sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Cebolinha e a turma: HQ "Marcados para morrer"

No dia de sexta-feira 13 mostro uma história de terror de quando Cebolinha, Mônica e Magali foram ameaçados de morte. Ela tem 15 páginas no total e foi publicada em 'Cebolinha Nº 68' (Ed. Globo, 1992).

Capa de 'Cebolinha Nº 68' (Ed. Globo, 1992)

Nela, o Cebolinha está brincando de carrinho em casa quando tocam a campainha. Quando ele atende, não vê ninguém e fica brabo, voltando para dentro de casa. Mas, percebe que tinha um bilhete pendurado no lado de fora da porta e vai ver. O bilhete diz; "Cebolinha! Prepare-se! Essa noite será o fim!", sem assinatura e só com uma mancha vermelha.


Cebolinha acredita, então, que está marcado para morrer, que nem os filmes de detetive a que ele assiste e sai correndo desesperado para a cozinha se esconder debaixo do avental da sua mãe. Ele diz que está marcado para morrer e Dona Cebola não acredita, mandando sair da cozinha porque ela tem muito o que fazer.


Na rua, Cebolinha reclama que as mães nunca levam os filhos a sério, quando encontra a Magali, que pergunta se ele está falando sozinho e oferece salgadinho que ela está comendo, que acaba comendo todos de uma vez só antes dele dá a resposta. Cebolinha diz que está marcado para morrer, que deixaram um bilhete na porta dele. Magali pergunta quem poderia querer matá-lo e Cebolinha diz que um supercriminoso vindo do futuro para acabar com ele antes de se tornar um grande detetive que vai ser, ou o Marcão da rua de cima que descobriu que ele roubou no jogo de bafo. 


Magali acha muita besteira e Cebolinha pergunta o que ela faria se estivesse marcada para morrer. Ela diz que aproveitaria o tempo que restasse para encher a cara de melancia. Cebolinha, brabo, fala que ele está falando sério, aí ela diz que talvez contratasse alguém para protegê-la. Cebolinha tem a ideia, então, de chamar a Mônica e vai embora. Magali o chama de bobinho, que só ele para acreditar naquela besteira toda e vai para casa. Chegando lá, ela encontra também um bilhete na porta com mancha e com a mesma mensagem: "Magali! Lembre-se! Essa noite será o fim!" e ela desmaia.


Enquanto isso, Cebolinha vai atrás da Mônica, que dá uma coelhada nele quando se aproxima da casa dela e pergunta quem vem vindo. Cebolinha pergunta porque atirar primeiro e perguntar depois. Mônica, com cara de medo, diz que todo cuidado é pouco. Cebolinha diz que a chamou para protegê-lo, mas Mônica diz que não vai dar porque está muito ocupada, protegendo a ela mesma. Ela diz que recebeu um bilhete ameaçando que está marcada para morrer. Cebolinha diz que também recebeu, quando Magali aparece aflita cheia de melancias. Ela diz que não tem tempo para conversar porque tem que aproveitar para comer tudo que puder porque está sendo ameaçada de morte.


Cebolinha diz que está todo mundo correndo perigo e eles têm que ficar juntos para ser mais difícil serem pegos de surpresa. E vão conferir se mais alguém da turma está sendo ameaçado. Eles vão na casa do Cascão e levam o maior susto quando vê o quarto cheio de marcas de sangue. Eles ficam desesperados com o fato do assassino ter chegado lá primeiro e liquidado o Cascão. Mônica e Magali tentam desmaiar, mas o Cebolinha diz que é melhor não porque está anoitecendo e não podem deixar o assassino pegá-los. 


Eles correm para a casa do Cebolinha e chegando lá, ele pede para Dona Cebola levar o jantar na sala porque é mais fácil de fugir, com Dona Cebola não entendendo nada. Quando ela leva o jantar, encontra os 3 enrolados em um cobertor e cheios de apetrechos como rolo de macarrão para poder pegar o assassino e manda a mãe deixar os pratos na mesa de centro. Cebolinha tenta dar ordem de irem devagarinho pegar a janta, mas Magali corre para comer. Cebolinha a manda voltar para o posto dela, que recusa porque aquela pode ser a sua última refeição.


Mônica tenta ligar a televisão para relaxar, mas Cebolinha não deixa porque eles não podem distrair um segundo sequer. Os 3 voltam ao posto com missão de vigiar a porta, se caso o assassino chegar, eles atacarem. Passam as horas, até que de repente aparece um vulto. Eles partem para cima a vassouradas, mas quando veem, era o pai do Cebolinha, Seu Cebola, que estava querendo dar boa noite a eles. Cebolinha diz ao pai que pensavam que era o assassino sanguinário.


Seu Cebola vai embora e eles voltam ao posto, reclamando se o assassino não virá, que não aguentam mais olhar para a porta. Eis que surge uma voz tenebrosa, perguntando se estão esperando por ele. Quando olham a janela, eles gritam de susto com o vulto de um cara com uma faca na mão. Eles se ajoelham e imploram para poupá-los, para não fazer nenhum mal e querendo saber o que quer com eles. Fala que é para eles ligarem a televisão e quando veem era o Cascão com capa de chuva e guarda-chuva, falando que não dá para ficar na frente da TV com ela desligada.


A turma fica feliz que ele ainda está vivo e perguntam como ele escapou do assassino. Cascão diz que não sabe do que estão falando. Ele fala para depois explicarem porque era o dia do último capítulo do seriado "O Caso da Mancha Vermelha". Cebolinha diz que nem lembrava disso e Cascão pergunta se eles não viram os bilhetes que havia deixado nas portas deles que hoje à noite seria o fim e que até colocou uma mancha vermelha para entenderem. Como a TV do Cascão estava quebrada, ele teria que assistir na casa de um deles. Mônica pergunta que manchas vermelhas eram aquelas no quarto dele e Cascão diz que a caneta estourou na hora que estava escrevendo os bilhetes e sujou tudo, tentou limpar com as mãos, mas piorou ainda mais e a mãe dele ficou uma fera.


Mônica, Cebolinha e Magali ficam brabos e tentam partir pra cima dele. Logo depois, um telefone toca. Era o Cascão telefonando para polícia falando que estava marcado. O policial pergunta se está marcado para morrer, e Cascão diz que era marcado para apanhar, com ele escondido e a turma atrás dele superbrabos, terminando assim.


Essa história é muito engraçada e bem bolada. É de rachar de rir com eles pensando que vão morrer por causa de um bilhete de um assassino sanguinário e as mil coisas que imaginam por causa disso. Muito boa a cara deles quando pensam que o Cascão foi assassinado e quando aparece o vulto na janela do suposto assassino antes de revelar que era o Cascão dava até pra pensar que era mesmo.  

Tiveram uns pequenos erros com palavras "Grrr" e "Iiiirrc" do Cebolinha saindo com "R" e poderiam ter pintado a mancha dos bilhetes de vermelho para condizer com a história. Na postagem a coloquei completa. Ela é impublicável pelo tema ser sobre ameaça de morte e os personagens envolvidos com assassino sanguinário e querendo reagir, mesmo que seja de brincadeira não é permitido isso atualmente.


Os traços foram sensacionais, com contornos bem grossos e com direito a só com as sobrancelhas nos olhos, sem deixar com fundo branco, em alguns quadrinhos, com a finalidade expressar sentimento com intensidade, como só com riscos no olho para demonstrar que estavam emocionados ou bem tristes ou com uma curva para baixo no meio dos olhos para demonstrar que estava com muita raiva. Legal também colocarem só o rosto do Cebolinha em um dos quadrinhos da 2ª página (página 4 do gibi) para demonstrar o desespero dele. Ficou bem diferente isso. A arte no título foi ótima também, com um ar de filme de terror.

8 comentários:

  1. As melhores histórias são impublicáveis hoje em dia. A saída seria os almanaques, mas nem eles escaparam... Realmente muito engraçada e traços perfeitos! Ah, eu também gostaria que você mostrasse ( se tiver tempo) a história ''Cadê a boca" da Magali da última postagem, pois eu estava há muito tempo procurando ela, já que a última vez que eu à li foi em 2010! Valeu e continue com o seu exelente trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio. Com certeza as impublicáveis são as melhores. Nem nos almanaques a gente vê e quando tem faz aquelas terríveis alterações q ninguém merece.

      Sobre essa hq "Cadê a boca" é muito legal. Não dá pra falar tão cedo porque a hq ainda está disponível em bancas, mas quando der posso postar. Como ainda está vendendo nas bancas, uma dica é vc folhear o Almanaque Temático 36 e ler na banca de jornal mesmo, já q ela não é grande.

      E também mostrei um trecho dela quando falei do livro "As melhores Histórias da Magali" da editora L&PM de 1991.

      http://arquivosturmadamonica.blogspot.com.br/2015/07/livro-lpm-as-melhores-historias-da-magali.html

      Excluir
  2. Não seria melhor se eles tentassem dar um banho no Cascão ao invés de tentarem bater nele? pois pro Cascão água é pior que surra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que seria legal se eles quisessem dar banho no Cascão, q aí o castigo seria pior para ele. Mas apanhar ele não gosta tbm rsrs.

      Excluir
  3. Historias de terror da tm, a unica q tive contato foi uma do cebolinha e do louco, em que a televisão do cebolinha fica maluca, daí sai de dentro a sexta feira treze, o freddy krueger, etc...muito bom o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa hq aí do Louco é muito legal tbm. Valeu por ter gostado. :)

      Excluir
  4. A Magali cheia de melancia dizendo "Agora não!" me fez rir alto. Essas carinhas de intensidade são anos luz melhores.
    Adorei a HQ. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk... pra Magali comer é mais importante. Tem várias partes muito engraçadas, de rachar de rir. Muito boa essa hq. Abraços

      Excluir