segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Uma história do Horácio de 1991


Nessa postagem mostro uma história do Horácio em que ele conhece uma dinossaura que fala um idioma diferente dele. Com 2 páginas no total, foi publicada em 'Mônica Nº 56' (Ed. Globo, Agosto/ 1991).

Capa de 'Mônica Nº 56' (Ed. Globo, 1991)

Escrita por Mauricio de Sousa, aparece uma dinossaura, falando uma língua estranha, perguntando algo para o Horácio. Como não entendeu nada que ela falou, a dinossaura começa a chorar. Horácio tenta consolá-la, perguntando se ela se perdeu, se está com fome e não tem onde ficar. Ele oferece a sua caverna para ela ir descansar e passar a noite lá. Então, a dinossaura fica satisfeita e pede pra ele esperar um momento.

No final, ela leva toda a sua família e amigos para ficar na caverna dele, com a dinossaura mostrando que foi o Horácio que convidou para eles ficarem lá, sempre  em uma língua que só eles entendem, deixando Horácio entediado.


A história discute dois pontos. Um sobre conversar com pessoas que falam idiomas diferentes e como fazer que um entenda o outro. A dinossaura, no caso, uma turista que não conhecia nada na região falava uma língua diferente do Horácio e o que causou muita confusão. Interessante que ela entendia o que o Horácio falava, coisas dos quadrinhos.

O outro ponto é o fato do Horácio ser educado e a dinossaura aproveita da bondade dele para levar sua família toda para morar com ele. O Horácio só ofereceu que ela passasse uma noite na caverna dele para descansar e ela, não pensou duas vezes para levar a família junto. Ou seja, ela abusou da boa vontade do Horácio para tirar proveito, coisa muito comum no dia a dia.

Mauricio gostava de mostrar um ar filosófico nas suas histórias, principalmente as do Horácio, e que muitas vezes é difícil de interpretar. As crianças não entendem nada, só quando releem com mais idade que dava para entender o conteúdo das histórias do Horácio. Fora as outras possibilidades de interpretação, que o Mauricio gostava de colocar, com cada leitor decidindo o que interpretar da sua maneira.


Os traços muito bons e bem desenhados, com a dinossaura lembrando os traços da Lucinda e da Simone. Essa história, como era de costume com o Horácio, foi aproveitada de página semanal de jornais antigos, sendo que dividida em 2 páginas em vez de 1. Tanto que até mantiveram a numeração da página semanal do jornal. Normalmente, eles faziam isso nas histórias dele nos gibis, aproveitando das páginas semanais dos jornais, ampliando os desenhos ou mudando estrutura dos quadrinhos, tudo de uma forma que coubesse a história em 2 páginas dos gibis. 

19 comentários:

  1. Horácio era muito Bom! Os personagens e a ambientação toda diferenciada eram um show à parte. As situações em mais sérias, porém, envolventes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eu gostava das histórias do Horácio nos gibis.

      Excluir
  2. Quando criança eu pouco entendia as historias do Horácio mesmo... Hoje vendo e revendo percebo melhor, e concordo com o que você diz sobre a interpretação ser muito individual, aliás Horácio é outro que anda sumido atualmente... Será que ele também nao se enquadra aos novos (e chatos) padrões da MSP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendia também e não achava graça, só depois relendo que dá pra entender e pelo menos interpretar de alguma forma. As vezes não é a interpretação que o Mauricio desejava, mas ele fazia de propósito pra dar um leque de interpretações e cada um julga o que quiser. Era bacana isso.

      Ele anda sumido sim, já nos anos 90 mesmo só saiam histórias dele de páginas semanais de jornais, e depois que acabaram as páginas parou de ter de vez, só uma vez ou outra, bem raramente, que teve histórias novas dele. Como a MSP não quer mostrar realidade nos gibis, aí se enquadra nesses padrões novos.

      Excluir
  3. MSP hoje so quer mostrar um mundo cor de rosa de fantasia às crianças... Lamentável, pois compromete cada vez mais a qualidade das histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje em dia nada pode traumatizar, tem que ser um mundo faz-de-conta que tudo dá certo e é mil maravilha. Nem final triste pode. Assim é muito chato.

      Excluir
  4. Será que os outros dinossauros não foram convidades antes pelo Horácio, pois eles também falavam outro idioma?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que dá pra entender ele só tinha convidado a dinossaura, aí ela aproveitou para chamar os outros também. Mas, claro, fica na interpretação de cada um.

      Excluir
  5. Ih, rapaz... já me fizeram de trouxa assim tb. Várias vezes. Sou daquele tipo de trouxão profissional.
    Abç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eles veem a bondade e aí pensa que a gente é idiota e abusa da boa vontade. Muito normal acontecer, infelizmente.

      Excluir
  6. Marcos, está havendo uma deformidade em sua página, no gadget favoritos. Alguns links estão expandindo exageradamente a imagem para a direita e provocando um dano ao leiaute. É o que me aparece aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Kleiton, os blogs que são da wordpress estão assim agora, deve ser algum erro do blogger. Eu não consegui mexer nisso pra voltar ao normal e não quero tirar miniatura de vez porque acho melhor pra visualizar quando tem postagens novas nos blogues de cada um. Se souber de alguma forma pra voltar as miniaturas dos blogues da wordpress do tamanho normal me avisa.

      Excluir
  7. Marcos, meu blogue continua ativo e em atividade, porém, operei mudanças nele, inclusive mudei automaticamente a URL. Estou comunicando porque suponho que as atualizações não apareçam mais a quem tem a URL anterior.

    Fiz uma postagem a respeito, explicando tudo - https://fabianosocializando.blogspot.com.br/

    Abraços. Se quiser, pode excluir esta postagemdepois de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Já fiz a alteração, tirando o link antigo e atualizando por esse.

      Excluir
  8. Valeu,Marcos.Nunca entendi esses caracteres no balão da dinossaura e esse saquinho na mão dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antigamente, pra simbolizar que a pessoa estava saindo de casa contrariada, usava-se colocar trouxinhas para simbolizar que a pessoa estava levando consigo seus pertences mais básicos. O lance do saquinho deve ser algo nesse sentido, suponho... mas o saquinho em si já dá margem para várias interpretações.

      Excluir
    2. O que deu pra entender que ela era de bem longe, vindo só com seus pertences básicos (o saquinho) e foi parar na aldeia do Horácio. O idioma é pra dizer que ela era estrangeira e falava uma língua diferente do Horácio e não era pra ninguém entender.

      Excluir
  9. Marcos:imagem fora de contexto:

    https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwjc8ZHTrbnOAhWGipAKHXxyD0IQjRwIBw&url=http%3A%2F%2Fwww.buzzfeed.com%2Frafaelcapanema%2Fturma-da-monica-voce-nunca-reparou&psig=AFQjCNHH-qHLPoRn6_6e3xoOqa19Ag_bCw&ust=1471004673182755

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabia quase tudo daí. O short do Cascão que realmente nunca prestei atenção e é errado dizer que Cascão não tem produtos de higiene, já vi shampoo dele em forma de boneco, por exemplo. É raro ter, mas existem sim.

      Excluir