quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Bidu: HQ "Lugar quente demais para trabalhar"

Nessa postagem mostro uma história com o sufoco que o Bidu passou com o calor insuportável que estava fazendo na sua historinha. Ela tem 6 páginas e foi publicada em 'Cebolinha Nº 85' (Ed. Globo, 1994).

Capa de 'Cebolinha Nº 85' (Ed. Globo, 1994)

Começa o Bidu reclamando que não está aguentando o calor na história, quando encontra um ventilador e resolve papear com ele para aproveitar o vento gostoso. Só que de repente aparece a Fafá, a cachorrinha da moça que faz o controle de produção da MSP, e leva o ventilador, alegando que o Astronauta está com calor. 


Bidu reclama que o ventilador está com ele, e que também está com calor. Fafá manda procurar um ventilador e ele responde que já tinha um. Ela confirma que realmente tinha e não tem mais e o leva, sem querer saber de mais papo.


Bidu não se conforma com o que estava acontecendo, caminha um pouco e  logo encontra um leque no chão. Só que outros cachorros viram também e avançam para pegar o leque. Bidu tenta entrar na briga para pegar, mas já era tarde, porque um deles conseguiu vencer.

Com isso, Bidu tem a ideia de sair da página e entra no estúdio da MSP, com a intenção de procurar uma sala vazia com ar condicionado. Ele vai até o 5º andar pela escada, e quando chega lá. tem uma reunião na sala. Um deles pergunta se o Bidu deseja alguma coisa, e ele, sem graça, diz que queria saber se eles querem que tragam água ou café.


Bidu sai de lá, e consegue arrumar outra sala vazia. Ele acha muito grande, bonita e fresquinha. Bidu senta, aproveitando o conforto, achando que era o lugar que sempre sonhou trabalhar. Eis que surge o Mauricio de Sousa com empresários e pergunta o que o Bidu estava fazendo lá e que devia estar na historinha. Bidu reclama que o calor estava insuportável e que não aguentou ficar.

Mauricio fala que sabe como resolver isso e o leva de volta ao estúdio que estava sendo feito a sua historinha. Bidu volta para a história, ainda achando muito quente. Mauricio desenha uma praia para o Bidu se refrescar e passar férias. Ele adora, agradecendo o Mauricio, terminando assim.


É uma história simples e bem legal, com metalinguagem dos quadrinhos e ainda mostra um pouco a característica do Bidu conversar com objetos variados. Nessa história, que coloquei completa na postagem, ele conversou dessa vez com um ventilador por causa do calor insuportável. Gosto de histórias envolvendo metalinguagem, os bastidores da MSP e todos os seus absurdos. Nessa, a gente conheceu um pouco dos bastidores da MSP, uma sala de reunião e até a sala do Mauricio. 


Histórias do Bidu têm esse lado metalinguístico mesmo em sua maioria, mas o bom que ele tem vários universos também para variar, como o cachorro-ator, o que conversa com objetos ou cãozinho do Franjnha, que aí ele não fala. Os traços ficaram muito bacanas, muito comum na época.


A cachorrinha Fafá é uma referência à Fátima, coordenadora da MSP. Já apareceu outras vezes como cachorrinha nas histórias do Bidu, além dessa. Roteiristas e outros funcionários do estúdio ás vezes aparecem como cachorro nas histórias do Bidu, ficando uma dupla interpretação: ou são eles mesmos desenhados como cachorros, ou então são cachorros de estimação do pessoal do estúdio parecidos com eles, ficando, assim, a critério do leitor. Porém, nessa história, a cachorrinha Fafá foi tratada como a de estimação da coordenadora Fátima.

8 comentários:

  1. Demais a piada da capa...e engraçado vê o Bidu sair da HQ e visita MSP! :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, é legal essas hq metalinguísticas com os personagens saindo da hq e parando no estúdio. Gosto muito. E essa capa é muito boa mesmo.

      Excluir
  2. Oi, Marcos! O Bidu trata-se de um personagem que tenho um certo carinho. Não sei explicar porquê, mas gosto de ve-lo nos gibis da turma da Mônica. Uma pena que ele não aparece tanto como cãozinho do Franjinha em HQs propriamente assim. Mas, ainda assim, acho divertidas suas HQs conversando com a Dona Pedra e seus amigos cães. Historinhas assim, com essas metalinguagens, costumam ser bem legais.

    Abracos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, hqs com o Bidu como simples cãozinho do Franjinha fazem pouco. São muito boas tbm.

      Gosto de hqs de metalinguagens com qualquer personagem, mas claro q com o Bidu ficam melhores. Abraços

      Excluir
  3. Sempre gostei muito dessas histórias em que o Bidu aparece conversando com os objetos. Sempre rendem ótimas piadas. Atualmente eu percebo que se faz menos histórias assim (ao menos tenho essa impressão) e fazem muitas dele com o Zé Esquecido que eu particularmente não gosto muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hj eles fazem mesmo mais hqs com o Zé Esquecido ou com metalinguagens. As outras faces do Bidu estão pouco exploradas. Eu acho o Zé esquecido mais ou menos, mas muitas hqs com ele acho q fica meio cansativo.

      Excluir
  4. Eram muito boas as histórias do Bidu nos anos 90, principalmente aquelas em que ele se queixa com o Manfredo. As mais recentes até que não tem os roteiros tão ruins, o problema é que os desenhistas simplesmente deformam o Bidu em todas as expressões faciais. Eu pergunto como é que o Maurício de Sousa aprova isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os desenhos nos gibis novos andam deprimentes, tudo digitalizado, não dá pra entender como aprovam isso. Concordo q as vezes até q o roteiro não é tão ruim, mas vendo os traços daquele jeito desanima de comprar.

      Excluir