terça-feira, 3 de setembro de 2013

Chico Bento Moço nº 1


Foi lançado recentemente, Chico Bento Moço, mais uma revista com os personagens em versão adolescente. Eu comprei essa edição nº 1 pelo valor histórico e nessa postagem falo minhas impressões a respeito.

Eu não apoio essas revistas em mangá com os personagens crescidos, acho horrível. Gostava quando era apenas nos gibis convencionais que de de vez em quando tinham histórias deles adultos, do tipo passa algum tempo para concluir a história. E tinham inúmeras histórias desse estilo ao longo desses anos todos e sempre preservavam as características dos personagens. E os traços agradavam.

Na boa, com a Turma da Mônica Jovem, eles mudaram completamente as características dos personagens. O Cebolinha foi à fonoaudióloga e agora fala certo, o Cascão toma banho, a Magali faz regime para não engordar e por aí vai. Todos têm 16 anos. Os roteiros são tudo muito bobos, se ainda falasse dos dilemas dos adolescentes, mas não assim. Eu só tenho a número zero, a edição especial colorida da Mônica de 2009 e a nº 50 com a história do casamento da Mônica e Cebolinha. Tudo uma bobagem só, a do casamento deles então, nem se fala.

Porém, essa versão em mangá faz sucesso com a garotada, então aproveitando isso e para vender mais, fizeram o mesmo com o Chico Bento. Podiam muito bem só colocarem uma participação nas histórias da Turma da Mônica Jovem, mas preferiram lançar material só com ele.

Contracapa

Comprei essa nº 1 e o que deu para analisar? Tem o mesmo formato da Turma da Mônica Jovem, medindo 16 x 21,3 cm, e capa cartonada, traços estilo mangá, histórias em preto e branco, porém com menos páginas. Enquanto TMJ tem 128 páginas, Chico Moço tem 100 páginas no total. E o preço das duas edições é o mesmo, então, Chico Moço se torna mais caro. 

Já o conteúdo, como de esperar, ficou a desejar. As histórias do Chico Bento Moço vão girar em torno do sonho dele de ser engenheiro agrônomo para ajudar na fazenda dos pais. Vão mostrar sua vida como universitário na cidade, morando em uma república, além de falar como é a agronomia e os problemas da terra e preservação da natureza.

Essa edição foi basicamente mostrar o destino de cada personagem, que rumo tomaram cada um. Abre com duas páginas com um breve comentário com os rumos dos personagens tomaram. Mostra que o Chico passou na faculdade de Agronomia, Rosinha em Veterinária, Zé da Roça, em Pedagogia e Hiro, Engenharia Civil, além de falar sobre o destino do primo Zeca, Zé Lelé, Genesinho, professora Marocas e Nhô Lau.

Uma página mostrando o rumo dos personagens

Na história, o Chico deixa a Vila Abobrinha e vai passar a morar em uma república na cidade de Nova Esperança com o primo Zeca, que passou em Robótica. A Rosinha vai cursar faculdade na Cidade de Campos Verdes, e Zé da Roça e Hiro vão fazer seus cursos na mesma faculdade em Presidente Fonseca e os dois vão morar juntos. Eles estão com 18 anos de idade, menos a Rosinha que tem 17 anos. Esses 4 personagens não falam mais caipirês. 

Agora cada um vai seguir seu caminho e buscar novas experiências, e, com isso, eu acredito que eles nem sempre vão aparecer nas histórias, só se resolverem visitar um ao outro, já que estarão em cidades diferentes. Vai prevalecer mesmo o Chico com o primo Zeca na faculdade de Nova Esperança. 

Já o pessoal da Vila Abobrinha é que não aparecerão mesmo nas próximas edições. Como as histórias serão ambientadas na cidade, então tão cedo não veremos os pais, a professora Marocas (que virou diretora), o Nhô Lau, a Vó Dita e nem o Zé Lelé, que continuarão a viver em Vila Abobrinha. No caso do Zé Lelé ele não quis cursar faculdade e optou continuar na roça porque não conseguiria viver na cidade, além de que alguém tem que cuidar do roçado. Na história, eles falam que vão se encontrar daqui um ano, provavelmente nas suas férias,  quando voltarão visitar Vila Abobrinha. se realmente seguir isso, só a partir da edição nº 13 que veremos de novo os personagens da Vila Abobrinha.

Genesinho

Outro destaque negativo que apareceu o Saci nessa edição e até ele cresceu. Totalmente sem noção. Lamentável. As piadas são sem graça, até tem alguns diálogos mais sérios, mostrando sabedoria e ensinamentos, tipo os pais falando para o Chico sempre seguir o bem e ir para o caminho certo, porém nada de mais. Muita bobeira. E pior de tudo: o Chico e Rosinha não falam mais caipirês, descaracterizando totalmente os personagens, se já não bastasse vê-lo todo musculoso, ainda tem ele falando certo. Um horror.

Pode-se dizer que essa será a edição um pouco mais interessante porque mostrou os rumos dos personagens e essa despedida do Chico da roça. A partir do próximo número, as histórias não se passarão mais na roça, apenas na cidade e faculdade que o Chico irá estudar com o primo Zeca. Serão apresentados os novos amigos do Chico, ou seja, com quem ele vai morar na república junto com o primo, com quem vai estudar, os professores, etc. Por exemplo, será apresentado o tal de Jurandir, amigo do Zeca, que será um dos moradores da república, como é falado na imagem abaixo:

Primo Zeca

Além disso, para alavancar as vendas, nessa edição vem com um jogo com realidade Aumentada, o "Sumiço da Rosinha", desenvolvido para smartphones e tablets. Para ter o jogo, o leitor tem que comprar a revista e baixar um aplicativo do jogo em seu smartphone. Após isso, o leitor joga posicionando determinadas páginas da revista em frente à câmera do smartphone e seguindo as instruções na tela. Entrando no site da Panini, terá mais detalhes sobre o jogo. 

Tudo isso para chamar atenção da garotada e conseguir vender mais. Afinal, o que atrai as crianças e os jovens atualmente são as tecnologias. Só acho que incentiva o consumismo, pois vai incentivar as crianças pedir que os pais comprem smartphone só para ver esse jogo em realidade aumentada. Como eu não tenho smartphone nem tablet, nem vai dar para ver essa realidade aumentada e não vou comprar só por causa disso. 

Zé da Roça, Chico, Rosinha e Hiro: piada boba

Sobre "Chico Bento Moço zero" que será lançado, apesar de ser histórico, eu não vou comprar, a não ser que eu encontre em sebo bem barato, por volta de R$ 1,00 a R$ 1,50, que acredito que não será difícil de encontrar. Explico: é que a história dele é a mesma que saiu no livro "Chico Bento 50 Anos", mostrando seu Bento, com 50 anos de idade, relembrando os momentos que o Chico passou quando criança, e o Chico Moço só aparece em 3 quadrinhos no final. 

A princípio, "Chico Bento Moço zero" será lançada na Bienal do Livro e depois virá encartada em alguma revista mensal a partir de setembro, sendo de preferência na revista do Chico. Claro que pode ir em qualquer gibi, visto que "Turma da Mônica Jovem zero", de 2008, veio encartada em "Mônica nº 20" e "Tina Especial" e "Pelezinho zero", de 2012, veio encartada em "Saiba Mais nº 60" e "Cebolinha nº 74".

Capa de "Chico Bento Moço zero"

Só não entendo porque na capa, tanto do Chico Moço e da TMJ aparece o aviso de não recomendável para menores de 10 anos, se o público alvo dessas revistas são as próprias crianças. Vai entender. 

Enfim, comprei mesmo esse número 1 pela curiosidade e pelo valor histórico porque sinceramente achei bem fraco e não vou acompanhar. Já não esperava grande coisa e confirmou o que previa. É tudo bobo e sem graça. Para quem colecionar, irá acompanhar como vai ser a vida de universitário do Chico em Nova Esperança. Eu dispenso. Não gostei. Para mim, conseguiram estragar o Chico Bento e por isso não colecionarei.

59 comentários:

  1. Marcos, tudo bem?

    Nem vou dizer o que acho dessas revistas depois de ler teu belo texto, pois as palavras sobre essa atual fase em um contexto geral não seriam nada boas. Fica muito difícil ser otimista com tanta coisa ruim sendo publicada. E quando penso que já está demais e agora pode melhorar um pouco, vem esses recursos de realidade aumentada para desviar a atenção das histórias. Que pena que a MSP não está mais querendo ter como premissa a qualidade de suas tramas. Era uma vez um talento brasileiro das HQs que encantou gerações.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiano, tbm não suporto essa s versões adolescentes em mangá, tudo superficial. Comprei essa edição por ser a nº 1.

      " vem esses recursos de realidade aumentada para desviar a atenção das histórias. "

      concordo, só serve para as crianças incentivarem a comprar os gibis já q elas gostam dessas novidades tecnológicas. Enquanto isso, o nível das hqs piorando cada vez mais.

      "Era uma vez um talento brasileiro das HQs que encantou gerações....... "

      Apoiado. Até pq a tendencia é piorar.

      Excluir
    2. Olá Marcos, estou aqui só para , talvez surpreendentemente, afirmar que a MSP finalmente acertou, com a Chico Bento Moço. Li a revista e vi um conteúdo bom, voltado realmente para um publico entre o ensino médio e o início da faculdade, desde que o mesmo esteja disposto a vencer o pre-conceito de que gibi e hq são coisas de criança.
      Agora, falar que "os personagens já não são os mesmos, e não sei o que..." parece, muito, papo de fanboy cara, desculpa, eu entendo o saudosismo, o sabor de infância e o amor pelos meios e maneiras de cada personagem, mas as pessoas mudam! e é preciso muita coragem para envelhecer um personagem, pois nem todos irão gostar da maneira que este ou aquele personagem irá envelhecer! Retifico que esta é minha opinião, e cada um tem a sua, e respeito teu ponto de vista. Ótimo texto este que escrevestes, e eu nem tinha visto esta parte de realidade aumentada! porem vou continuar sem ver pois não sou adepto de coisas descartáveis, como telefones ultratecnológicos (viva os Nokia!)
      abraços

      Excluir
    3. Cada um tem seu ponto de vista, só acho q não deviam criar essa revista com o Chico grande, acho desnecessário. Já q criaram, não precisava ser tanto "vida real", já q eles estão em uma hq em quadrinhos. Pode (e deve) ter absurdos.

      Só sei q não comprarei as próximas edições. Não gosto e não vejo razão em comprar. Quanto ao jogo em realidade aumentada, tbm não vi, tbm penso como vc. Abraços

      Excluir
  2. Oi Marcos, eu tinha uma boa expectativa para esta revista. Mas, não se confirmou. Comprei e li. Não gostei de nada. Ou melhor, só se salvou o Zé Lelé que continua o mesmo. O resto é bobeira. Só isso. Você destacou os pontos necessários e informou bem seus leitores. Chico Bento Moço vai morrer abraçado com Neymar Jr, e liderar os encalhes da MSP nas bancas, e aparecer aos montes nos sebos, como rejeição. É o que eu acho. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Paulo, o Zé Lelé continuou o mesmo e por ironia nem vai aparecer nas próximas edições.

      Concordo q a revista vai encalhar, nota-se q até inventaram de colocar um jogo de realidade aumentada para chamar atenção e atrair mais gente. Neymar tbm é outra bola fora da MSP.

      Legal q vc gostou da postagem. Abraços

      Excluir
  3. Eu até ia comprar, mais depois dessa postagem não vou mais não. Pode ter o valor histórico que tiver, mas pra mim, acho melhor mesmo pegar quando começar a aparecer nos sebos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel, eu comprei pq gosto de ter edições "nº 1", agora colecionar tô fora. Logo, vai ser encontrado nos sebos e é bom pq é mais barato um pouco. Aqui TMJ cobram R$ 5,00 em média. Mas nem nos sebos compro TMJ e nem Chico Moço. Talvez a edição zero se custar R$ 1,00.

      Excluir
  4. Bah, Marcos.. que que fizeram do nosso querido Chico Bento... meu personagem preferido perdeu toda sua essência. Tudo bem, a versão dele mangá o deixou gatão, confesso, mas nem por isso fiquei com vontade de ter a revista. No mais, tenho pavor desse estilo mangá.. que febre hoje em dia... e também não tenho nem tablet nem smartphone (fomos excluídos pela tecnologia!!! hehehehe!).

    Agora... a Magali fazendo regime?? Fala sério... ainda acho que nunca deveriam ter deixado essa turminha crescer... deveria ter ficado a cargo da imaginação das pessoas seus rumos, sei lá.. nunca comprei nenhum gibi da Turma da Mônica Jovem e, sinceramente, não pretendo comprar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Nanda conseguiram estragar. Até de estranhar o porte físico dele e dos outros personagens. Abriram academia lá na roça ou só trabalhando no roçado ficaram forte? kkkk

      Tudo sem essência, bobos, enfim, horrível. E ainda precisa colocar um jogo pra atrair a garotada.

      Já Turma da Mônica Jovem acho ainda pior. Magali fazendo regime nada a ver. As q eu tenho, são pelo lado comemorativo, são só 3 edições. Fique tranquila q vc não tá perdendo nada.

      Excluir
    2. Marcos,pra que falar mal da revista se voce não gosta porque postou no seu blog? e alem disso vc é um babaca eu sou fã numero 124474 da tmj e não vou deixar isso de mãos amarradas :(

      Excluir
    3. Pq eu comprei por ser a número 1 e dei a minha opinião do q eu li. Achei horrorosa mesmo, só a TMJ consegue ser pior ainda. Se não gosto, falo mal mesmo.

      Excluir
  5. Verdade, esse negócio de pôr jogo na revista atrai crianças e é uma estratégia de venda.
    Já experimentei um jogo de realidade aumentada e é realmente de impressionar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, o material do Chico Moço é tão fraco q precisaram lançar jogo para promover a revista. Acredito q seja impressionante, sim, mas não vejo necessidade nisso em gibi.

      Excluir
    2. O Maurício sempre buscou trazer novidades para suas revistas. Essa realidade aumentada é tão desnecessária quanto o 3D Virtual do fim do século XX.

      Excluir
    3. Concordo Danil, mas sabe como é né, o dinheiro é q manda. Infelizmente são essas novidades tecnológicas q atraem as crianças, só q infelizmente a qualidade das hqs fica em 2º plano.

      Excluir
    4. Bom, eu comprei a revista, fiz uma vez a realidade aumentada (já faz quase um mês e meio) e joguei, e agora fico tentando jogar, mas meu prazer é mesmo ler... Bom, a #2 do Chico está bem boa, ele não começou na faculdade, está apenas dividindo a república com Jácomo (o comilão), Jura (o roqueiro) e Lee (o coreano). Até que tá legal, com ele tentando se adaptar à vida na cidade e tals... mas de personagem "clássico", além do Chico, só a mãe dele na imaginação. Espero que os outros apareçam também nas próximas revistas (na #3 não vai ser, mas quem sabe na #5 ou #6...).

      Excluir
    5. Pode ser q apareçam outras vezes, quem sabe. É aguardar.

      Excluir
  6. Há há!

    Eu aqui fazendo uma módica postagenzinha sobre essa revista e vc já fez algo muito melhor!!!

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Kleiton, mas li sua postagem ficou muito boa tbm, abordou outros aspectos q não falei. Ficou bacana.

      http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2013/09/sim-li-chico-bento-moco-n-01.html

      Excluir
  7. Da qualidade nem vou falar, é óbvio que é ruim mesmo... todos já falaram. Muito bom o post.

    Mas acho engraçado como eles adotaram o 'manga' como estilo. Eu queria saber de onde tiraram isso. É por que o Mauricio tem ascendência japonesa e falaram pra ele "cara, esse é o estilo certo pras suas criações"???? Como foram vender isso pra ele?

    E o engraçado é que não só as histórias perderam com o roteiro, e a destruição das essências dos personagens, mas perderam ambem o estilo do traço dele (que poderia ter sido usado com eles jovens, porque não?) Virou uma coisa genérica.

    É triste ver pessoas destruindo o trabalho de um homem com o próprio aval do mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. greatinsanity.com, é lamentável sim. Parece q ele teve ideia do estilo mangá pq é o tipo de revista q o filho mais novo dele gosta.

      Acho q descaracteriza muito os personagens. Não gosto não. Traços então nem se fala. Podia pelo menos ser essa versão adolescente com os traços dos estilos convencionais.

      Valeu port ter gostado do post. Abraços

      Excluir
  8. Esta é minha primeira postagem neste blog.

    Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar o criador pela iniciativa de criar um espaço para discussão sobre a obra daquele que na minha modesta e provavelmente solitária opinião, é o maior artista brasileiro de todos os tempos - o Mestre Maurício de Souza (para não me alongar, vou tentar justificar em outra oportunidade sobre o porquê deste meu aparente exagero).

    Em segundo lugar, falando especificamente sobre o "Chico Bento Moço", creio que ainda é cedo para julgarmos, e ainda tenho esperança de que o Maurício utilize a obra para tentar se redimir da ABERRAÇÃO (utilizando esta palavra para evitar palavrões) que é a turma da Mônica Jovem (na moral, deveríamos ter alguma lei que impedisse os artistas de avacalharem as suas próprias obras, mas isso é um sonho utópico), mas também não quero me alongar sobre a TMJ.

    Quanto ao chico, que é meu segundo personagem favorito (depois do Cebolinha, que na minha opinião é o personagem principal do núcleo urbano da TM, com todos os demais servindo de "escada"), acredito que o Maurício não permitirá que destruam a essência do personagem, que é a de lutar pela valorização da vida simples do campo em detrimento das mazelas da urbanização. Também não gostei deste primeiro número e a perspectiva para os próximos números também não é boa, com a ênfase na vida universitária do Chico, mas tenho fé que, ao contrário do que os colegas comentaram anteriormente, haverá sim uma grande ênfase no núcleo da Vila Abobrinha (meu deus, como eu gostaria de morar na Vila Abobrinha), e também espaço para que o Chico Bento continue sendo o grande herói que sempre foi, atuando em defesa da natureza, do estilo de vida simples e despreocupado, e da agricultura familiar de pequena escala, e continue sendo o único personagem de ficção brasileiro a tentar colocar algum bom senso na cabeça dos que tem a infelicidade de estar passando pela infância nesta época.

    Viva o Chico! E vamos esperar que o Maurício não tenha enlouquecido definitivamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, seja bem vindo ao blog. Realmente TMJ é bem fraca mesmo, deprimente, mas deixemos pra lá mesmo.

      Sobre o Chico Moço, como foi uma edição de estreia, muitas coisas vão mudar, se pra pior ou pra melhor só o tempo dirá. Acho q o pessoal da Vila Abobrinha aparecerá só se for em tramas paralelas. É mais fácil aparecer mais a Rosinha, Zé da Roça e Hiro do q o Zé Lelé, por exemplo.

      A característica do Chico valorizando a natureza está mantida e acho q esse deve o principal foco da revista. O problema dessas revistas em mangá é q os diálogos são muito bobos. E os traços assim não combina com a turma do Chico.

      Abraços

      Excluir
  9. Sinceramente, eu achei SIM a revista regular, mas eu não critico totalmente as versões jovens dos personagens. Não sou daqueles que leem uma edição e já deixo de ler e digo que é tudo ruim. Preguiça. A TMJ, por exemplo, tem HQS que acho ruim, tem as que acho regular e tem outras que eu acho boas, ótimas ou exelentes. Poxa, vocês criticam novas interpretações aos personagens seja versão jovem, mangá ou releitura nem sempre pela qualidade, mas por não serem vcs o publico alvo ou simplesmente por serem tradicionalistas. Os lançamentos nem sempre são direcionados a vcs, fãs da turma clássica. eu gosto da turma clássica e tbm gosto da TMJ. Acho legal investirem no mangá que acho um gênero excelente. Achei o chico regular, mas assim como a TMJ espero me surpreender uma hora. A TMJ tem HQS boa SIM. Não todas, não a maioria, mas tem sim. Só não são para vcs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto as TMJ eu creio que houveram muitas coisas ruins, desde a propaganda do "estilo mangá" que de mangá só tem o traço, e olhe lá, até a forma com a qual os personagens interagem, porem houveram grandes assuntos abordados durante os 50 "volumes", (não li muitos, mas adorei o fato de desmistificarem um minimo o RPG, e a homenagem ao Death Note então! nem se fala, apesar de ter achado que o roteiro da revista teria ficado melhor na TM normal.)

      Excluir
    2. fora que ver o cebolinha chamando o próprio pai de "Pouca-telha" foi algo fenomenal... mas faz tanto tempo que li isso que já nem tenho certeza se era realmente da TMJ...

      Excluir
  10. E definitivamente não entendo as criticas negativas as graphic MSP, é um dos melhores selos de HQ do Brasil, fácil. Eu e MUITOS fãs concordamos nisso. Não entendo quem critica. Quem critica é porque não aceita releituras dos personagens, que estão presos a turma clássica e não tem a mente aberta pra inovações e outros estilos de narrativa ou não estão preparados para lerem HQS mas sérias ou de adulto (alguns fãs de adulto só tem corpo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roderix2, cada um tem sua opinião e respeito. Sim, TMJ tem o seu público, assim como a clássica, cada um vai acompanhar o q gosta.

      A gente só acha q é uma inovação desnecessária. E não segue a essência dos personagens clássicos. Viraram outros personagens q a gente conhece. Cebolinha falando certo é a pior coisa. Dentre as q eu li, achei roteiro fraco, bobeira, se pelo menos falassem sobre dilemas dos adolescentes, podia ficar melhor. Como vc gosta, continue comprando.

      Quanto a Graphic MSP a gente critica pq serve só para usar os personagens do Maurício para vender. Já tava muito bom a MSP50, aí como viu q fez sucesso aí expandiram o projeto para lucrar mais.

      Mas é esse lance, se não gosto, não compro mais. Para quem gosta, continue comprando. Todo título tem o seu público fiel e vai comprar apenas o q interessa.

      Excluir
  11. Melhor que uma mensal do Chico atual ou uma do Neymar...kkkk(risadinha macabra)! xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim, o Xandro não deixa de ter um pouco de razão.

      Excluir
    2. Ah qualquer coisa é melhor q o gibi do Neymar kkkkk

      Só q ainda prefiro as mensais atuais do Chico do q Chico Moço.

      Excluir
  12. Tive a oportunidade de ler "Chico Moço", e até me surpreendi. Eu não havia gostado dos primeiros números da TMJ, então eu tinha minhas ressalvas sobre como ficaria o menino da roça em versão adolescente.

    Honestamente, até que achei legal. Bom, é claro que houve um distanciamento do Chico Bento clássico, mas pelo menos essa primeira edição ficou numa margem segura. Afinal, vimos todos os personagens convencionais em Vila Abobrinha. E gostei do tom nostálgico e emotivo que permeou o roteiro.

    Meu medo é para as próximas edições. Não sei como irão explorar a vida dele na cidade e na faculdade, mas sem dúvida é algo que irá sair totalmente do que esperamos para o núcleo Chico Bento. Resta ver se esse "spin-off" em quadrinhos vai ser uma boa sacada ou se foi uma manobra desnecessária.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Cássio, essa 1ªedição pode dizer q foi mais parecida com o Chico clássico pq apareceram os personagens da Vila Abobrinha.

      A partir da próxima é uma incognita do q virá pela frente, de certo mesmo, quem aparecerá mais com o Chico será o primo Zeca.

      Excluir
  13. Respostas
    1. ♥ jessiquinha gatinha ♥ :

      FALA SERIO
      do geitoq vc fala parece horrivel. mas. tipo se eh como a TMJ deve ser shiw de bola
      e tipo "a magali faz regime, o cascão toma banho e blá blá blá" a nao vc qria q eles crececem e ficassem tipo: a magali GORDA o cascao SUJO(e ele ainda toma banho por obrigaçao) o cebolinha falando errado?
      eu acho q vai ser lgl o chico moço pq tipo(sim eu falo mt tipo) vc queria q ele ficasse na roça sem se formar sem estudar? sem conseguir ajudar a familia?
      meu nd a ver essas criticas eu achoq ficou show de bola
      e manga eh otimo p essas verssoes jovens pq eh um desenho q ta c tudo por ai e ainda mais que os deseinhos de gibis (da turminha) nao ia fica legal em uma verssao soh jovem neh? ;-)

      Excluir
    2. Bom, por mim nem devia ter essas revistas em versão mangá, totalmente desnecessário. Cada um tem sua opinião, a revista tem seu público, como vc gosta, continue comprando.

      Excluir
  14. Oi Marcos!
    Eu ganhei na bienal o gibi do Chico Bento moço nº0. E percebi que a hq do nº0 é a mesma mangá que tem No "Chico Bento 50 anos".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Rafael, falaram isso q se tratavam da mesma hq e agora vc confirmou. Como eu tenho Chico Bento 50 Anos não vou pegar essa nº zero, mesmo com valor histórico.

      Excluir
  15. Eu comprei essa revista sem grandes expectativas, motivado mais por ser a número 1 e até que acabei gostando mais do que eu esperava. Pelo achei melhor do que a Turma da Mônica Jovem. Esse primeiro número teve um certo ar de nostalgia que certamente não existirá no próximo. Foi um bom começo, mas a mudança de universo das histórias parece desanimadora. É esperar para conferir o resultado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa nº 1 pelo jeito será a edição mais parecida com a versão clássica. a partir do próximo número vão estragar de vez com o Chico fazendo faculdade na cidade. Concordo q é desanimador.

      Excluir
  16. Eu não sei, eu até gosto da TMJ, mas não valhe a pena comprar, eu lia online Só que o Maurício mandou fechar o site e já perdeu um montão de leitores Acho que eu compraria a primeira edição por curiosidade, até gosto Só acho idiota as pessoas aí em cima te xingarem por não gostar, elas tem a mente muito fechada, cada um tem a sua opinião

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Babi, tbm achei falta de consideração o Maurício fechar os blogs q disponibilizavam scans dos gibis. Não gostei disso.

      Já essa edição 1, comprei só pela curiosidade e valor histórico, as outras edições não vou. Vc não tá perdendo grande coisa.

      Excluir
  17. Mas Bá, que tanto ressentimento nesses coraçãozinhos com falta de visão mercadológica e da própria vida. Me digam uma coisa, só uma coisa Marcos e Cia.: depois que vocês cresceram, viraram adolescente, depois adultos, continuaram do mesmo jeito de quando eram crianças? É claro que os personagens tinham que passar por mudanças, ELES CRESCERAM, sim, em caixa alta, pra vê se entendam de uma vez por todas. Os editores e nosso querido e grande Maurício de Souza nunca escondeu isso de ninguém e vivem sempre repetindo "na turma jovem, os personagens cresceram, não são mais crianças". Pô, sempre foi claro, mesmo nos HQ tradicionais do Chico que ele acabaria se tornando engenheiro agrônomo. E quanto ao Cebolinha ter frequentado uma fono, isso tinha sim que acontecer, ele cresceu, vai querer namorar, seguir uma profissão, assim como o Cascão tomar banho, a Mônica deixar de dá coelhadas e a Magali querer fazer regime, que diga de passagem, muitas meninas da idade do personagem fazem a beça. Com vcs deixam uma mensagem de quem eu sou tão fã quanto do Maurício, o grande Kim, da banda Catedral "fale mal de mim, suba nesse palco e me acompanhe". Sem mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Israel, não era para ter essa versão crescida dos personagens, falta do q inventar. Todos esses pontos q vc apontou só mostra q só estão pensando na realidade, no lado sério da vida e para atender o politicamente correto e não dá mau exemplo. Quadrinhos são para gente se divertir, com todos os absurdos q existem.

      Na vida real sim, os adolescentes não fazem coisas de crianças, mas lembre-se q são quadrinhos, e no mundo dos quadrinhos tudo pode, os absurdos é q são as graças.

      Podia muito bem o Chico continuar na roça e falando caipira, o Cebolinha falar errado, Cascão sem tomar banho a vida inteira, a Mônica continuar brigando com todo mundo e, principalmente a Magali continuar comendo como antes, sem medo de engordar. Ela não precisa ser uma "maria vai com as outras" para fazer regime q nem as outras meninas da idade. São só quadrinhos.

      Mas aí entra o politicamente correto q não pode dar mau exemplo, tem q ensinar tudo certo e isso tudo é chato. Lamentável. Fora q os roteiros da TMJ são um porre, piadas sem graças, tudo muito bobo, enfim, ridículo.

      TMJ é destinado para outro público alvo, diferente da clássica. Se vc gosta, continue comprando, pq eu, assim como outros q não gostam vamos continuar não comprando. Simples assim.



      Excluir
  18. Acho a maior furada esse lance de descaracterização do personagem. Chico Bento é o meu personagem favorito das história do Maurício, e gosto dele pq ele vive na roça, numa vida tranquila e sossegada, convivendo com histórias populares, com a natureza, etc. isso pq me lembra a minha infância.
    Sobre esse "novo" Chico Bento, me recuso a comprar as revistas, isso pq acontece, como citei, a descaracterização não tão somente do personagem, mas de todo a ambientação das histórias do Chico.
    O fator principal para mudar tudo, é a saída dele da roça para a cidade. Por mim ele ficaria na roça, assim como as ideias originais do Maurício, nos trazendo uma versão do Chico mais adulta, porém concentrada em um estereotipo do "Jeca Tatu", mas certamente, na visão dos editores e cia. esse personagem não agradaria definitivamente a garotada jovem, é preciso ser um garoto bonito, moderno, e como se não bastasse, um astro do sertanejo universitário (risos).
    Em fim, permaneço com o meu velho e bom Chico Bento, contemplando a natureza, vivendo da simplicidade do campo, sendo criança.

    ResponderExcluir
  19. Esqueci de citar algo no meu último comentário.
    Fui na loja ver essa edição de Chico Bento, e até que pensei em comprar pra ter em casa, edição 1, histórica, talvez mude de ideia no futuro, etc. Mas olhei o preço, quase não quis acreditar. Como pode, uma revista de tamanho pequeno (se comparado ao tam. de outras HQ's), com todas as ilustrações em preto e branco, além da folha de jornal, e eles cobram preços tão caros?! A única coisa que presta é a capa cartonada. Se eu pegar a revista e tirar uma xerox, ela ficará com melhor qualidade e bem mais barata que a revista original.
    Lamentável isso. Só acho.

    ResponderExcluir
  20. "a descaracterização não tão somente do personagem, mas de todo a ambientação das histórias do Chico. "

    Falou tudo. Conseguiram estragar o Chico q a gente tanto gosta. E ainda coloca todo fortão para agradar o pessoal, pelo jeito de tanto carregar lenhae pegar na inchada. E como o Zé Lelé não ficou forte tbm? Ridículo.

    Sobre o preço tbm acho bem caro, visto q a horrível TMJ tem o mesmo preço, porém com mais páginas do q Chico Moço. Como não vou colecionar, pra mim tanto faz.


    ResponderExcluir
  21. Também comprei essa revista pelo valor histórico (gosto muito de numeros 1 na coleção tb kkk) e infelizmente tenho que concordar que estragaram o chico, não só pelo fato de ser mangá, mas ele mudou completamente (tirando o dente, que foi só uma marca pra comprovar que era ele) mas de qualquer modo o Chico perdeu aquela "essência" de garoto humilde, parece que criaram ele nos moldes de um homem bonito para a sociedade atual, porque desde quando um cara da roça tem músculos? Tudo bem que pode ter, mas o Chico pelo que a gente acompanha não ficaria assim nunca, sem contar que faltou falar de um ponto importante, na parte que ele beija a Rosinha de surpresa, se despedindo, desde quando o Chico (que sempre foi tímido pra dar uma "bitoquinha") faria aquilo???

    Mudaram, realmente, bastante, tirando a parte que ele se preocupa com os animais, mas ainda assim não é aquele Chico tímido, humilde, caipira, feinho que a gente conhece e tanto adora, agora é um Chico que parece se fazer de bonzinho, mas está nos moldes do que as crianças gostam agora.

    Parabéns pela postagem (muito boa, como sempre), e pelo visto também não colecionarei, talvez pegarei a segunda edição pra não julgar o gibi todo numa edição só, porém, deixou a desejar, e encheram muita linguiça nele, foi um excesso de despedida que eu não tava aguentando, e tudo com desenhos enormes pra encher a página logo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí William, descaracterização total do Chico, com exceção do amor aos bichos. Tanto porte físico quanto personalidade. Nem os dentes achei parecido. Concordo q o fizeram assim para agradar a garotada atual, afinal o público alvo são para elas mesmo.

      E o q não é encheção de linguiça atualmente na MSP, né? Para mim, essa história da nº 1 seria melhor se saisse na edição zero, logicamente, de forma mais resumida. Enquanto isso, nessa edição zero colocam história republicada de Chico Bento 50 Anos. Lamentável.

      Excluir
    2. Verdade, a pessoa paga por uma "história inédta" (e desnecessária) que depois vai sair de graça pra todo mundo... Essa MSP...

      Excluir
  22. Eu gostei da revista do chico bento moço, tenho 17 anos e ano que vem estarei indo para a faculdade. Mostrei para alguns amigos meus e eles tambem gostaram, principalmente por abordar o momento pelo qual estamos passando...
    Achei sem noção o saci crescer, visto que ele é folclore... kkkkkk
    Eu li, gostei, pretendo comprar as outras, ou esperar alguem comprar e por na rede, da no mesmo, nunca colecionei revistas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo comentário Rodrigo... se continuar comprando, boa leitura. Se encontrar na internet pra baixar, melhor ainda. Abraços

      Excluir
  23. Isso não foi uma análise muito imparcial, não é mesmo? Você usou acusações e a transformação de opiniões totalmente fundamentadas nos seus próprios sentimentos. Isso já foi suficiente para contradizer sua pretensão de fazer uma ANÁLISE. Isso, pra mim, foi um desabafo camuflado. Olha só, vamos separar as coisas? Você não gostou da nova versão, por tradicionalismo. Outra coisa é dizer que a revista é ruim. Pior, falar mal dos roteiros sem ter tido a "animação" de ler. Isso chega a ser uma falta de respeito com os profissionais. Alguns roteiros são bobos sim. E muito. Mas outros são muito bem elaborados e construídos, e demonstram uma enorme criatividade dos seus autores. Não sou assídua de quadrinhos, mas acho que, literariamente falando, têm sim seu valor. Outra coisa, mercadologicamente falando, a revista têm um direcionamento. Mas isso não signifique que elas sejam voltadas apenas para adolescentes idiotas. Ou você acha que um adolescente bobo vai saber admirar a revista que faz um crossover entre a turma e a obra do Osamu Tezuka? Mesmo que tenha uma liçãozinha por trás, a própria obra do Tezuka já possuía. Falando das obras em geral, isso não é o "politicamente correto" que está sendo aplicado. É a tradição do Maurício de dar bons exemplos. Mais uma coisa: verossimilhança ainda não foi proibido nas histórias em quadrinhos, sabe? Enfim... cansei, tá tarde, eu tô com fome, se precisar eu venho aqui rebater um contra-argumento, mas agora só vou falar isso mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "É a tradição do Maurício de dar bons exemplos."

      Nunca foi tradição o Maurício dar bons exemplos, pelo contrário. Isso tá mais frequente de uns 10 anos pra cá, e, principalmente na panini.

      Pra mim, TMJ é descaracterização dos personagens, e nada a ver mostrar realidade, q na vida real é desse jeito, pq eles vivem em revistas em quadrinhos e não na vida real, quadrinhos tudo pode.

      TMJ tems eu público alvo. Se vc gosta, continua comprando. Eu como não gostei, não compro mais, simples assim.

      Excluir
    2. Ok, forcei a barra por não achar palavra melhor quando disse que é tradição. Mas mesmo revistas de 20 anos atrás já tinham algo de bom exemplo a ser dado. Não era algo feito como obrigação, assim como esses "bons exemplos" são tratados na TMJ sem um caráter obrigatório (o que, a meu ver, caracteriza o "politicamente correto").

      E, como eu falei, ainda não proibiram a verossimilhança em histórias em quadrinhos. Uma leitura mais crítica e analítica leva à compreensão de que os personagens não foram descaracterizados. Eles passaram por mudanças, mas foi mantida a essência de cada um deles. Mas com um mínimo de coerência, seja com o mundo real ou DENTRO do próprio ambiente ficcional em que eles se inserem.

      Quadrinhos são literatura. A literatura não tem a obrigação de espelhar a realidade, mas o mínimo que pode fazer é manter uma coerência com a própria obra. E, quanto a isso, ainda não vi falhas em nada da Turma da Mônica no geral.

      Claro, quem não gosta não é obrigado a comprar. Mas acho que uma análise deve ser feita apenas com entendimento do assunto e mente aberta. Simples assim.

      (Isso não foi ironia, apenas achei que o modo como vc finalizou o seu comentário funcionava para o meu também)

      Excluir
  24. Marcos, concordo com tudo o que disse, eu sou muito fã da Turma da Mônica dos anos 70, inclusive daquele traço "bicudo" que o Maurício e outros desenhistas faziam. TMJ é chato, todos são musculosos e fazem cara de safados com aquelas sobrancelhas arqueadas, as meninas tem 16 anos mas com corpo de mulherão. Estranho para um público é infantil beirando na casa dos 8/14 anos. E pergunto: se todos os personagens "melhoraram", por que só a Mônica continuou dentuça? Com tanto odontologista bom...
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Eugenio, TMJ é tudo superficial, e os corpos musculosos são para agradar melhor a garotada. Não dá pra acompanhar mesmo.

      Acho q mantiveram os dentes da Mônica, só pra ainda o pessoal lembrar q é ela, pq é totalmente diferente. Se bem q os traços delas estão bem diferentes (e pra pior) do q nos primeiros números. Daqui a pouco, colocam um aparelho nela e tá tudo certo rs.

      Valeu pelo comentário e pelo elogio. Abraços

      Excluir