quarta-feira, 25 de junho de 2014

Turma da Mônica Especial - Maico Jeca


No dia 25 de junho de 2009 lamentavelmente falecia Michael Jackson, o grande "Rei do Pop". Em homenagem ao ídolo e lembrando os 5 anos da sua morte, nessa postagem comento detalhes como foi a edição especial "Maico Jeca", lançada pela Panini na época.

Michael Jackson foi um artista único, espetacular, talentoso, dançava muito e, com certeza, deixou muita saudade. Sempre com um sucesso atrás do outro, lançou novas tendências que marcaram época.  Infelizmente, nos últimos anos, ele não estava fazendo sucesso, o que deve muito a mídia que o massacrava muito com acusações de pedofilia, orientação sexual, fora as questões sobre sua cor de pele e tantas outras polêmicas, deixando o ídolo com depressão. Em 2009, ele estava prestes a voltar a fazer sucesso e lançar um CD novo, que não lançava desde 2001, e iniciar uma turnê até que aconteceu a sua trágica morte, vítima de uma overdose de remédios dados pelo seu médico, ao sofrer uma parada cardíaca.

Michael Jackson

Uma pena o Michael ter ido tão cedo aos 50 anos de idade. Era insubstituível. Então, com a sua triste morte, a MSP resolveu homenagear o artista com essa edição especial "Maico Jeca". Afinal, os artistas sempre tinham presença nas histórias da Turma da Mônica, seja só sendo citados ou até mesmo contracenando com os personagens, com nomes parodiados ou não. Cantores, atores, apresentadores de TV, atletas, volta e meia estavam participando. E o Michael Jackson também não podia ficar de fora dessa. 

O especial "Maico Jeca" foi lançado em agosto de 2009 e teve formato semelhante a "Clássicos do Cinema" com 52 páginas, capa envernizada, papel de miolo convencional de gibi e formato 19 X 27,5 cm, custando R$ 5,50. Tiveram 7 histórias com presença do Michael Jackson, incluindo a tirinha final, sendo 5 republicações e 1 história e 1 tirinha inéditas. 

Nas páginas centrais, tem 2 pôsteres com o mesmo tipo de papel do gibi, com as ilustrações da capa e da contracapa, que por, sinal, ficaram bem ilustradas. Esses pôsteres seguem a numeração das páginas, e, com isso, foram menos 4 páginas ocupadas com histórias.

Contracapa, que também foi imagem do pôster da edição

O especial abre com um frontispício falando brevemente da edição e com uma ilustração dos personagens imitando a coreografia da música "Thriler" (1982). Ficou bacana, mas podia ser melhor se a Tina e o Rolo não estivessem com os traços "Barbie", que infelizmente já era oficial na época.

Frontispício da edição

As histórias, como normalmente acontecem envolvendo celebridades, têm presença do Michael Jackson, ou apenas tem um pano de fundo musical, com presença do ídolo no início ou no final. Dependendo da história, o seu nome era parodiado ou não. Então, nessa edição ele foi chamado de Michael, além de "Maicou" e "Maico Jeca", sendo a paródia que se tornou oficial. 

A relação das histórias publicadas dessa edição, com o número da edição e ano, foram essas:
  1. Maico Jeca (Chico Bento #28 - Ed. Globo, 1988)
  2. Quem é o bom no Break? (Mônica # 175 - Ed. Abril, 1984)
  3. No vídeo de um astro (Mônica # 124 - Ed. Globo, 1997)
  4. Ele é um show (Cascão # 251  - Ed. Globo, 1996)
  5. Dançando na selva (Chico Bento # 151 - Ed. Globo, 1992)
  6. À espera de um astro (inédita, com a Turma do Penadinho)

Na história de abertura "Maico Jeca", a Rosinha faz um pedido a uma estrela cadente, que transforma o Chico Bento em "Maico Jacson". Chico não gostou disso e para piorar um empresário o vê e manda se apresentar na roça. Rosinha ainda tenta impedir, mas não consegue. Na apresentação do "Chico Maico", ele canta música sertaneja, que é o que ele sabe, e é hostilizado pelo público, só restando fugir junto com a Rosinha. No final, o casal volta ao morro do inicio da história para esperar outra estrela cadente para desfazer o encanto, terminando assim.

Ela foi uma história original de abertura com 7 páginas. O Michael Jackson ainda negro e muito bem desenhado por sinal. Apesar do titulo ser "Maico Jeca" pra dar um ar de caipira, na história, o nome foi parodiado como "Maico Jacson".

Trecho da HQ "Maico Jeca" (1988)

A seguir vem "Quem é o bom no Break?", que foi uma continuação da história de abertura "Mônica dançando o Break" do mesmo gibi Mônica # 175, de 1984. Em "Mônica dançando o Break", Mônica e Cebolinha desafiam um ao outro para ver quem dança melhor o Break, mas na verdade nenhum dos 2 sabem dançar e tentam aprender tudo em pouco tempo, tendo como professores a Magali e o Cascão, respectivamente. Mas, eles se dão muito mal no final, chegando a ter torcicolo, e, logo, nenhum dois 2 sairem vencedores.

Então, no final desse gibi tem a história "Quem é o bom no Break?", de que foi a que foi republicada em "Maico Jeca". Mônica e Cebolinha finalmente conseguiram aprender a dançar e voltam a disputar quem é o melhor dançarino de Break. Eles fazem diversos passos de dança, entre eles tem o Moonwalk. E, no final, chamam um dançarino, para decidir qual o melhor dos dois, e, então, eles concluem que o dançarino é indiscutivelmente melhor que eles, sendo revelado na hora que era o Michael Jackson (sem nome parodiado).

O Break estava em alta na época, que começou com Michael Jackson. O estilo é o deu referência mais tarde ao Rap e ao atual Hip Hop. Nessa história, o Michael Jackson só apareceu no último quadrinho.

Trecho da HQ "Quem é o bom no Break?" (1984)
  
"No vídeo de um astro", com a Turma do Penadinho, eles saem para assustar os outros e vão parar em um set de filmagem em que o Maicou Jeca estava gravando um videoclipe. O pessoal do estúdio confunde os personagens com os atores do clipe e, então, eles participam do clipe dançando junto com o "Maicou Jeca". O sucesso sobe a cabeça deles e, como estão famosos, passam a se vestir como o "Rei do Pop", e, aí sim, assustando os outros, terminando assim.

Essa teve 7 páginas no total. É interessante, eles falarem que o "Maicou Jeca" estava parecendo que nem "osso e osso", fazendo concorrência com o Zé Caveirinha.

Trecho da HQ "No vídeo de um astro" (1997)

A história "Ele é um show", de 4 páginas, é estrelada pelo Cascão. Ao ver os clipes do Maico Jeca na TV com o Nimbus, Cascão decide se tornar um "showman" que nem o seu ídolo. Ele prepara tudo para sua grande apresentação de estreia, mas de tão ruim que foi, a plateia taca tomates e frutas no Cascão, e ai ele descobre que o negócio dele não é ser "showboy" e sim, está para "Xôôôô, Boy".

Trecho da HQ "Ele é um show!" (1996)

"Dançando na selva" com Papa Capim é uma história de 3 páginas em que uma pantera negra surge na selva, fazendo altas performances musicais, se apresentando para o Papa-Capim e os bichos da sela. No final, a pantera negra se destransforma e o público vê que era o Michael Jackson. 

Uma clara referência ao clipe de "Black or White" (1991), em que no final o Michael Jackson se transforma em pantera negra com um a dança que envolvia muita sensualidade, causando muita polêmica na época. Tanto que raramente quando exibem esse clipe na TV em programas específicos da TV por assinatura mesmo, essa parte costuma ser cortada até hoje. E, nos gibis, fizeram essa história do Papa-Capim em homenagem ao clipe.

Trecho da HQ "Dançando na selva" (1992)

O especial fecha com a inédita "À espera de um astro", com 10 páginas e escrita pelo roteirista Paulo Back e que deu origem ao especial. Na trama, Penadinho e sua turma se preparam para reencontrar com o "Maico Jeca", que estava para chegar ao cemitério. Eles se preparam, fazendo grandes referências ao "Rei do Pop", com direito aos personagens usarem as luvas de lantejoulas e a roupa que o ídolo usou no clipe de "Thriller". No final, a Dona Morte chega lá sem ele, e eles perguntam porque o "Maico Jeca" não veio com ela, e a Dona Morte diz que pessoas como o Maico não vão para o cemitério, vão direto lá para cima, ou seja, o céu. E mostra o Maico como anjo ensinando seus passos de dança para o Anjinho e outros anjos do céu.

Trecho da HQ "À espera de um astro" (2009)

A história foi escrita momentos depois que o Michael Jackson morreu e o roteiro foi divulgado pelo Mauricio de Sousa via Twitter assim que ele leu. Interessante que apresenta nela os seus devidos e merecidos créditos na primeira página, coisa rara nos gibis da MSP de todos os tempos.

Inicialmente, era para ser publicada em 'Mônica #33', de setembro de 2009, e de última hora, a MSP mudou os planos e resolveram lançá-la primeiro em uma edição especial e foi o pontapé para se criar essa edição. Mesmo assim, 1 mês depois republicaram nesse gibi da Mônica, já que haviam prometido, e também pelo fato desse especial poder não chegar em algumas cidades, devido ao péssima distribuição da Editora Panini.

Trecho da HQ "À espera de um astro" (2009)

Depois da história "À espera de um astro", tem um "Extra" com um texto informativo do Paulo Back contando da ideia dele da criação dessa história e todas as referências ao "Rei do Pop", ilustrada com imagens das miniaturas dos esboços dessa história criada por ele, que foi divulgada na internet. A capa da edição também foi criada por ele e comentada nesse "Extra".

Uma página do "Extra" da edição

Enfim, "Maico Jeca" foi uma merecida e ótima homenagem ao cantor tão polêmico que encantou o mundo inteiro, reunindo algumas histórias da turma toda de todos os tempos e uma inédita para prestar a sua merecida despedida. Claro que não foram só essas histórias que tiveram presença do Michael Jackson. Tiveram outras, como a história do Bidu com o Bugu, de 'Cascão # 162' - Ed. Globo, 1993). Se tivessem mais páginas, podiam ter colocado também. De qualquer forma uma edição super especial que valeu a pena relembrar. Saudades eternas.

Termino a postagem com as capas dos gibis originais que têm as histórias desse especial "Maico Jeca":

Capas: 'Chico Bento Nº 28' (1988), 'Mônica Nº 175' (1984), 'Mônica Nº 124' (1997), 'Cascão Nº 251' (1996), 'Chico Bento Nº 151' (1992), 'Mônica Nº 33' (2009)

41 comentários:

  1. Bem lembrado...a homenagem aqui ficou ótima/postagem! xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Xandro, q bom q gostou. Hj 5 anos sem ele.

      Excluir
  2. marcos, sobre a seçao artistas voce, vai citar as personalidades que apareceram. MAS, POR enquanto voce pode me falar em quais gibis aqueles artistas foram mencionados? quero ler as historias. obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não vou fazer uma seção artistas fixa, apenas posso postar alguma hq com eles, dentro do possível.

      Daqueles tbm não lembro de todos. Por ora, Pokemon foi republicado no Almanaque Bidu e Mingau nº 1 (Ed. Panini, 2008), Simpsons, em Cebolinha nº 28 (Ed. Panini, 2009) ... e algumas da Xuxa: Cascão nº 30 (Ed. Abril, 1983), Cascão nº 85 (Ed. Abril, 1985), Mônica nº 4 (Ed. Globo, 1987), Chico Bento nº 148 (Ed. Globo, 1992) e Magali nº 101 (Ed. Globo, 1993).

      Isso só algumas dela pq tem várias outras q não lembro de cabeça. Assim como os outros.

      Excluir
    2. Olha Marcos, a maioria dessas HQs eu conheço muito bem. Já o resto, nunca vi.

      Sobre essa HQ do Pokémon com Bidu e Bugu, o nome dela mesmo é Pokecão. Ele foi publicada em Mônica # 167 (Globo, 2000) e foi republicada nesse mesmo almanaque.

      Essa referência dos Simpsons é procurada na HQ A Fuga pelos Infinitos Gibis, nessa edição do Cebolinha 28 da Panini, que também tem referências de Calvin e Haroldo, Asterix e Obelix, Garfield, Mickey e Donald, Flintstones e outros.

      Já as da Xuxa, não sei se tem mesmo uma HQ da Xuxa no Cascão # 30 (Abril, 1983) nem no Cascão # 85 (1985), mas na Editora Globo, conheço algumas, sendo que várias nunca li.

      Essa da Mônica # 4 (Ed. Globo, 1987) é aquela do Igual à Xuxa com a Pipa da Turma da Tina, mas como eu nunca li, nem sei porque a Pipa queria ser igual à Xuxa. Nem sei se ela já foi republicada. Me conta aí o enredo.

      No Chico Bento, é aquela do Chico na Xucha, que o enredo deve ser assim: Chico Bento e seu primo Zeca foram no programa da Xuxa e o Chico arranja umas belas confusões por lá, assim como ele fez no Shopping (CHB # 215, 1995). Não sei se é esse o enredo da HQ, já que eu nunca li. Se esse não for o enredo, corrige aí pra mim.

      Agora a HQ das Panaquitas deve ser a única que eu conheço. Nela, Magali e Mônica tentam ser as Panaquitas (ou Paquitas) do programa da Xuxa, mas como sempre, elas fazem muita treta por lá, botam a casa pra quebrar, e a Mônica quase manda a Xuxa para o espaço. Simplesmente, dou muitas risadas com essa HQ até hoje. Ela é tão boa, mas tão boa, que para a minha alegria, ela foi republicada no Almanaque da Magali # 16 (Panini, 2009). O triste disso é que eu tinha esse gibi, mas no dia da mudança, eu acabei perdendo aquele gibi que eu tanto amava. E esse mesmo gibi com certeza é sensacional. Você tem ele? Conhece essa HQ? Acha ela engraçada, uma obra-prima e uma das melhores da Magali?

      Então é isso. Só lembrando que as HQs da Xuxa nos gibis do Cascão da Abril eu não conheço. Mas conheço as da Globo, blz? E é assim que você vai lembrar dessas HQs, OK? Abraços!

      Excluir
    3. Sim, as da Abril foram essas. Não tenho mais o cascão # 85, mas gostei muito dessa hq com o Cascão encontrando a Xuxa na rua. No fianl, aparece o Pelé q ainda era namorado dela na época.

      O enredo do "Chico na Xucha" é esse mesmo, sendo q no final ela vai descansar das travessuras do Chico na roça, que é perto do sítio do Chico, reencontrando com ele lá.

      A da Pipa de Mônica nº 4, ela enciumada com o Zecão q vivia assistindo ao programa dela, resolve ser igual a Xuxa, não dá muito certo, e ela sai deprimida e acaba encontrando a verdadeira Xuxa na rua com seu carro com defeito. No final, Xuxa consegue fazer com q Pipa e Zecão se reconciliem.

      As Panaquitas da Magali é muito engraçada tbm, com a Magali e a Mônica querendo ser paquitas. Q pena q vc perdeu o gibi, tomara q vc encontre de novo.

      Abraços

      Excluir
    4. Ah, Marcos! Desculpe, mas eu esqueci de falar sobre a HQ O Xou da Xuxa, de Cebolinha # 6, de 1987. Me perdoa, tá?

      Nessa história divertida, Cebolinha pede para seu pai, Seu Cebola, leva-lo para o Xou da Xuxa, que inclusive fazia um imenso sucesso na época. Só que Seu Cebola diz que é pouquinho complicado ir no programa, mas como os personagens não podem sofrer, Seu Cebola leva o Cebolinha para o esperado programa e se divertem pra valer. No final, Cebolinha reclama para Dona Cebola que o pai dela que queria ir no Xou todo dia, terminando a história.

      Eu sinceramente adoro esse história! E ainda teve oportunidade pra conhecer a história no gibi original baixado da Internet. É uma história que passa na época em que o Xou da Xuxa fazia um grande sucesso, e é bem engraçado o Seu Cebola quer ir de novo no programa.

      E é isso, desculpa por eu ter esquecido dessa história, é que eu acabei de lembrar. Me diz se você a conhece, se o enredo é esse mesmo que eu citei e se ela foi republicada. Se ela foi republicada, talvez foi na época em que o Xou da Xuxa parou de ser exibido na televisão. Abraços!

      Excluir
    5. Conheço essa, o enredo é esse. Não lembro em qual almanaque foi republicada.

      Excluir
  3. Uma coisa que eu achei interessante na edição Mônica #33 da Panini foi o tema "Pop" prevalecendo, na história de abertura com referências á Lady Gaga, Amy Winehouse e Madonna; e essa do Michael ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, foi uma grande coincidência 2 hqs envolvendo artistas na mesma edição. Até q esse gibi não foi ruim. Detalhe q a Amy Winehouse ainda estava viva e morreria 2 anos depois...

      Excluir
  4. Bah, sempre fui muito fã do rei do pop... gostava e acompanhava sua carreira desde que me conheço por gente. Ele é mesmo insubstituível. A história "Dançando na Selva" eu já havia postado no meu antigo blog. O que acho muito tri é colocarem ele como a pantera negra do final do clipe Black or White (aquele final mega polêmico). Ótima postagem!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lembro dessa sua postagem no Duas Épocas. Foi interessante colocarem um clipe polêmico, logo a parte polêmica dele como pano de fundo em um gibi infantil. Sabe como é, na época, eles não se preocupavam com qualquer coisa e o importante era a piada.

      Valeu por ter gostado.

      Excluir
  5. "Billie Jean, is not my lover.... she said a girl..."
    Amo o Michael!

    ResponderExcluir
  6. Marcos, tudo bem?

    Sua postagem me faz lembrar d algumas coisas. Eu nunca me liguei no lance da Pantera Negra no clipe de Black or Whritte porque ele teve muitos efeitos e enas de ação e violência, principalmente envolvendo o Macaulin Caucin que, na época, era uma criança, e aí fizeram o clipe um tempo depois modificando essas cenas com ele, fazendo com que ele não aparecesse. Lembro bem da história "Quem é o bom no break", pois achei bem diferente e bacana. Vi ela num almanaque, mas não vi a antecessora. "À espera de um astro", lembro que li no PC mesmo em algum lugar.

    Se a intenção foi homenagear o astro, você conseguiu. Eu não sou fã do Michael Jackson, mas conheço bastante músicas dele e gosto. Acho que ele simboliza bem um grande artista de verdade, com todo seu histórico de acontecimentos envolvendo pai agressivo, família que se dissipou, escândalos.... não sei se você viu, mas quando ele morreu, aquele rapaz que antes o acusara de tê-lo molestado sexualmente quando ele era uma criancinha, foi aos jornais e declarou que tinha sido uma armação porque seu pai queria lucrar com a aproximadamente entre ele e Michael. O fato é que muitos com quem converso parece não viram isso e preferem acreditar mesmo que ele molestava crianças em sua mansão.

    Uma pena tudo o que aconteceu. No final, os dois filhos foram morar com os avós ambiciosos. A menina está com problemas psicológicos e o rapaz nem nunca mais passou.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabiano, tudo bem. Sim, a minha intenção era homenagear o Michael. Ainda bem q consegui. A mídia quando quer derruba mesmo, influenciando o povo com falsas acusações. E depois q morre idolatra. vai entender. Lembro dessa entrevista do garoto molestado assim q ele morreu. Muita falta do q fazer.

      "Quem é o bom no break?" eu tenho tbm republicada no Almanaque da Mônia nº 51 (Ed. Globo, 1995) e a primeira parte, a "Mônica dançando o Break" foi republicada bem antes no Almanaque da Mônica nº 21 (Ed. Globo, 1990), Bem q podiam ter republicadas no mesmo almanaque q nem na revista original.

      Abraços

      Excluir
    2. Caramba! Valeu, Marcos, eu já sabia que Mônica dançando o Break já foi republicado nesse Almanaque de 1990, pois eu já tive ele, mas não sabia que Quem é o Bom no Break? foi republicado antes. Muito obrigado.

      Ah, e vale lembrar que o Maico Jeca foi republicado no Almanacão Turma da Mônica # 10 (Ed. Globo, 1999). Só pra saber. Abraços!

      Excluir
    3. Só te corrigindo: "Quem é o Bom no Break?" foi republicado depois. Valeu pela informação sobre a hq "Maico Jeca".

      Excluir
    4. Não, Marcos, o que quero dizer é que "Quem é o Bom no Break?" já foi republicado antes da re-republicação da HQ no Especial Maico Jeca. Só isso, acho que foi vc que não entendeu.

      Excluir
  7. Olá, Marcos.
    Na historinha de 1988 e se fosse repubicada agora, em 2014, será que iam deixar os lábios do Michael, desenhados dessa forma? pelo visto, até nisso iam querer mexer, rs, afinal, do jeito que as coisas vão.
    Falando em astros, graças que não apareceu mais (acho) um dos personagens mais chatos e ruins dos últimos anos na MSP, aquela CLAUDINHA (Leitte).
    Abraço. Otto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem q não mudaram nada em relação ás hqs originais nesse especial. Como eles estão com paranoia de mudar tudo q encontram pela frente, acho q iam querer mudar sim os lábios dele. Assim como o Chico e a Rosinha no morro e as paródias com o nome dele, colocando só Maico Jeca, e outras coisas q podiam cismar.

      Q bom mesmo q a Claudinha não apareceu mais, q fique restrita só naquela história. Pela sinopse dela, tem chances de voltar, mas espero q não.

      Excluir
  8. Gosto muito do Michael, minha música preferida é Black or White, que traz justamente essas lembranças da infância, dos gibis, tenho ela no meu celular. E o clipe é sensacional e lembro justamente da história "Dançando na Selva", que faz alusão a ele. Aliás, esse estilo de desenho da história eu adorava e era bem comum nos gibis da época. Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, os traços dessa hq são ótimos e eram muito comuns na época. Não entendo pq tiraram traços como esse.

      Excluir
  9. eu sei, mas voce, se ver alguma referencia a eliana, diga. brigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá, se encontrar algo, aviso sim.

      Excluir
    2. A única referência que encontrei a Eliana foi na edição nº 8 do Cebolinha Ed. Panini. Mas é apenas uma citação.

      Excluir
    3. obrigado, pedro.

      Excluir
  10. Marcos, esse especial do Maico Jeca é simplesmente emocionante. Eu inclusive tenho ele, pois na época, ele me deixou tão interessado, já que até eu fiquei deprimido que o Micheal nos deixou, mesmo eu não conhecendo ele direito.

    Acho que se republicarem a HQ do Chico Bento novamente, será que iriam deixar os lábios do Micheal desenhados daquela forma? Talvez não, pois acho que gente negra nos dias atuais, nem pensar!

    E sobre essa HQ do Bugu com o Bidu de 1993 eu conheço. Ela se chama Não é uma Brastempa..., e acho que é uma das poucas HQs em que o Bugu é o personagem principal. Mesmo eu não conhecendo no gibi original, eu acabei conhecendo mesmo no Almanacão Turma da Mônica # 18 (Ed. Globo, 2003).

    Então, é isso. Só. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um ótimo especial, bem merecida a homenagem. Como eles estão com paranoia de mudar tudo, acredito q mudariam os lábios, sim.

      Essa hq "Não é uma Brastempa" é legal. Podiam ter colocado tbm, logicamente o especial teria mais páginas. Talvez não lembraram dela. Abraços

      Excluir
  11. marcos, fala sobre uma hq impublicável hj em dia. da magali, n cento e pouco, um esconderijo nao muito ideal, em que ela esconde maças embaixo da camiseta e as pessoas pessam que seus seios cresceram e lhe mandam sutiãs. obrigado. ótima hq e acho que a panini nunca republicou, por ser saidinha demais. vc tem um ótimo blog e quando responde minhas perguntas, acho fantástico alguém que entende de gibis e adora a editora globo, me respondendo sobre a fase de ouro da monica. obrigado. voce tem o melhor blog sobre gibis do brasil, quando quero ler sobre a monica, venho aqui e relaxo me entrertendo. continue assim e quando lembrar, darei sugestões para melhorar o blog, se é que isso é possível. um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo elogio. Obrigado. E essa hq da Magali eu conheço, mas não lembro mais em qual edição saiu. Se der, falo dela. Abraço

      Excluir
  12. marcos, a magali apareceu no ano de 1963, mas em qual mes, voce sabe?

    ResponderExcluir
  13. marcos, voce pode falar das seçoes trajetoria e antiguidade, em que voce escolhe um personagem e fala da sua fase de ouro, historias, bordoes, etc. e antiguidade, em que todo mundo se junta e tenta, nos comentários, nos gibis, nos meios de comunicação da monica, descobrir o porque deles perderem a essencia, etc. não vai se arrepender, o gibi da magali é o n 138, pois tenho esse gibi e coleciono tm.voce acha que vale mais a pena colecionar facs ou originais, ja que entende muito de gibis, pode me falar? obrigado, agradeço desde já. marcos, desculpe, mas preste atenção quando escrever, pois as vezes fica dificil de ler, pois corrigindo mentalmente, seu blog deve ser zelado e respeitar a qualidade que tem. voce demora muito pra responder e fico agoniado. kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, Não sei o mês q a Magali apareceu pela primeira vez nas tiras. Vou conferir essa Magali 138.

      Com certeza é melhor colecionar originais do q facs. Se der, faço suas sugestões. E só dá pra responder quando estou online, por isso paciência.

      Excluir
    2. marcos, voce sabe em que historia a xabeu apareceu? ano, essas coisas. o xaveco? dizem que em 62, 60, nao sei. e a dona morte e o ze vampir? mister b? obrigado

      Excluir
    3. A Xabeu estreou em Cebolinha nº 160, de 2000, mas com traços diferentes. O Xaveco, nas tiras dos anos 60; Dona Morte, em Cascão nº 15, de 1983; o Zé Vampir por volta de 1979; e o Mister B em Mônica nº 152, de 1999.

      Excluir
    4. marcos, porque apagou meus comentarios? e aquela pergunta que fiz? responde, fazendo o favor. obrigado.

      Excluir
    5. Pq é uma falta de respeito com todos aqui. A resposta é tudo não.

      Excluir
  14. ta com raiva? nao fui eu. entendo vc. obrigado. vai postar novas coisas quando? mil desculpas, mas ja disse que n fui eu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é coisa q se pergunte aqui. Aguarde novas postagens pq não tem data certa.

      Excluir