quinta-feira, 20 de abril de 2017

Capa da Semana: Mônica Nº 19

Uma capa sem piadinha, apenas com um desenho bonito com a Mônica tirando passarinho da gaiola para namorar com o outro do lado de fora e Bidu dormindo nas amofadas. Nos primeiros números dos gibis da Mônica da Editora Globo eram comuns capas da Mônica com desenhos bonitos apenas.

A capa dessa semana é de 'Mônica Nº 19' (Ed. Globo, Julho/ 1988).


domingo, 16 de abril de 2017

HQ "Cascão de Páscoa"

Em homenagem à Páscoa, compartilho uma história em que o Cascão ficou dentro de um ovo de Pascoa que o Cebolinha ia dar para a Mônica, causando muita confusão. Com 11  páginas no total, foi publicada em 'Cascão Nº 69' (Ed. Abril, 1985).

Capa de 'Cascão Nº 69' (Ed. Abril, 1985)

Cascão e Cebolinha correm da Mônica depois que o Cascão estraga mais um plano infalível. Cascão entra em um buraco de uma parede enquanto Cebolinha continua fugindo da Mônica. 


Cascão fica aliviado por ter escapado, mas não contava que Mônica aparecesse de surpresa. Ela tenta pegá-lo do esconderijo, mas ele acaba caindo e vai parar em uma máquina em movimento. É descoberto que ele estava em uma fábrica de ovos de chocolate "Chocolatol" e ele cai em uma máquina que estavam produzindo os ovos. Ele acaba ficando dentro de um ovo produzido e é levado para ser comercializado em loja.


Enquanto isso, Cebolinha ainda está fugindo da Mônica e consegue despistá-la ao se esconder atras de uma árvore. Ele vê que a Mônica está muito furiosa dessa vez e resolve comprar um ovo de Páscoa para ela esquecer do plano infalível que fez. Cebolinha vai na loja e pega justamente o ovo que está o cascão dentro por ser o maior da loja.


No caminho, Cebolinha acha o ovo pesado e Cascão, dentro dele, acorda com o movimento, sem saber aonde estava e só percebe que o Cebolinha estava do lado de fora por estar cantando mal. Cascão logo percebe que está em uma estrutura de chocolate e pelo formato era um ovo de Páscoa, mas não sabe como foi parar lá.


Cascão tenta abrir o ovo fazendo corte com a sua "tampinha premiada". Quando faz o corte, ele vê a Mônica furiosa, com ela querendo saber como tem coragem de aparecer na casa dela depois do que aprontou. Cascão trata logo de fechar o ovo antes que o vejam. Mônica nem completa a frase e Cebolinha trata logo de falar que está dando um ovo de Páscoa de presente. E Cascão nervoso dentro, pensando que a Mônica vai arrebentar com eles e que não vai acalmá-la com um ovo de Páscoa.


Mônica agradece o Cebolinha pelo ovo de Páscoa e, gentilmente, o convida pra entrar na sua casa, acabando, assim, a raiva de repente. Cebolinha comemora que deu certo a sua ideia. No sofá, Mônica pergunta se o ovo é apra ela mesmo e Cebolinha diz que é como desculpas pelas besteiras que o Cascão aprontou com ela. Mônica e Cascão estranham que foi Cascão que aprontou.


Cebolinha causa discórdia, dizendo que não é ele quem bola todos os planos infalíveis, que é só um pobre inocente sempre envolvido pelo papo do Cascão, que se aproveita da sua ingenuidade e o usa contra ela. Diz que não faria mal nem a uma mosca e muito menos a uma menina tão charmosa como ela. Cascão fica com raiva, sai do ovo, pega o Sansão e bate na Mônica e joga o coelhinho na mão do Cebolinha para ela pensar que foi ele quem bateu.


Mônica quer satisfação do Cebolinha de primeiro dar o ovo e depois bate nela. Cebolinha diz que não foi e ela pergunta quem foi, já que só tem os 2 lá. Na distração dos 2, Cascão dá um tapa na cara do Cebolinha. ele pergunta por que deu tapa se não foi ele quem bateu e que vai pegar o ovo de volta. Na nova distração deles, Cascão imita a voz da Mônica dizendo que é para pegar o Sansão que caiu no chão. nessa hora, Cascão belisca a bunda da Mônica que vai parar no teto e ainda ele empurra o Cebolinha e faz cair no chão.


Mônica e Cebolinha ficam com muita raiva, agem como inimigos como gata e cachorro e avançam um no outro e brigam muito pelo que supostamente fizeram um com o outro. Na cozinha, Dona Luísa, mãe da Mônica, ouve o barulho e vai na sala conferir e Cascão diz que na opinião dele deviam comer chocolate porque estão fraquinhos, com os 2 nocauteados no chão, terminando assim.


Essa história é muito engraçada, uma situação foi puxando outra, dando um enredo muito bom. De um plano infalível fracassado, puxou do Cascão ficar dentro de um ovo de Páscoa, depois levou a discórdia dos seus amigos como vingança  depois do Cebolinha inventar coisas a seu respeito. No final, acabaram se dando mal e não descobriram que era o Cascão que estava por trás disso tudo. Se quisessem podiam ter feito um final alternativo com eles descobrindo e o cascão se dando mal.E ainda fica a imaginação do leitor como foi o plano infalível fracassado.


Nela, o Cebolinha pensou errado, trocando o "R" pelo "L"como prevalecia na época. Ultimamente gostam de colocá-lo pensando certo, sem trocar letras. Interessante também a marca do do ovo de Páscoa "Chocolatol", eram bem criativos com os nomes. 


Os traços muito bons e caprichados. bem típicos dos anos 80. Na postagem a coloquei completa. Na capa do gibi, apesar de fazer piadinha, acabaram citando o nome da história de abertura nela. Outra curiosidade que essa história nunca foi republicada té hoje, podia ter sido em algum almanaque do Cascão a partir de 1995, o que não aconteceu. Então, se torna uma história rara e só quem tem ou teve esse gibi que a conhece. 

terça-feira, 11 de abril de 2017

Pipa e Zecão: HQ "Namoro duro de engolir"


Mostro uma história em que a Pipa ficou com muita raiva quando o Zecão foi almoçar na sua casa. Com 5 páginas no total, foi publicada em 'Cebolinha Nº 25' (Ed. Globo, 1989).

Capa de 'Cebolinha Nº 25' (Ed. Globo, 1989)

Pipa está esperando a chegada do Zecão, que ficou de ir para almoçar na sua casa. Ele toca a campainha e fala que não ia perder um almoço na casa dela. Na mesa, come tudo com satisfação: lasanha, carne assada, arroz à grega, frango, salada, além de pudim de coco e cafezinho como sobremesa. Adora tudo, já que a Pipa cozinha muito bem.


Depois de comer, Zecão fica barrigudo e vai sentar no sofá. Pipa até sugere de eles irem ao cinema ou teatro, mas Zecão prefere só descansar. Pipa pensa que iriam namorar no sofá e quando ela pede um beijo, ele acaba dormindo profundamente e nada o faz acordar. 


A mãe da Pipa diz que é normal porque comeu muito e é até um elogio pelos dotes culinários dela, mas Pipa não gosta. Zecão só vai acordar ás 8 da noite e como é tarde ele vai embora e acabam não namorando, mas ele diz que volta amanhã porque a comida estava ótima. Pipa, então, tem um plano de fazer comida ruim para ele não curtir sua comida e  ai sim poderem namorar em paz. 


No dia seguinte, ela prepara feijão queimado, arroz empapado, coloca muita pimenta na carne e faz um pudim de jiló com calda de groselha e azeitona. Zecão não aguenta e come bem pouco, falando que já está satisfeito. O casal vai  ao sofá com Pipa com intenção de namorar, diz para ele dizer algo bonito para ela e beijá-la, mas Zecão diz que não pode porque estava passando mal de tanta comida ruim.


Muito legal a história do interesse do Zecão de namorar a Pipa por causa da sua comida. Além de não ter que comer na sua casa, ele ainda dorme no sofá da Pipa, impedindo do casal namorar. Isso que dá cozinhar tão bem. O final muito legal também e acabaram não curtindo o namoro da mesma forma. 


Era normal histórias com esse conflito de namoro entre Pipa e Zecão, quando não era ciúmes por parte dela, eram outros conflitos como esse que impediam de namorar em paz e sempre tinha aluma briga por qualquer coisa. Dessa vez apareceram os pais da Pipa, o que não era muito comum nessa fase dos anos 80. Os traços muito bons, bem típico da época, com direito à Pipa bem gorda e Zecão be narigudo do jeito que foram consagrados. Os melhores traços da turma da Tina era assim, sem dúvida.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Capa da Semana: Chico Bento Nº 168

Nessa capa, o Chico Bento resolve nadar no ribeirão à noite e pendura a sua roupa na Lua, por não ter onde deixar. é mais uma daquelas capas com absurdos tão comuns na época e que eram muito divertidas.

A capa dessa semana é de 'Chico bento Nº 168' (Ed. Globo, Junho/ 1993).


sábado, 1 de abril de 2017

Chico Bento: HQ "Catapora rápida"

Dia Primeiro de Abril, Dia da Mentira, então mostro uma história em que o Chico Bento mentiu para a mãe que estava com catapora só para não ir para a escola. Com 4 páginas no total, foi publicada em 'Chico Bento Nº 36' (Ed. Globo, 1988).

Capa de 'Chico Bento Nº 36' (Ed. Globo, 1988)

Chico diz para a mãe, Dona Cotinha, que tem uma boa notícia de que pegou catapora e aí não vai poder ir para a escola. Ela pergunta de quem ele pegou catapora e Chico diz que foi do Zé Lelé que está doente e foi visitá-lo. Dona Cotinha manda o Chico se deitar enquanto ela prepara um chá para ele. 


Enquanto a mãe está na cozinha, Chico pinta o rosto para dizer que está com catapora. Dona Cotinha chega e diz que a catapora o pegou de jeito. Chico gosta do chá e diz que vai ficar doente o dia inteiro. Enquanto Dona Cotinha leva a xícara para a cozinha, Chico olha a janela e comenta que os bobocas dos seus amigos estão indo para a escola e ele não.


Dona Cotinha volta com uma seringa de injeção enorme que o farmacêutico mandou aplicar. Chico se assusta e diz que é injeção para um elefante e Dona Cotinha diz que é para a bunda dele. Chico diz que não precisa porque já está sarado e então a mãe confirma a mentira dele e o manda para a escola.

No caminho, Chico vai com raiva pensando vários palavrões e encontra a Rosinha na janela da sua casa. Ele pergunta se ela não vai à escola e Rosinha diz que está com catapora. Chico, então, responde, que a vê na escola. Afinal, a mãe dela vai descobrir logo que está mentindo. 


Uma história bem legal mostrando a característica do Chico não gostar de ir para a escola e fazia de tudo para não ir, inclusive mentir para isso. Tentou enganar a mãe que estava com catapora, mas acabou dando errado seu plano infalível. isso para mostrar que mentira tem pernas curtas e será descoberta e foi uma forma divertida para mostrar isso.


Os traços muito bons, típicos do final dos anos 80, com detalhe da colcha da cama costurada com vários tecidos diferentes para emendar rasgos, e dessa vez a Dona Cotinha ficou um pouco diferente com cílios e sem lábios. Normalmente quando ela aparecia de cílios, era desenhada com lábios também. Impublicável por mostrar mentira do Chico de não ir para a escola, hoje em dia ele é até um bom aluno, além do Chico falar palavrão.

terça-feira, 28 de março de 2017

Turma da Mata: HQ "Olha o carteiro!"


Mostro uma história simples em que o Tarugo foi carteiro e teve problemas na entrega das correspondências. Com 5 páginas no total, foi publicada em 'Chico Bento N º 181' (Ed. Globo, 1993).

Capa de 'Chico Bento Nº 181' (Ed. Globo, 1993)

Tarugo está trabalhando como carteiro e entrega uma carta para o Jotalhão. Quando ele abre, vê que a carta está atrasada em 1 mês. Depois, Tarugo entrega carta para o Raposão e ele lê que era alguém dando Parabéns pelo seu aniversário, mas que havia passado há 6 meses.


Todos da mata recebem cartas atrasadas e eles vão ate a agência dos correios reclamar. Chega Tarugo e estranha a multidão na porta da agência. Outro carteiro diz que querem falar com ele e Tarugo pensa que querem cumprimentar pela sua competência.


Jotalhão diz que as correspondências estão todas atrasadas e Tarugo diz que é culpa dos remetentes que enviam cartas com assuntos antigos. Jotalhão diz que o problema é com ele por andar devagar. Tarugo fica triste e larga o emprego de carteiro, enregando o uniforme para a agência. No final, depois de passado um tempo, Tarugo volta e fala com o Jotalhão a sua nova profissão. Será agora piloto de fórmula 1. Ou seja com o seu jeito de andar lento, não vai dar certo de novo.


Uma história legal com o Tarugo com sua dificuldade de andar lento e ai teve problema nas correspondências em ser carteiro. Era comum histórias do Tarugo com essa característica de se dar mal pela sua lerdeza de andar por ser uma tartaruga. Sempre passava sufoco e se dava mal por isso. A história aproveita pra mostrar uma crítica ao serviço dos correios de atrasar as nossas correspondências.


Engraçado ter agência dos correios na mata igual a uma cidade grande. Era legal essa adaptação da Turma da Mata com as coisas dos humanos. Os traços muito bons, bem típico dos anos 90. Era bem comum também os títulos das histórias serem as próprias falas dos personagens ou então placas ou o que eles estavam lendo, etc.


Curioso de ter uma história da Turma da Mata em um gibi quinzenal do Chico Bento, já que saiam mais nos gibis da Mônica e Cebolinha. Normalmente era só Papa-Capim como personagem secundário nos gibis do Chico, e então em 1993 e 1994 algumas edições passaram a colocar Turma da Mata no lugar do Papa-Capim. A partir de 1998 de vez em quando tinha do Piteco e Turma da Mata também nos gibis do Chico. E voltando ainda mais no tempo, nos primeiros números da Ed. Abril tinham histórias do Anjinho, Bidu, Titi, Humberto, Jeremias, além do Papa-Capim como forma de preencher o gibi por ter poucas histórias do Chico produzidas a tempo de fechar os gibis. À medida que foram criando mais histórias do Chico passaram a colocar só Papa-Capim como secundário.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Capa da Semana: Cascão Nº 96

Nessa capa, Cascão fica desesperado quando vê uma poça d'água no final do escorregador e empata a passagem da turma poer causa disso, sem saber o que fazer para escapar dela. É daquelas capas que permitia imaginar o que aconteceu na sequência da cena, muito comum na época.

A capa dessa semana é de 'Cascão Nº 96' (Ed. Globo, Setembro/ 1990).


terça-feira, 21 de março de 2017

HQ "A Mônica parou de crescer"

Hoje, dia 21 de março, é aniversário da Mônica e então mostro uma quando a Mônica foi parar misteriosamente em uma outra dimensão bem no dia do seu aniversário, Com 13 páginas, foi publicada em 'Mônica Nº 167' (Ed. Abril, 1984).

Capa de 'Mônica Nº 167' (Ed. Abril, 1984)

Mônica acorda animada por causa do seu aniversário, já contando que vai receber muitos beijinhos, presentes, comer doces e que mesmo que vai ficar 1 ano mais velha não importa porque o que vale é a festa e nem vai ligar se o Cebolinha aprontar com ela. Ela vai à janela ver como está o tempo, imaginando um dia de sol com céu azul sem nuvens, cheio de passarinhos e borboletas. Então, quando ela abre a janela tem uma surpresa: ela dá de cara com o nada, um absoluto vazio, apenas um branco total no lado de fora.


Mônica se assusta, não consegue entender como tudo havia sumido e pensa que ainda está dormindo e é tudo um sonho. Ela se belisca no braço e grita de dor, falando que não sabia que um sonho doía tanto. Ela abre a janela de novo para ter certeza e o branco total continua. Ela se assusta e até pensa que é um plano infalível do Cebolinha e vai até à sala pra avisar aos seus pais. Quando abre a porta, a sua casa também está com um branco vazio total. Como se existisse apenas o quarto dela no mundo e o resto uma brancura total.


Ela percebe que dá pra pisar normalmente no branco e vai andando, pensa que é uma festa surpresa e grita chamando seus pais e seus amigos, sem resposta nenhuma. Então o medo aumenta e começa a chorar, afinal está sozinha no mundo. Eis que surge uma voz feminina do nada perguntando por que a Mônica está triste. Mônica fica aliviada por ouvir uma voz por não estar sozinha e pensa que era a Magali. A voz diz que não é a Magali e então Mônica se assusta por ser de alguém desconhecida e ai começa a chorar de novo. Então, surgem bonecos gigantes com vida e a voz diz que eles sempre a alegram quando está triste. Mônica manda parar a loucura e então os bonecos somem.


A voz pergunta o que a Mônica quer e ela diz que quer os seus amigos. Com isso, surgem falsos Cebolinha, Magali e Cascão, com um Cebolinha cabeludo falando "R" duplicato, Magali de regime e Cascão tomando banho. Mônica diz que esses não são seus amigos e a voz diz que não se lembravam direito deles e foi o melhor que pôde fazer. Mônica diz que vai procurar a saída daquele lugar maluco para comemorar seu aniversário sossegada e então a voz amarra a Mônica bem forte em uma bola de ferro e diz que não vai deixar sair da zona de segurança.


Mônica pergunta que zona de segurança é essa e a voz manda olhar pra frente. Mônica descobre que está fora do planeta Terra, em uma zona próxima da Terra, e apenas seu quarto e aquela área branca no espaço sideral. A voz diz que a partir de agora a Mônica não terá mais problemas, vai ter tudo o que quiser. Sorvetes, doces, amigos, é só ela pedir e o melhor de tudo que o tempo não vai passar mais pra ela, vai ser sempre a Moniquinha que a voz tanto adora. Mônica pergunta se não vai mais fazer aniversário e a voz diz que não, pra que crescer e ficar adulta e ai não vai mais curtir as suas histórias e não quer que nada mude e ainda lembra de uma história de quando a Mônica deu coelhadas no Cebolinha.


De repente surge uma outra voz, de mulher, perguntando pra filha, Mariazinha, porque está de pé e olhando para cima e manda a filha deitar. Depois que a mãe sai, a voz da Mariazinha volta a falar de novo se desculpando da interrupção e Mônica deseja falar pessoalmente com a Mariazinha. Ela fica emocionada, achando uma hora Mônica querer conhecê-la e leva a Mônica aonde ela está. Mônica vê então que é um bebê com menos de 1 ano de idade. Mônica pergunta como ela fez tudo isso e Mariazinha diz, por telepatia, que é só ela desejar que tudo acontece. Mariazinha diz que toda noite a sua mãe lê suas histórias antes de dormir e descobriu que a Mônica ia fazer aniversário.Se crescer e virar adulta, não vai ter mais histórias para ela dormir e ai fez tudo isso para a Mônica parar de crescer. Mônica fica emocionada e pensa que a Mariazinha é uma gracinha, mas não vai querer passar o resto da vida no espaço e imagina o que vai fazer pra sair de lá.


Enquanto isso, no Mundo dos Quadrinhos, Magali vai ao quarto da Mônica acordá-la para dar Parabéns pelo aniversário. Quando chega lá, vê o quarto todo em branco vazio e corre desesperada até a cozinha avisar a mãe da Mônica, Dona Luiza. Quando voltam lá, tudo volta ao normal e Mônica está de volta ao quarto. Magali fica sem entender nada do quarto ter sumido e Mônica diz que explica em outra hora e deseja que um certo amigo o perdoe pelo que ela fez. No final, no quarto da leitora Mariazinha, a mãe dela percebe que sumiram todas as revistas da Mônica e apareceram revistas do Cebolinha no lugar e ai lê para a filha. Ou seja, a Mônica sumiu com as revistas dela e colocou as do Cebolinha no lugar para Mariazinha gostar dele e faze ro mesmo com ele quando fizer aniversário.


Essa história é sensacional, com a Mônica vivendo um pesadelo de todo mundo sumir de repente, ficando o mistério da Mônica ter parado em uma outra dimensão, em um Mundo Mágico. Gostavam de colocar histórias envolvendo coisa surreal, inimaginável. Hoje em dia histórias assim são evitadas por acharem que vão traumatizar as crianças vendo a Mônica nessa situação de medo.

A princípio até dá para pensar que é uma história do Louco, mas depois percebe que não, querendo dar uma boa mensagem. Como você agiria se acordasse e abrisse a janela e visse apenas um branco na sua frente. como iria agir. Personagens fazem aniversário, mas depois voltam a ter 6 anos e ai não envelhecem. mas para cabeça da menina, eles iam envelhecer fazendo aniversário e ai deixaria de ser crianças.


Os traços muito bons, com direito a Mônica falando de boca fechada quando é amarrada. Era mais comum isso nos anos 70 e raramente aconteceu a partir os anos 80. A palavra "Droga!" seria trocada hoje em dia, caso republicassem de novo. A capa de aniversário desse gibi de 1984 não teve referência à história, foi apenas piadinha de aniversário. Era normal fazerem piadas de aniversário nos gibis das Editoras Abril e Globo. Ou seja, sabemos que tem história de aniversário no gibi, mas sem alusão à história do gibi.


Ela foi republicada depois em 'Almanaque da Mônica Nº 17' (Ed. Globo, 1990), que foi de onde tirei as imagens e li pela primeira vez. Abaixo, a capa desse almanaque.

Capa de 'Almanaque da Mônica Nº 17' (Ed. Globo, 1990)

sábado, 18 de março de 2017

Tirinha Nº 47: Cebolinha

Nessa tirinha, Cebolinha dá um grande susto na mãe, Dona Cebola, quando diz que o Seu Cebola bateu o "calo" na árvore. Eram muito divertidas as piadas com o seu problema de dislalia, como uma letra pode fazer tanta confusão.

Essa é uma tirinha inédita de almanaque, muito comum na época, já que os gibis da época que republicavam, colocavam mais anúncios da história da próxima edição no lugar da tirinha.

Tirinha publicada em 'Almanaque do Cebolinha Nº 6' (Ed. Globo, 1989).


quinta-feira, 16 de março de 2017

Capa da Semana: Magali Nº 9

Enquanto a Mônica carrega o Sansão em um carrinho, a Magali carrega uma melancia enrolada com uma coberta no carrinho como se fosse uma boneca ou bichinho de pelúcia. Bem a sua cara.

A capa dessa semana é de 'Magali Nº 9' (Ed. Globo, Outubro/ 1989).


domingo, 12 de março de 2017

Histórias Semelhantes 4: "Uma situação difícil"

A história semelhante que mostro é de quando o Cebolinha teve o seu cabelo crescendo sem parar. Foi publicada originalmente em 'Cebolinha Nº 124' (Ed. Globo, 1997) e fizeram outra em 'Cebolinha Nº 140' (Ed. Globo, 1998).

Capas: 'Cebolinha Nº 124' (Ed. Globo, 1997) e 'Cebolinha Nº 140' (Ed. Globo, 1998)

É bem curioso que fizeram a história e depois saiu outra de um ano para o outro, depois de exato 1 ano e 2 meses, já que a edição "Nº 124" foi de abril de 1997 e a "Nº 140" foi de junho de 1998. Trata-se da mesma história, com as mesmas situações e mesmos diálogos e até mesmo título, só que redesenharam na versão de 1998. Alguns trechos forma adaptados, mas de resto tudo igual.

Na trama, Cascão vê uma linha no seu caminho e pergunta para o leitor explicar o que é aquilo. Ele vai seguindo a linha, seguindo e descobre que era o cabelo do Cebolinha que cresceu. Cascão rir e Cebolinha deseja que o desenhista faça que o Cascão acorde em uma piscina.

Comparação das HQs "Uma situação difícil"

Cascão, então, pergunta o que aconteceu para o cabelo do Cebolinha ficar assim. Cebolinha explica que pediu um shampoo para o Franjinha e assim que passou no banho já começou a perceber o cabelo crescendo e foi crescendo cada vez mais que precisou sair de casa e ficar no campinho para não destruir nada, já que não para de crescer a ponto de enroscar pipas no cabelo dele.

Comparação das HQs "Uma situação difícil"
Cascão sai para pegar uma tesoura e enquanto isso passarinhos pousam no cabelo, mulher pendura roupas e Mônica pensa que está vendendo passarinhos. Cebolinha diz que não está vendendo passarinhos e a chama de gorducha. Mônica manda repetir se for homem e Cebolinha diz que é só um garotinho infeliz com um cabelo virando poleiro, varal e antena. Mônica pergunta por que não vai a um barbeiro e ele diz se conhece algum gigante.

Comparação das HQs "Uma situação difícil"
Cascão chega com um alicate já que tesoura não iria resolver e acaba o alicate entortando quando ele tenta cortar, de tão duro que estava. Cascão diz que não tem jeito de cortar e Cebolinha chora porque vai ficar assim para o resto da vida. No final, Franjinha aparece dizendo que o efeito é temporário e esperar que o efeito vai passar até amanhã. Cebolinha diz um "enquanto isso", com ideia de que seu cabelo vai continuar crescendo até lá, aparecendo o planeta Terra coberto com o cabelo, já se estendendo pelo espaço sideral.

Comparação das HQs "Uma situação difícil"

A história é boa, mostra absurdos do cabelo do Cebolinha não parando de crescer a todo o  momento. Não é muito histórias de absurdos assim hoje em dia. Só é estranho colocarem 2 histórias iguais em tão pouco tempo, um pouco mais de 1 ano de intervalo entre uma e outra. Na postagem coloquei as 2 completas, uma ao lado da outra para comparar. Assim, dá para ver que as diferenças entre elas foram nos desenhos, que ficaram mais detalhados, melhoraram expressões, ajustes de alguns quadrinhos. Mesmo com esses ajustes, as duas tiveram 7 páginas no total.

Comparação das HQs "Uma situação difícil"

Diferenças mais significativas foram expressões como na parte que o Cascão pergunta para os leitores o que era aquilo, que em 1997 ele faz uma expressão de triste e em 1998 faz cara de raiva, além do Franjinha aparecer de jaleco de cientista em 1998 e ajustes de quadrinhos como as pipas enroscadas no cabelo do Cebolinha e a visão do espaço sideral e o planeta Terra coberto com o cabelo dele no final da história. 

Comparação das HQs "Uma situação difícil"

Alguns trechos de diálogos foram mudados, como o Cebolinha manda o Cascão seguir o fio na primeira página em 1998 enquanto que em 1997 não diz isso; a Mônica chama o Cebolinha quando pergunta quanto custa o passarinho na primeira versão enquanto que em 1998 não chama; o Cebolinha não fala "Não demola" para o Cascão quando sai pra pegar o alicate em 1998. Crédito no título na história de 1997 foi como história do Cascão e na de 1998 como do Cebolinha e apareceu reticências no título da nova versão.

Comparação das HQs "Uma situação difícil"

Difícil saber por que repetiram uma história em tão pouco tempo. Creio que o motivo foi de que eles não gostaram dos traços da versão de 1997 e quiseram consertar isso redesenhando tudo em uma nova versão que saiu em 1998 para se redimirem do erro. Pelo menos deu impressão. Bem capaz de nem terem republicado a primeira versão até hoje e deve ter ficado arquivada. Eu até gostei dos desenhos de 1997, nada de mais, porém os ajustes de 1998 até ficaram bons. Por causa dos desenhos, prefiro a segunda versão, já que roteiros são iguais. Em breve posto outras histórias semelhantes aqui no blog.