quinta-feira, 17 de março de 2016

Penadinho: HQ "A verdade sobre as pernas curtas"


Mostro uma história curta e bem interessante em que o Penadinho esclarece como morreu e ficou com as pernas curtas. Com 4 páginas no total, foi publicada em 'Cascão Nº 167' (Ed. Globo, 1993).

Capa de 'Cascão Nº 167' (Ed. Globo, 19930

Nela, a Alminha fica cismada e achando graça das pernas curtas do Penadinho e pergunta para ele como era quando era vivo. Zé Vampir e Muminho ouvem a conversa e começam a zoar o Penadinho. O Zé Vampir diz que ele era um anão. Muminho intervém e fala que ele não era um humano, e, sim, um pato. Ainda falam que ele foi um sapo, um duende e um marciano, sempre com eles imaginando a figura bizarra que falam.


Penadinho fica uma fera e fala com eles como foi quando vivo, fala que foi um humano normal, bem apanhado. Era um atleta bem alto, jogava basquete, fazia corrida de obstáculos. As garotas viviam paquerando e ele ainda ganhou um troféu do homem das pernas mais bonitas. 

Os seus amigos não acreditam na história, falando que era só olhar para ele pra ver que tem pernas curtas. Penadinho reponde que é porque não sabem do que foi do que ele morreu. Ele conta, então, que estacionou o carro distraído em um ferro-velho e acabou sendo esmagado dentro do carro por um compactador de metais de 1 tonelada, terminando assim.


Muito legal, sempre interessante histórias que mostram como os personagens foram parar no cemitério. Como nos gibis os fantasmas assumem a forma do corpo que tinha de quando morreu, foi uma boa alternativa do Penadinho ter essa forma de pernas curtas. Os traços achei muito bons e bem desenhados. Na postagem a coloquei completa. Pena que nunca é uma versão oficial porque sempre que retornam ao tema, mudam a forma que morreu. Até mesmo quando mostrava a família do Penadinho quando ele era vivo, sempre foi diferente a cada história. É que cronologia nunca foi o ponto alto da MSP, até porque tem vários roteiristas escrevendo e eles não pesquisam o que aconteceu antes.


Por exemplo, dizem que teve uma história que o Penadinho quando vivo foi atacado por um tubarão, que mordeu suas pernas. Porém, teve outra história, entre 1994 a 1996, falando que o Penadinho morreu dessa forma de ser esmagado por um compactador de metais, Infelizmente não lembro qual gibi foi, sendo que nela todos estão reunidos no cemitério conversando e contando como foram parar no cemitério e o Penadinho fala disso. Então, como o dele foram 2 histórias que tiveram esse motivo de causa da morte, pode ser considerada mais oficial.


Sempre costumava ter histórias da Turma do Penadinho nos gibis, sendo que as desse núcleo e as do Bidu que saíam nos gibis do Cascão eram mais curtas porque os gibis quinzenais tinham 36 páginas e tinham que dar mais prioridade ao Cascão enquanto que nos gibis da Mônica e Cebolinha eram mais desenvolvidas por terem mais páginas. Já nos gibis da Magali só passaram a ter histórias do Penadinho e da Turma da Tina a partir de 2003, quando o gibi dela começou a ser mensal, já que antes eram só histórias dela, além de Mingau e Dudu como secundários. 

25 comentários:

  1. Eu preferia que os gibis voltassem a ter 36 paginas, ainda que permanecessem mensais, pois as histórias não podiam ser tao longas. Até podiam, mas não enrilavam tanto a toa.
    Também gostava que a Magali tivesse apenas HQs com seu núcleo próprio. Variava um pouco esse mix em relação às demais revistas da turma.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Com 36 páginas, as histórias eram mais objetivas e sem encheção de linguiça. Eram melhores sem dúvida.

      E também gostava dos gibis da Magali só com histórias dela e da sua turma. Quando não era história dela, tinha Mingau e Dudu e as vezes até Quinzinho. Hoje em dia por incrível que pareça, a própria Magali quase não aparece no seu gibi, enche de histórias com secundários. Muitas vezes a Magali fica apagada.

      Abraços

      Excluir
    2. Tenho duas edições da Magali pela Panini. Achei bem divertidas. Mas acho que tive sorte. Eu preferia ela com 36 páginas e um mix coerente com seu núcleo próprio.
      Um abraço.

      Excluir
    3. Um ou outro gibi atual se salva, vc teve sorte. Hj quase não tem hqs da Magali e quando tem não é sobre comida. Muito melhor a fase quinzenal dela.

      Abraço

      Excluir
  2. Eu acho que não iriam republicar essa HQ,porque,não se pode mais falar de morte,e bláblá.Sério,são personagens mortos e não pode falar de morte?Não faz sentido algum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho isso, e não só pelo tema de morte, mas também por ter um final triste e atualmente eles não colocam histórias com finais tristes. Por isso ela não deixa de ser impublicável.

      Excluir
    2. Xi, Marcos, me desculpe em dizer, mas essa história do Penadinho na postagem já foi republicada sim. De acordo com o Guia dos Quadrinhos, "A Verdade sobre as Pernas Curtas" foi republicada no Almanaque do Cascão nº 74 de 2003, mas eu acredito que não iriam republicá-la de novo.

      Abraços!!!

      Excluir
    3. Então, Daniel, na Globo eles republicavam as histórias incorretas e sem alterações, mesmo nos anos 2000 que não estavam mais fazendo histórias assim. Na Panini, principalmente a partir de 2013 que passaram a não republicar ou senão fazem aquelas mudanças toscas.

      Mas quando falo impublicável, é mais o fato de que se fossem fazer essa história atualmente, ela não seria aprovada por causa do final triste. Quem sabe, republicam novamente, mas fazer história nova assim com esse tema acho difícil.

      Excluir
  3. Essa história foi muito interessante, Marcos! É muito bom saber como o Penadinho morreu, apesar de que achei o final dessa história um pouco quanto triste, né?

    E já que o final foi meio triste, é claro que ela nunca seria republicada. Mas infelizmente, para a sorte de muitos e azar de outros, ela foi republicada sim, e foi no Almanaque do Cascão nº 74 de 2003. Eu só não duvido que republicaram de novo.

    Pra terminar, queria dizer que eu tenho esse gibi do Cascão nº 167 na minha coleção, e ele é muito bom, principalmente a HQ O Luxo e o Lixo, que abre a edição.

    Aquele abraço e que você tenha um bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, talvez até republicariam novamente, mas fazer uma história nova semelhante como essa não fariam hoje em dia. Legal que você tem esse gibi do Cascão, é muito bom sim.

      Bom dia pra você. Abraço

      Excluir
  4. Bem legal saber que cada roteirista tinha sua própria versão da morte do Penadinho, mas eu acho que eles deveriam pesquisar mais para fazer os roteiros e a MSP para a cronologia. Que nem, gibi da Mônica desse mês fala da boneca tenebrosa, eu pensei que no final ela iria fugir para voltar depois com um plano legal, mas não é nada disso.
    Eu já tinha ouvido falar dessa história mas nunca tinha lido, obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim sem cronologia não fica uma coisa padronizada. Não que seja ruim, afinal fica a visão do roteirista para os personagens, mas não dá pra ter uma ideia do que aconteceu de forma oficial.

      A boneca tenebrosa foi criada pelo Emerson. Quando outro roteirista utiliza não fica com as mesmas características comparado quando o Emerson escreve. A mesma coisa a Bruxa Viviane, também criada pelo Emerson, que ficou muita descaracterizada, sem aquela perversidade original quando ela apareceu na história da Magali 500, escrita pelo Flavio.

      Valeu por ter gostado da postagem. :)

      Excluir
  5. Eu só consegui pensar: que moral a alminha tem pra falar das pernas do penadinho?? As dela são iguais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk... verdade, eles são do mesmo tamanho e pernas iguais rs.

      Excluir
  6. Eu ás vezes achava que o Penadinho e o Zé Vampir fossem crianças porque eles são baixinho. Mas aí eu ficava na dúvida porque em muitas histórias eles faziam coisas de adulto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles são adultos, só o tamanho deles que parecem de crianças, principalmente o Penadinho.

      Excluir
  7. Uma justificativa bem criativa. Acho legal cada roteirista ter sua versão da morte do Penadinho, pois fica diversificado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi muito criativa sim. Ao menos a gente vê a visão de cada roteirista da causa de morte dele. Abraços

      Excluir
  8. Hey, Marcos. Conhece a história que mostra a maneira de como o Cranicola morreu? Na verdade, não é bem mostrando a história toda como ele morreu, mas no começo da história, mostra que ele foi decepado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, conheço. Foi decepado mesmo. Eu li republicada no Almanaque do Chico Bento nº 28 (Globo, 1994).

      Excluir
  9. Tenho um gibi da magali em que o franjinha acelera o ftempo enquanto a dona morte vai domir e viaja no tempo uns 300 anos e la a dona morte encontra o penadinho com pernas longas ja que ele havia reencarnado 4 vezes e na última encarnação ele era uma pessoa alta
    Pena q o gibi é de 2007 não sei se republicariam novamente ja q la cita como os outros personagens morreram e reencarnaram
    A revista é magali nº 10 de 2007

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal! Não conhecia essa hq. Talvez republiquem quando colocarem hqs da Panini nos almanaques.

      Excluir
    2. Se quiser marcos, posso te mandar as fotos das paginas por email da hq q te falei

      Excluir
    3. Depois que vc falou encontrei esse gibi e vi essa história do Penadinho. Nesse mesmo gibi, aliás, a história Da Magali de olhos vidrados, quanta enrolação nela. 10 páginas mudas, onde simplesmente podia ter resumido no máximo em 3 páginas.

      Excluir