quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Os primórdios do politicamente correto

Quem acompanha os gibis atuais da Turma da Mônica, sabe que as histórias giram em torno do politicamente correto, ou seja, os personagens não podem dar mau exemplo e tem que seguir os bons costumes. Mas, muitos devem perguntar quando foi que começou a surgir isso nos gibis, já que desde que a turma foi criada e por muitos anos os roteiristas tinham total liberdade para criar as histórias.

Pensando nisso, nessa postagem separei 4 dessas situações que foram mudadas para os padrões corretos, mostrando quando foi que apareceram pela primeira vez. Vou falar do caso menos pior até o mais revoltante. 

A primeira situação é o fato do Cebolinha falar errado quando pensa. Nas histórias antigas, ele trocava o "R pelo "L",até quando pensava. Porém, nos últimos anos, a MSP o coloca falando certo quando pensa. É que quem tem dislalia como o Cebolinha pensa falando certo e não querem ensinar errado. Mas quando começou isso? Foi na história "Em boca fechada não entra mosquito", de 'Cascão nº 277' (Ed. Globo, 1997). 

Trecho da HQ "Em boca fechada não entra mosquito" - ´Cascão nº 277' (1997)

Até antes disso, o Cebolinha sempre falava errado nos pensamentos. Nessa história, quando ele cai no precipício, ele passa a falar certo. O que chama a atenção nesses quadrinhos é que parece que foi mudado isso de última hora. Dá impressão que eles chegaram a colocar primeiro a fala errada em negrito como de costume e de última hora, mudaram para ele falando certo. Ficou muito mal-feito, por sinal, com uma letra feita a mão mesmo. Perceba a diferença da palavra "supercola" e "amadurecer".

Trecho da HQ "Em boca fechada não entra mosquito" - ´Cascão nº 277' (1997)

Outro caso são as armas de fogo. Nos gibis atuais, os personagens não usam mais armas. Nem de brinquedos. Histórias como aquelas antigas ambientadas no faroeste ou brincando de bang-bang, nem pensar porque estimula violência. E o trabuco do Nhô Lau que não o largava para dar tiro de sal no Chico Bento quando ele roubava goiaba, foi aposentado. Para substituir, eles só colocam o Nhô Lau correndo atrás do Chico com a mão fechada.

A primeira vez que fizeram essa substituição, foi na história "Pegue e Pague", de 'Chico Bento nº 285' (Ed. Globo, 1997). A trama termina justamente com o Nhô Lau correndo atrás do Chico com a mão fechada em vez de estar com o seu tradicional trabuco na mão dando tiro de sal nele, como mostro abaixo:

Trecho da HQ "Pegue e Pague" - ´Chico Bento nº 285' (1997)

Em 1998, depois dessa história, ele ainda aparecia com trabuco nas histórias e até mesmo nas capas, mas não demorou muito pra ser extinto de vez nos gibis, assim como todas as armas de fogo. Não sei a data certa que foi extinto de vez, mas acredito que em 1999 mesmo, observando a história que foi republicada em "Clássicos do Cinema nº 39 - Etês na Roça". Nessa edição, republicaram a história "Um visitante do outro mundo", de 'Chico Bento nº 334' (Ed. Globo, 1999), em que o Nhô Lau aparece com uma madeira na mão em vez do trabuco. Não acredito que a cena dessa vez foi alterada, e, sim, que na revista original realmente a madeira estava lá.

Outra situação são os rabiscos nos muros. Desde que foram criados, os meninos escreviam desaforos ou faziam sua caricatura diretamente nos muros do bairro. Só que para atender o politicamente correto, os personagens agora colocam cartazes no muro para não sujar os muros e não dá mau exemplo. Acho uma das piores coisas que fizeram porque estraga as histórias e não faz sentido os muros já terem cartazes para eles rabiscarem.

A primeira história que apareceu cartaz no muro para tirar sarro da Mônica, foi em 'Cascão nº 270' (Ed. Globo, 1997), na história "Pagando o pato". Nela, Cascão vê um cartaz com caricatura da Mônica em vez de estar desenhada direto no muro e ele leva a culpa. Ficou muito estanho vendo isso pela primeira vez. E, ainda por cima ficou mal feito essa estreia do cartaz: em um quadrinho aparece o cartaz e no outro já não está mais lá, sumindo como um passe de mágica. Ridículo. 

Trecho da HQ "Pagando o Pato" - ´Cascão nº 270' (1997)

Em outras histórias de 1997 depois dessa até que ainda apareciam eles rabiscando o muro, porém, no final do ano, em 'Mônica nº 131' e depois na 'nº 133' já tem histórias como Cebolinha colando cartaz no muro, e depois disso nunca mais rabiscarem como antigamente. Eram os novos tempos. Pelo menos nos primeiros anos, eles colavam os cartazes trazidos de casa e agora, eles rabiscam como se o cartaz já estava colado lá.

Trecho da HQ "O Resgate" - ´Mônica nº 131' (1997)

E, pra piorar, em 1998, colocaram ainda uma propaganda tosca nos gibis, comunicando oficialmente que eles não iam mais rabiscar os muros porque é errado. Deviam estar recebendo muitas cartas reclamando dos tais cartazes e quiseram dar uma satisfação decretando o fim dos rabiscos e pichações nos muros. Abaixo, a imagem dessa propaganda histórica:

Propaganda tirada de 'Cascão nº 306' (1998)

Foi tratado como "lei". Apesar disso, mesmo que nas revistas normais eles não rabiscavam mais os muros, nos almanaques da Globo eram republicadas normalmente exatamente como na original. Só que agora nos almanaques da Panini atuais, eles alteram tais cenas, colocando cartaz aonde não existia nas originais.

O último caso que comento nessa postagem é sobre o Cascão lavar as mãos. Antigamente, ele não tinha contato nenhum com água. Nem para comer ele lavava as mãos, como, já falei aqui no blog da história "A fome", de 'Cascão nº 70' (Ed. Globo, 1989). Um menino como o Cascão que não toma banho é completamente errado, e, pelo menos têm que lavar as mãos para comer para não dar mau exemplo total.  Então, eis que em 1998,  fazem uma capa da revista dele lavando as mãos. Foi em 'Cascão nº 299'. Revoltante!

Capa de "Cascão nº 299' (1998)

O personagem que a gente gostava tanto, que sempre conseguia escapar do banho e da chuva, se sujeitando a lavar as mãos só para atender os padrões do politicamente correto. E parece que tiveram histórias de ele lavando as mãos depois dessa capa. Um absurdo. 

Por causa disso, os estúdios receberam várias cartas e e-mails de fãs indignados reclamando sobre essa capa. Para amenizar um pouco a situação e o trauma de tanta gente, em 'Cascão nº 9' (Ed. Panini, 2007), eles criaram a história "O mistério do personagem que lavou as mãos", com o Mister B desvendando tal mistério. 

Capa de 'Cascão nº 9' (2007)

Então, foi mostrado nessa história que quando o Cascão lava as mãos ou se molha nas histórias, é o Xaveco que está disfarçado de Cascão, sendo um dublê do Cascão. No caso, quem estava então na capa de 'Cascão nº 299' era o Xaveco, e não o Cascão. Isso só para dar uma desculpa humorada, porque não era essa a intenção quando fizeram aquela terrível capa de 1998.

Então, como podem ver são casos lamentáveis que tiram a essência do que já foi a Turma da Mônica um dia. Depois disso, só foi piorando o politicamente correto, a ponto de agora alterarem até nos almanaques o conteúdo das revistas originais. Tudo isso que falei são alterados nos almanaques, estragando as histórias.

Como queria mostrar só a primeira vez que tiveram cenas atendendo o politicamente correto, muitos outros casos ficaram de fora. Como não acompanhei por ter parado de colecionar em 1998, coloquei só estes que encontrei. Pelo menos, até onde parei, ainda existiam os demais casos  nos gibis. Menos mal.

79 comentários:

  1. Essa aqui eu quero retornar e ler com calma!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Kleton.... aguardo seu comentário então.

      Excluir
  2. "Então, foi mostrado nessa história que quando o Cascão lava as mãos ou se molha nas histórias, é o Xaveco que está disfarçado de Cascão, sendo um dublê do Cascão."

    Bom dia, Marcos! andei meio sumido por conta das responsabilidades do dia a dia, mas, como viu, assim que tirei um tempinho extra, vim ver alguns amigos blogueiros e você está nessa lista.

    Olha, pior do que ver os personagens mudando suas características são essas explicações ridículas. Então pegam o coitado do Xaveco sabe-se lá de onde e etem a fantasia de Cascão pro coitado enganar a todo mundo e o verdadeiro Cascão comer em paz... Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh... eu me senti com problemas mentais agora..

    Parece até história da meia calça para explicar a falta de dedos nos pés.

    Pelos seus apontamentos, parece que essas mudanças vieram mesmo, com nitidez, por volta de 1997. Eu já não lia mais gibi nenhum nessa fase, pois lembro que devo ter parado em 92 ou 93, mais ou menos.... voltei apenas por volta de 2006 ou 2007.. meio que na inocência quando comprei um pacotinho de revistas no Carrefour. Eram Disney e eu gostei muito. A turma da Mônica voltou para minhas mãos através do titulo "turma da Mônica", se não me engano, era o número 37, mas uma hora dessas verei isso direito. Então, aos poucos, fui voltando ao hábito de comprar e ler gibis. Hoje preciso por freios...rsrsrs....

    Quando eles foram para a Panini, então, essas mudanças já estavam consolidadas. ao menos foi a impressão que tive de acordo com tudo o que você apontou. Dessas características todas, a que menos me incomodou foi o pensamento do Cebolinha. A que mais me incomodou foram os desenhos no muro. Eu tenho uma revista do Cebolinha em que a HQ de abertura mostra ele com um carimbão gigante com uma caricatura da Mônica. ele fica espalhando essa caricatura pra tudo quanto é canto. Eu não sei como eles fariam, hoje, para mexer nessa HQ, pois ela toda possui esses desenhos aos montes.

    Quem sabe um dia os roteiristas voltem a ter mais liberdade. Não torço para histórias politicamente incorretas, quero apenas pensamento livre. Acho que há espaço para tudo nesses gibis infantis, até mesmo porque é preciso fazer com que os jovens se identifiquem com o que está nas HQs. E tudo certinho demais não tem nada a ver com gente jovem, nem as do passado e muito menos as de hoje. Está aí o Dudu pestinha que finalmente foi uma boa sacada da MSP e ainda assim precisa ser mais liberto de conceitos para ficar ainda melhor.

    Bela postagem, meu caro! Você, como sempre, não tem preocupações em expressar suas opiniões, pois sabe que não pode agradar a todos e, por causa disso, sabe conduzir com maestria o que é de dentro do teu coração para a gente.

    Abraços. Tudo de bom!

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "pior do que ver os personagens mudando suas características são essas explicações ridículas."

      Pois é fabiano, tentaram explicar e ainda ficou pior. Fizeram a burrada e explicaram erradamente. Até q na hq ficou engraçada a explicação, mas não justifica. Para mim, não cola isso. Não era isso q pensaram na realidade em 1998, até pq naquela época o xaveco ainda não tinha tanto destaque.

      As mudanças começaram em 1997, sim, mas foram foram de forma bem tímida, só depois disso q foi aumentando mais até ficar do jeito q tá agora. Só q aí não acompanhei e não sei quando começaram exatamente os outros casos, mas na panini já tava consolidada.

      Eu tbm conheço essa hq dos carimbos do muro, muito legal. Isso hj nem pensar. Se republicassem, iam colocar uma moldura imitando cartaz em tudo q é canto. Seria cartaz nos muros, nos postes, no chão, mesmo q seja da forma mais absurda. Tomara q não republiquem mesmo.

      Eu não tenho esperança q a MSP melhore. Acho um caminho sem volta, o politicamente correto veio pra ficar. Legal q vc gostou da postagem. Abraços

      Excluir
    2. Esse politicamente correto é uma maldição que parece que os gibis da turma da mônica vão ter que aguentar até o fim.Não suporto essas mudanças não tou dando á minima se as historias são incorretas ou não e se é para republicar com essas mudanças,seria melhor nem republicar de jeito nenhum!

      Excluir
    3. nao é melhor fazerem um gibi como eram no passado e colocar na capa +18?????

      Excluir
    4. Seria uma boa ideia isso kkkk

      Excluir
  3. Me corrijam se eu estiver errado, mas TODAS essas mudanças ocorreram em 1997, pouco mais de um ano depois da morte da finada Rosana, além de ser o mesmo ano em que o Emerson Abreu entrou na MSP. Vc acha que tem alguma ligação? Ah, sugiro que vc faça uma matéria com as histórias polêmicas da turma, como a dos pais do Xaveco separados, a tenebrosa "Negócios com o Diabo", entre outras.
    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maurício, um pequeno erro seu é q o Emerson entrou na MSP em 1996, um pouco depois da Rosana morrer. As mudanças começaram acontecer em 1997, sim, de forma gradual.

      Infelizmente, quando a Rosana morreu a MSP nunca foi mais a mesma. Se ela estivesse viva, existiria o politicamente correto do mesmo jeito, mas os roteiros, pelo menos das hqs dela, iriam ser show.

      De vez em quando coloco algumas hqs polêmicas aqui, sendo q acho q nunca li essas hqs q vc citou. Foram de quais números? Tenho uma do pai do Xaveco de 2004, mas não sei se é essa q vc cita.

      Abraços

      Excluir
    2. Marcos, desculpa pelo erro. É que o blog dele (emersonabreu.blogspot.com.br) já não é atualizado há pelo menos um ano e eu meio que joguei na sorte rsrsrsrs. Dizem muito em fóruns na internet sobre a Rosana - até vc falou no artigo de apresentação do blog - sim, já li todas as postagens - sobre ela. Não sei se vc já leu, mas tem um artigo do Kleiton Gonçalves no blog dele sobre as homenagens da MSP à Rosana. Muito legal. Essas histórias, não tenho as originais, tenho os almanaques. Vamos lá: "Negócios com o Diabo" saiu em Almanaque do Cascão #35. Já "Na casa do papai", a HQ dos pais do Xaveco separados, saiu no Almanaque da Mônica #30. Falando nos almanaques, vc reparou q as capas do almanaque do Cascão #35 e #40 são parecidíssimas? Assim como a atual e o #38.

      Se tem uma história que li no Almanaque da Mônica que gostei bastante foi "A Filha do Sr. Roque Ferro", do #36. Aliás, gostei bastante também do Alm. do Cacão de mesmo número. Vc sabe me dizer quando foi que foi republicada a última HQ da edidora Abril em um almanaque normal? Ah, sugiro que vc fale em um post sobre as capas dos almanaques que fazem citações a outras capas (tipo o Alm do Chico Bento #35 faz uma citação à Chico Bento #1 da Globo)

      Até mais.

      Excluir
    3. Ah, a HQ que vc citou deve ter sido "Fim de Semana com o Papai!", republicada em Alm. do Cascão #30 (aliás, com uma publicidade bem chula e óbvia sobre o filme).

      Tem várias outras HQs polêmicas como "Reencarnação", de Magali #367, "Quando Ser Forte Incomoda", republicada no Alm. da Mônica #31, entre outras (tem uma HQ que o diabo fala que quer a alma do Cebolinha, mas ele entede que o diabo quer a "alma de blinquedo" dele. Só não me lembro o número e o título).

      Me lembro que vc falou nos comentários do post da HQ "A Fome" que as histórias da Rosana eram bem incorretas. Bom.

      Me bateu uma típica "Nostalgia de Sábado". Me lembrei que ficava a semana inteira bem-comportado para ganhar dois reais de meu pai. Depois da escola, ia na banca com meu irmão, juntávamos nosso dinheiro e comprávamos uma revista TM.
      Saudades...

      Excluir
    4. Maurício, não esquenta, não. Eu tbm baseei pelo blog dele, quando ele atualizava e pelas datas das hqs antigas q ele colocava lá. E eu vi a postagem do Kleiton sobre a Rosana, muito bom.

      Sobre essas hqs, eu li "A Filha do Sr. Roque Ferro", "Fim de Semana com o Papai!" e "Quando Ser Forte Incomoda"... essa última é excelente. Já "Negócios com o Diabo" acho q li, mas não me recordo bem. É com a Turma da Mônica ou com a do Penadinho?

      Sobre capas parecidas, já tiveram muitas com piadas iguais ao longo dos anos. Om problema é q gosto de colocar foto com boa resolução. às vezes eu tenho uma delas, mas não tenho a 2ª versão, q saiu anos mais tarde. Se eu achar por aqui algumas, vou ver se faço uma postagem sobre isso.

      Muito legal a sua nostalgia. Bons tempos,mesmo. Abraços



      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Desculpe, tive que apagar por um erro de grafia.

      Marcos, três coisas:

      1- Vc sabe me dizer quando foi que republicaram pela última vez uma história da Ed. Abril em almanaques formatinho?
      2-Espero que vc tenha gostado das sugestões de postagens que sugeri.
      3- Vc sabe me dizer se a MSP vai estar presente na Bienal do Livro de Salvador (é que os antipáticos do Facebook da TM não me responderam)?

      Obrigado e até mais!

      Excluir
    7. Marcos, vc acha bom eu forrar as minhas revistas TM da PANINI com papel contact? Ou encadernar tudo?

      Excluir
    8. Na verdade, "Negócios com o Diabo" pode ser intitulada como sendo do Penadinho, apesar da apresentação ser apenas o título. A história é assim: um homem chama o diabo, querendo dinheiro. O coisa-ruim, óbvio, quer sua alma. Ele aceita o acordo, mas o homem só recebe metade do dinheiro que queria. No final, se arrepende e dá o dinheiro a um necessitado. Após isso, aparece um anjo, que fala:"Um dia, esse ainda vai pro céu...".

      O ruim de não aparecer o diabo é que também não aparece Deus, nem as pessoas orando e indo à igreja...

      Excluir
    9. Essa história pode ser intitulada assim pelo lado sobrenatural. Mas não pense que a última vez em que os personagens apareceram orando foi antiga. Aconteceu pela última vez em Chico Bento #77. Apesar de ter sido uma história de uma página, foi muito boa, brincando com a característica dele. Também tem uma tirinha final no Almanaque da Mônica #27 (PANINI), linda.
      Até mais.

      Excluir
    10. Maurício respondendo suas perguntas:

      1- Vc sabe me dizer quando foi que republicaram pela última vez uma história da Ed. Abril em almanaques formatinho?
      Sim, no Almanaque do Chico Bento nº 50 (Globo, 1999) tem algumas hqs q foram as últimas republicadas. Na "Coleção Um Tema Só nº26 - cascão Super-heróis" (2000) tem tbm algumas hqs da Abril, o último almanaque especial com hqs da Ed. Abril. Depois disso, dentre do q vi quando raramente republicaram, foram re-republicações.

      2-Espero que vc tenha gostado das sugestões de postagens que sugeri.
      Gostei sim. Anotei as sugestões e se der eu faço algo.

      3- Vc sabe me dizer se a MSP vai estar presente na Bienal do Livro de Salvador (é que os antipáticos do Facebook da TM não me responderam)?
      Nem sei cara, na verdade nem sabia q ia ter Bienal em Salvador rsrsrs... Quem sabe vc entrando na página do facebook "Revistas Turma da Mônica" ou de algum roteirista como Paulo Back ou Sidney Gusman talvez respondam.

      Excluir
    11. 4-vc acha bom eu forrar as minhas revistas TM da PANINI com papel contact? Ou encadernar tudo?
      Nem um nem outro. Acho q vc devia manter como está. Principalmente a encadernação acho um custo alto e descaracterizam as revistas. Eu sou contra.

      Caso vc quiser assim mesmo, vale a pena dar uma conferida nessas postagens do blog do Kleiton, contando as vantagens da encadernação de formatinhos.

      http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2011/08/encadernacao-particular-de-gibis.html

      http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2013/04/formatinhos-encadernados-flash-gordon-e.html

      http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2013/04/historias-atualmente-impublicaveis-do.html

      Excluir
    12. Realmente não lembro de ter lido essa hq "Negócios com o Diabo", mas é bom saber q ás vezes republicam hqs com diabos nas revistas.... pq nas revistas inéditas, nem pensar. Vou ver se encontro esse almanaque do cascão pra ver.

      Legal suas observações sobre os personagens orando. espero ter ajudado nas suas dúvidas. Abraços

      Excluir
    13. Na verdade, gostaria de forrar as da TMJ pq a capa parece que é dupla face, e acabam se soltando...

      Aqueles ignorantes do Face não me respondem... vou seguir sua sugestão, quem sabe dê certo.

      Excluir
    14. Ah, e valeu pela ajuda, cara...
      Vc sabe me dizer de algo para resolver isso (vc deve ter alguns encadernados de capa brochura e deve ter acontecido o mesmo...)?
      Estou fulo da vida com a MSP pq não vai ter número zero de Chico Moço por aqui. O jeito é comprar no mercado livre. Vou dar um jeito.

      Valeu.

      Excluir
    15. Eu coloco as revistas com capa brochura dentro de plásticos, conserva melhor. Isso os mais recentes.

      Sobre Chico Moço zero, se vc tiver o livro "Chico bento 50 Anos" nem precisa ter, já q a história é a mesma. Caso fizer questão, espera mais um pouco q deve sair junto em alguma revista mensal de brinde, nem q seja ano q vem.

      Abraços

      Excluir
    16. E vc, aproveitou a bienal do Rio? Algum gibi TM que chamou atenção?

      Excluir
    17. Nem fui na Bienal, não deu. Os livros vou comprando na internet e gibis só me interessou a Mônica 81.

      Excluir
  4. Adoro tuas postagens, é incrível o material que tu consegue reunir para montá-las e fazer todas as observações que me fazem concordar contigo em gênero, número e grau.
    Essa de colar cartazes eu não sabia... que besteira!!! Ficou um troço nada a ver... gente, gibi não é para ser feito de histórias certinhas que condizem com a realidade, caramba... o bom deles é justamente poder imaginar situações totalmente impossíveis e malucas... olha, quando vi o Cascão lavando as mãos na capa da revistinha quase ganhei um mini enfarto aqui, hehehe! Anos vendo o pavor dele em sequer chegar perto da água, pra estar estampado numa capa ele sem mais nem menos lavando as mãos??? Tenha dó!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nanda, q bom q gostou, tento fazer o melhor possível.

      Concordo contigo, totalmente sem noção essas mudanças. A gente compra gibis para se divertir, fugir da realidade e não para essas frescuras.

      Entendo q vc não sabia do muro pq vc não compra gibis novos. E olha q citei só 4 casos da época q eu colecionava, q estavam começando devagarzinho. Agora, as coisas ainda bem piores q vc nem imagina.

      Essa do Cascão lavar as mãos, e ainda em uma capa, foi a pior coisa q eu vi. Traumatizou muita gente, com certeza.

      Excluir
  5. Pelo que percebi, essas mudanças foram acontecendo gradualmente, até o momento em que revelou a preocupação dele com o politicamente correto não foi? Primeiro uma coisa, depois outra, até que emitiu até uma nota. Eu não entendo como um artista igual ao Maurício se prende a isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Heri, foi gradual, principalmente os cartazes no muro e as armas de fogo. Aos poucos, iam acrescentando uma paranoia nova, e até hj é assim.

      A nota dos cartazes deve ser pq devia ter muita gente reclamando vendo aquilo e quiseram dar uma satisfação pública. Não dá pra entender mesmo, como o Maurício se sujeita a isso em seus gibis. Vai entender...

      Excluir
  6. Só o Emerson Abreu pra fazer a gente esquecer um pouco o politicamente CORRECTO.

    ResponderExcluir
  7. Marcos, pq vc não faz matérias dos achados nos sebos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As hqs do Emerson são engraçadas, sim, mas até ele tem q tomar cuidado com o q coloca senão não é aprovada pelo Maurício. Mesmo assim, gostava mais das primeiras hqs dele de 1997/98 q tinha mais liberdade pra criar. Já teve hq de colocarem um sapo na privada e dar descarga (CB #129)

      Sobre os achados nos sebos são tantos raros q já achei q não caberia em uma postagem rsrs. Talvez eu faça.

      Excluir
    2. Tem uma HQ do Cebolinha de 2002 em que aparece uma barata na cabeça dele, muito boa.

      Excluir
    3. Rsrs... é engraçado isso... tem tbm uma q a família do Cascão tem q lutar contra um ninho de baratas q se manifestou na casa deles. Hq "Las Cucarachas", do Emerson - Cascão 303 (1998)

      Excluir
    4. E essa história leva a outra do politicamente correto: "Las Cucarachas" foi rebatizada, no site oficial, de "Ai, que medo!".

      Excluir
    5. Até hq não entendo pq mudaram o nome da hq no site antigo.

      Excluir
    6. E no site novo, também: http://turmadamonica.uol.com.br/quadrinhos/

      Excluir
    7. Nem tinha visto, vi agora... um absurdo. A gente tem referência de hq marcante pelo título e mudando pra um q não tem nada a ver, não sabe qual é. provavelmente se republicassem em algum almanaque, tbm colocariam "Ai, que medo!". Lamentável.

      Excluir
  8. Oi Marcos, quando uma coisa começa a mudar muito e constantemente, acaba se tornando outra coisa. É o que aconteceu com a Turma da Mônica. Parece que não estamos falando daqueles personagens e suas histórias, mas, de novos personagens e novas histórias que apenas usam a imagem popularmente conhecida e consagrada, para fazer os gibis atuais. A TM não evoluiu ou foi reinventada, simplesmente deixou de ser o que era e passou a ser outra coisa. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A TM não evoluiu ou foi reinventada, simplesmente deixou de ser o que era e passou a ser outra coisa. "

      Sim, Paulo infelizmente hj não tem mais nada do q era em relação à turma clássica, só os nomes dos personagens. A gente sempre espera uma evolução pra melhor, mas não foi o q aconteceu. Lamentável.

      Abraços

      Excluir
  9. Gibis e livros servem pra gente fugir um pouco da realidade e viajar na imaginação. Não pra ficar tentando dar "explicações razoáveis", como se crianças não tivessem inteligência suficiente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Ana, ainda mais q crianças são espertas até demais, sabem diferenciar muito bem realidade de ficção. O q custava manter a fantasia, que elas sabem q se trata de fantasia. Não dá pra entender o q passa na cabeça do Maurício...

      Excluir
  10. O politicamente correto conseguiu o que seria de pior para personagens tão emblemáticos como a Turma da Mônica: eles ficaram descaracterizados. Uma Mônica que não bate, um Cascão que lava a mão e toma banho, Cebolinha falando certo, etc. acabou por tirar toda a graça que fazia deles personagens tão únicos.
    Creio que o Maurício tenha levado essa coisa da turma ter influenciado gerações de crianças a ler e a ensinar coisas através de sua histórias tão à sério, que os personagens tiveram que ser minimizados a meras crianças que ensinam as coisas didaticamente e a passar uma boa imagem. Acho isso uma pena.
    Às vezes tenho essa impressão de que o Maurício tenha feito essa coisa de namoro, casamento de Mônica e Cebolinha, Chico Moço e tantas outras coisas que tiram a originalidade deles para ainda continuar vendendo. Creio que tudo isso deveria ficar apenas na imaginação das pessoas.

    Marcos, pq vc não mostra sua coleção? Fica aí uma sugestão, acho que o pessoal iria gostar.

    Gde abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. llpsdll, o problema do politicamente correto é justamente isso: descaracteriza os personagens. Muito ruim isso, só dá pra lembrar dos verdadeiros personagens nas hqs antigas.

      Também acho q TMJ e Chico Moço é só para alavancar as vendas e continuarem vendendo algo.

      Quando der, posto minha coleção. Abraços

      Excluir
  11. Marcos,

    muito legal ver essa postagem e acompanhar um poucos sobre algumas mudanças.

    "os roteiristas tinham total liberdade para criar as histórias."
    - Certamente, o limite era o bom senso. Não veríamos uma suruba ocorrendo na casa da Mônica nem o Cascão cheirando pó. Mas, de resto, as HQs tinham os pés no chão: havia bandidos no Limoeiro porque há violência, por exemplo.

    "Perceba a diferença da palavra "supercola" e "amadurecer"."
    - Muito mal feito. Alguém rabiscou as alterações às pressas. Poderiam ao menos ter pedido isso a um especialista.

    "A primeira vez que fizeram essa substituição, foi na história "Pegue e Pague""
    - Bom saber onde isso começou. Engraçado que os roceiros andam sempre com espingardas e facões. Já cansei de dar carona a matuto carregando uma garrucha. Só diminuiu mais isso após a ridícula Lei do Desarmamento, patrocinada pela PT como um dos pontos de seu projeto de poder. O Nhô Lau armado era até uma boa advertência aos meninos que liam os títulos: cuidado ao invadir o que é do próximo! Quando eu era guri e jogava bola na rua, uma senhora mostrava um facão pra gente, dizendo que rasgaria a bola se batesse na porta dela. Ninguém cresceu traumatizado por isso e era até divertido ver a senhoria nervosa.
    Li a história do especial Clássicos do Cinema e tb acredito que a madeira já estava na mão do Nhô Lau. Afinal, depois das mudanças ele não carrega mais nenhuma arma, mesmo.

    "colocaram ainda uma propaganda tosca nos gibis"
    - É. Os meninos no Limoeiro andam com cartolina no bolso para tudo. Não é porque os garotos veem o Cebolinha riscando muros que farão o mesmo. Na verdade, os meninos por aí não leem é nada e riscam tudo o que é porta em escolas; em especial nas públicas.

    "fazem uma capa da revista dele lavando as mãos"
    - Eu não sabia dessa história do dublê. Acho que o MSP se arrependeu da bobagem e quis voltar atrás.

    Acho interessante a sugestão do colega acima, sobre vc nos mostrar um panorama de sua coleção.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "os roceiros andam sempre com espingardas e facões."

      Pois é, antes as hqs tratavam a realidade do mundo, não escondia nada, hj querem fazer um mundo faz-de-conta, em q tudo é perfeito, sem brigas, violência, sem bandido, etc. Tudo muito didático. Sinceramente, é muito chato assim.

      Eles pensam q as crianças vão fazer tudo q os personagens fazem, mas criança não é burra, é só mostrar q não é certo e pronto.

      "Eu não sabia dessa história do dublê. Acho que o MSP se arrependeu da bobagem e quis voltar atrás."

      Sim, uma burrada sem tamanho e uma explicação mais idiota ainda. Eu não aceito isso.

      Quando der, posto minha coleção. Abraços

      Excluir
  12. "Tudo muito didático"

    Olha, nem acho didático. Penso que, com essa conduta restritiva que chega a ser quase alienante, não estão ensinando muita coisa às crianças.

    O MSP tentou se didático, correto etc.. Acabou metendo os pés pelas mãos e produzindo histórias para oligofrênicos, apenas.

    Quem perdeu "somos nozes", leitores.

    No aguardo da coleção.

    Como vc tem muito formatinho, poderia fazer algo como fez o Paulo Gibi: um estante sob medida para eles!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, quem perde com tudo isso são os leitores, tanto os antigos e até mesmo os novos .

      Sobre a coleção, eu guardo tudo dentro do guarda-roupa, acho melhor. Tem bom espaço nele. Abraços

      Excluir
  13. Achei essa postagem excelente. Foi muito bom (ou ruim?) ver onde começou todo esse besteirol que só foi piorando. Meu primo tem essa edição do Cascão de 2007, mas eu não tinha entendido direito pois li muito rápido e não conhecia a capa original. Acho que mesmo parecendo ridícula a explicação, foi muiot válido, pois ao menos foi consertada uma burrada feita quase 10 anos antes.

    Ler essas coisas sobre o politicamente correto eu fico preocupado. Essa semana li uma notícia que me deixou até meio "desnorteado". O Cartonn Network vai cancelar nada mais, nada menos que VINTE E SETE episódios de Tom e Jerry por conter, na visão doente dele, cenas muito explícitas de violência. Quando li isso fiquei perplexo, primeiro por ser fã do desenho desde que me entendo por gente, e segundo por pensar em todas as outras coisas que tem acontecido em outros meios como a própria Turma da Mônica. Eu ainda tinha alguma esperança, mas é como você disse, o politicamente correto veio pra ficar. Essa tendência é não só da MSP como de todos os meios! Só tenho que me conformar mesmo de viver de nostalgia pelo jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fizeram explicação só pra tentar consertar a burrada, mas pra mim essa explicação não me convence, só achei meio engraçada, apenas isso.

      Muitas hqs da Turma da Mônica tinham inspiração nesses desenhos clássicos, como Tom e Jerry, Pica-Pau, Pernalonga, Tiny Toon e tantos outros. Os personagens caíam no precipicio e na outra cena, já estavam inteiros prontos para a outra. Nos gibis, eram a mesma coisa.

      Aí vem o MJ e proíbe esses desenhos agora. Muita falta do q fazer. A MSP já se adiantou e fizeram isso antes. Infelizmente, politicamente correto é a tendência daqui pra frente para tudo.

      Excluir
  14. O politicamente correto tirou toda a graça das histórias. A Turma da Mônica mudou totalmente, e para pior. Será que o Mauricio não percebe isso? Será que os gibis continuam vendendo do mesmo jeito?

    Bela postagem, Marcos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se evoluissem para melhor, tudo bem, mas infelizmente não foi isso. Uma pena. Acho q continua vendendo bem, até pq não tem muita concorrência.

      Só q muitos descartam logo e vendem para sebo. Ultimamente, a gente vê mitas edições recentes em sebos.

      Legal q vc gostou da postagem. Abraços

      Excluir
    2. Pelo o que sei, o carro forte da editora anda sendo Turma da Mônica Jovem, pq a Turma da Mônica clássica ficou tão descaracterizada que ninguém aguenta mais. Mudar características pelo politicamente correto não funciona em personagens que vivem num universo que depende de status-quo.

      Excluir
    3. É, andam muito descaracterizados, isso não é bom. Magali sem comer exageradamente, Cascão sem brincar no lixo, Chico só tirando nota boa na escola, etc. Sinceramente não dá, tira a essência deles.

      Excluir
  15. Leio os gibis da turma da Mônica desde os 4 anos, como não frequentava a escola nessa idade, minha mãe me ensinou em casa. Tenho esse vício até hoje, com quase 22 anos. De um tempo pra cá notei essa mudança, principalmente após a revista passar a ser da Panini. Odiei. Ainda compro, mas só de sebos, olhando a data ainda por cima, compro no máximo até as de 1998.
    Trabalho em loja de roupas e alguns dias atrás achei uma revista da Mônica perdida, algum cliente tinha acabado de comprar e esqueceu lá... eu li mas perdi até a vontade. Nela o Cascão tomou banho, e não deu nenhuma satisfação. Achei riiiidiculo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, isso é péssimo, descaracteriza o personagem. Nada a ver.

      Excluir
  16. Pôxa, tava ouvindo uma musiquinha boa, aqui, do Bon Jovi, e quando eu vi o Cascão lavando as mãos, meu fone até pifou, rsrsrsrsrs....
    Sério, essa capa é ridícula.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk. Q azar hein. Ops... falta de sorte, pq a palavra azar, não pode rsrsrs

      Completamente ridícula essa capa. E pior ainda foi tentar consertar o erro na Panini. Lamentável.

      Excluir
  17. na história ''ceboflash'' da versão do almanaque temático,cebolinha mostra um desenho da mônica no cartaz até ai não foi nada.mas quando cebolinha começa a fazer vários desenhos em um ''muro vazio'' em alta velocidade do nada apareceu um cartaz enorme onde ele riscou dai eu pensei: ''como diabos esse cartaz apareceu lá?'' isso está sendo lamentável tanto pro estúdio como pra panini que publica essas histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra entender né? Ficam tão preocupados em ocultar absurdos clássicos nas hqs, e fazem essas coisas mais absurdas ainda. Uma pena.

      Excluir
  18. É... Não é a toa que mesmo quando eu era criança eu preferia escolher o almanaque e vez da edição do mês quando ia na banquinha... E ria bastante e nunca fui influenciada pela porquice do cascão ou pelo "vandalismo" nos muros. Isso porque tive pais que me ensinava a diferença entre ficção e realidade, que tal coisa era engraçada nos quadrinhos ou na TV mas que na vida real traria sérios problemas. Mas parece que os pais de hoje só querem ser a tarefa de criar os filhos para as mídias, censurando tudo, e artistas e escritores é que pagam o pato, tendo que mudar seus roteiros e personagens em prol de um politicamente correto que em vez de ajudar acaba colocando as crianças dentro de uma bolha que não sabem se virar. Como diria o Xaveco (adoro o Xaveco :d) "o fruto dessa geração de mães superprotetoras são esses meninos porcelana que quebram logo na primeira queda". E olha que eu cresci com as HQs de 1989/2004!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, é só educar os filhos, mostrando o q é certo ou errado. Sem contar q muitas vezes os personagens se davam mal no final, mostrando q aquelas atitudes não era certa e não deve seguir o exemplo deles. Tipo, tem uma hq q postei esses dias aqui no blog, a Magali comeu torta queimada e quente do Papai Noel e deu dor de barriga nela. As crianças vendo isso aprende que não deve comer torta queimada ou comida estragada. E por aí vai.

      Realmente a partir dos anos 2000, os almanaques ficaram melhores do q as mensais. E sábias palavras do Xaveco. Muito certo isso.

      Excluir
    2. atualmente a violencia aumentou. antigamente era menos. as revistas com censuras são para educar? -_-.. antigas revistas sempre tinha algo para refletir.

      Excluir
    3. Verdade, sempre dava refletir depois sobre os assuntos abordados. Educava até mais. Assim que era legal.

      Excluir
  19. no almanaque do cebolinha desse mês parece que tentaram desenhar um cartaz onde não tinha mas esqueceram de colorir e ficou dando a impressao que tinha um cartaz desenhado, o que já tava ruim conseguiram piorar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas alterações são sempre ridículas

      Excluir
  20. Eu acho que os almanaques, ao invés de ser alterado, e causar revolta, eu acho que eles deveriam por um aviso bem grande na primeira página escrito "Essas histórias são de outros tempos,onde o politicamente incorreto convivia conosco.Não iremos alterar os desenhos, pois se alterar,acabará destruindo o trabalho dos desenhistas da época que se esforçaram muito pra fazer um trabalho de qualidade,e nem os textos, pois irá contra os letristas e os roteiristas. Não aceitaremos reclamações,pois vários dos funcionários que trabalharam nessas histórias antigas já não trabalham mais no Estúdio da MSP,e reclamar com eles,seria o mesmo do que reclamar com nada. Agradecemos.Boa leitura e boa diversão". Tipo,pelamor de Deus!Eu comprei um almanaque,e num quadro,o Cascão está andando,até que aparece um garoto apontando o dedo,e o Cascão corre com medo...Perái,tá com medo de um dedo?!Isso era para aparentemente ser uma arminha d'água, ou seja,se o Cascão está com medo de água nessa cena,significa que aquele menino iria atirar água com o dedo!É tipo aquela "épica" cena que apareceu em outro gibi, que você até analisou o mesmo, com o Dudu atirando água pelo dedo!E quando eu vi aquilo,eu comecei a rir de tão ridículo,até porque,melhor rir do que chorar,né. Aliás, eu li as revistas da TM,assisti Tom & Jerry,Pica-Pau, e nunca virei um criminoso!Revoltante isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Revoltante mesmo, chega a ser engraçado essas alterações sem sentido. Deixava como estava ou simplesmente não republicavam mais. Todo almanaque tem alguma alteração, sempre boba por sinal.

      Excluir
  21. [Apaguei por erro de ortografia]
    Já já vão ter que censurar os olhos roxos da coelhadas pra não "gerar violência"... Ou essas crianças são muito burras e não tem um pingo de noção ou os pais são burros e não conseguem mostrar para os filhos o que é "certo e errado" em um gibi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles não aboliram de vez a Mônica batendo nos meninos porque é a essência da turminha, mas sempre que podem evitar eles fazem. Normalmente hoje em dia aparece a Mônica só correndo atrás deles em vez de aparecer batendo e eles com olhos roxos. Com certeza, eram os pais que tinham que mostrar o que é certo ou errado.

      Excluir
  22. Eu já tinha comentado isso, mas como ta no assunto, vou falar de novo: Na ''ALMANAQUE DA MAGALI 4 (ou 3) '' Tem uma hq que os meninos RABISCAM no muro. Sem cartaz. Quando eu vi aquilo eu fiquei tipo... TURN DOWN FOR WHAT! E pra piorar, quando os personagens ainda interagiam nos gibis nos almanaques, a magali disse que eles não faziam mais isso. Eu achei bem estranho pois ainda bem que não foi de passada e não foi um erro não colocar os cartazes. Pois acho q se não tivesse isso, com certeza mesmo, colocariam os cartazes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AVISO : QUANDO EU DISSE ''quando os personagens ainda interagiam nos gibis nos almanaques'' Eu quis dizer que quando vc virava a página, o personagem fica falando tipo '' vc vai adorar o almanaque! tem várias hqs boas e divertidas, vire a página e boa leitura!''

      Excluir
    2. Por ser um almanaque e era uma história provavelmente dos anos 90 e eles não fizeram alteração. Nos primeiros almanaques da Panini eles mudavam pouco os conteúdos das originais. Essa paranoia maior ficou de 2013 pra cá.

      Nos primeiros números da Panini muitas vezes não mudavam nos almanaques, mas avisavam nessa página do frontispício ou em um rodapé da própria história que tais cenas não existiam atualmente.

      Excluir
  23. se pichar muros é vandalismo, colar cartazes é desperdício de papel, era melhor não ter cenas dessas nas histórias

    o cebolinha pensando certo achei foi melhor, o problema dele é só na fala, mas deviam deixar como era na original

    o nhô lau preferia que continuasse dando tiro de espingarda mas n achei uma alteração ruim, inclusive em uma hq ele fala que aposentou o velho trabuco por causa do politicamente correto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ps: "como era na original" só quando a hq foi republicada

      Excluir
    2. Por aí mesmo, nada a ver colar cartazes nos muros e Nho Lau dando tiro era bem melhor.

      Excluir
  24. Li no último Almanaque Temático do Chico Bento (lendas e folclore) uma história em que um caçador acuava e amedrontava um casal de lobos apontando para eles... um estilingue! E dizendo que eles virariam casaco... Com toda certeza havia um revólver na publicação original, não? A história se chama "Lobo nada bobo", e nela Chico Bento lê "O livro da selva" e pensa ser um lobo como Mogli.

    ResponderExcluir