumo, conto cada uma dessas histórias:

    Tudo Que é Demais: Começa quando o Chico vai beber água, e sua mãe, Dona Cotinha, avisa ele pra não beber muito, pois ele pode mijar na cama. Porém, Chico mija na cama, aí quando o dia amanhece, ele inventa várias desculpas pra sua mãe pra não poder ir à escola. Uma parte censurada da HQ é quando Dona Cotinha diz: "Qui chero di mijo é esse?" Aí, Chico peça desculpas, toma café, aí quando a HQ termina, Chico lembra a sua professora, Dona Marocas, que ele está com dor de barriga. Pelo jeito é muito engraçada. Mas o motivo de ser censurada foi quando Chico mija na cama. E é óbvio que criança não pode mijar na cama. Muito legal. Uma pena que é muito curta, só 4 páginas.

    Eu Guardo O Que é Meu: Começa com o Chico pensando na Rosinha, e quando ela aparece, Chico sente vergonha dela usar bíquini, pensando que ela está pelada. Depois, ela diz que está de bíquini, porque vai nadar no lago. A parte realmente proibida é quando ele avisa a ela tirar o bíquini e daí, fica pelada que é uma gracinha. Então, Chico Bento fica com ciúmes e termina o namoro deles. Aí, Zé da Roça fala que a Rosinha ficou bonita de bíquini, o Chico bate nele e descobre que tem um monte de "gavião" (que também é o mesmo que "bando de tarados") vendo ela nadando no lago. Chico fica nervoso, pede desculpas à Rosinha, coloca um calção, aí eles nadam até ver duas meninas de bíquini e Rosinha fica com ciúmes, pensando que o Chico achou elas umas graçinhas, terminando essa HQ divertida e polêmica. O motivo de ser censurada é devido a Rosinha ficar pelada em frente do Chico. E essa é bem melhor do que a HQ do Chico mijando na cama. Aliás, é perfeita pra falar no verão.

    Pois é, taí as HQs comentadas. Ambas as duas eu não conhecia, mas vi num site de um amigo seu. Diga se você conhece essas HQs e tenha a coragem de me dizer se elas já foram republicadas, OK? Falou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço essas 2 hqs, sim pelas originais e não lembro quando foram republicadas. Valeu pelo resumo delas rsrs.

      "Doutor Chico" é sensacional mesmo.

      Excluir
    2. Nem me fale. Doutor Chico é e sempre será uma das mais loucas histórias de todos os tempos.

      Mas me conte se você também sabia que ela já foi republicada em 2001. Ou vc só tem o gibi original?

      E de acordo com o Guia dos Quadrinhos, parece que a HQ Eu Guardo O Que é Meu foi republicada no Almanacão de Férias # 21 (Globo, 1997). Não tenho muita certeza, é que não tenho esse almanacão, nem você tem.

      Já a HQ Tudo Que é Demais não sei se foi republicada, acho que nunca foi. Capaz de eu saber. Abraços!

      Excluir
    3. Só tenho original. Não sei de republicações dessas hqs.

      Excluir
  12. Respostas
    1. Chico foi muito mal com o Nhô Lau nessa hq, aproveitou pra se vingar dos tantos tiros de sal q levou na bunda kkkk

      Excluir
    2. Nem me fale, Marcos! Essa história do Doutor Chico realmente é uma vergonha pros dias de hoje! Não porque ela é ruim, pelo contrário, é ótima, engraçada e hilária, mas sim porque parece aqueles desenhos animados bizarros.

      E sem contar que foi muito hilária a cena de vingança do Chico tacando um prego na bunda do Nhô Lau. 100% proibido pros dias de hoje.

      Mas mesmo assim, Doutor Chico eu acho uma das mais clássicas e uma das mais engraçadas histórias do Chico Bento, que só de começar a ler, já começo a dar muita risada. Chega até a ser uma obra-prima. E você, Marcos? Também acha Doutor Chico um clássico e uma obra-prima, mesmo ela sendo impublicável? Abraços!

      Excluir
    3. Acho sim,é muito boa. Abraços

      Excluir
  13. Chico com a bunda ardendo me lembra o porra, mauricio

    ResponderExcluir
  14. alguém lembra da história que o chico fica preguiçoso e não faz nada, se não me engano saia um ''espírito'' vermelho dele que seria a coragem, história muito boa e lembra o divertidamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muito divertida essa história. É de Chico Bento Nº 97 - Ed. Abril, 1986.

      Excluir
  15. Será q no futuro vai ter sem censuraS???? tem como o mauricio saber?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tendência é piorar e acho que sim. Vamos ver como o Mauricio vai lidar com as censuras.

      Excluir