quarta-feira, 1 de junho de 2016

Chico Bento: HQ "Coisa Séria"

Compartilho uma história de quando o Chico Bento e Rosinha resolveram se casar escondido na igreja. Com 6 páginas no total, foi história de abertura publicada em 'Chico Bento Nº 85' (Ed. Globo, 1990).

Capa de 'Chico Bento Nº 85' (Ed. Globo, 1990)

Nela, Rosinha sonha que está se casando com o Chico na igreja com muitos convidados, quando o Chico a acorda, perguntando por que ela estava com cara de boba. Rosinha diz que é porque estava pensando no casamento deles. Chico fala que eles ainda são muito crianças, mas que um dia vão se casar sim.


Eles ficam de mãos dadas continuando a namorar e o pai da Rosinha aparece reclamando por que eles estão de mãos dadas. Rosinha tenta explicar, mas o pai a leva para casa porque não quer ver a filha namorando. Chico Bento fica brabo, mas logo tem uma ideia e corre para a casa da Rosinha, que estava triste na janela.

Rosinha fica feliz em ver o Chico e ele diz que estava pensando. Rosinha interrompe dizendo que ele é maluco, mas logo completa que é por causa do pai pegá-lo lá. Chico diz que é para eles se casarem e o pai não precisa saber. Com isso, eles vão a igreja falar com o Padre Lino.


Eles falam que querem se casar. O Padre Lino dá uma gargalhada e pergunta para quando vai ser. Eles falam que é para agora porque eles fugiram e vão se casar escondidos. Padre Lino pergunta aonde estão as testemunhas e Chico diz que vão arrumar. Logo depois, eles voltam com Zé Lelé e Ritinha, que serão os padrinhos. 

Padre Lino fica sem graça e diz que vai começar o casório, mas lembra que o casal não fez cursinho. Chico fala que ainda estão no primário e Padre Lino responde que é um cursinho  de casamento com outros casais para saber se conhecem um ao outro. Ele pergunta se a Rosinha sabe que o Chico ronca, já que a mãe dele havia falado, e diz ainda que não pode sair para roubar goiaba e deixa a esposa em casa, não pode gastar todo dinheiro em doces, que tem que ter uma casa, sustentar os filhos.


Chico Bento e Rosinha ficam assustados com o que o padre falou e Rosinha dá desculpa que esqueceu de fazer o dever de casa da escola e o Chico que tem que ajudar o pai na roça e vão embora, levando Zé Lelé e Ritinha. Padre Lino pergunta pelo casamento e eles falam que fica para outra vez. Quando vão embora, Padre Lino comenta que as crianças não sabem o que é casamento, mas dá uma olhada na janela, vendo tantos casais na rua discutindo até na frente do filho, se separando e até galo e galinha brigando, ele fica se perguntando se são só as crianças que não sabem o que é casamento.


História muito bacana, mostrando a inocência das crianças em relação ao casamento, que pensam que é só ir na igreja e receber bênção do padre. E, através do Padre Lino, mostra que não é só isso, mas claro, explicando sob a ótica das crianças para que possam entender. E ainda terminou com uma lição de moral e reflexão que muitos adultos não sabem também o valor de um casamento. Coloquei completa na postagem.


Eu gostava de histórias do Chico aprontando com o Padre Lino. Curiosamente, ele foi só chamado de "seu vigário" em vez de ser chamado pelo nome, mas na época, ele já era chamado de Padre Lino. As vezes tinham histórias com o pai da Rosinha implicando com o namoro da filha com o Chico, rendendo boas histórias assim. Essa história marcou a volta da Ritinha aos gibis, mesmo que como uma participação. Ela estreou em alguma história dos anos 70, como mostrou o álbum de figurinhas de 1979 e ficou sumida até voltar nessa. A partir de 1991, na história "Intrigas da oposição", de 'Chico Bento Nº 104', ela começou a fazer participações mais significativas, não sendo só uma participação como amiga deles.


Os traços muito bons também, com contornos bem grossos como eu gosto. Na época era muito comum ter histórias começando com uma cena de um fato que ia acontecer nela e um narrador se perguntando como aconteceu isso e que só lendo a história para saber como aconteceu. Por exemplo, em "Não sou cachorro, não", de 'Magali Nº 38', de 1990, aparece o Mingau transformado em um cachorro no primeiro quadrinho, e pra saber como foi que ele virou cachorro, só lendo a história. Normalmente, essa cena em destaque de primeiro quadrinho poderia ser a capa do gibi, caso fosse com alusão à história de abertura.

6 comentários:

  1. Desenhos bonitos, realmente, apesar da Napa gigantesca do Chico. Uma curiosidade é a Rosinha estar com laços na orelha. As vezes ela aparecia com eles, mas as vezes sem. Prevalecendo, hoje, sem.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, ela aparecia com laços na orelha. Gostava bastante. Ficava mais bonita. :D

      Abraços

      Excluir
  2. Muito DEZ nunca tinha lido antes e esse padre tá bem diferente não? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, os traços ficaram diferentes. Gostei assim.

      Excluir