quinta-feira, 23 de julho de 2015

Piteco: HQ "Casado?"

Nessa postagem compartilho uma história do Piteco em que ele misteriosamente acorda casado com a Thuga da noite para o dia. Com 6 páginas no total, foi publicada originalmente em 'Cebolinha Nº 123' (Ed. Abril, 1983).

Capa de 'Cebolinha Nº 123' (Ed. Abril, 1983)

Nela, Piteco acorda e Thuga pergunta se ele já acordou. Piteco responde que sim porque não dorme de olhos abertos. Ele estranha a Thuga lá e logo quer saber o que ela estava fazendo na sua caverna. Thuga responde que era aonde a esposa dele deveria estar. Piteco estranha ela falar esposa e ela diz que eles se casaram na noite passada. Thuga o abraça, falando que ele tem memória fraca e Piteco diz é que está sem memória.


Thuga vai preparar o almoço e Piteco diz que ele acordou agora. Thuga responde que ninguém mandou levantar tarde. Enquanto ela está preparando o almoço, Piteco continua sem entender nada, se perguntando como ele pôde casar com a Thuga, que devia estar de pileque. Piteco se convence que era um sonho e se belisca, e aí percebe que não era sonho, mas ele continua sem se lembrar do casamento. Ele fica no lado de fora da caverna e vê a Ogra, que pergunta como vai a vida de casado, deixando mais encucado ainda.


Thuga aparece, falando que o almoço está servido, mas Piteco diz que não está com fome e vai dar uma volta. Ele caminha pela Aldeia de Lem triste e chora na beira do riacho. Então, aparece um amigo dele, perguntando como vai. Piteco fala que está péssimo porque se casou. O amigo pergunta se foi com a Irene, uma morena-cafe que ele gostava, e Piteco responde que foi com a Thuga. O amigo estranha, porque o Piteco vivia fugindo dela, e Piteco responde que não sabe como, que quando acordou já estava casado. O amigo acha que isso foi um truque e dá dicas para o Piteco descobrir isso e se livrar dela.


Mais tarde, Piteco volta para casa e passa a tratar a Thuga com grosseria. Ela pergunta se ele já voltou e ele diz que ainda está no lado de fora. Fala que está de mau humor porque está com fome e ela vai buscar o almoço. Ele dá uma mordida e diz que aquele pernil de brontossauro estava horrível. Thuga diz que é pernil de dinossauro e lamenta porque ela tinha caprichado tanto. Piteco, então, resolve dormir, e ronca alto para caramba, ensurdecendo a Thuga.


Quando Piteco acorda, Thuga pergunta se ele dormiu bem, já querendo abraçá-lo e Piteco fala que nunca dormiu tão mal e que vai sair com os amigos, deixando ela de braços abertos no vácuo. Thuga se irrita, dizendo que ele tem que ficar com ela. Piteco pergunta se ela sabe jogar truco e ela diz que se não ficar com ela, pede o divórcio. Ele diz que não porque ainda não inventaram isso. Thuga o chama de machista e fala que vai embora e ele diz que não porque lugar de mulher é em casa. Ela, então, revela que não é esposa dele, que foi tudo um plano dela com a Ogra para eles ficarem juntos.

Thuga percebe que falou demais e Piteco comemora que se livrou dela. O jeito foi Thuga ter que ir embora da caverna dele e Piteco ainda dá um adeuzinho para ela. No final, ele vê sua caverna arrumada, e fica comentando que a casa está arrumadinha, o pernil estava uma delícia e se lamenta que foi tão grosseiro com ela, ficando claro que gostou do momento que morou com ela.


Acho essa história legal mostrando um plano da Thuga para ver se o Piteco gosta da vida de casado. Como era de costume, não é só Cebolinha que bola planos infalíveis, qualquer personagem podia bolar os seus, atendendo a seus interesses. Vimos um Piteco grosseiro, tudo para manter sua fama de solteirão, mas no fundo gostou do seu momento de casado. 

Mostra umas tiradas engraçadas e muito bom ver também a nossa vida moderna adaptada para a pré-história, coisa comum nas histórias do Piteco, como o casamento e em momentos do Piteco falando que estava de pileque, Thuga falando sobre divórcio, coisas que não existiam na época.


Os traços maravilhosos, com uma arte-final incrível. Na postagem a coloquei completa. Chama a atenção também de propagandas dos lápis de cor da "Labra" inseridas na lateral direita das páginas da história. Era muito comum na época ter anúncios assim inseridos nas laterias e rodapé das histórias. Na postagem, fiz questão de manter nas imagens. 

Para constar, essa história do Piteco foi republicada no 'Almanaque do Cebolinha Nº 24' (Ed. Globo, 1994). Abaixo, a capa desse almanaque:

Capa de 'Almanaque do Cebolinha Nº 24' (Ed. Globo, 1994)

10 comentários:

  1. Espetacular: roteiro,traços..nunca tinha lido está antes!! xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Xandro. Roteiro muito bom e traços fantásticos. Valeu. :D

      Excluir
  2. Quando comecei à ler a postagem,já comecei à pensar"Ah,é um plano".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo... para o Piteco se casar, só se for um plano ou sonho rsrs.

      Excluir
  3. Oi Marcos, que legal esta hq do Piteco, dos tempos que faziam ótimos roteiros e desenhos. São memórias assim que nos fazem acreditar, que a Turma da Monica pode voltar a produzir histórias muito boas, e que possam agradar todos os públicos. Obrigado pela postagem. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa hq é muito legal, bem caprichada. Eles já produziram muitas hqs boas, hj em dia acho muito difícil voltar ao estilo como era antes, tanto roteiros e traços. Até as letras nos gibis novos são horrorosas agora, tudo digitais. Prefiro os gibis antigos sem dúvida.

      Legal q vc gostou da postagem. Abraços

      Excluir
  4. Oi Marcos! Ótima HQ, não conhecia! Adorava as histórias desses dois... é pena que nos gibis atuais parece não haver mais espaço para situações de "será que eles se gostam?", os autores parecem fugir das sutilezas e não deixam mais o leitor na dúvida... dia desses, estava folheando um gibi na banca e a Thuga se referiu ao Piteco como namorado, argh!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa essa hq. Uma pena eles mudarem essa relação do Piteco e Thuga hj em dia. Era bem melhor essa dúvida. São esses pequenos detalhes é q fazem a diferença... desse jeito descaracteriza os personagens,

      Excluir
  5. Oi Marcos! Estou procurando uma história do Piteco e queria saber se você pode me ajudar. É uma história que começa mostrando diferentes "descobertas" em duas tribos. Em uma tribo, inventa-se a roda e em outra, a mesma invenção é usada para um "guarda-chuva" de pedra. Depois disso, não lembro como, o Piteco vai parar nessa tribo do guarda-chuva e o rei, tirano, desafio ele para um duelo de poder. Aquele que tiver mais posses ganhará o reino. Porém, as regras valorizam o peso e não a quantidade de posses. O rei tem várias posses mas as representa em um único saco, com um monte de pedrinhas e o piteco usa poucas pedras, porém enormes. Segundo as regras, quem ganha é aquele com as posses mais "pesadas" e o piteco acaba ganhando o trono e o repassa para o "inventor" da cidade, o cara que fez o guarda-chuva.
    Eu dou aula de matemática em uma turma de EJA e como estamos trabalhando massa/peso pensei em mostrar a história para eles. Mas não encontro em lugar nenhum!
    Obrigada desde já,
    Beijos,
    Barbara Heliodora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Barbara, eu li essa HQ, mas não lembro em qual gibi foi. Acho que foi por volta de 1998, mas não tenho certeza. Se eu encontrar, aviso aqui. Beijos

      Excluir