sábado, 19 de dezembro de 2015

Magali: HQ "Papai Noel Mestre-Cuca"

A história que mostro nessa postagem é com o Papai Noel precisando preparar uma torta de maçã para a Magali. Com 6 páginas no total, foi história de encerramento no gibi da 'Magali Nº 12' (Ed. Globo, 1989).

Capa de 'Magali Nº 12' (Ed. Globo, 1989)

Papai Noel está terminando de calçar suas botas, quando o duende Baixinho fala para ele se apressar porque já era quase meia noite e tinha que levar os presentes da criançada. O duende fala também que checou tudo e os presentes estavam todos no saco e o Papai Noel sai com seu trenó e renas para entregar os presentes.


Durante o percurso, Papai Noel fica com fome e sente um cheiro gostoso que estava vindo do saco e quando vai ver era uma torta de maçã e come todinha, pensando que era uma surpresa do Duende Baixinho. Depois de comer, ele leva os presentes da criançada e a última casa que visita foi da Magali. Papai Noel não encontra nenhum presente no saco e pensa que o Duende Baixinho esqueceu de colocar e tenta voltar ao Polo Norte para saber o que aconteceu. Mas, ele derruba um vaso que estava perto da janela e acorda a Magali.


Magali pergunta se trouxe o presente que ela pediu e como ele diz que não, ela chora. Papai Noel fala para ela não chorar, que vai buscar no Polo Norte rapidinho e pergunta para ela o que foi que pediu. Magali diz que foi uma torta de maçã, e ele lembra que foi a que comeu no percurso, mas não conta para ela que comeu e tenta disfarçar perguntando desde quando torta de maçã é presente. Magali responde que desde quando ela pediu e ela quer uma torta de maçã.


Papai Noel diz que ela vai ter uma torta de maçã e pergunta se tem maçãs na geladeira. Ela diz que tem, mas quer saber o que vai fazer com as maçãs. Papai Noel responde que vai fazer uma torta para ela. Magali diz que não sabia que ele sabia fazer torta de maçã e ele responde que nem ele, deixando encucada. Ele prepara a torta e enquanto está no forno, Magali diz que o cheiro está horrível, mas Papai Noel diz pra ela não levar em conta a primeira impressão.


Sai um cheiro de queimado do forno e Papai Noel tira a torta de lá e entrega para Magali, desejando um feliz Natal. Magali não gosta do aspecto e diz que mudou de ideia e agora quer um bolo de chocolate. Como Papai Noel diz que vai preparar um, Magali, com medo de fazer outra porcaria, intervém e aceita a torta mesmo e agradece.

No final, Papai Noel vai embora, desejando um feliz Natal e ela lhe deseja igualmente. Ela vai na cozinha e vê a torta lá, não resiste e acaba comento toda, mesmo queimada, quente  e mal preparada. Assim que acaba de comer, dá dor de barriga nela e vai correndo ao banheiro, e diz que no ano que vem vai pedir um saco cheio de sal de frutas para o Papai Noel para não passar o Natal todo com diarreia de novo.


Muito boa essa história, dessa vez a Magali se deu mal, além de não ganhar a verdadeira torta de maçã por causa do Papai Noel guloso, no final, passou a noite de Natal toda com diarreia no banheiro. Também quem mandou ser gulosa e comer uma torta queimada inteira. Por causa da sua gula exagerada, Magali passava alguns constrangimentos assim. Era muito legal. 

Essa foi a primeira história de Natal da Magali no gibi dela. Também foi a única desse gibi, as outras foram todas normais. Na postagem a coloquei completa. De acordo com o roteirista, às vezes colocam histórias dos personagens contracenando com o Papai Noel, outras vezes com mistério se existe ou não.


Os traços ficaram encantadores, por sinal, o Papai Noel saindo de trenó com as renas na primeira página ficou sensacional e muito legal também a Magali de camisola. Muito caprichados esses desenhos. Enfim, uma história que vale a pena relembrar.

10 comentários:

  1. Isso mesmo, Marcos! Eu queria tanto que você falasse dessa história! Eu já conhecia ela, porque eu tive o gibi original da Magali nº 12, mas infelizmente não tenho mais esse gibi. Quem sabe, se tiver ele no sebo perto aqui de casa, eu compro ele na hora!

    Sobre a história, ela é mesmo sensacional e ainda tem um dos tipos de traços que respeito muito! Mas o melhor é que eu fiquei sem palavras no final, quando a Magali fica com diarreia. Também, né, a gulodice absurda dela é o motivo da culpa.

    Por isso que é melhor a Magali antiga do que a atual, porque a antiga tinha um apetite tão grande, mas tão grande, que ela conseguia até devorar um gibi inteiro (ainda mais se for o dela)! Já a Magali de hoje está mais pra uma menininha bonitinha do que comilona, não é?

    Sobre as republicações dessa história, lá no Guia dos Quadrinhos diz que uma delas foi em Mônica Natal nº 7 de 2004, mas aposto que, como toda história natalina, ela foi republicada repetidamente num montão de vezes.

    Então, dedico essa história como um marco na época de ouro da Magali. Não só da fase comilona, como também a época em que o gibi dela dava muito gosto de ler. E que gosto, hein?

    Também não se esquece de me desejar boa sorte pra procurar o gibi original, tá?

    Uma boa noite pra você, Marcos! Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida uma fase d eouro da Magali. Eu gostei muito com ela com diarreia. Tinha muito isso da Magali se dar mal por causa da sua gulodice, que não deixava de ser uma lição de moral, para as crianças não seguirem o exemplo da Magali vendo aquilo que aconteceu com ela.

      Essa aí foi republicada algumas vezes, tenho republicada só no Mônica Natal nº 3 de 1997, mas foram outras vezes sim além desses 2 almanaques.

      Boa sorte pra encontrar esse gibi da Magali nº 12 e os almanaques q foram republicadas essas hqs. Abraços

      Excluir
  2. Realmente essa história vale pelo gibi da Magali desse mês. Se os gibis atuais tivessem esses traços, seria incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os desenhos dessa hq ficaram fantásticos. Não fazem mais desenhos como esse, infelizmente.

      Excluir
  3. Eram os desenhos típicos da época. Muito bons, por sinal. Não precisavam mudar mais o estilo. Se fossem assim até hoje, me agradaria bastante.
    Sobre a Magali ser comilona, não tenho acompanhado a revista. A última que tenho e a nova número 1. Parece que ela ainda come assim. Porém, resolveram colocar atributos que distraem o leitor, remetendo as lembranças a algum tipo de contos de fadas ou personagens de cunho popular como fadas, bruxas, fantasmas etc. Já são tantas edições seguidas com essa característica que começo a me convencer que não há um caminho de volta. Acho que isso será permanente.

    Boa semana, Marcos! Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela come hj em dia, mas não aqueles absurdos de antigamente e nem tem o lado egoísta q tinha. Tipo, nessa capa desse gibi da Magali 12, mostra uma Magali egoísta, escondendo a melancia na boca fingindo ser seu sorriso só para não dividir com o Quinzinho. Isso tbm não tem hj. Uma pena as hqs dela agora serem só com contos de fadas e magia. De vez em quando até tudo bem, mas toda edição cansa.

      Boa semana pra vc. Abraço

      Excluir
  4. Desculpe fugir do assunto, mas hoje dei uma folheada rápida no Almanaque do Cebolinha 54 e tive a impressão de que tem uma ou duas HQs da Editora Abril nele. Talvez bem da época da transição entre Abril e Globo Será??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas hqs não são da Abril, e, sim da Globo. A hq do foguete é de CB # 6, de 1987 e a que ele se transforma em coelho é de CB # 23, de 1988. Já as outras são mais novas da Globo.

      Excluir
  5. O Papai Noel é péssimo cozinheiro, hein?

    ResponderExcluir