quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Rolo: HQ "No flagra"

Mostro uma história divertida em que o Rolo se meteu em encrenca quando resolveu pegar uma mulher enquanto a sua namorada estava viajando. Com 7 páginas, foi publicada originalmente em 'Mônica Nº 180' (Ed. Abril, 1985).

Capa de 'Mônica Nº 180' (Ed. Abril, 1985)

Rolo convida Sandrinha, uma amiga dele, para visitá-lo em sua casa, com a intenção de ficar com ela, aproveitando que a sua namorada estava viajando. Sandrinha aparece e, sem saber da sua verdadeira intenção, diz a ele que só foi porque ele disse que não está namorando, porque a outra garota ia ficar com ciúme com ela visitando a casa do namorado, mesmo que seja uma visita de  amizade.


Sandrinha ainda pede para confirmar se o Rolo não está namorando, e ele responde que está livre como um passarinho. Nessa hora, ele pensa, reconhecendo que é um cara-de-pau, que está saindo com a Martinha e se a Sandrinha soubesse, não ira visitá-lo e como sabe que está viajando, acha legal a cena que seria se a Martinha tocasse a campainha naquela hora.

 Rolo ri alto enquanto pensa e a Sandrinha pergunta o motivo da risada. Ele se enrola e fala no nome da Martinha e se engasga. Sandrinha pergunta do que ele a chamou, quando na hora a campainha toca. Primeiro, sente aliviado por tocar, pensando que tem que tomar cuidado. Quando atende a porta, dá de cara com a Martinha, que não foi viajar e resolveu visitá-lo.


Rolo fica com medo de ser flagrado com outra mulher e bate a porta na cara dela. Ele volta para sala e a Sandrinha pergunta quem era. Desorientado, diz que não era ninguém. A campainha volta a tocar insistentemente e a Sandrinha avisa que "ninguém" voltou a tocar. Rolo responde que não está ouvindo nada, colocando o dedo no ouvido dela. Ela afirma que está tocando e não está dando pra conversar. Enquanto Rolo fala que eles não precisam conversar, Sandrinha se levanta para atender. Quando ela atende, Rolo se ajoelha confessando que é um canalha. Mas, na hora, a Martinha não estava mais lá.


Rolo fica aliviado, e a Sandrinha fica sem entender nada. Nessa hora, Martinha aparece, falando que entrou pela porta dos fundos. Rolo, então, bate a porta, deixando a Sandrinha do lado de fora. Rolo diz que não atendeu porque a porta estava encrencada e a Sandrinha toca a campainha. Martinha grita, dizendo que a porta está encrencada. E o Rolo imediatamente a empurra, mandando ela ir lá fora tentar a porta para ele.


Sandrinha abre a porta furiosa e toma satisfações com o Rolo querendo saber por que a deixou do lado de fora e não abriu depois e que voz de mulher era aquela. Ele dá desculpa que está crescendo e a voz está mudando. Sandrinha responde que ele já é um marmanjo, quando a campainha volta a tocar. Ele avança na porta e diz que ninguém vai abrir a porta porque é ele quem manda na casa dele. Sandrinha lança um olhar de gelo para ele, que deixa ela abrir. Antes, implora para não abrir porque pode ser um bandido, um cão raivoso ou um monstro.


Quando a Sandrinha abre, tem a surpresa que ela e a Martinha se conheciam. Elas eram amigas de infância que não se viam há algum tempo e se abraçam. Rolo tenta se explicar, dando desculpas e as duas mandam calar a boca. No final, as duas ficam conversando e fofocando sobre o pessoal das antigas e deixa o Rolo brabo de lado no braço do sofá, sem nada o que fazer.


É uma história muito engraçada, mostrando o verdadeiro Rolo "pegador" que conhecemos, envolvido em confusão com a mulherada. Dessa vez, em vez uma só mulher, resolveu pegar duas ao mesmo tempo e se deu mal. Na postagem, a coloquei completa. Muito legal ver o Rolo se orgulhando em ser canalha em querer ficar com as duas e as desculpas que dava para elas, para uma não saber da outra. E o final das mulheres já se conhecerem foi surpreendente. Até dava para imaginar que ele ficaria sem as duas no final, mas não que elas se conheciam. Muito bom.


As histórias mais divertidas do Rolo são essas assim com ele mulherengo e as confusões que se metia por causa disso. Em cada história ele aparecia com uma mulher diferente, ou pegando várias mulheres na mesma história, tentar ficar com alguém comprometida, ou ainda enrolar a namorada por não ter dinheiro na noite do encontro. Hoje isso tudo é evitado, já que não é politicamente correto. Interessante também que o Rolo só pegava mulheres gatas, e quando aparecia alguma feia, ele corria. 

Os traços são excelentes, do estilo consagrado do Rolo, que nunca devia ter mudado. Aliás, ela foi toda muito bem desenhada, por sinal. Enfim, uma história que vale a pena relembrar.

Essa história foi republicada no 'Almanaque do Cascão Nº 27' (Ed. Globo, 1994), que foi onde eu a li pela primeira vez e de onde eu tirei as imagens da postagem.

Capa de 'Almanaque do Cascão Nº 27' (Ed. Globo, 1994)

38 comentários:

  1. Essa e uma das HQs que mais gostodo Rolo. Eu tive, mas em outra revista. Hoje eu não a tenho mais.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza é uma hq sensacional. Legal q vc já tinha lido, provavelmente no gibi original. Eu só a li nesse almanaque. Abraços

      Excluir
  2. Respostas
    1. Eu tbm adorava assim, os melhores traços dele. Bjs

      Excluir
  3. Grande Marcos! Essa é mais uma das histórias do famoso Rolo pegador. Mesmo eu não conhecendo a história, eu adorei, realmente ele se dá mal no final. Aliás, já que você tem esse Almanaque do Cascão # 27, de 1994, me diga qual foi a história que abre esse almanaque e não esqueça de falar do enredo dela.

    Mas como é uma história de 1985, e da Ed. Abril, eu acabei descobrindo que essa história do Rolo é, originalmente, de Mônica # 180, de 1985. E esse gibi você não deve ter, né?

    Nesse gibi original de 1985, ele abre com a emocionante HQ Os Terríveis Cremilins. Pelo nome, é claro que uma HQ que faz paródia do famoso filme Gremilins, de Steven Spielberg, que na época, fez um sucesso monstruoso. Porém, eu nunca a li na vida, mas o enredo dela deve ser igual ao filme, a turma encontra criaturinhas adoráveis, mas ele devem cuidá-los em 3 regras: Os bichinhos não devem ter contato com água, não podem ver a luz e nunca, jamais, devem alimentá-los depois da meia-noite. Aí, eles viram monstros terríveis e ferozes que querem acabar com a turma. E o resto, eu não sei, porque eu nunca li.

    Sério, como eu nunca li a história, resolvi inventar esse enredo. Você que deve conhece-la, deve saber o enredo. E aposto que você conheceu a história, quando foi republicada no Almanaque da Mônica # 23, de 1991.

    Nesse mesmo gibi, tem também a divertida, e a politicamente incorreta, história Dançando na Marra, que foi republicada em Turma da Mônica: Especial Coca-Cola - Mônica, de 1990. Nela, Mônica faz de tudo para o Cebolinha ir a um bailinho com ela. Ainda bem que eu disse "conhecia", já que eu nem sabia qual era o gibi original.

    Então, quero saber se você conhece as histórias que citei, se você conhece a HQ dos Cremlins e altere no texto que a história do Rolo acima é de Mônica # 180 (Ed. Abril, 1985), beleza? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A hq de abertura desse almanaque é "Asas para o cascão", de CC # 67, de 1985. Quando der, falo dela.

      Bem lembrado desse gibi da Mônica 180, conheço as hqs citadas, muito boas. Abraços

      Excluir
  4. Marcos, essa história me fez lembrar outra com o Cascão, não sei se conhece: ele combina com várias meninas de tomar sorvete, só que todas aparecem na casa dele no mesmo dia (uma pela porta da frente, outra na janela, outra pelos fundos...) e fica uma situação bem parecida com a dessa história. Enfim, ambas muito boas, pena que não lembro o nome dessa do Cascão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouça, Gabriela, eu posso te ajudar em falar essa história do Cascão. O nome dela é A Terrível Lábia Infalível, de Cascão # 93, de 1986, e o enredo da história é esse mesmo que você citou.

      E aposto que você nem sabe se ela já foi republicada, né? Sim, ela já foi republicada, foi no Almanacão de Férias # 20, de 1996.

      Então é isso, foi muito bom eu te ajudar com essa história do Cascão, e olha que eu já a conhecia, mas só na republicação, pois não tenho o gibi original. Mas diz aí, você conhecia a história no gibi original ou na republicação? Abraços e me agradece pela ajuda, hein? Inté!

      Excluir
    2. Eu lembro dessa hq do Cascão, muito engraçada. :D

      Excluir
    3. É essa história mesmo Daniel! :) Sabia que tinha lido em um Almanacão de Férias, mas não lembrava o número. E só podia ter a palavra "lábia" no título, não esqueço uma cena do Cascão pensando "vá ter lábia assim na casa do capeta", kkkkkkk
      Graças a você agora vou poder ir atrás da revista com essa história, obrigada mesmo! Que bom que esse blog tem leitores tão bem informados, hehehe ^.^

      Excluir
    4. O Daniel sabe tudo rsrs.

      Eu gosto tbm de colocar a fonte dos gibis, pra quem quiser procurar facilitar na procura.

      Excluir
  5. Bem engraçada essa história. Tenho a edição N 180 da Mônica lançada pela Abril que tem essa história, pelo menos é uma das poucas edições da Abril que eu tenho.
    Esse Rolo hein, kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Rolo era ótimo, adorava hqs assim dele. Q bom q vc tem esse gibi Mônica 180, quem sabe vc consiga outros da Abril.

      Excluir
  6. Lendo o que Daniel escreveu, eu tive mesmo o gibi original dessa HQ com o Rolo, pois me lembro bem dessa historia que abre a revista da Monica, uma parodia dos Gremlins. Esse gibi foi parar na minha casa, não me lembro como. Algumas vezes eu achava jogado por ai, na rua mesmo, outras vezes eu começava a ver na casa de alguém e a pessoa simplesmente me dava e eu acabava lendo com atenção em minha casa. Ainda havia vezes em que minha tia trazia da patroa, uma mulher milionária, pois o gibi ia pro lixo, então ela trazia para os filhos. Mas como os filhos eram crianças danadas e ate meio inclinados a drogas, eles nem olhavam. Como morávamos todos juntos, no momento em que ela estendia um lençol no chão pra ler seus livros de Julia e Sabrina, ela então me emprestava algum gibi desses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Fabiano, bem interessante a forma q vc conseguia os gibis. Eu adoraria encontrar algum indo par ao lixo, mas só consegui um só assim, O Coleção Um Tema Só Nº 32 - Cebolinha Planos Infalíveis III.

      Uma pena q vc não tem mais esse gibi da Mônica, quem sabe vc encontre de novo algum dia em algum sebo.

      Excluir
  7. Rolo, um dos personagens mais divertidos da MSP. Já ri muito em várias histórias dele. Ele é divertido. Acho ele mais legal que a própria Tina, tanto que eu pensava que era turma do Rolo. Saudades do antigo traço dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o Rolo era o mais engraçado da Turma da Tina. A Pipa tbm é muito divertida. A Tina é q eu achava mais sem graça, ela ficava mais dando conselhos e ajudar os amigos a sairem da confusão q se meteram. Era mais isso.

      Esses traços eram os melhores, não dá pra entender o motivo da mudança tão ridicula.

      Excluir
  8. Prefiro o antigo traço do Rolo. Esse atual é esquisito e me dá agonia...kkkk exagero? pode até ser. mas, toda vez q leio uma storia do Rolo, eu lembro como ele era fofinho e nao sei pq mudaram tanto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra entender o motivo de uma mudança tão ridícula como foi essa. Acho q foi implicância do Mauricio q pelo visto nunca gostou do Rolo com cabelo e barba parecendo uma flor. E pode pensar q os traços antigos eram preconceituosos. Vai entender.

      Eu tbm sou a favor do traço antigo. Eram muito melhores, sem comparação.

      Excluir
  9. Respostas
    1. Eu tbm adoro o Rolo.... muito engraçado.

      Excluir
  10. Haha! Isso que dá o Rolo ficar enganando as meninas, sempre acaba se dando mal no fim! As histórias dele, sempre são as melhores! Uma que eu adoro dele, é aquela Intercâmbio Cultural, que ele leva uma das garotas que ele tá afim para um Restaurante Japonês, que ele quer provar que entende da cultura japonesa pra ela, mas só faz ela passar vergonha por lá, comendo a toalhinha ou não sabendo usar os pauzinhos para comer! Uma das melhores! Aliás, ontem fui no Sebo e comprei uns 15 gibis da Turma da Mônica da época da Editora Globo! Pra matar a saudade! Muito tempo que eu não fazia isso! Tive a sorte de encontrar um monte inédito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa hq do Intercâmbio Cultural é muito engraçada, como ele se metia em encrenca com suas namoradas. rsrs

      Legal q vc comprou gibis no sebo. Os da Globo são ótimos. Boa leitura.

      Excluir
  11. Obrigada! Agora o próximo passo é comprar os box da coleção histórica! Bons tempos aqueles!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coleção Histórica é muito boa. Vale a pena, apesar das alterações. Sem dúvida, ótimos tempos.

      Excluir
  12. Espetacular essa HQ nunca tinha lido antes, valeu, Marcos..porque os Al. da turma da Tina não publicas essas HQs mais divertidas e no traço clássico do Rolo com cabelo de 'flor'? hehe..é só aquelas HQs mais atuais..não é tão ruim, mais também tão chata..enfim e essa capa do Al. do Cascão com a turminha Cigana..muto boa!! xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, os almanaques novos, não só da Tina, como os outros não costumam republicar hqs da Ed. Abril. E as primeiras da Globo já foram republicadas nesses almanaques, aí parece q o q restam são dessa fase da Tina com batom preto, q eu particularmente não gosto dessa fase, é chata e q foi quando começou a decadência.

      Sim, capa desse almanaque muito boa, como sempre caprichavam em tudo.

      Excluir
  13. Concordo com todos, o traço e as histórias dos 80's e início dos 90 são insuperáveis! Obrigada... vontade de correr até um sebo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, os melhores traços. Se puder, vai sim a um sebo, vai conseguir muitas coisas boas.

      Excluir
  14. Tem uma história de rolo em que ele vai pra praia e se encontra com várias garotas com que ele ficou não me lembro direito dessa história só sei que era muita engraçada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, eu não sei de qual história do Rolo na praia você tá falando. Conheço algumas deles na praia, como Paquera na Praia (MN # 11, 1987) e O Meu Tipo (CB # 14, 1988), mas essa daí não tenho certeza qual é, mas também pode uma dessas que eu citei, né? Inté!

      Excluir
    2. Tem uma q foi publicada em 'Cebolinha 153' (Ed. Abril, 1985), em q ele paquera mulheres, uma de cada vez, sem sucesso em nenhuma.

      Excluir
  15. E ai Marcos! Voce tem aquele gibi do parque da Mônica que tem aquela história " o parque das Tina"? Aparece três Tina na capa... gostaria muito de ler esse gibi. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho sim, João. É da Parque da Mônica nº 155, de 2005. A hq é legal. Abraços

      Excluir
    2. Se voce puder postar essa hq da Tina aí no blog ou me mandar por email eu agradeço! abraços

      Excluir
    3. Valeu, vou procurar aqui e quando der mando pra vc ou posto aqui. Abraços

      Excluir
    4. ok, não esquece de me mandar, me mande por email igual voce fez com a outra hq aquela que te pedi da outra vez, se puder é claro... abraços

      Excluir
    5. Quando der, mando. Abraços

      Excluir